segunda-feira, 31 de julho de 2017

Evita fraudes en tus compras de verano


por Yesica Flores
El ticket promedio de compra durante el verano en México se eleva de un 5 a 10%.
• PayU cuenta con un módulo antifraude que disminuye el riesgo a menos de 1%.

La llegada del verano es una época esperada por muchos, pues es buen momento para aprovechar las ofertas de sus tiendas favoritas, algunos aprovechan la temporada vacacional para comprar un viaje, y por supuesto, otros que buscan los mejores precios para el regreso a clases. De acuerdo con cifras de PayU, proveedor líder de servicios de pago en línea en Latinoamérica, el ticket promedio de compra durante verano en México se eleva de un 5 a 10%, dentro las industrias que más representan ventas son, Moda, Hogar, y Educación.
Según el estudio de Interactive Advertising Bureau (IAB) en 2016, 4 de cada 10 internautas mexicanos han realizado compras en internet, de los cuales el 37% lo ha hecho por ventajas como rapidez, practicidad, la tienda física no está al alcance del comprador, pueden comparar precios y productos, existen ofertas especiales y es más barato. Todos estos factores sin duda representan ventajas para el crecimiento y empuje del e-commerce.
A lo largo de esta época del año incrementan aún más las ventas y es común que los casos de fraude también se acrecienten, sin embargo, comprar en sitios que dispongan de plataformas dedicadas a ofrecer la realización de compras seguras en línea, facilita que el comercio electrónico continúe creciendo en el país y los usuarios aumenten su confianza en este método de pago.
Por esto, PayU te brinda una serie de recomendaciones que te ayudarán a realizar comprar seguras y a identificar una alerta de fraude.
• Evita conectarte desde redes públicas, busca siempre una red propia o de confianza para realizar tus compras.
• Cuando ingreses a la página en donde realizarás tu compra, verifica que tenga el protocolo de seguridad HTTPS y no HTTP, tal vez este protocolo se active únicamente en el momento que comiences a realizar el pago, pero es ahí donde radica la importancia de tenerlo; de lo contrario estará aumentando el riesgo de fraude.
• Siempre verifica qué estás comprando a través de servicios de e-commerce con una excelente reputación y que cuenten con el respaldo de una plataforma de pagos confiable.
• De manera previa, investiga sobre la plataforma de pagos con la que cuenta la tienda en la que comprarás, esto incrementará la seguridad de tu compra.
• Posterior a tu compra, verifica que tus tarjetas hayan tenido el cargo exacto y el nombre o razón social de la tienda a la que accediste.
• Evita abrir los enlaces de correo electrónicos, es muy común que a través de esta táctica envíen un enlace falso, por lo cual se recomienda altamente no dar clic, sin antes haber verificado que la oferta realmente exista.

PayU cuenta con un módulo antifraude que combina las reglas de experto con una avanzada red neuronal que evalúa la seguridad en las transacciones y disminuye el riesgo de fraude a menos de 1%.
***
Acerca de PayU
PayU es un proveedor líder de servicios de pago en línea, especializado en crear procesos de pago rápidos y simples para comercios y compradores, con la máxima seguridad antifraude y más de 250 opciones de pago. Con presencia en 16 mercados de alto crecimiento en Asia, Europa Central y Este, América Latina, Oriente Medio y África, PayU es experto en ofrecer soluciones diseñadas para esos mercados, a sus más de 100.000 comercios y millones de compradores. Visita http://www.payu.com y http://www.payu.com.mx/ para más información. Durante el 2016 México incremento 130% en la facturación de comercios, es decir el año pasado fue un año para demostrar –una vez más- que la generación de emprendedores y consumidores digitales siguen siendo segmentos con mayor potencial en América Latina.

TONY CARREIRA CANTOU (E ENCANTOU) PARA MILHARES NA EXPOFACIC

Milhares de pessoas assistiram ontem ao concerto de Tony Carreira na EXPOFACIC, dando continuidade a uma relação especial de muitos anos com este certame e o seu público. No próximo sábado, é Noite Branca, uma noite vestida em tons de branco em solidariedade com os Bombeiros Voluntários de Cantanhede.
Tony Carreira cantou e encantou para os milhares de pessoas que foram assistir ao concerto do passado domingo na EXPOFACIC. Como já é habitual, desde muito cedo que a assistência começou a preencher os lugares mais perto do palco, para melhor apreciarem o espetáculo. Tony Carreira não desiludiu e demonstrou estar em grande forma, dando um espetáculo memorável.
O artista apresentou temas de “Sempre Mais”, o último álbum de originais que conta com a participação de Rudy Perez (associado ao sucesso de cantores como Júlio Iglésias, Marc Anthony, Michael Bolton, Beyoncé e Christina Aguilera), o francês David Gategno (colaborador de Celine Dion e Lara Fabian), Nellson Klasszik, produtor responsável por um apreciável número de êxitos da atualidade e ainda, o conceituado Ricardo Landum.
Naturalmente, cantou também grande parte das suas músicas mais conhecidas, para grande contentamento do público.
Esta foi a 22.ª presença de Tony Carreira na EXPOFACIC, facto que o artista referiu durante o concerto e agradeceu, muito sensibilizado, a relação de proximidade que tem vindo a estabelecer com Cantanhede e com o público da EXPOFACIC em particular, realçando as melhorias na organização e no espaço que tem encontrado de ano para ano.

