segunda-feira, 17 de maio de 2021

Inundação de igreja cobre o sacrário, mas não atinge as hóstias

 No domingo, dia 21 de fevereiro último, fortes chuvas provocaram enchentes no Rio Carangola, na cidade do mesmo nome, a 357 km da capital mineira, inundando o bairro Lacerdinha.

Na capela Santo Antônio a água subiu mais de dois metros, cobrindo inteiramente o sacrário com o Santíssimo Sacramento. Quando as águas baixaram, os fiéis ficaram pasmos: as hóstias consagradas permaneciam intactas e secas [foto].

A enchente foi “de proporções jamais vistas”, segundo moradores e a Defesa Civil. Sem explicação natural, o fato comoveu os católicos e reforçou a fé na presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo na Sagrada Eucaristia.

ABIM

Atletas da secção ar livre e aventura participaram no Castellum Trail Mmxxi


Numa organização do CCR Alcabideque, em parceria com Município de Condeixa, teve lugar no passado dia 16 de maio, o Castellum Trail MMXXI que assinalou a realização de mais uma prova de Trail, neste regresso que se saúda
Participaram nesta prova, de 25km, a pontuar para o CDTRC 2021, na vertente de trail longo, 6 atletas e na prova de 12 Km, igualmente 4 atletas da Secção de Ar Livre e Aventura da Associação de Solidariedade Social Sociedade Columbófila Cantanhedense.

Na prova de 25 Km, Nuno Coelho, alcançou o 21° lugar na classificação geral masculina e o 7° lugar no escalão M40, Nelson Heleno, o 44° e o 18° no escalão MSenior, Nuno Almeida, o 67° e 27° M40, enquanto que, no sector feminino regista-se a prova de Daniela Guerra que obteve o 8º lugar na geral e 3º no escalão F Senior, ocupando assim um lugar no pódio, Gabriela Oliveira, que obteve o 11°lugar na classificação geral e o 7° lugar no escalão F40, e Otília Costa, classificada em 13° na geral e 8° lugar no F40.

Na prova de 12 Km, Sandra Ângelo, ocupou o 6° lugar na geral feminina e o 2° no escalão F40, o que lhe valeu o lugar no pódio, Luísa Santos, 12° geral feminina, 6° F40, Jessica Cardoso, 28° geral feminina, 8° FSenior e no sector masculino José Mendes, alcança a 70° posição na geral masculino e o 33° lugar no escalão MSenior.

De salientar os 2 pódios das atletas Daniela Guerra e Sandra Ângelo, tendo na classificação colectiva a Sociedade Columbófila o 10º lugar em 12 equipas.

Em termos coletivos obtivemos 10° lugar em 12 equipas no trail longo e 10° lugar em 14 equipas no trail curto.



O Novo Parque Canino de Évora já abriu ao Público

Situado junto ao Bairro António Sérgio, num espaço adjacente à Quinta da Malagueira, abriu ao público na passada sexta-feira, 14 de maio, o novo Parque Canino de Évora. A ocasião foi assinalada no local com a presença do Presidente da Câmara, Vereadores, Presidente da União de Freguesias da Malagueira e Horta das Figueiras, técnicos municipais e de numerosas famílias que, acompanhadas pelos seus animais, puderam pela primeira vez usufruir deste espaço. 
Composto por uma área de receção e por uma área de lazer, num total de 2600m2, o novo Parque Canino de Évora está integralmente vedado com rede e postes de madeira tratada. A área de receção é composta por uma pérgola, mesa de piquenique, bebedouro e placa informativa. O espaço de lazer dispõe de diversos equipamentos de recreio, incluindo passadiço, túnel e outros obstáculos adequados a canídeos. Toda a área foi concebida com as condições de segurança ideais para ser usufruída em corridas e brincadeiras, numa plena interação e saudável convivência entre animais e detentores. 

A cidade dispõe agora de um local concebido para atividades de lazer destinado a canídeos acompanhados dos respetivos donos, onde os animais se poderão exercitar e socializar, promovendo a detenção responsável e o bem-estar animal. 
Todo o espaço foi concebido e construído com preocupações ecológicas: foram instalados candeeiros alimentados a energia solar e a rega das zonas verdes é efetuada através de sistema gota a gota. De maneira a dotar o espaço de um ambiente fresco e agradável, foram já plantadas dezenas de árvores e arbustos, tanto no interior do recinto como na zona envolvente. A escolha recaiu sobre espécies autóctones que apresentam caraterísticas bem adaptadas à região.


Inês Sousa Real, líder Parlamentar do PAN vistou Aveiro


Inês Sousa Real, líder Parlamentar do PAN e representante da lista - única - candidata à Comissão Política Nacional do PAN, "As Causas Primeiro", além da apresentação da lista e Moção aos filiados, reuniu ainda com associações de proteção animal, defesa ambiental e de mobilidade sustentável.
Aveiro, 16 de maio de 2021 - A distrital de Aveiro do PAN - Pessoas-Animais-Natureza recebeu ontem, sábado, Inês Sousa Real, líder Parlamentar do PAN, na qualidade de representante da lista - única - candidata à Comissão Política Nacional do PAN, "As Causas Primeiro".

A visita de Inês Sousa Real a Aveiro, na qualidade de representante da lista candidata à Comissão Política Nacional do PAN, começou com uma reunião com os filiados do distrito para apresentação da Moção Global Estratégica "As Causas Primeiro" e a proposta de alteração de Estatutos. Estiveram presentes também a deputada à Assembleia da República, Bebiana Cunha, e outros elementos da lista.

