quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Portalegre | Fronteira abraçou 25 dadores de sangue

Apesar de estarmos em período de férias, a Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – manteve a sua ação com vista a que as reservas, do precioso tecido que nos corre nas veias, se mantenham em níveis aceitáveis. Recentemente, estivemos em Fronteira no centro de saúde e em colaboração com a Unidade Funcional de Imunohemoterapia da ULSNA.
Inscreveram-se como doadores 25 pessoas – com uma forte percentagem masculina (mulheres compareceram cinco). Todos os presentes foram avaliados clinicamente e mostraram-se em condições para a dádiva, pelo que foram 25 as unidades de sangue em boa hora materializadas.


Pela primeira vez na vida, um jovem doou sangue.

Montargil a 04 de setembro
Para mais uma brigada, marcamos presença no centro de saúde de Montargil (Ponte de Sor) durante a parte da manhã do sábado 04 de setembro.


JR

Maré negra ameaça Chipre

As autoridades da República Turca de Chipre do Norte (entidade reconhecida apenas pela Turquia) estão a tentar impedir uma maré negra nas praias do território, causada por uma falha numa central energética na Síria. Mais de 20 mil toneladas de combustível foram derramadas.

O governo de Chipre, único reconhecido internacionalmente, pediu um navio especializado à Autoridade Europeia de Segurança Marítima.

Euronews

Sociedade Columbófila Cantanhedense recruta licenciados para leccionar nos agrupamentos de escolas marquês de marialva e lima da faria colaborar no âmbito das atividades de enriquecimento curricular


A Direção dos Agrupamentos de Escolas Marquês de Marialva e Lima de Faria, renovaram recentemente o convite à Direção Geral da Associação de Solidariedade Social Sociedade Columbófila Cantanhedense, para manter a parceria, no sentido de renovar neste ano letivo as Atividades de Enriquecimento Curricular.
Estas atividades complementares, vão realizar-se primordialmente em cada
Estabelecimento Escolar, envolvendo os alunos das Escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico de Ançã, Bolho, Cadima, Cantanhede, Cantanhede Sul, Cordinhã, Murtede, Ourentã, Febres, Covões, São Caetano, Vilamar e Corticeiro de Cima, sendo lecionadas as atividades de Inglês, Expressão Musical, Expressão Plástica, Artes Criativas e Expressão Corporal e Artística.
Os interessados em participar neste projeto educativo, poderão desde já, manifestar esse interesse na sede social da Sociedade Columbófila ou entregando/enviando o seu currículo vitae para os emails aecs@scc.pt, ou geral@scc.pt.

ATLETAS DE SILVES HOMENAGEADOS COM TROFÉUS DE MÉRITO DESPORTIVO


O Município de Silves vai homenagear os exímios atletas do concelho, nas freguesias e uniões de freguesia, no dia 02 de setembro entre as 18h00 e as 21h30.

Integrada nas Comemorações do Dia do Município, esta iniciativa pretende glorificar os atletas medalhados que atingiram marcas de relevo nas modalidades de Trail Running, Xadrez, Natação, BTT, Ginástica de Trampolins, Atletismo, Futebol, Tiro Desportivo, Ciclismo, Andebol de Cadeira de Rodas e Dardos, na época desportiva 2020/2021.

Os campeões vão receber um trofeu que pretende servir de reconhecimento do trabalho desenvolvido, um exemplo de vontade, de determinação e de coragem. A autarquia reconhece igualmente a importância e presta um agradecimento aos Clubes e Associações pelos feitos alcançados.

Esta é uma homenagem de todo o concelho e de todos os Silvenses.

MUNICIPIO DE SILVES RECEBE PROJETO “ALGARVE CRAFT&FOOD”


O Município de Silves vai receber, no próximo dia 08 de setembro, pelas 17 horas, no auditório da Biblioteca Municipal de Silves, a Sessão de Apresentação do “Algarve Craft&Food”, um projeto impulsionado pela Região de Turismo do Algarve, a Tertúlia Algarvia e a Cooperativa QRER, em parceria com o aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira.

Este é um projeto original, que pretende potenciar a criação de iniciativas dinamizadoras da economia local, baseadas no artesanato e nos produtos agro-alimentares do Algarve, promovendo experiências turísticas diferenciadoras, de cariz sustentável, sobretudo em locais tradicionalmente com menor afluência, como as zonas rurais e o interior algarvio, constituindo, assim, uma iniciativa de valorização do território do aspirante Geoparque Algarvensis.

O “Algarve Craft&Food” visa apoiar a preservação e a revitalização de práticas e costumes tradicionais, aumentando as fontes de rendimento de artesãos e dos produtores alimentares locais. Serão desenvolvidas um conjunto de atividades que, além de permitirem divulgar a oferta da região no segmento do turismo cultural e criativo, junto dos mercados nacionais e internacionais (, vêm em simultâneo capacitar artesãos e produtores agroalimentares locais para que, em conjunto com designers e Chefs de cozinha, apostem na inovação e no desenvolvimento de produtos e de programas com potencial turístico.

Este projeto, pelos objetivos relativos à promoção de uma economia regional sustentável que que estão inerentes, designadamente no que se refere à valorização da gastronomia e dos produtos agro-alimentares e de artesanato locais, concorre para a candidatura do aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira a Geoparque Mundial da UNESCO.

Livros | De Raça, a obra polémica de Rachel Khan contra os activismos delirantes: somos todos crioulos

Como conviver com este «excesso de raças» entre o radicalismo do «ou branco ou negro», que abomina a variedade? Esta é a questão lançada, na perspectiva de uma afro-iídiche, pela jurista, actriz e escritora francesa Rachel Khan em De Raça. Um livro corajoso, que defende a mestiçagem e analisa expressões politicamente correctas que apenas servem para enfiar o dedo nas feridas que afirmam querer cicatrizar. Depois de conquistar leitores e críticos franceses e de ter sido distinguido, na Assembleia Nacional francesa, com o Prémio do Livro Político 2021, De Raça chega a Portugal, numa edição Guerra e Paz, com tradução de Pedro Carvalho e Guerra. A obra estará disponível na rede livreira nacional a partir do dia 7 de Setembro, mas poderá ser encontrada, desde já, em pré-lançamento, na 91ª Feira do Livro de Lisboa.