NOITE BRANCA A FAVOR DOS BOMBEIROS DE CANTANHEDE
No próximo sábado, dia 5, repete-se a iniciativa Noite Branca. O recinto veste-se de branco para recolher fundos que vão reverter para os Bombeiros Voluntários de Cantanhede, com a venda de camisolas brancas a 2 euros, patrocinadas pela Sagres, Licor Beirão e Turismo do Centro.
O Grupo Alves Bandeira associa-se também à iniciativa com a venda de ímanes solidários a 1,00€ e em que 0,75€ revertem a favor da associação humanitária. Os Bombeiros Voluntários de Cantanhede, que fazem 115 anos no dia 24 de agosto, procuram conseguir verbas para ajudar à aquisição de dois carros de combate aos incêndios.
Nessa noite, por todo o recinto da EXPOFACIC os cenários têm como base o branco, com a decoração de vários elementos da exposição, num ambiente diferente e sugestivo que vai acolher os muitos visitantes que são esperados nessa noite: nas várias portas de entrada do certame, figuras humanas iluminadas (“human frames”) e, na entrada principal, grandes arcos brancos a receber os visitantes.
Um pouco por todo o lado vão ser instalados muitos adereços especiais e os troncos de árvore vão ser revestidos com 1.500 metros quadrados de tecido branco. A tudo isto, juntam-se bandas e animadores de rua, malabaristas e bailarinas.
No final da tarde, tem lugar a transmissão em direto da final da Super Taça Cândido Oliveira nos seis écrans distribuídos pelo recinto, sendo que, durante o jogo, a cerveja será vendida a metade do preço nos vários quiosques.
Meia hora após o término do jogo, sobem ao Palco Principal C4 Pedro, músico da nova geração da música angolana que tem conquistado o entusiasmo do público jovem, com temas de sucesso como “Tu És a Mulher”, “African Beauty” e “Vamos Ficar Por Aqui”.
Seguem-se os ritmos quentes e sensuais de Matias Damásio, o cantor da música que todos conhecem “Loucos” e de muitos outros êxitos. Já no Palco Sagres a animação fica a cargo de RIOT e Lzrd & dBMatter.
CARTAZ DE CONCERTOS
DATA PALCO PRINCIPAL PALCO SAGRES
27 julho Richie Campbell, Dengaz Magazino
28 julho Kura, Jimmy P, Virgul Menaka
29 julho God Save the Queen,
Redfoo & The Party Rock Crew
Francisco Cunha
30 julho Tony Carreira, Somos Portugal (TVI) Sara Santini
31 julho D.A.M.A., Karetus Menasso
1 agosto Diogo Piçarra, Salvador Sobral KEVU
2 agosto Mariza, Cuca Roseta Diana Oliveira
3 agosto UB40 feat. Ali Campbell, Astro & Mickey
Naughty Boy
Rodrigo Vieira
4 agosto Agir, Áurea, Diego Miranda Steven Rod
5 agosto C4 Pedro, Matias Damásio RIOT, Lzrd & dBMatter
6 agosto Xutos & Pontapés, Brigada Vitor Jara Overul 