Aproveitando a presença das duas Parlamentares e do deputado municipal do PAN em Aveiro, Rui Alvarenga, foram ouvidos o Movimento Juntos Pelo Rossio e a MUBi Aveiro, representados por David Iguaz e Rui Igreja respectivamente, que abordaram as obras em curso na cidade, com destaque negativo para o parque de estacionamento subterrâneo previsto para o Rossio e o projecto de requalificação da Avenida Lourenço Peixinho, cujo traçado mereceu algumas críticas relativamente às opções tomadas ao nível da mobilidade suave, assim como o abate de dezenas de árvores ali existentes, cuja compensação é claramente insuficiente e com escolhas de espécies inapropriadas para aquele espaço.

O PAN visitou a associação de proteção animal Afectu, que reforçou as dificuldades quotidianas vividas no terreno, seguido pela passagem no terreno onde está prevista a construção do canil intermunicipal.

Imagem: TVI24

Cientistas criam verniz que mata bactérias em poucos minutos

 Uma equipa multidisciplinar de cientistas, liderada por Jorge Coelho e Paula Morais, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), desenvolveu um verniz para superfícies que mata bactérias, mesmo as mais resistentes, em apenas 15 minutos, uma solução segura e eficaz para prevenir e combater as infeções hospitalares.

Este novo verniz inteligente com elevada atividade antimicrobiana, que é ativada por ação de luz branca, inócua para o ser humano, foi desenvolvido no âmbito do projeto de investigação “SafeSurf”, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), e teve a participação de investigadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

O projeto, cujos resultados já se encontram publicados na revista científica ACS Applied Materials & Interfaces, compreendeu três fases. Primeiro, os cientistas desenvolveram e testaram uma nova geração de polímeros catiónicos com propriedades antimicrobianas contra várias espécies de bactérias. De seguida, procuraram um fotossensibilizador com atividade fotodinâmica à superfície, tendo sido utilizado um composto natural que é produzido por plantas, a curcumina.

Ao combinar os polímeros catiónicos com a curcumina, os cientistas verificaram que a atividade antimicrobiana dos polímeros aumentou de forma significativa, permitindo matar um maior número de bactérias em menos tempo, como relatam Jorge Coelho e Paula Morais: «quando juntámos os dois sob a ação da luz branca, verificámos que as bactérias morriam passado muito pouco tempo. As várias experiências realizadas em superfícies mostraram que, em apenas 15 minutos de exposição, estes dois compostos combinados reduziam mil vezes o número de bactérias gram-positivas e gram-negativas, como por exemplo, da Escherichia coli. Ou seja, numa ação conjunta, os dois materiais provocam stress oxidativo nas bactérias, eliminando-as de forma eficaz e segura».

Perante os resultados obtidos, os investigadores avançaram então para a formulação de um revestimento (verniz). Com recurso a uma formulação industrial, desenvolveram um verniz de base poliuretano contendo, pela primeira vez, biocidas poliméricos catiónicos combinados com um fotossensibilizador de curcumina.

A bateria de testes antimicrobianos realizados com o verniz desenvolvido mostrou a eficácia na eliminação de bactérias. A grande inovação, segundo os coordenadores do projeto, reside no facto de «conseguirmos incorporar estes dois compostos num verniz de formulação industrial de base poliuretano, utilizando condições industriais, dando ao verniz a inovação da funcionalidade antibacteriana, facilitando assim a sua introdução no mercado. A formulação do verniz contendo os polímeros catiónicos e o fotossensibilizador constituiu uma etapa do projeto de elevada complexidade que foi realizada pelos nossos colegas da FEUP».

Sabendo-se que a grande maioria das infeções surge em ambiente hospitalar, Jorge Coelho e Paula Morais salientam que «os revestimentos de superfície inteligentes que apresentam vários mecanismos de atividade antimicrobiana surgiram como uma abordagem avançada para prevenir com segurança esse tipo de infeção». Assim, acrescentam, este novo verniz representa «uma solução eficaz e segura para a prevenção e controlo de infeções nosocomiais [contraídas nos hospitais], uma vez que impede a proliferação das bactérias nas superfícies».

Questionados sobre quando é que esta solução poderá chegar ao mercado, os docentes e investigadores dos departamentos de Engenharia Química e de Ciências da Vida da FCTUC referem que, do ponto de vista científico, «o conceito está provado, ou seja, foi desenvolvido um verniz eficaz e completamente seguro para o ser humano. No entanto, é necessário realizar uma avaliação económica do projeto».

Cristina Pinto

Escola de Pastores do Alvão com vinte alunos e a missão de rejuvenescer o setor

A Escola de Pastores do Alvão arrancou com 20 alunos, uns ligados ao setor e outros de áreas distintas como a Medicina ou Engenharia Aeroespacial, e tem como missão o rejuvenescimento e a valorização da atividade.

Hoje o dia estava cinzento em Telões, Vila Pouca de Aguiar, onde decorreu a primeira aula prática da Escola de Pastores. A sala de aula é a serra do Alvão e as explorações das raças autóctones que se espalham por este território.

Beatriz Peixoto veio preparada com botas e casaco para enfrentar a chuva e o nevoeiro que se fazia sentir neste município do distrito de Vila Real. Tem 24 anos e frequenta o sexto ano do curso de Medicina, no Porto.

“Sempre tive interesse pela natureza, pela agricultura e pelos animais. Como sempre estive na cidade sinto que é um interesse que eu nunca consegui explorar e, portanto, vim para aqui explorar mais essa realidade”, afirma a também, agora, aluna da Escola de Pastores.

Esta é uma realidade da qual pouco conhece e, por isso, Beatriz Peixoto quer perceber se poderá ser algo que possa incluir no seu futuro.

Considera que esta é uma oportunidade que não “podia deixar escapar” e que quer compatibilizar com a licenciatura.