Negra, gambiana e muçulmana da parte do pai e branca, francesa e judia da parte da mãe, Rachel Khan é orgulhosamente de raça. É de raça, como ela afirma provocatoriamente, porque tem diferentes raízes, que algumas pessoas julgam serem raças. Em De Raça, livro político do ano em França, que agora chega a Portugal, a jurista, actriz e escritora francesa lança um olhar crítico e mordaz à tendência ideologizada, que proíbe todo o tipo de nuances. «Estas ideologias que pensam as identidades de modo hermético fragilizam‑nos, consequentemente, neste mundo em mutação, ao impedir, através do seu conceito, que nos adaptemos.»

A autora, que é também presidente da comissão de desporto da Liga Internacional Contra o Racismo e o Anti-Semitismo (LICRA), afirma que somos todos crioulos, porque, «na maior parte dos locais do mundo, existem contactos de várias culturas diferentes, o que Glissant chama de “rizomas”». Além do escritor e poeta francês, Rachel cita uma outra referência, James Baldwin. O escritor norte-americano afirmou que «[este] mundo já não é branco, nunca mais o será».

Neste sentido, a autora condena palavras como «afrodescendente», «interseccionalidade» ou «minoria», que, apresentadas como essenciais pelas ideologias activistas em voga para combater o racismo, acabam por apenas separar ainda mais a sociedade, empobrecer a língua e alimentar ódios e silêncios.

Essencial, este é um texto de grande actualidade, sobre um tema que tem estado no centro das atenções da sociedade, dos movimentos intelectuais e dos agentes políticos. Só podia ser uma edição Livros Vermelhos, colecção da Guerra e Paz que privilegia teses contra catecismos e o pensamento único.

Já disponível, em pré-venda, na 91ª Feira do Livro de Lisboa, De Raça chega à rede livreira nacional no próximo dia 7 de Setembro. A obra poderá ainda ser adquirida através do site da editora.

De Raça
Rachel Khan
Não-Ficção / Ensaio
184 páginas · 15x20,5 · 15,00 €
Nas livrarias a 7 de Setembro
Guerra e Paz, Editores

Estarreja | Setembro abre as portas à nova temporada no CTE

 Com a chegada deste novo mês, o CTE – Cine-Teatro de Estarreja partilha com todos a programação cultural para o último quadrimestre do ano.

A cantora e compositora portuguesa Bárbara Tinoco vai abrir a programação a 24 de setembro (21h30), com o tão aguardado e esperado concerto, dando sequência a tantos outros espetáculos de teatro, de circo contemporâneo, de música e de dança.

 

16.ª edição do Estarrejazz: 6 concertos a não perder

De 1 a 9 de outubro, o Cine-Teatro de Estarreja recebe a 16.ª edição do Estarrejazz com seis concertos imperdíveis: Colectivo DiJazz Band, Septeto Estarrejazz, Roberta Sá e Daniel Jobim, Pedro Moreira Sax Ensemble, César Cardoso e Orquestra de Jazz de Estarreja com Vitorino e Janita Salomé. Todos os concertos do Festival têm início marcado para as 21h30.

 

Esta edição é dedicada aos coletivos e ensembles, formações entre os sextetos e decatetos, maioritariamente portuguesas, mas sempre com a presença do jazz praticado em Espanha, Coletivo DiJazz Band, que confere o cunho ibérico ao Festival. Destaca-se ainda o concerto “Chega de Saudade”, de homenagem a Tom Jobim com Roberta Sá e Daniel Jobim, a cereja no topo do bolo chega diretamente do Rio de Janeiro, com a atmosfera dos tempos áureos da Bossa Nova.

 

Concertos cantados em português que nunca mais acabam

No último dia de outubro, domingo (21h30), os D.A.M.A., habituados a tocar para grandes multidões, apresentam-se na sala de espetáculos estarrejense num formato mais intimista.

 

Uma das maiores referências da música popular brasileira, Moacyr Luz, antecipa o calor do Carnaval, com uma roda de samba, aberta às Escolas de Samba estarrejenses (6 de novembro, 21h30).

 

Tiago Bettencourt, autor de várias composições de referência da nova música portuguesa, regressa ao palco estarrejense em novembro (dia 20, 21h30).

 

Considerada uma das melhores vozes masculinas da sua geração no Fado, Ricardo Ribeiro dá a conhecer o seu trabalho “Respeitosa Mente”, fora desta área musical (7 de dezembro, 21h30).

 

Apenas com a sua inconfundível voz e a sua guitarra, António Zambujo toca “Voz e Violão” (18 de dezembro, 21h30) que, segundo o jornalista Luís Osório, “Um dia (…) dir-se-á que este disco é um dos mais importantes da carreira de António Zambujo.”

 

Há ainda muito mais música para ouvir também com os artistas locais: Associação Musical do Antuã (16 de outubro, 21h30) e a Orquestra Ligeira “Pardilhó Jazz”, da Banda Club Pardilhoense (5 de novembro, 21h30).

 

Já imbuídos pelo espírito natalício, a Educarte apresenta uma sessão de música para bebés e papás (12 de dezembro, 11h). E a Orquestra Filarmonia das Beiras, dirigida pelo Maestro António Vassalo Lourenço, oferece-nos um concerto mágico com as mais belas canções de Natal, como já é tradição no Cine-Teatro (dia 19, 17h).