PROTEGE TUS EQUIPOS ELECTRÓNICOS Y CONSOLAS ANTE LAS TORMENTAS ELÉCTRICAS



por Yesica Flores

Durante esta temporada de lluvias, la protección de tus equipos electrónicos es fundamental en tu hogar. Cuida tu patrimonio y evita que tus pantallas, videojuegos, equipos de sonido y otros aparatos se descompongan, ante el inminente cambio de voltaje provocado por las tormentas eléctricas. Aquí unas sugerencias de los expertos de The Home Depot.
  1. Desconecta tus aparatos mientras no estés en casa
Evita cualquier incidente mientras no estés en casa y desconecta tus aparatos de la corriente eléctrica. Con esta medida no hay manera de que se dañen ante el cambio de voltaje durante las temporadas de lluvia. Por ejemplo, muchas veces por una agenda apretada, utilizas tu consola solo los fines de semana. Así que, no pasa nada si la desconectas durante la semana hábil.
  1. Utiliza reguladores de voltaje
El uso de reguladores es la manera más segura de tener conectados tus equipos electrónicos, ya que regulan cualquier cambio brusco de voltaje protegiendo en todo momento los circuitos electrónicos de los aparatos conectados. Puedes conectar todo tipo de aparatos con un solo ejemplar. En The Home Depot tenemos varias opciones de Koblenz, como este, que es especial para equipos de audio y video.
  1. No te quedes sin energía
En tiempos de lluvia son muy frecuentes los apagones, cuando estos suceden muchos de nuestros equipos pueden sufrir un daño al no apagarlos correctamente, para evitar estas interrupciones tenemos el No Break marca Koblenz que además de proteger hasta cuatro aparatos, te ofrece un respaldo de energía hasta por 34 minutos para que continúes viendo TV, jugar video juegos o cerrar correctamente tu equipo de cómputo.
  1. Centro de Carga para toda tu casa
Los centros de carga siempre serán el mejor aliado para todo el sistema de electricidad de tu hogar ya que actúan como protectores ante un corto circuito provocado por alguna sobrecarga del abasto eléctrico en la ciudad. Estos protegerán por completo la red de tu casa y en la mayoría de los incidentes. Si el voltaje es inadecuado, el centro automáticamente interrumpirá el flujo de eléctrico para no dañar tus aparatos durante un apagón. Además te permite asignar un switch para cada habitación o uso. Una opción es ésta de IGESA que puedes encontrar aquí
  1. Utiliza productos con garantía de calidad
Procura comprar siempre aparatos electrónicos certificados y de marcas reconocidas por la calidad de sus productos. Éstos vienen acompañados de garantías que respaldan su uso y defectos de fábrica. Toma en cuenta que a veces un producto barato, no necesariamente tiene la mejor calidad, pone en peligro al resto de tus aparatos e incluso puede provocarte un incendio en casa.
Con estas sencillas recomendaciones, cuida de tu patrimonio y ese dinero que con tanto esfuerzo has invertido para entretenerte.

Macroscópio – A Venezuela à beira de uma guerra civil? E os portugueses?

15394f37-d15a-4db8-9900-7c4008f236fe.jpg

Macroscópio

Por José Manuel Fernandes, Publisher
Boa noite!
 
A votação para a eleição de uma “Assembleia Constituinte” na Venezuela ficou marcada pelo boicote da oposição, por manifestações de protesto em todo o país e por uma repressão violenta, de tal forma que o dia acabou com um saldo (não oficial) de 14 mortos. Os próximos dias podem ser decisivos, com os partidários do regime de Nicolás Maduro a quererem que a nova assembleia tome posse o mais depressa possível, com ela tentando esvaziar os poderes da Assembleia Nacional em que a oposição é maioritária, e com esta mesma oposição a não desistir dos protestos que já duram há vários meses apesar da severidade da repressão, havendo já um saldo de mais de 100 mortos. Aonde nos leva esta escalada? É a esta pergunta que procuram responder os textos que reunimos neste Macroscópio.
 
Comecemos por procurar perceber o que se passou, recorrendo a alguns textos de enquadramento ou a explicadores:
  • O que acontece agora? 4 pontos-chave para entender a polêmica Constituinte na Venezuela, um texto onde a brasileira Folha de São Paulo nos diz, por exemplo, que “As funções já declaradas da Constituinte são reformar a justiça –para combater com mais força o "terrorismo", termo que o governo usa para classificar ações da oposição– e o sistema econômico (...). Maduro e outros líderes governistas que estarão na Constituinte já anunciaram uma possível dissolução do Parlamento, controlado pela oposição, e a reforma do Ministério Público.”
  • Preguntas y respuestas de las elecciones que dividen a Venezuela, uma espécie de explicador do El Español. A resposta à pergunta Cómo se eligen los delegados? explica bem como o processo de escolha dos 545 representantes à “Constituinte” foi desenhada à partida de forma a garantir que o “oficialismo” alcançasse a maioria que deseja para mudar o regime e moldá-lo à vontade de Maduro.
  • Las claves de las elecciones a la Asamblea Nacional Constituyente de Venezuela, também num formato de perguntas e respostas, agora preparado pelo El Pais. Aí se explica, por exemplo, que “Las condiciones fijadas para los comicios prohibieron candidaturas desde los partidos políticos, una estratagema del Gobierno para evitar que el voto refleje un rechazo a su gestión. Sin embargo, la mayoría de los candidatos son miembros del partido del Gobierno y aliados, o al menos simpatizantes. Numerosos ministros y figuras públicas cercanas al régimen han renunciado a sus cargos para ser aspirantes a la Constituyente. No se ha registrado ningún candidato, en cambio, cuyas propuestas sean contrarias a las premisas del Gobierno.”
  • Venezuela’s vote for a constitutional assembly could destroy democracy, critics warn, uma reportagem/análise do Washington Post que considera, sem rodeios, que “In defiance of international warnings, the socialist government is pushing forward with a vote to elect a constituent assembly that will have the authority to change the 1999 constitution, supplant the opposition-controlled legislature and potentially keep Maduro in power indefinitely.
  • Venezuela to vote amid crisis: all you need to know, um texto do Guardian no formato de perguntas e respostas onde se escreve que os críticos desta eleição “have warned that the constituent assembly is an attempt to override the existing parliament, setting in place a Cuban-style Congress that would serve to rubber-stamp the executive’s orders.”
 