Henrique Granja, 24 anos e natural de Barcelos, acabou o mestrado integrado em Engenharia Aeroespacial em janeiro, está à procura de emprego, frequenta, agora, a Escola de Pastores, e ambiciona desenvolver um projeto que possa juntar as duas áreas.

“É sempre importante aprender mais e o meu gosto pela agricultura e pela pastorícia levou-me a inscrever neste curso”, afirma.

Com o futuro em aberto, Henrique não descarta a possibilidade de trabalhar como pastor e referiu que, nesta atividade, pode aplicar conhecimentos adquiridos no Instituto Superior Técnico.

Refere que a Engenharia pode ajudar a “resolver problemas da área da pastorícia” e “ajudar a desenvolver projetos inovadores com a utilização de drones” para, por exemplo, “calcular a quantidade de biomassa em determinados terrenos, ou perceber de que maneira é que o rebanho está a atuar numa determinada encosta”.

“Esta é uma área que gosto bastante, de elevado valor”, sustenta.

Tomás Rodrigues veio de Paredes, onde já tem um rebanho com 30 animais e quer “aprender novas coisas”. Aos 17 anos está a acabar o 12.º ano e já sabe que quer ser pastor.

“Fui criado na agricultura e gosto muito de animais. Na área que eu quero há pouca formação e então decidi inscrever-me porque vai ter alguma utilidade para o que eu quero seguir”, afirma.

Ana Catarina, 37 anos, e Davide Fraústo, 29 anos, vivem em Santarém e possuem uma exploração de ovinos e caprinos, bem como uma pequena queijaria artesanal.

Ana Catarina, que é também professora de Informática, explicou que decidiram integrar a Escola de Pastores porque sentiram “muita necessidade de informação”.

“Chegamos a um ponto em que não conseguimos evoluir mais e precisamos de respostas e surgiu esta oportunidade”, salienta.

A escola é promovida pela Federação Nacional das Raças Autóctones (FERA), em parceria com a Aguiarfloresta - Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar.

Nesta formação quer fazer-se a integração das atividades da pastorícia com a gestão do espaço rural, como a agricultura e a floresta. A primeira aula prática foi dedicada à botânica, centrando-se também nas plantas que os animais comem e nas diferenças entre elas.

O curso “Pastoreio Sustentável e Gestão da Paisagem” é o primeiro da Escola de Pastores, decorre entre maio e outubro e concilia as aulas teóricas, em formato ‘online’, com a prática, junto dos criadores de cabras ou vacas de raças autóctones.

Entre as cerca de 50 pessoas que se inscreveram, foram selecionados 20.

Duarte Marques, da Aguiarfloresta, revela-se surpreendido com a adesão ao projeto, com a juventude dos formandos e também com a diversidade de atividades profissionais.

Capacitar e atrair mais criadores de gado, promover o rejuvenescimento do setor e incentivar modos de produção inovadores são precisamente os objetivos desta escola.

Duarte Marques destaca ainda a “valorização da atividade” e aponta para o “risco do abandono” devido “à baixa rentabilidade” e ao envelhecimento dos pastores.

O responsável elenca o papel que o setor desempenha na “sustentabilidade do espaço rural”, na gestão e na prevenção dos incêndios.

Para além dos formadores, a escola tem também tutores que podem acompanhar os formandos, apoiar na implementação do plano de negócios e, depois, no início da atividade.

Lusa

Ataques israelitas mataram pelo menos 42 pessoas e feriram mais de 50 em Gaza

Ataques aéreos israelitas à cidade de Gaza destruíram hoje três edifícios e mataram pelo menos 42 pessoas, segundo médicos palestinianos, naquele que foi o ataque mais mortífero da mais recente escalada de violência no Médio Oriente.

Apesar do balanço de vítimas e dos esforços internacionais de mediação para um cessar-fogo, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, assegurou que a quarta guerra com o Hamas, que governa em Gaza, irá continuar.

Num discurso televisivo, Netanyahu disse que os ataques prosseguiriam com "força total" e que "levariam tempo".

O Hamas também prosseguiu, lançando foguetes a partir de áreas civis em Gaza em direção a áreas civis em Israel.

Um deles atingiu uma sinagoga na cidade meridional de Ashkelon horas antes dos serviços noturnos para o feriado judeu de Shavuot, disseram os serviços de emergência israelitas.

Não foram relatados quaisquer feridos.

No ataque aéreo israelita no início do dia de hoje, várias pessoas ficaram soterradas sob os escombros dos edifícios atingidos durante a madrugada.

As hostilidades entre as duas partes escalaram repetidamente durante a última semana, marcando os piores combates no território, que alberga dois milhões de palestinianos, desde a guerra de 2014 entre Israel e o Hamas.

"Não vi este nível de destruição durante os meus 14 anos de trabalho, nem mesmo na guerra de 2014", disse Samir al-Khatib, um trabalhador de emergência em Gaza, citado por agências internacionais.

O ministério da Saúde de Gaza anunciou que 16 mulheres e 10 crianças estavam entre os mortos e que mais de 50 pessoas ficaram feridas.

Segundo um porta-voz do exército israelita, os ataques visaram infraestruturas militares subterrâneas do Hamas, que "ruíram, causando o colapso das fundações de casas civis que estavam acima delas, levando a baixas involuntárias".

Entre os mortos estará o chefe do departamento de medicina interna do Hospital Shifa e membro do comité de gestão do coronavírus, enquanto os seus dois filhos adolescentes e outros dois membros da família ficaram debaixo dos escombros.

A mais recente onda de violência começou em Jerusalém Oriental no mês passado, quando palestinianos entraram em confrontos com a polícia em resposta às operações policiais israelitas durante o Ramadão e à ameaça de despejo de dezenas de famílias palestinianas por colonos judeus.

Um dos focos dos confrontos foi a Mesquita Al-Aqsa, um ponto de tensão frequente localizado no topo de uma colina, venerada tanto por muçulmanos como por judeus.