 

Há ainda espaço para o teatro, a dança, o circo contemporâneo e o cinema

A agenda conta ainda com a peça de teatro infantil “O Pequeno Livro dos Medos”, da autoria de Sérgio Godinho e com encenação e interpretação de Elsa Galvão (17 de outubro, 16h).

 

No ano em que se celebram os 100 anos do nascimento de Amália Rodrigues, a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo dança “AmarAmália” (23 de outubro, 21h30), inserido na candidatura Revive & Fica e no Festival Sénior.

 

Também no Festival Sénior, a companhia de teatro Kopinxas ocupa o palco com a peça de teatro “Naperon e Bibelot” (30 de outubro, 21h30).

 

O espetáculo teatral para o público familiar e infantojuvenil “O Meu Amor Virá de Comboio” fala do universo dos caminhos-de-ferro, com referência especial à ligação de Estarreja com este meio de transporte (13 de novembro, 21h30).

 

Hip-hop a partir da história do graffiti

A performance “Válvula” – meio palestra, meio concerto de hip hop – (27 de novembro, 21h30) parte da história do Graffiti e combina as explorações visuais de António Jorge Gonçalves (desenho digital) com a música e voz de LBC Soldjah. Um espetáculo inserido no ESTAU12, que pretende tornar visível o festival de arte urbana de Estarreja ao longo do ano.

 

O CTE recebe ainda um espetáculo de circo contemporâneo do Teatro do Mar intitulado “Mutabilia” (4 de dezembro, 21h30).

 

Entre 9 e 11 de dezembro, o Festival das Artes DiferenciArte inclui teatro, dança, cinema de animação, artes plásticas e fotografia, e conta com a participação de cerca de uma centena de pessoas portadoras de deficiência.

 

Nos próximos quatro meses, o Cinema em Cartaz e o Infantil e as Quintas de Cinema ficarão marcados pelas estreias do cinema nacional e internacional que serão anunciados em breve.

 

A Bilheteira do CTE reabrirá no dia 8 de setembro. Até lá, consulte toda a programação na edição 57 da AME – Agenda Municipal de Estarreja.

 

Papa apela a governos para acabar com pornografia infantil

Francisco diz ser falso que os Estados não sabem de redes pedófilas nos seus países. “Os serviços de informação sabem tudo”.

O Papa Francisco pede que os Governo façam mais para acabar com a pornografia infantil dentro das suas fronteiras, sugerindo que não falta informação para agirem.

Em entrevista à rádio católica espanhola Cadena COPE, diz que não falta informação aos Governos para agir, dando a entender que o que falta é mesmo vontade.

A pedofilia é um problema mundial grave. Pergunto-me às vezes como é que certos governos permitem a produção de pornografia infantil. Diz-se que não se sabe? Os serviços de inteligência sabem tudo. É das coisas mais monstruosas que existem”, afirmou o Papa nesta entrevista que foi transmitida quarta-feira de manhã.

 A resposta do Papa surgiu num contexto em que foi interrogado sobre o que a Igreja tem feito em relação a este assunto, e se está satisfeito com a forma como as diferentes conferências episcopais têm posto em prática as orientações saídas de Roma, para combater o problema dos abusos sexuais nas suas próprias fileiras.

Começou com um elogio público ao cardeal Sean O’Malley, o prelado norte-americano que “começou a falar deste assunto antes de ser aceitável, quando ainda era uma pedra no sapato da Igreja. Ele lidou com o problema em Boston, e muito bem.”

“A comissão de proteção de menores foi uma criação dele”referiu ainda Francisco, falando da organização criada pela Igreja para supervisionar a resposta da própria instituição, a nível internacional, e que conta com especialistas leigos, de diversos setores.

“Hoje em dia funciona muito bem. Agora tenho de renovar metade das pessoas, porque renovamos de três em três anos, e temos lá pessoas de primeira classe, de países diferentes, que lidam com problemas destes. Creio que a chave é esta”, sublinhou.

RR

Imagem: RR

André Ventura acusa Primeiro Ministro de “fraude” por “libertar” Portugal perto das eleições

O líder do Chega, André Ventura, acusou hoje o primeiro-ministro de protagonizar uma “fraude” por se apresentar como “libertador de Portugal” aliviando as medidas de contenção da covid-19 perto das eleições autárquicas.

“Subitamente e miraculosamente, a vinte e tal dias das eleições autárquicas, já não há internamentos, nem os telejornais abrem com os casos mortais de covid-19. Parece que agora vivemos no país das maravilhas que vai receber milhões da Europa, que a covid desapareceu e que [o primeiro-ministro] António Costa de férias, aqui no Algarve, se apresenta como o libertador de Portugal”, declarou.

Numa intervenção no evento que marcou a ‘rentrée’ política do partido, em Albufeira, no Algarve, André Ventura disse considerar que o recente alívio das medidas de combate à pandemia de covid-19, e o anúncio de novas, “é uma das maiores fraudes políticas dos últimos anos” e que os portugueses a vão pagar “muito caro”, mais cedo ou mais tarde.

“António Costa é muito hábil e conseguiu, de facto, isto, extraordinário, que é: por sorte do Partido Socialista, só quando começam a chegar as eleições que mais lhe interessam é que, subitamente, se começa a falar de deixar de usar máscara, os restaurantes podem reabrir, os setores podem todos funcionar”, afirmou.

Na opinião do líder do Chega, agora que se aproxima a data das eleições marcadas para 26 de setembro “já ninguém quer saber nem do Rt, nem dos índices de incidência, nem da mortalidade, nem dos internamentos” provocados pela covid-19.

No seu discurso, André Ventura aproveitou ainda para acusar os presidentes do PSD, Rui Rio, e CDS/PP, Francisco Rodrigues dos Santos, de terem “definhado” a direita, impedindo a possibilidade de um “governo nacional de direita”, por não terem “feito o seu trabalho”.