Se este primeiro conjunto de textos é mais informativo e permite antes do mais conhecer o processo, importa passar a algumas análises, pois estas tornam mais claras as intenções golpistas de Maduro e o risco de uma guerra civil entre as duas Venezuelas que se enfrentam duramente pelo menos desde que a oposição ganhou as eleições legislativas no final de 2015. Comecemos pelo El Español que escrevia hoje, num editorial intitulado Farsa electoral y muerte en Venezuela, que “Sólo un demente o un tirano despiadado es capaz de presentar como legítimo el resultado de una votación fraudulenta y manchada de sangre, tras una jornada electoral sin apenas votantes ni garantías democráticas.” Ora é exactamente isso que Maduro está a fazer. A generalidade dos editorialistas da imprensa espanhola afinou pelo mesmo registo.
 
O mesmo fizeram analistas como Alejandro Tarre, que em La huida hacia adelante de Maduro, no El Pais, para quem não há muita esperança de uma saída equilibrada para esta crise: “La instalación de una Asamblea Nacional Constituyente hoy domingo en Venezuela ratifica una vez más que el juego está trancado no porque el gobierno y la oposición sean incapaces de dialogar para encontrar una salida a la crisis. Está trancado porque la dictadura de Nicolás Maduro, rechazada por una amplia mayoría de venezolanos, solo está dispuesta a negociar acuerdos que le permitan permanecer indefinidamente en el poder. El chavismo ve la negociación como un mecanismo para imponerse sobre sus adversarios; forzarlos a aceptar que solo ellos mandan. De lo contrario no impulsaría una Constituyente cuya intención es cerrar los escasos espacios de lucha democrática que todavía existen en Venezuela.”
 
Já Ricardo Hausmann, um antigo ministro venezuelano hoje professor em Harvard, explicou para o Project Syndicate Venezuela’s Unprecedented Collapse. Neste texto explica-se muito bem, com recurso a números impressionantes, uma catástrofe económica quase sem paralelo: “According to the International Monetary Fund, Venezuela’s GDP in 2017 is 35% below 2013 levels, or 40% in per capita terms. That is a significantly sharper contraction than during the 1929-1933 Great Depression in the United States, when US GDP is estimated to have fallen 28%. It is slightly bigger than the decline in Russia (1990-1994), Cuba (1989-1993), and Albania (1989-1993) (...). Put another way, Venezuela’s economic catastrophe dwarfs any in the history of the US, Western Europe, or the rest of Latin America.”
 
Uma boa leitura complementar, boa para perceber como país como as maiores reservas de petróleo do mundo chegou a este ponto, é Venezuela's Perfect Storm for Oil May Be About to Break, de Liam Denning da Bloomberg, um texto mais técnico, mais económico, com muitos gráficos e uma abertura fatalista: "We may be about to see the first sovereign producer to unequivocally fail."

 
Indispensável para compreender a América Latina é seguir a coluna de Mary Anastasia O’Grady no Wall Street Journal (paywall). Hoje mesmo ela escrevia que Venezuela Heads for Civil War, até porque não acredita que o regime ceda à oposição, ou que esta desista: “Opposition leaders in Caracas are still trying to use peaceful means to unseat Mr. Maduro. Last week they orchestrated an effective 48-hour national strike and on Friday another day of demonstrations. But grass-roots faith and hope in a peaceful solution has been lost. One symptom of this desperation is the mass exodus under way.” Por isso, “Forget all you’ve heard about dialogue in Venezuela between the regime and the opposition. Hungry, hurting Venezuelans are done talking. The country is in the early stages of civil war. Sunday’s Cuban-managed electoral power play was the latest provocation.” A garantir que as forças militares e de segurança se mantêm fiéis a Maduro está, defende O’Grady, uma estrutura montada por cubanos, um processo que a autora descreveu recentemente em How Cuba Runs Venezuela, onde nos diz, fornecendo numerosos exemplos de como “Havana’s security apparatus is deeply embedded in the armed forces”. Por exemplo: “Every Venezuelan armed-forces commander has at least one Cuban minder, if not more, a source close to the military told me. Soldiers complain that if they so much as mention regime shortcomings over a beer at a bar, their superiors know about it the next day.”
 