O Hamas começou a disparar foguetes contra Jerusalém na segunda-feira, desencadeando o assalto israelita a Gaza.

Pelo menos 188 palestinianos foram mortos nas centenas de ataques aéreos em Gaza, incluindo 55 crianças e 33 mulheres, e 1.230 pessoas ficaram feridas.

Oito pessoas em Israel foram mortas em alguns dos 3.100 ataques com foguetes lançados a partir de Gaza, incluindo um rapaz de 5 anos e um soldado.

O Hamas e a 'Jihad Islâmica' reconheceram que 20 combatentes foram mortos. Israel diz que o número real é muito superior e divulgou os nomes e fotos de 24 alegados operacionais que diz terem sido "eliminados".

O ataque deslocou cerca de 34.000 palestinianos das suas casas, segundo disse hoje o enviado ao Médio Oriente das Nações Unidas, Tor Wennesland, numa reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, onde oito ministros dos Negócios Estrangeiros falaram sobre o conflito.

Os esforços da China, Noruega e Tunísia para levar o organismo da ONU a emitir uma declaração, incluindo um apelo à cessação das hostilidades, foram bloqueados pelos Estados Unidos, que, segundo os diplomatas, está preocupado com a possibilidade de esta interferir com os esforços diplomáticos para pôr termo à violência.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros palestiniano Riad Al-Malki exortou o Conselho de Segurança a tomar medidas para pôr fim aos ataques israelitas.

O embaixador da ONU em Israel, Gilad Erdan, instou o Conselho a condenar os ataques "indiscriminados e não provocados" do Hamas.

Fonte: Lusa

Imagem: InforPress

Pandemia agravou condições de 2.700 crianças. Situações são “graves ou muito graves”

A presidente da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens alertou que a pandemia de covid-19 agravou a situação dos mais novos, adiantando terem sido recebidas num ano 2.702 comunicações de situações “graves ou muito graves”.

Em declarações à rádio TSF, Rosário Farmhouse adiantou que num ano, a linha telefónica "Crianças em perigo" recebeu 1.006 denúncias (de 19 de maio de 2020 até à última sexta-feira), às quais se somam 1.696 queixas registadas num formulário preenchido ‘online’.

No total, 2.702 comunicações foram encaminhadas para as comissões de proteção locais, que configuram "situações graves ou muito graves".

Rosário Farmhouse adiantou que “todas as comunicações que chegaram tinham fundamento", tendo sido abertos processos.

“Desde o início da linha até hoje recebemos mais de 1.000 chamadas. São em concreto 1.006 chamadas que recebemos. Significa que é uma linha que não existindo antes fazia muito falta. Também desenvolvemos uma nova ferramenta que desenvolvemos em tempos de pandemia (…) que é o formulário ‘online’ através do nosso ‘site’ e nesse recebemos 1.696 comunicações de perigo através do formulário online”, disse.

De acordo com Rosário Farmhouse, a maioria das queixas foram feitas por adultos.

“Têm aparecido mais através de familiares e vizinhos tanto a linha ou o formulário. Tem sido usado de forma anónima, por pessoas que são próximas e que têm medo de represálias. As crianças, algumas contactam a linha, mas maioritariamente são adultos. Temos alguns e-mails de jovens a fazer perguntas, mas a maioria são os adultos”, disse.

No que diz respeito às principais queixas, Rosário Farmhouse elencou a violência física, psicológica e emocional, negligência e abandono.

“Estamos a falar muito na área da violência física e psicológica e emocional, de negligência e abandono. As crianças estão sozinhas o dia inteiro, ninguém lhes está a prestar qualquer atenção. As crianças são muito pequenas. Todos os dias se ouvem gritos e humilhações, barulho que parece ser violência física", contou.

A presidente da Comissão salientou que o confinamento causado pela "pandemia [de covid-19] trouxe consequências grandes" para os mais novos.

Com "tantas horas fechados em casa, a violência aumentou. As famílias que já eram frágeis viram a situação agravar-se”, disse.

Segundo Rosário Farmhouse, além da violência, negligência e abandono, os mais novos sofreram também com o desemprego dos pais, ansiedade e vulnerabilidade, sublinhando que os números “são muito elevados”.

A presidente da Comissão disse que as crianças foram “muitíssimo afetadas” pela pandemia de covid-19, destacando que os abusos e a violência não vão acabar com o desconfinamento.

"São efeitos que vão permanecer no tempo e aos quais temos de estar todos muito atentos", salientou.

O número da linha Crianças em perigo” é o 961 231 111 e o formulário está disponível no ‘site’ da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco.

Madremedia

UK inicia nova etapa de desconfinamento com viagens para Portugal

O Reino Unido inicia hoje nova etapa do plano de desconfinamento, incluindo autorização para viajar de férias para o estrangeiro, mas apenas alguns países, entre os quais Portugal, permitem a entrada a britânicos. 

Dos 12 países e territórios da ‘lista verde’ do Governo britânico, que autoriza as viagens por motivos não essenciais e não exige quarentena de 10 dias no regresso, sete não deixam entrar turistas, como Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Brunei e Ilhas Malvinas.

O facto de ser um dos poucos destinos de praia na lista, a qual deixou de fora países populares como Espanha, Grécia e Turquia, levou a um número elevado de procura e reservas.

O grupo TUI disse à Agência Lusa ter adicionado mais cinco voos por semana a partir de hoje e atribuído aeronaves mais espaçosas para ter capacidade adicional.

A partir de hoje, as pessoas na Inglaterra poderão também comer no interior de restaurantes ou beber uma cerveja num ‘pub’, em vez de ficarem limitados às esplanadas como até agora, e visitar familiares ou amigos dentro de casa e abraçá-los.

Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte estão a seguir caminhos de reabertura semelhantes, mas ligeiramente diferentes.

Outros espaços de lazer, como cinemas, museus, teatros e salas de concerto poderão reabrir, embora com limites de capacidade para grandes eventos.

Porém, o entusiasmo com a reabertura do turismo e a restauração é ensombrado pela ansiedade que uma variante do coronavírus descoberta na Índia está a causar por estar a espalhar-se rapidamente.

O número de casos da variante B1.617.2 mais do que duplicaram numa semana no Reino Unido, desafiando uma tendência acentuada de queda em todo o país de infeções e mortes nas últimas semanas.

Rastreios porta a porta e apelos para as pessoas serem vacinadas estão a ser realizados nas áreas do norte da Inglaterra mais afetadas.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, disse no domingo à BBC que a variante é mais transmissível do que a variante principal descoberta em Inglaterra no ano passado e “é provável que se torne a variante dominante”.

“Mas a boa notícia é que temos cada vez mais confiança de que a vacina funciona contra a variante, a estratégia está no caminho certo. Só que o vírus ganhou um pouco de ímpeto e, portanto, todos temos que ser um pouco mais cuidadosos e cautelosos”, disse.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, não excluiu atrasar a quarta etapa do plano de desconfinamento, prevista para 21 de junho, quando o Governo pretendia levantar todas as restrições e medidas de distanciamento social.

Disse também que não previa aumentar a “lista verde”, a qual é suposto ser revista a cada três semanas, no futuro próximo.

O Reino Unido registou quase 128.000 mortes desde o início da pandemia, o número mais alto na Europa e o quinto a nível mundial.

O número de casos caiu para uma média de cerca de 2.000 por dia, em comparação com quase 70.000 por dia durante o pico do inverno, e as mortes caíram para um dígito por dia.

Quase 70% dos adultos britânicos receberam a primeira dose de uma vacina contra o coronavírus e 38% receberam as duas doses.

Lusa

domingo, 16 de maio de 2021

Carregal do Sal | Grande Orla do Mondego, Rota da Pinha e do Pinhão e Rota dos Narcissus já estão homologados


Já é oficial. Estão homologados três percursos do Concelho de Carregal do Sal - a Grande Rota da Orla do Mondego, a Rota da Pinha e do Pinhão e a Rota dos Narcissus.

As Cartas de Homologação foram emitidas pela entidade competente - Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, no seguimento do projeto de "Sinalização Turística em Viseu Dão Lafões", da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, após as vistorias realizadas nos respetivos percursos pedestres.

Os documentos foram agora enviados à Câmara Municipal de Carregal do Sal e têm uma validade de 5 anos.

A homologação confere maior visibilidade e constitui um exponencial turístico dos três percursos que, a partir de agora são também divulgados a nível nacional e internacional, através de edições próprias e em parceria e do seu sítio http://www.fcmportugal.com.





Autarca volta a insistir junto do Ministério da Saúde: Helena Teodósio quer de novo a consulta aberta em Cantanhede

Helena Teodósio não se conforma com o encerramento da consulta aberta que estava a ser assegurada pelos profissionais do Centro de Saúde de Cantanhede, entre as 8h00 e as 24h00, nas instalações do Hospital Arcebispo João Crisóstomo, em substituição do serviço de urgência que aí funcionava durante 24 horas diárias.

A autarca tem vindo a reclamar insistentemente junto do Ministério da Saúde, para que “seja cumprido o protocolo celebrado em 24 de fevereiro de 2007 com a Câmara Municipal, “muito particularmente no que diz respeito ao funcionamento da consulta aberta criada no âmbito de um acordo que visava colmatar o fecho da urgência”.

Desta vez foi a 13 de maio último, durante a apresentação pública do SNS 24 Balcão realizada na Casa Municipal da Cultura de Coimbra que Helena Teodósio entregou em mãos ao Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, mais uma carta em que recorda que foi com base nesse acordo que a autarquia tolerou o encerramento da urgência do Hospital Arcebispo João Crisóstomo, “confiando de boa fé que a consulta aberta entre as 8h00 e as 24h00 daria reposta adequada à procura, de acordo com aquilo que os indicadores de afluência pareciam confirmar. Por isso, é absolutamente inaceitável que também esta tenha sido encerrada, muito antes da crise pandémica de Covid-19, sem que a Câmara Municipal tenha sido tida ou achada no processo e, portanto, completamente ao arrepio daquilo com que o Ministério da Saúde se comprometeu”, sublinha.

Para a líder do executivo camarário cantanhedense, “os munícipes podem muito justamente sentir-se enganados pela tutela relativamente aos serviços de saúde do concelho, com a agravante de que a deterioração da resposta tem vindo a acentuar-se significativamente e não apenas devido à crise sanitária que o país está a viver”.

É perante “esta triste realidade” que Helena Teodósio insiste em reivindicar “o integral cumprimento do protocolo que esteve na base da criação da consulta aberta”, sublinhando que é “deplorável e revoltante que um compromisso desta importância não esteja a ser honrado pelo Ministério da Saúde e que, em função disso os doentes com episódios agudos não disponham de assistência médica em tempo útil, no período estimado como o de maior afluência para esse tipo de situações, precisamente entre as 8h00 e as 24h00, e se vejam obrigados a recorrer à urgência do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra”.

A autarca adianta ainda que, pela sua parte sempre defendeu para o Hospital Arcebispo João Crisóstomo “um serviço de urgência básica com horário alargado, mas que a consulta aberta, das 8h00 às 24h00, se revelou uma resposta bastante útil, especialmente até ao momento em que o Ministério da Saúde/Administração Regional de Saúde do Centro decidiu unilateralmente ignorar o protocolo, diminuindo consideravelmente o horário de acesso aos MCDT's - Meios Complementares de Diagnóstico, para mais num dos períodos do dia em que eles eram mais necessários”.