“Tornaram-na uma direita burguesa, amorfa e uma direita de meninos copos de leite. Tornaram-na uma direita incapaz de lutar com a esquerda, no seu próprio território, e isso é culpa deles”, sublinhou.

André Ventura disse ainda querer “em dois anos ultrapassar o PSD como o principal partido da oposição em Portugal” considerando que o seu partido é o único que “poderá garantir um governo de direita”.

Mostrando-se confiante na obtenção de “centenas de eleitos” nas autárquicas, o líder do Chega apelou à “responsabilidade” no desempenho de funções autárquicas, já que o partido será “avaliado” por isso nas próximas eleições legislativas.

Lusa

PJ detém jovem suspeito de abuso sexual de criança de 13 anos em Bragança

Segundo a Judiciária, os factos ocorreram no decurso do mês de julho de 2021.

Um homem de 19 anos foi detido em Bragança por suspeita de abusar sexualmente de uma criança de 13 anos, divulgou esta quarta-feira a Polícia Judiciária (PJ).

De acordo com a fonte, o suspeito está “fortemente indiciado pela prática do crime de abuso sexual de crianças” e foi detido pelo departamento de investigação criminal de Vila Real da PJ.

Em comunicado, aquela polícia revela que “os factos ocorreram no decurso do mês de julho de 2021, numa residência sita em Bragança, tendo como vítima uma criança com 13 anos de idade”.

Passageiros vindos do Brasil e do Reino Unido estão isentos de quarentena

O Governo anunciou hoje que os passageiros do Brasil e do Reino Unido que cheguem a Portugal já não estão sujeitos a quarentena desde a madrugada de hoje, no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

“No âmbito das medidas de combate à pandemia da doença COVID-19 aplicadas ao tráfego aéreo, o Governo determinou que os passageiros de voos originários do Brasil e do Reino Unido deixam de estar sujeitos a um período de isolamento profilático na chegada a Portugal”, lê-se numa nota do Ministério da Administração Interna divulgada hoje.

“De acordo com o novo despacho, continuam a ser permitidas viagens não essenciais de e para os EUA, passando também a permitir-se viagens não essenciais de e para o Brasil”, acrescenta-se na nota.

No texto distribuído à imprensa refere-se ainda que “com exceção dos dois países referidos, dos Estados-Membros da União Europeia e países associados ao Espaço Schengen, do Reino Unido e dos países e regiões administrativas cuja situação epidemiológica está de acordo com a Recomendação (UE) 2020/912 do Conselho, de 30 de junho de 2020 – cuja lista deixa agora de incluir Israel, Macedónia, Montenegro, Líbano e Kosovo –, apenas são permitidas viagens essenciais para os demais países terceiros”.

Todos os cidadãos que pretendam viajar para Portugal por via aérea, exceto as crianças com menos de 12 anos, têm de apresentar Certificado Digital Covid da UE, ou, em alternativa, comprovativo de realização de teste laboratorial molecular por RT-PCR ou teste rápido de antigénio com resultado negativo, realizado nas 72 ou 48 horas anteriores à hora do embarque, respetivamente.

As medidas agora anunciadas “estão em vigor entre as 00h00 do dia 01 de setembro e as 23h59 do dia 16 de setembro de 2021, podendo ser revistas em qualquer altura, em função da evolução da situação epidemiológica”, lê-se ainda no comunicado de imprensa.

A covid-19 provocou pelo menos 4.518.163 mortes em todo o mundo, entre mais de 217,63 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Lusa

Exposição “INSKY” na Biblioteca Municipal João Grave

Encontra-se patente, até dia 30 de setembro de 2021, na Biblioteca Municipal João Grave, em Vagos, a exposição “INSKY”, de Gonçalo Fernandes.

“A exposição “Insky- Stage 01” apresenta-se como uma proposta de criação de um padrão de identidade assente num pensamento abstrato, onírico, disrupto... a sua cor e formas dão lugar a uma narrativa singular, onde a simplicidade da sua comunicação sinestésica se pode observar através de variadas expressões.

Um padrão transversal que oferece um ambiente distinto, onde cada obra é um percurso, em cada sala uma experiência diferente. Um padrão que toma o seu início em diferentes fontes e estímulos, mas que, com o seu processo evolutivo natural acaba por tomar contornos próprios e únicos.

Insky não existe sem a ausência do pensamento cuidado...! (Texto de Gonçalo Fernandes)

A entrada para a exposição é gratuita podendo ser visitada de segunda a sexta-feira das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00 e ao sábado das 10h00 às 13h00.

Sobre o artista:

Gonçalo Fernandes nasceu em Aveiro, em 1999, reside atualmente em Soza, Vagos.

Licenciado em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Desenvolve atualmente a sua atividade como artista plástico dando continuidade à sua área de formação, explorando uma vasta gama de vertentes artísticas, estando atualmente a trabalhar em vários projetos dentro deste âmbito.

Aliada à sua admiração pelo design e desenvolvimento de projetos “freelance” dentro desta área, partilha ainda um gosto especial pela música, teatro, literatura e cinema.

Tem como objetivo conhecer diferentes culturas e países, adquirindo o máximo de conhecimento possível para introduzir no seu trabalho, de maneira a converter essas mesmas fontes em riqueza introduzindo-as nos seus projetos pessoais e coletivos.

Montemor-o-Velho celebra o centenário de Amália Rodrigues com a exposição “Bem-Vinda Sejas, Amália”


“Bem-Vinda Sejas, Amália”, exposição de homenagem a Amália Rodrigues, inaugura no Município de Montemor-o-Velho no dia 4 de setembro, na Biblioteca Municipal Afonso Duarte, e estará em exibição até 25 de setembro de 2021. Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. Cosmopolita – presença assídua nas mais importantes salas de espetáculo do mundo – e popular no convívio com aqueles que a pretendiam conhecer.