É possível evitar este cenário mais pessimista de uma guerra civil? No New York Times David Smilde, um especialista em assuntos latino-americanos, procura explicar How to Avoid Civil War in Venezuela. Nesse texto defende-se que o caminho não deve ser a imposição de sanções económicas pelos Estados Unidos, antes basear-se num esforço de mediação de países vizinhos e, porventura, de Espanha, sendo contudo necessário cumprir uma condição fulcral: “Such an effort should be backed by a threat of consequences. Countries in the region need to coordinate and speak with one voice, saying they will not recognize as legitimate Mr. Maduro’s Constituent Assembly, the Constitution it writes, nor the government it creates. This will make it difficult for Venezuela to get financing and make clear to the Maduro government’s leaders that they are better off negotiating.”
 
A sugestão do editorial da The Economist, How to deal with Venezuela, é que “Sanctions should target officials, not the country”. Em concreto: “On July 26th the Trump administration announced individual sanctions on a further 13 Venezuelan officials involved in the constituent assembly, or suspected of corruption or abusing human rights. These officials have had visas withdrawn, and American banks and firms are barred from doing business with them. This effort could be intensified by pressing banks to disclose embarrassing information about officials who have stashed stolen public funds abroad. The European Union and Latin America should join this effort. It will not, in itself, force the regime to change. But the stick of individual sanctions should be combined with the offer of negotiations, brokered by foreign governments. Any final deal may have to include legal immunity for senior Venezuelan officials. That is distasteful, but may be necessary to achieve a peaceful transition back to democracy.”

 
É difícil ter muita esperança, sobretudo depois de lermos os relatos da imprensa espanhola ou a análise de Mary Anastasia O’Grady, mas muitos portugueses que vivem naquele país sentem que é necessário resistir e não desistir. Mesmo assim, como se conta nesta reportagem de Ana França no Observador, nem todos conseguem continuar na Venezuela – Retornados da Venezuela. A família de 18 que pagou para trazer o gato, o empresário que agora lava carros e a advogada com medo. Há nela relatos como este: "Fui sequestrado em 2009 e em 2014 sequestraram o meu tio. Pagámos o resgate e entregaram-no morto. No funeral, com a minha família toda, a minha mulher, os meus filhos pequenos, pensei: 'Não, eu não os vou deixar crescer aqui'". Ou este: "Não vendi o negócio porque não valia a pena, a minha sócia não ia poder pagar a minha parte. As pessoas já não têm dinheiro para comprar nada. Já não há matéria prima. Fica tudo preso na alfândega dias, semanas, e é preciso pagar muito para que libertem a mercadoria". 
 
(Nota à margem: o correspondente do New York Times também foi expulso do país e aquele jornal conta de uma forma gráfica muito sugestiva não apenas o que lhe sucedeu, mas o que sucedeu ao país. Não percam por I was banned from Venezuela.)

 
A terminar um Macroscópio que já vai longo gostava ainda de acrescentar uma reflexão mais profunda, com outro alcance, sobre o tipo de processo político por que está a passar a Venezuela. Refiro-me a um ensaio publicado na edição de Abril de 2015 do prestigiado Journal of Democracy, uma edição dedicada ao ressurgimento do autoritarismo. O texto em causa é Autocratic Legalism in Venezuela, de Javier Corrales e o seu ponto de partida é uma análise mais elaborada sobre aquilo que nos estudos políticos se classifica como “regimes híbridos”: “Hybrid regimes are sometimes called “competitive authoritarian” because, while the ruling party competes in elections usually winning), the president is granted an array of autocratic powers that erode checks and balances. Such regimes are now common across the developing world. (...) The dynamics of hybrid regimes—why some remain stable over time while others become either more democratic or more autocratic—are less well understood. Venezuela under Hugo Chávez (1999–2013) is a case of a hybrid regime that rapidly moved toward increasing authoritarianism.”
 
Por aqui termino, sem grande esperança que nos cheguem boas notícias da Venezuela nos próximos tempos. E com a noção de que era bom que em Portugal se falasse um pouco de como tantos políticos foram, e ainda são, cúmplices desta deriva autoritária. Mas isso é outra conversa. Tenham bom descanso e boas leituras. 