Mas a machadada final “aconteceu em 2019, quando o Ministério da Saúde/Administração Regional de Saúde do Centro, mais uma vez sem dar ter dado qualquer satisfação ao Município de Cantanhede e fazendo tábua rasa do acordo que firmou em 2007, avançou com o encerramento da consulta aberta, deixando os utentes à míngua de assistência médica em situações urgentes ou emergentes uma população de cerca de 60 mil pessoas, considerando os concelhos de Cantanhede e Mira e franjas de outros vizinhos”, assinala a presidente da Câmara Municipal.

Helena Teodósio termina a carta a considerar que, “apesar de persistirem vários outros constrangimentos graves nos serviços de saúde do concelho de Cantanhede, que aliás estão manifestamente subdimensionados para cumprirem cabalmente a sua missão, é a inexistência de uma resposta atempada para os doentes com episódios agudos que tem de ser urgentemente colmatada com uma solução consentânea com o respeito devido aos munícipes e os princípios da boa fé que presidiram ao acordo celebrado pelo Ministério da Saúde com o Município de Cantanhede”.


Morreu o prefeito de São Paulo aos 41 anos

 O prefeito da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, morreu hoje, aos 41 anos, vítima de cancro, segundo a imprensa brasileira e várias personalidades que nas redes sociais têm lamentado o seu desaparecimento.

Bruno Covas tinha sido internado em estado grave no passado dia 3 de maio para tratamento de um cancro, segundo informou na altura o Hospital Sírio-Libanês.

Diagnosticado com cancro no final de 2019, o prefeito anunciara no dia 2 de maio que ia fazer um tratamento contra a doença.

“Nos últimos meses, a vida deu-me enormes desafios. Tenho procurado enfrentá-los com fé, cabeça erguida e com muita determinação”, escreveu Covas numa nota divulgada na altura pelas redes sociais.

Neto de Mário Covas, ex-governador de São Paulo, Bruno Covas, de 41 anos, retomou as sessões de quimioterapia em fevereiro passado, e ficou novamente internado por vários dias devido a um nódulo encontrado no fígado, mas continuou no cargo.

Membro do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Bruno Covas tornou-se prefeito da cidade de São Paulo em abril de 2018, ao substituir João Doria, que saiu do cargo e foi eleito governador do estado de São Paulo.

Em junho do ano passado, Covas testou positivo para o novo coronavírus, doença que superou sem maiores problemas.

Em 2020, Covas foi reeleito prefeito após derrotar o candidato de esquerda Guilherme Boulos, do Partido do Socialismo e Liberdade (PSOL), na segunda volta das autárquicas.

Bruno Covas defendia medidas de isolamento social contra a covid-19, pelo que foi criticado pelo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

A 29 de abril do ano passado, Bolsonaro remeteu a responsabilidade pelo aumento do número de casos e mortes causados pela covid-19 para os governadores e autarcas que decretaram medidas de isolamento social, dizendo: “Essa fatura deve ser enviada aos governadores. Pergunte ao senhor João Doria [governador do estado de São Paulo], ao senhor [Bruno] Covas [prefeito de câmara da cidade de São Paulo] porque eles adotaram medidas restritivas e as pessoas continuam a morrer”.

A notícia da morte de Bruno Covas tem sido comentada e lamentada nas redes sociais por várias personalidades, como os antigos presidentes do Brasil Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Lula recordou no Twitter a “longa e dura batalha contra o cancro” que o autarca travou e Dilma Rousseff usou a mesma rede social para afirmar que “o Brasil perdeu um dos seus promissores líderes políticos”.

“Com Bruno Covas vai embora parte da nossa esperança”, escreveu Michel Temer nesta rede.

O governador de São Paulo, João Dória, já emitiu uma declaração, na qual sublinha a “dedicação e afeto” que partilhou com Bruno Covas.

Também os clubes de desporto, como o São Paulo Futebol Clube, o Corinthians, o Santos Futebol Clube, o Palmeiras e o Flamengo têm manifestado o seu pesar por este falecimento.

Advogado de profissão, Bruno Covas entrou para a política aos 26 anos, tornando-se deputado na legislatura de São Paulo.

Foi então secretário do Ambiente do Estado de São Paulo (2011-2015) e depois deputado federal em Brasília, de 2015 a 2017.

Apesar da doença, continuou a ocupar o seu cargo de presidente da câmara da cidade mais populosa do Brasil (12,3 milhões de habitantes), e enfrentou a crise provocada pela pandemia de covid-19, que matou quase 29.000 pessoas em São Paulo.

Fonte: MadreMedia/Lusa

Foto: Jornal do Comércio

Fernando Pimenta bronze em K1 5.000 na Taça do Mundo da Hungria. É a terceira medalha para Portugal

 O canoísta Fernando Pimenta conquistou hoje nova medalha de bronze na Taça do Mundo da Hungria, agora nos K1 5.000, a terceira de Portugal na competição de Szeged.

O quinteto que liderou boa parte da prova foi reduzido a quarteto e, nos metros finais, Pimenta, em luta com dois húngaros, foi prejudicado por um atleta atrasado, que estava na sua rota e não lhe permitiu um ‘sprint’ igual aos rivais até ao fim.

Pimenta concluiu a prova em 19.40,65 minutos, a 1,83 segundos do vencedor, o húngaro Noe Balint, que se impôs ao compatriota Balint Kopasz por 1,21 segundos.

Portugal somou a terceira medalha na Taça do Mundo, depois dos bronzes de Fernando Pimenta no sábado nos olímpicos K1 1.000 e hoje de Teresa Portela e Joana Vasconcelos em K2 200.