Desenvolvida em quatro módulos, “Bem-Vinda Sejas, Amália” dá a conhecer as diversas facetas de Amália. Do eco do sucesso mundial, pelo seu vanguardismo e arrojo artístico, ao recato do seu camarim, não esquecendo as curiosidades menos conhecidas da sua carreira.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Delta e Amália são duas marcas que despertam Portugal para a humanidade das emoções, mas também para a intensidade de fazermos com paixão tudo o que mundo espera de nós. E é por isto que a Delta Cafés mantendo a sua tradição de enaltecer e promover a cultura portuguesa não poderia deixar de estar presente numa iniciativa como esta. Pretendemos através da nossa presença recordar a vida e obra de uma das maiores personagens da história do Fado, Amália Rodrigues.”, sublinha Rui Miguel Nabeiro, Administrador do Grupo Nabeiro – Delta Cafés.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” inaugurou em Braga, passou pela Maia, Viana do Castelo, Odemira, Ourém, Lagoa, Alter do Chão, Crato, Portimão, Alcochete, V.N. Foz Côa, estando agendada também para Coruche, Barcelos, entre outros municípios a anunciar.

ARMAÇÃO DE PÊRA RECEBE A ESCULTURA “FINITOR POLARIS”

 O Município de Silves inaugura a escultura “Finitor Polaris”, instalada no Jardim do Antigo Minigolfe, na Avenida Beira-Mar de Armação de Pêra, no dia 2 de setembro pelas 17h00. 

A inauguração da peça escultórica, da autoria da artista Karine Pierre Vikre, encontra-se integrada nas comemorações do Dia do Município.

 

Trata-se de uma escultura sonora que pretende criar a junção de instrumento náutico (quadrante) com instrumento musical (harpa), formando, assim, um quadrante sonoro.


A sua designação é originária do latim, sendo Finitor o horizonte e Polaris a estrela polar. A peça escultórica representa um quadrante, instrumento náutico de navegação, com 3,15m de altura por 3,16 m de comprimento, realizada essencialmente em ferro, com tubos quadrados ocos, uma chapa de ferro e 10 cabos de aço galvanizado.

 

A escolha do local de implementação resultou de investigação efetuada sobre a Epopeia das Descobertas, presente na História de Portugal através das grandes aventuras marítimas.

 

A participação de Silves na primeira globalização da sociedade humana, deu-se em 1266, quando D. Afonso III concede o foral Afonsino a Silves. Nos séculos seguintes a cidade assumiu relevância acentuada na expansão marítima, realçando-se a visita do Infante D. Henrique à cidade no ano de 1457, na qualidade de alcaide-mor, na qual residiu, antes de se mudar para Lagos e depois para Sagres.

 

Desta cidade é natural o navegador Diogo de Silves (século XV), descobridor da Ilha de Santa Maria e da Ilha de São Miguel, nos Açores, no ano de 1427. Armação de Pêra surge dentro do concelho de Silves. Pese a inexistência de documentos comprovativos das suas origens, os historiadores são unânimes num ponto fundamental: a ligação  profunda de Armação de Pêra ao mar.

Igrejas Europeias Ecuménicas convidam à celebração do Tempo da Criação

Para observar o Tempo da Criação 2021, sob o tema “Uma casa para todos? Renovando a Oikos de Deus” o Presidente da CEC (Conferência das Igrejas Cristãs), Rev. Christian Krieger, e o Presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), Sua Eminência o Cardeal Angelo Bagnasco emitiram a seguinte declaração conjunta:

“Meu Senhor, se agora acho graça diante dos teus olhos, não te afastes do teu servo” (Gênesis 18: 3).

No deserto, enquanto se sentava à entrada de sua tenda, na hora mais quente do dia, Abraão mostrou-se acolhedor e generoso e, ao compartilhar um pouco de água e um pedaço de pão, a promessa de Deus foi-lhe revelada. O ancião, cheio de fé, compreendeu que a pobreza de espírito consiste em abandonar qualquer presunção, com a pretensão de encontrar soluções para todos os problemas, colocando toda esperança em Deus, com humildade e paciência.

Este ano, o sinal bíblico da tenda de Abraão foi escolhido para representar o nosso compromisso para cuidar da nossa casa comum e cuidar da Criação num espírito de acolhimento e diálogo.

A sabedoria desta passagem bíblica ilumina a jornada e o trabalho das Igrejas na Europa, e revigora o seu compromisso com a Salvaguarda da Criação. Inspirados no tema da celebração do Tempo da Criação deste ano, por meio da oração e da ação, as nossas Igrejas devem procurar renovar a Oikos de Deus - para que o mundo se torne um lar para todos os filhos de Deus, sem exclusão de qualquer tipo.

A palavra grega “Oikos” significa "casa" aplicado a tudo o que é doméstico e familiar, tudo o que é objeto de cuidados, representando um interesse comum e uma responsabilidade compartilhada. Portanto, renovar a Oikos de Deus, a casa comum que compartilhamos, é um conceito que une toda a família humana na busca por um desenvolvimento integral e sustentável com justiça compartilhada.

Este tipo de desenvolvimento exige uma relação de melhor qualidade com o Criador da vida humana, da nossa relação com os outros e com a natureza. O espírito de acolhimento abnegado e de diálogo sincero, tal como foi demonstrado por Abraão, torna-se para os cristãos Europeus uma expressão de amor abnegado, capaz de gerar experiências humanas e espirituais que reconhecem que todos habitamos juntos e sem exclusão, na Oikos de Deus, a casa comum que Deus nos confiou com responsabilidade compartilhada.

Num espírito de boas-vindas e de diálogo, queremos contribuir com os nossos pensamentos e orações em relação a alguns aspectos que irão ser debatidos no fim deste ano nos próximos fóruns das Nações Unidas: a Conferência acerca da Biodiversidade, em Kunming China, assim como na 26ª Conferência de Parceiros para as mudanças Climáticas (COP 26) em Glasgow, Reino Unido. A maior parte do que as Igrejas da Europa podem oferecer como contributo para a comunidade internacional tem a sua origem nas iniciativas corajosas e nas boas práticas que moldam a vida diária das nossas comunidades cristãs.