 
Mais pessoas vão gostar da Macroscópio. Partilhe:
no Facebook no Twitter por e-mail
Leia as últimas
em observador.pt
Observador
©2017 Observador On Time, S.A.
Rua Luz Soriano, n. 67, Lisboa

Opinião: Existem forças ocultas em Aveiro

Todo o homem, que se devota à causa publica, tem como dever primacial, cultivar a isenção, o desinteresse e a renuncia, com devoção e desapego totais, para que ninguém, algum dia, possa supor que o que ele cultiva não é o interesse da comunidade, mas a causa privada de seus interesses particulares.

Há quem julgue que a comunidade não tem inteligência, nem memória, sendo por isso fácil iludi-los e ludibriá-los impunemente, mas, quando menos o esperam, sofrerão a desilusão mais tremenda!

Realizar é de muitos, conceber é de poucos, agora conceber e realizar é de raros. Mais, o carácter não se afirma em palavras, prova-se com acções e atitudes concretas. Também a honestidade dos indivíduos mede-se pela sinceridade, clareza e escrúpulo que põem em todas as suas palavras e consequentemente nas acções.

Ouve-se dizer com frequência que os discursos dos políticos não são para levar a sério, porque dali não se espera nada de jeito, pois eu não concordo com esta desresponsabilização, isso é desligar-se de todos os assuntos que dizem respeito ao cidadão votante e pagante de impostos, mais taxas municipais.

Quem é que não sabe que “A política é arte de impedir as pessoas de se meterem naquilo que lhes diz respeito” como escreveu Paul Valéry? Empurrar para o fim duma assembleia da câmara a intervenção do público, o que depreendemos com tal decisão?

Vivo em Aveiro há 32 anos, na qualidade de cidadão votante e contribuinte, conta-se pelos dedos as vezes que fui assistir às reuniões de Câmara de carácter público, como ainda às Assembleias Municipais. Esse desinteresse deve-se ao facto dos assuntos já estarem decididos antes do seu inicio, tudo o resto é para preencher tempo, cumprir os procedimentos, portanto as vozes dos cidadãos não produzem efeito, com a agravante dos que tomarem a palavra passarem a ser vitimas de pressão exercida por forças ocultas existentes na cidade de Aveiro, bem referenciadas, as tais que mandam nisto tudo, por exemplo, a maioria absoluta de determinado partido político, ainda que seja em coligação. Jogam com a passividade da comunidade. As maiorias são perigosas, senão mesmo doentias, o poder absoluto provoca delírio.

Essas forças ocultas introduzem-se nas associações à medida que vão sendo fundadas, com propósitos bem definidos: controlar as actividades, conhecerem as tendências políticas e religiosas de cada elemento dos órgãos sociais, transmitindo-as ao aparelho.

Já lidei e continuo a lidar com tais forças ocultas, com designações pomposas, soam bem aos ouvidos de quem não as conhece. A dificuldade em motivar pessoas desprovidas de sentimentos egoístas, traiçoeiros e de ingratidão ou outros que podem provocar a derrocada de uma instituição para preencher lugares nos órgãos sociais é tremenda. Quando nos apercebemos que metemos na capoeira raposas e lobos vestidos de cordeiro já é tarde. A seguir o que acontece? Convulsões internas, tudo é exposto na praça pública destruindo num ápice o que levou anos a erguer.

Os ditos velhos do Restelo também habitam em Aveiro, e a sua presença faz-se sentir nas mais diversas repartições públicas, tendo-se especializado nas respostas: não, não, não com língua da camaleão.

A política é rendosa profissão para quem a sabe explorar com a proficiência dum bom negociante. Facultar-lhe-á na vida um caminho fácil e triunfal. Sim, a política, tal como hoje se pratica em certos meios, é a mais apetecida e rendosa das profissões, sem dúvidas, pois lisonjeia vaidades inferiores e satisfaz apetites de grande tomo, ainda confere um conjunto de direitos incomensuráveis.

A verdade vinga-se sempre, quando a falseiam e desfiguram, obrigando por fim o falseador a engolir as próprias fezes. A certeza maior é que tudo tem seu tempo... E que todo tempo tem Deus. Rose Barros.

Um líder digno de o ser jamais pode se calar perante a injustiça, a ingratidão ou o desrespeito (AM Jr.).

Termino com uma frase lapidar para o tempo presente: O mundo não é ruim, só está mal frequentado!

Até breve.
J. Carlos

Director do Litoral Centro-Comunicação e Imagem

Colheita de sangue dia 2 de Agosto entre as 15 horas e as 10,30 horas no Posto Fixo da ADASCA em Aveiro


Para o mês de Agosto vão decorrer colheitas de sangue nos dias 2, 9, 23, 25 e 30 entre as 15 horas e as 19,30 horas, ainda nos dias 5 9 e 19 horas no Posto Fixo localizado no Mercado Municipal de Santiago, 1º. Piso em Aveiro. todas no Posto Fixo da ADASCA.