 

Fonte: MadreMedia/Lusa

Sismo de magnitude 2,0 sentido esta manhã no distrito de Aveiro

 Abalo foi sentido em Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azeméis e Estarreja.

Um sismo de magnitude 2,0 foi sentido este domingo em Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azeméis e Estarreja, no distrito de Aveiro, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) em comunicado.

Segundo o instituto, o sismo foi registado às 06:15 nas estações da Rede Sísmica do Continente e o seu epicentro localizou-se a cerca de seis quilómetros a noroeste de Sever do Vouga (Aveiro).

De acordo com a informação disponível até ao momento, o sismo não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima II/III na escala de Mercalli modificada em Albergaria-a-Velha e Oliveira de Azeméis.

Foi ainda sentido com menor intensidade no concelho de Estarreja.

IPMA acrescenta que emitirá novos comunicados se a situação o justificar.

 

Fonte: Lusa

COVID-19: Número de novos internamentos com maior aumento em quase um mês


Depois de um aumento acentuado nos internamentos a partir de finais de dezembro de 2020, que atingiu um pico no dia 01 de fevereiro (6.869 internados), esse número tem vindo a descer, com algumas flutuações.
O número de novos internamentos diários registado este domingo é o maior desde 19 de abril, quando o número aumentou de 428 no dia anterior para 454 (mais 26 pessoas).

Uma morte e 334 novos casos de contágio em Portugal nas últimas 24 horas.

Está confirmada uma nova morte e 334 novos casos de contágio devido à Covid-19 nas últimas 24 horas em Portugal, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-geral de Saúde (DGS).

O número total de mortes pela doença é agora de 17.007, enquanto o de pessoas infetadas desde o início da pandemia subiu para 842.182. Há, neste momento, 22.275 casos ativos.

Estão internados 245 doentes (mais 22 nas últimas 24 horas), dos quais 76 estão nos cuidados intensivos (mais cinco do que no anterior balanço).

Até ao momento, 802.900 pessoas conseguiram recuperar, das quais 229 nas últimas 24 horas.

Há ainda 18.808 pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde, mais 15 do que no balanço anterior.

TSF

GNR deteve nove pessoas em Vilar Formoso por situações de imigração ilegal


A GNR deteve sete homens estrangeiros por permanência ilegal no país e dois homens, também estrangeiros, por suspeita de auxílio à imigração ilegal, com idades entre 30 e 40 anos, na fronteira de Vilar Formoso, foi anunciado.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda disse à agência Lusa que os homens foram detidos pelas 05:00 de hoje, no âmbito da realização de uma ação de fiscalização rodoviária na fronteira de Vilar Formoso, no concelho de Almeida, distrito da Guarda.

Segundo esta fonte, a GNR intercetou duas viaturas, que entravam em território nacional e transportavam 23 indivíduos indostânicos (da região do subcontinente indiano que inclui parte da Índia e do Paquistão).


“Na análise documental, feita pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), verificou-se que sete deles estavam em situação ilegal em território nacional e outros dois eram suspeitos da prática de auxílio à imigração ilegal”, adiantou à Lusa uma fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda.

Os nove detidos vão ser apresentados ao Tribunal de Almeida, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação.

Os outros 14 estrangeiros “estavam com processo de legalização em andamento no SEF e ficaram em liberdade”, disse.

As duas viaturas que transportavam os homens são de matrícula portuguesa e foram apreendidas pelas autoridades policiais.

A mesma fonte adiantou que as autoridades estão a efetuar diligências no sentido de apurarem o destino dos 21 homens, que eram transportados pelos condutores das duas viaturas.

Lusa

Quase 40 países em competição a partir de terça-feira no Festival Eurovisão da Canção

Quase 40 países competem, esta semana, no Festival Eurovisão da Canção, que decorre em Roterdão, nos Países Baixos, e no qual Portugal estará representando pelos The Black Mamba com a canção "Love is on my side".

Depois de um ano de paragem, devido à pandemia da covid-19, o concurso regressa com a 65.ª edição, que acontece na terça-feira (primeira semifinal), na quinta-feira (segunda semifinal) e no sábado (final).

Os Países Baixos ganharam o direito de organizar a Eurovisão depois de vencerem a edição de 2019, em Israel, com o tema "Arcade", interpretado por Duncan Laurence.

A 65.ª edição do concurso, que se realiza anualmente na Europa desde 1956, deveria ter acontecido em maio do ano passado, em Roterdão, mas a União Europeia de Radiodifusão, por considerar que não estavam reunidas condições para a sua realização, devido à pandemia da covid-19, decidiu adiá-la um ano.

Ao todo serão 39 os países em competição e, de modo a garantir que o concurso acontece mesmo, os concorrentes gravaram as atuações nos seus países, para poderem participar caso não fosse possível viajarem para Roterdão.

A gravação, entregue previamente pelas estações de televisão participantes (no caso de Portugal é a RTP), teve de "acontecer num estúdio e em tempo real (tal como seria no concurso), sem qualquer edição da voz ou de qualquer parte da atuação, depois de esta ser gravada".

A organização terá de utilizar a gravação de pelo menos um dos 39 países: a Austrália, cuja delegação se viu impedida de viajar para os Países Baixos.

Embora a 55.ª edição do Festival Eurovisão da Canção seja disputada por 39 países, apenas 33 competem nas semifinais (16 na primeira e 17 na segunda).

Os restantes seis países - os chamados 'Cinco Grandes' (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião (Países Baixos) - têm acesso garantido à final.

Em cada semifinal são escolhidos dez países. Portugal irá competir na quinta-feira por um lugar na final, durante a segunda semifinal, na qual participam também São Marino, Estónia, República Checa, Grécia, Áustria, Polónia, Moldávia, Islândia, Sérvia, Geórgia, Albânia, Bulgária, Finlândia, Letónia, Suíça e Dinamarca.