Com um verdadeiro sentido de pertença à Igreja de Cristo, esforçamo-nos para ser construtores generosos da uma civilização que admira e estima tudo o que é humano, e sabe dar valor a tudo o que é oferta de Deus para a vida humana.
Diante da questão. “Uma Casa para todos?”, a nossa resposta deve ser tecida com a boa-vontade, e com o envolvimento na renovação diária da Oikos de Deus. Se soubermos praticar a justiça e falar a verdade a partir dos nossos corações, e não quisermos fazer mal ao nosso próximo, então merecemos “habitar na sua tenda” (Salmo 15:1) e a Sua Oikos será na verdade uma casa para todos!

Convidamos todos os Cristãos das igrejas Europeias, paróquias, comunidades eclesiais e todas a pessoas de boa-vontade a observar e celebrar o Tempo da Criação, que se estende de 1 de Setembro a 4 de Outubro, e esta celebração num espírito ecuménico, unidos em oração e acção. Para além disto, convidamos todos à oração por todos os grandes eventos internacionais que terão lugar durante este Outono – o Encontro sobre Biodiversidade das Nações Unidas e o COP 26 – para que estes eventos possam tomar os passos decisivos que as emergências climáticas necessitam.

[Traduzido e adaptado pelo COPIC do Comunicado à Imprensa da CEC nº: 15/21 de 26 de agosto de 2021, Bruxelas]

#TempoDaCriação 2021: Renovando o Oikos de Deus ...

Mais sobre Tempo da Criação 2021: tempodacriaçao.org

Conselho Português de Igrejas Cristãs - www.copic.pt

A pacata aldeia de Bertiandos virou “selva da Amazónia” em série luso-espanhola

No coração da área protegida de Ponte de Lima, a aldeia de Bertiandos fez-se passar pela selva amazónica, no Brasil, para a rodagem da série “Operação Maré Negra”, uma coprodução luso-espanhola para a Amazon Prime.

A pacatez da aldeia foi interrompida pela agitação de perseguições de carros e tiros entre traficantes. Simula-se a selva de Manaus, no noroeste brasileiro, e um estaleiro clandestino que construiu um submarino artesanal de 21 metros de comprimento e uma tonelada de peso para transportar três toneladas de droga da América do Sul para a Europa.

Baseada na história real de um submarino carregado de droga, que em 2019 passou por Portugal e foi intercetado na Galiza, “Operação Maré Negra” foi anunciada, em junho, apresentada como "a primeira coprodução luso-espanhola" para a Amazon Prime, com produção da Ficción Producciones (Espanha) e Ukbar Filmes (Portugal) e participação da RTP.

A aldeia de Bertiandos “encantou” o realizador espanhol Oskar Santos “pelas zonas planas, ideais para as perseguições automóveis e pela vegetação frondosa”.

No meio da mata foram montados os acampamentos dos trabalhadores do estaleiro, peça essencial da odisseia.

A maior dificuldade que o realizador encontrou foi rodar as cenas com o submarino que, na vida real, foi construído para a ficção, em Ferrol, na Galiza.

“O ideal seria filmar tudo no mesmo local. Poupa-se tempo e dinheiro, não foi o possível, mas tudo acabou por se resolver”, explica Oskar Santos.

A coprodução luso-espanhola andou, com a logística às costas, entre Ponte de Lima, Viana do Castelo e Ponte da Barca, Porto, Vila Nova de Gaia e Águeda para conseguir gravar o segundo episódio da série, em busca de espaços parecidos com a floresta considerada o “pulmão do mundo”.

Para a produtora Mamen Quintas, foi “fácil” construir a ficção, por ser inspirada numa história verídica e recente do narco-submarino que atingiu o litoral europeu, em águas galegas, em novembro de 2019 e, ao mesmo tempo, “complicado” porque para construir uma “história potente” era necessário o distanciamento do caso, ainda em fase de julgamento.

Bertiandos foi cenário da viagem do submarino que partiu de Manaus, carregado de droga. No interior, três homens sobrevivem à odisseia transatlântica recheada de tormentas, correntes, avarias, fome, discussões e a uma constante pressão policial até ao abandono junto a uma praia em Aldán, Cangas de Morrazo, na Galiza.

O quartel-general da equipa de filmagens, de mais de 80 pessoas, instala-se em terrenos junto à igreja de Bertiandos, ponto de partida para a ação, uns metros largos à frente, no meio do mato, onde são filmadas quatro cenas por dia.

O vai e vem entre a base e o ‘set’ é monitorizado pela GNR, que garante o trânsito e gere a curiosidade de quem passa na zona, local de caminhadas e passeios.

Um refeitório improvisado, camarins móveis e cabides gigantes com os figurinos, tudo ordenado numa parafernália de logística, mesmo ao lado da igreja e do cemitério contíguo.

Numa tenda montada para “mesas redondas”, realizadores, produtores e atores rodam entre os jornalistas convidados para uma visita guiada.

O protagonista, o ator Alex Gonzalez, interpreta Nando na série, enquanto capitão do submersível. A viagem iniciada no Brasil fora planeada para pagar dívidas de um negócio de Nando e Sérgio (o português Nuno Lopes), que correra mal em Espanha.

A “química” entre os atores foi “imediata” e determinante para o sucesso das filmagens em que ambos contracenam.

Por exemplo, para filmar o transporte de droga que faziam e que correu mal porque um gangue rival lhes roubou a carga, em Vigo, demoraram 11 horas, dentro de uma lancha, no mar.