Os interessados em aderir à dádiva devem fazer-se acompanhar do Cartão de Cidadão para facilitar a inscrição ou  do Cartão de Nacional de Dador de sangue.

Após tomar o almoço convém ter em conta o período de tempo para digestão, nunca inferior a 2:30 Horas. Na região de Aveiro só não adere à dádiva de sangue quem não pode ou não quer...

Solidários, seremos união. Separados seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.” Bezerra de Menezes.

As datas para o mês de Agosto podem ser consultadas pelo Site: www.adasca.pt

Joaquim Carlos
Presidente da Direcção da ADASCA

VI Caminhada Solidária da ADASCA vai decorrer dia 10 de Setembro no âmbito do 10 anos de existência


Se uma imagem vale mais que 1000 palavras não adianta dizer mais nada. Vale a pena recordar os belos momentos da edições anteriores

Caros amigos,

A ADASCA já está em fase de preparativos para a realização da VI Caminhada Solidária 2017 desta vez no âmbito da comemoração dos 10 anos de existência, no dia 10 de Setembro (domingo).
O local de concentração, partida e chegada vai ter lugar no Salão dos Bombeiros Velhos de Aveiro, onde também no final decorrerá um lanche partilhado à semelhança dos anos anteriores.
É propósito da Direcção da ADASCA promover um conjunto de iniciativas até final do ano em curso no sentido de angariar fundos, para a aquisição de uma viatura (carrinha) tendo em consideração a sua urgente necessidade.
O valor mínimo para inscrição é de apenas 5 euros, a partir deste valor cada participante pode doar o que sentir no seu coração.
A aquisição da viatura não deve ser considerado um luxo, mas, um meio extremamente necessário para que a ADASCA possa desenvolver melhor as suas actividades não só por todo o Conselho de Aveiro, mas também Ílhavo e Vagos de onde se deslocam bastantes dadores para doarem sangue no Posto Fixo em Aveiro.
Quem desejar começar já colaborar com donativos pode fazê-lo na Sede da associação ou por transferência bancária cujo NIB está indicado na imagem a seguir.
NIB da ADASCA: 0036 0189 99100051821.35,
IBAN: PT50 0036 0189 9910 0051 8213.5,
BIC: MPIOPTPL
A ADASCA alerta para eventuais burlas ou falsos peditórios em seu nome, tendo em conta que não vai delegar em ninguém para o fazer na rua ou junto das empresas, serão pois usados os meios que a Direcção considerar mais convenientes e seguros, além do mais, serão emitidos recibos.

Mais informações pelo Site: www.adasca.pt

Até breve!

J. Carlos

A Excursão anual da ADASCA a Belmonte vai decorrer no dia 26 de Agosto


 

Caros dadores e amigos,

Estão a decorrer as inscrições para a VI Excursão que a ADASCA vai realizar no dia 26 de Agosto (conforme o cartaz) encontrando-se a ficha e programa disponíveis no site www.adasca.pt de onde podem ser impressos.

As inscrições podem ser entregues na Sede da ADASCA no decorrer da sessão de colheitas de sangue no dia 2 de Agosto entre as 15 e as horas e as 19,30 horas, como ainda dia 9 entre as 9 horas e as 14 horas.

Ainda existem vagas...

J. Carlos

Vila Nova de Cerveira eleito o Município do Ano – Norte 2017


É mais um reconhecimento de âmbito nacional. Vila Nova de Cerveira foi eleito o Município do Ano – Norte 2017, na categoria com menos de 20 000 habitantes, com o projeto “Agenda de Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño”. A cerimónia de apresentação pública dos Prémios UM CIDADES decorreu esta quinta-feira, no Fundão, na qual marcou presença o edil cerveirense, Fernando Nogueira.
VNC 28/07/17
No total dos 308 municípios portugueses foram submetidas 116 candidaturas, tendo sido nomeadas 34 pela Comissão Científica da UM-Cidades. Vila Nova de Cerveira venceu a categoria “Norte menos de 20 000 habitantes” e, consequentemente, ficou nomeado para a distinção nacional, atribuída a Guimarães.
Este prémio é motivo de grande satisfação, por ser mais um reconhecimento do trabalho global desenvolvido pelo Município de Vila Nova de Cerveira, juntando-se a outros que temos vindo a alcançar como o 4º lugar do Índice de Transparência Municipal, o 2º lugar nacional entre os designados pequenos municípios (5 e 10 mil habitantes) com uma excelente performance municipal, e ser o 2º concelho mais exportador da Região Norte (total de 86 municípios) na componente de acessórios para veículos automóveis”, sublinha o presidente da Câmara Municipal, Fernando Nogueira, acrescentando: “No caso especifico desta candidatura é mais relevante por se tratar de um projeto de cooperação transfronteiriça com o município irmão de Tomiño, em prol do conceito de ‘desfronteirização’, demarcando-se como uma referência nas relações Portugal/Espanha”.
O projeto vencedor apresentado pelo Município Cerveirense - “Agenda de Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño” – visa a promoção de um desenvolvimento sustentável do território que se repercuta positivamente na melhoria da qualidade de vida e da coesão social da população, baseado na colaboração das potencialidades do recurso comum rio Minho, na preservação e promoção dos seus valores naturais, culturais e etnográficos e na partilha e otimização dos equipamentos e serviços públicos de utilização coletiva, dos recursos humanos e económicos num programa de cooperação virado ao futuro.
Tendo como suporte o vídeo promocional Amizade Cerveira-Tomiño, no qual os dois autarcas recordam as relações do passado e o presente, projetando o futuro, acolheu muitos elogios por parte do júri da UM Cidades.