Na primeira semifinal competem Lituânia, Eslovénia, Rússia, Suécia, Austrália, Macedónia do Norte, Irlanda, Chipre, Noruega, Croácia, Bélgica, Israel, Roménia, Azerbaijão, Ucrânia e Malta.

As duas semifinais e a final vão ter público a assistir ao vivo, tendo a organização colocado à venda este mês 3.500 bilhetes por espetáculo. Além disso, de acordo com informação disponível no 'site' oficial do Festival Eurovisão da Canção, o Governo dos Países Baixos autorizou a organização a ter também público em seis ensaios.

Este ano, "todas as delegações, artistas e equipa de produção seguem um protocolo rigoroso e não terão contacto com elementos do público".

Com "Love is on my side" Portugal leva à Eurovisão, pela primeira vez, uma canção integralmente em inglês, composta por Tatanka, o vocalista dos The Black Mamba.

Tatanka é um dos fundadores dos The Black Mamba, banda formada em 2010 e que se move no universo dos blues, da soul e do funk.

Em paralelo com os The Black Mamba, Tatanka iniciou uma carreira a solo em 2016, "num registo mais pessoal e de regresso às suas raízes, contando histórias e apresentando temas originais em português". O álbum de estreia, "Pouco Barulho", chegou em 2019.

Portugal participou no Festival Eurovisão da Canção pela primeira vez em 1964, tendo, entretanto, falhado cinco edições (em 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016).

Entre 2004 e 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014, 2015 e 2019, Portugal falhou a passagem à final.

Portugal venceu pela primeira e única vez o concurso em 2017, com o tema "Amar pelos dois", interpretado por Salvador Sobral e composto por Luísa Sobral. Na sequência da vitória, Lisboa acolheu, no ano seguinte, a competição.

Imagem: Visão/Sapo

O MAR — Uma esplêndida imagem do absoluto

  • Plinio Corrêa de Oliveira

Oque é a verdade absoluta? Seria a verdade óbvia? Não necessariamente. Trata-se de uma verdade tão fundamental, que está na base de todas as verdades. Ela pode ser conhecida pelo espírito humano com tanta clareza, que produz nele uma impressão semelhante à de ter tocado num mar eterno; de ter tocado em algo fixo, perfeito, que nunca o abandonará, nunca o trairá, nunca será diverso, e que satisfaz a mente humana inteiramente. Isto se poderia traduzir pela palavra absoluto. Por quê? Porque exprime com perfeição a própria personalidade.

O mar é uma imagem esplêndida desse absoluto. Ele foi criado com todas as contingências da matéria; mas tão verdadeiro, tão grande, tão completo, que contém em si a imagem de tudo que se pode passar no espírito humano. É abrangente, renova-se continuamente, e mantém sua estabilidade até mesmo durante uma tempestade.

O mar abrange muitos paradoxos aparentes. Por exemplo, quando entramos na Baía de Guanabara encontramos o mar imenso, no entanto limitado por diversas ilhas e enseadas, podendo-se dizer que ali sua imensidade está limitada de mil modos. Vendo aquela grandeza, entretanto nos encantamos com seus movimentos graciosos. Depois, quando entramos para o alto-mar, nos encantamos de outra maneira, com outros aspectos. Ele contém todos os paradoxos em estado de harmonia, contém todos os movimentos em forma de estabilidade.

Poderíamos ficar horas olhando para o mar, sem cessar de nos entretermos com ele. Poderíamos passar a vida inteira contemplando o mar na Baía de São Sebastião, por exemplo — ora andando de um lado para outro, ora num veleiro ou noutra embarcação — e ainda assim considerarmos ter preenchido a nossa vida.

Das imagens de ordem natural, o mar é para mim a que melhor me faz lembrar de Deus. Mesmo um céu muito bonito não lembra tanto o Criador quanto o mar. Diante de todos esses aspectos, eu o considero a imagem mais exata do absoluto.

ABIM

____________

Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira em 24 de maio de 1989. Esta transcrição não passou pela revisão do autor.

Portugal regista recorde diário de 125 mil pessoas vacinadas

Ontem foram administradas em Portugal 125 mil vacinas contra a covid-19, um novo recorde diário no país, segundo informação divulgada pela ´task force` que coordena o programa de vacinação.

Ao todo foram administradas, durante o dia de hoje, cerca de 125 mil vacinas, correspondendo a um novo recorde diário de inoculações", acentuou hoje, na mesma nota, a estrutura liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo.

De acordo com a informação disponibilizada pela ´task force` que coordena a logística da vacinação em Portugal continental, as vacinas abrangeram hoje funcionários ligados ao ensino e profissionais de serviços sociais.

"De acordo com os dados provisórios, até às 19:00 foram vacinados cerca de 103 mil docentes e não docentes e profissionais das respostas sociais com a segunda dose", referiu a ´task force`.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.359.726 mortos no mundo, resultantes de mais de 161,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.006 pessoas dos 841.848 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Lusa

Portugal qualifica-se para o Europeu de voleibol ao vencer Noruega


Portugal assegurou hoje a sexta presença no Campeonato da Europa de voleibol, ao vencer a Noruega, por 3-0, e ao somar o quinto triunfo noutros tantos jogos na qualificação.

Em Matosinhos, na quinta jornada do Grupo G, a seleção portuguesa bateu a sua congénere norueguesa pelos parciais de 25-17, 25-18 e 25-22.

Portugal, que esteve presente nas fases finais de 1948, 1951, 2005, 2011 e 2019, garantiu a vitória no grupo de qualificação, ao somar 14 pontos, mais quatro do que a Bielorrússia, que hoje venceu a Hungria, por 3-1.

Lusa