Sérgio é uma personagem diferente na carreira de Nuno Lopes, o que pesou no momento de aceitar o convite da coprodução luso-espanhola: “Ultimamente tenho sido muito chamado para uma espécie de ‘macho latino lover’. Este personagem é o oposto disso”.

O colombiano David Trejos interpreta Angelito, um viciado em cocaína que lidera o cartel que fornece a droga para a viagem de quase um mês, ficcionada no terceiro episódio da série.

A camaradagem entre todos os atores foi fundamental para o sucesso da representação e tal como Gonzalez, Trejos não esquece as cenas filmadas no interior do submarino, durante 22 horas.

O espaço “muito pequeno” chegou a juntar uma equipa de 12 pessoas. O calor que fazia transpirar sem parar, os litros de água bebidos e o alívio de respirar ar puro, quando cada cena terminava, estão gravados na memória do ator.

Há cinco meses a viver numa ponte aérea entre Portugal e Espanha, o ator brasileiro Bruno Gagliasso recebeu o convite para a produção destinada à Amazon Prime ainda não tinha acabado de gravar outra série, mas para a Netfilx (“Santo”, também sobre tráfico de droga).

Aceitou interpretar João, engenheiro de construção naval, “maravilhado” com a inteligência e sedução da personagem, responsável pela construção do submarino e que se relaciona com os traficantes da Colômbia que fornecem a droga para uma missão impossível.

A estreia da série “Operação Maré Negra” está marcada para julho de 2022.

Por: Andrea Cruz da agência Lusa

Imaginarius regressa às ruas de Santa Maria da Feira de 9 a 12 de setembro

O Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua vai regressar de 9 a 12 de setembro às ruas de Santa Maria da Feira, no distrito de Aveiro, com 18 companhias que vão conduzir o público por "mundos mitológicos".

Numa nota enviada hoje à agência Lusa, a organização do festival refere que, depois de em maio ter privilegiado o palco digital, a 20.ª edição do Imaginarius está de regresso ao “seu espaço natural”, as ruas e praças de Santa Maria da Feira.

Entre os dias 09 e 12 de setembro, por Santa Maria da Feira vão passar 338 artistas do Reino Unido, Portugal, Bélgica, Áustria, Polónia, França e Espanha, em representação de 18 companhias.

Ao longo das 118 horas de conteúdos programáticos, os artistas “conduzirão o público por mundos mitológicos” com diferentes projetos artísticos, visões e abordagens.

Partindo do tema central “O Mito e a Marca”, as artérias de Santa Maria da Feira vão acolher teatro de rua, circo contemporâneo, dança, música, performance e teatro físico, bem como arte digital, urbana e projetos com foco no pilar da sustentabilidade.

O espetáculo “Oops!”, da companhia espanhola Teatre Mòbil, e “O Nome da Rosa — A Burning Man Honoraria Grant”, da companhia Artelier — Teatro de Rua, são alguns dos eventos que marcam a programação principal do festival.

“Red Wine Cabaret”, da companhia espanhola Cidral Brass Brand, e os espetáculos de circo contemporâneo “Variações”, do Instituto Nacional das Artes, e “Rasto”, da Companhia Erva Daninha, integram igualmente a programação principal.

Já o segmento Imaginarius Infantil vai, durante os quatro dias, apresentar diferentes espetáculos, ‘workshops’ e experiências para proporcionar aos mais novos “outras formas de sentir a realidade e estimular a sua criatividade”, refere a nota.

A 20.ª edição do festival Imaginarius integra na sua programação uma dimensão de coprodução e criação artística, o Orfeo & Majnun, um projeto intercultural inspirado no mito grego de Orfeo e Eurydice e na história de amor árabe entre Layla e Majnun.

Os espetáculos, ainda que gratuitos, têm lotação limitada e inscrição obrigatória, que deve ser feita através do formulário disponível no ‘site’ do festival.

Em maio, em declarações à Lusa, a organização afirmou que o festival contou, nos quatro dias, com mais de 87 mil visualizações no palco digital, provenientes de 84 países e com mais de 1.000 visitantes presencialmente.

Fonte e Imagem: Lusa

Metro do Porto com atrasos em todas as linhas devido à trovoada


A circulação do metro do Porto está a registar atrasos em todas as linhas devido a problemas de sinalização provocados pela trovoada que se fez sentir durante a madrugada, disse hoje à Lusa fonte da empresa.

De acordo com o porta-voz da Metro do Porto, a situação “não tem muito impacto, mas causa alguns atrasos”.

A fonte acrescentou que “até às 09:00, prevê-se que esteja tudo normalizado”.

Lusa

Governo torna país “centro de emprego” para “familiares” e “amigos”, segundo o líder do CDS-PP

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, acusou o Governo de tornar "o país e o Estado num autêntico centro de emprego" para "lá colocar os seus familiares, as suas clientelas e os seus amigos".

O PS está a tornar este país e o Estado num autêntico centro de emprego. Engorda-o com o dinheiro dos nossos impostos, porque isto é pago através do dinheiro que nós entregamos ao Estado, para lá colocar os seus familiares, as suas clientelas e os seus amigos", criticou Francisco Rodrigues dos Santos.

Em Évora, onde inaugurou hoje a sede de campanha autárquica da coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT, juntamente com o presidente social-democrata, Rui Rio, o líder "popular" argumentou que o Governo, "fruto dos acordos que fez com a extrema esquerda, está mais empenhado em agradar às suas clientelas políticas do que em ajudar o país a recuperar".

"É por isto que este PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] vai ser uma oportunidade perdida na recuperação da nossa economia e vai atrasar ainda mais o nosso país", porque "virou as costas à iniciativa privada e aos nossos empresários", que são "quem cria riqueza e gera postos de trabalho", disse.

O Governo canalizou "a maior parte das verbas" do PRR "para o setor público", ou seja, para "o país que o PS conhece porque é lá que vivem os seus familiares e os seus amigos".