Revelado no Fundão, o prémio “Municípios do Ano Portugal 2017” é dinamizado pela Universidade do Minho, através da sua plataforma UM-Cidades com o objetivo “de reconhecer as boas práticas dos municípios portugueses, através de um projeto que tenha produzido impacto positivo ao nível do território e/ou da economia e/ou da sociedade, com implementação após 1 de janeiro de 2015”.

Vagos: Programa Animar o Verão 2017 – AGOSTO

Eis a programação para a época balnear de agosto 2017, na Praia da Vagueira:
É no Largo Parracho Branco, na Praia da Vagueira, que terão lugar a maioria das atividades, que destacamos de seguida.
Os espetáculos musicais de animação da nossa praia continuam ao longo do mês de agosto, pelas 22h00, logo a partir do dia 2 com a atuação de NÉMANUS e no dia 4 com PIZZICATO.
No dia 5, o Largo recebe, a partir das 16h30, a XVII Milha Urbana, da organização do GRECAS, e ao final do dia, pelas 19h30, realiza-se mais uma edição do VAGUEIRA NEON SUMMER FEST, no campo de jogos da Vagueira. No dia seguinte, domingo dia 6, os insufláveis estarão no Largo Parracho Branco ao longo de todo o dia e regressam nos dias 20 e 26 de agosto. As manhãs desportivas com Zumba decorrem todos os domingos de manhã, a partir das 10h30.
Os espetáculos musicais de animação continuam, pelas 22h00, com as atuações de ABBA MIA – TRIBUTO ABBA, no dia 9, JUKEBOX no dia 11 e VOZES DU BAR, no dia 12.
O fim de semana 12 e 13 será dedicado à saúde com a Feira Saudável composta por  atividades ligadas à área da saúde, desporto e dos hábitos de vida saudável e bem-estar.
No dia 15 de agosto, pelas 22h00, realiza-se o espetáculo musical com LEANDRO, organizado pela Comissão de Festas da Gafanha da Boa Hora.
A animar as noites estarão, ainda, KIT CARLOS, no dia 16, TRIO 3D, no dia 18 e CLANDESTINOS, no dia 19. No dia 20, o Largo Parracho Branco acolhe a MOSTRA DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS e os CANTARES DE VERÃO pelas 16h30.
No dia 23 de agosto, realiza-se o espetáculo musical de NUNO NORTE, pelas 22h00. No dia 25 é a vez da atuação de MUSICAL TEMA e no dia 26 a atuação de RADIO SHACK .
Este ano, a Praia da Vagueira recebe a final MISS BEAUTY AVEIRO que se realiza no dia 27, pelas 17h00.

As atuações musicais de agosto terminam com MINHOTOS MAROTOS no dia 30, pelas 22h00.
Serão desenvolvidas ainda atividades em outros locais: FÁBIO ROCHA JAZZ TRIO que animará o calçadão, pelas 18h00, no dia 6 no CasaBlanca Lounge Bar, no dia 13 no Bar Esplanada e no dia 20 no Bar Canto da Sereia; o PIQUENIQUE COM AS ESTRELAS que se realiza na Praia do Areão, no dia 12 , pelas 22h00; o NIGHT DROP – SURF NOTURNO, no dia 26 de agosto, pelas 17h00,  na Praia Nova; a atividade “O MAR, A RIA E A TERRA - UM PATRIMÓNIO À SUA ESPERA”,  que se realiza no dia 31 de agosto, pelas 9h30, no Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro  e sujeita a inscrições.
Para além das atividades já referenciadas, de salientar, também, a mostra permanente do nosso artesanato, da Biblioteca de Praia bem como da Hora do Conto e da Feira do Livro.


<