Segundo o presidente do CDS-PP, no dia em que o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou a descida da taxa de desemprego e a subida do Produto Interno Bruto (PIB) português, o emprego aumentou em Portugal, mas "a maior parte é emprego público", conseguido "à conta de um aumento da função pública".

"E a verdade é só uma, o Estado transformou-se no verdadeiro sufoco para a economia real, que escraviza os portugueses em impostos e que impede a nossa economia de recuperar e as pessoas de ter uma vida que fuja a uma situação de pobreza"

Para Francisco Rodrigues dos Santos, "trabalhar em Portugal hoje em dia já não compensa", porque "o nível de impostos é tão elevado que as pessoas, mesmo trabalhando, não conseguem cumprir o seu projeto de vida, porque o Estado transformou-se no maior centro de emprego do país".

Questionado pelos jornalistas sobre os números hoje revelados pelo INE, o líder do CDS-PP considerou que, relativamente aos dados do desemprego, "estão altamente maquilhados por cosmética deste Governo, através de estágios e cursos de formação".

Quanto ao aumento do PIB, Francisco Rodrigues dos Santos lembrou que, "agora, com o início da libertação da atividade económica" nacional, após um ano de 2020 marcado pela pandemia de covid-19, "é óbvio" que cresça.

"Eu acho que o termo de comparação exato deve ser face a 2019", antes da pandemia, afirmou, considerando que estes números agora conhecidos são "bastante precários" ou até "poucochinho, utilizando uma expressão do nosso primeiro-ministro".

O INE revelou hoje que o PIB português registou um crescimento de 4,9% no segundo trimestre, face ao primeiro, e de 15,5% face ao mesmo período do ano passado.

Já a taxa de desemprego caiu para os 6,6% em julho, menos 0,2 pontos percentuais do que em junho e menos 1,5 pontos percentuais face ao mês homólogo, disse também o INE.

Lusa

Líder do Bloco de Esquerda aponta “mau início de conversa” em propostas laborais do Governo

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, considerou "um mau início de conversa" as medidas orçamentais anunciadas por António Costa para combater a precariedade, criticando a apresentação como definitivas de "matérias que sabe que a esquerda não pode aceitar".

"Nós estaremos sempre a conversar e a ver soluções, mas, como eu repito sempre, as negociações fazem-se à mesa", respondeu Catarina Martins aos jornalistas, à margem de uma visita à Feira do Livro de Lisboa, quando questionada sobre se já há reuniões marcadas com o Governo para esta semana para a negociação do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

Interrogada sobre as medidas anunciadas pelo líder do PS e primeiro-ministro, António Costa, no congresso socialista do passado fim de semana, a líder do BE referiu que "a recuperação do país e o investimento tem de ter alguma consequência nos salários, nas condições concretas de vida das pessoas", motivo pelo qual "as condições do trabalho são tão importantes".

"É por isso que dizer às pessoas, principalmente às gerações mais jovens e precárias, que elas estão condenadas ao 'outsourcing' ou a vincular com uma empresa de trabalho temporário, é dizer que haverá sempre um intermediário que vai ficar com o salário delas e que estão completamente desprotegidas, portanto é um mau início de conversa", criticou.

De acordo com Catarina Martins, "nas propostas do Governo não há um início de conversa sobre esta reivindicação tão simples que é que as pessoas tenham direito a um contrato com a entidade para a qual verdadeiramente trabalham".

Julgo que [António Costa] apresentar como definitivas matérias que sabe que a esquerda não pode aceitar porque significam a precarização contínua de várias gerações não é uma solução para recuperação do país e o que nós queremos é soluções para recuperação do país. Um bom início de conversa é nós reconhecermos que gerações qualificadas têm de ter direito a contratos qualificados", defendeu.

Perante a insistência dos jornalistas para saber a data das reuniões sobre o OE2022, a líder do BE afirmou que têm "vindo sempre a conversar".

"Já me reuni muitas vezes com o primeiro-ministro, sim. A propósito de muitos assuntos, incluindo o orçamento", respondeu.

A líder bloquista reiterou a "muita disponibilidade" para negociar, mas mantendo as preocupações sobre "a saúde, a transparência, o sistema financeiro".

"E esta condição básica: pensões dignas e acesso à reforma para quem trabalhou toda uma vida, descongelamentos para quem tem salários congelados há décadas e que os trabalhadores precários, que não têm nenhum vínculo, possam ter direitos de trabalho como qualquer outro trabalhador", apontou.

Lusa

Serviços públicos sem marcação prévia a partir de hoje


Os serviços públicos, como as lojas do cidadão, passam a funcionar sem marcação prévia a partir de hoje, segundo o plano de desconfinamento no âmbito da covid-19 aprovado em Conselho de Ministros.

A medida, que integra a segunda fase do desconfinamento, foi anunciada pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no dia 20 de agosto.

Esta medida integra a segunda fase do desconfinamento, por se ter atingido os 70% da população vacinada contra a covid-19 no dia 18 de agosto.

Lusa

Setembro começa com avisos amarelos de chuva e trovoada em 12 distritos

 Avisos abrangem todo o Norte e grande parte da região Centro.

Doze distritos do Norte e Centro de Portugal continental vão estar esta quarta-feira, 1 de setembro, com avisos amarelos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) por causa das previsões de chuva e de trovoada.

Os avisos prolongam-se das 09h00 às 21h00. O IPMA prevê trovoada e aguaceiros por vezes fortes com possibilidade de granizo.

Em causa estão os distritos de:

Viana do CasteloBragaPortoVila RealBragançaAveiroViseuGuardaCoimbraCastelo BrancoPortalegre e Évora.

Nos Açores, todas as ilhas também estão esta quarta-feira com avisos amarelos por causa da chuva, enquanto na Madeira o aviso também é amarelo mas o risco será o tempo quente.

Nuno Guedes / TSF