quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Pais e diretores de escolas queixam-se de falhas na Internet que deixam alunos sem aulas


Pais e diretores de escolas alertaram hoje para falhas na rede de internet que estão a dificultar o acompanhamento das aulas online, que começaram há dez dias para mais de um milhão de alunos dos ensinos básico e secundário.

"A rede que temos não permite ter um ensino digital a funcionar a 100% porque o plano digital está atrasado e os alunos acabam por ser os prejudicados", disse à Lusa Rui Martins, da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), onde têm chegado queixas de pais que temem que as falhas na internet deixem os seus filhos para trás nas aulas online.

Segundo Rui Martins, uns não conseguem entrar nas plataformas onde estão a ser dadas as aulas, enquanto outros deixam de repente de ouvir professores e colegas, perdendo o fio condutor da matéria que está a ser ensinada.

A situação também preocupa professores, que acabam por perder muito tempo à espera que todos os alunos "entrem" nas aulas, lembrou por seu turno o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP).

Segundo Filinto Lima, "o problema que antes existia nas escolas passou agora para casa", o problema está em ter muita gente ao mesmo tempo ligada.

Se nas grandes cidades é preciso reforçar a rede de internet para dar resposta a todos, em algumas zonas do interior o problema ainda está em conseguir fazer chegar a ligação, disse Filinto Lima à Lusa.

A ideia é corroborada pelo presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), Manuel Pereira, ao afirmar que "o país não é todo igual e há zonas onde a internet é demasiado lenta para as crianças, para os adultos, para toda a gente que precisa de a usar".

As escolas tiveram autonomia para definir a percentagem de aulas síncronas e assíncronas e em alguns estabelecimentos de ensino os alunos passam a maior parte do tempo com aulas online.

Manuel Pereira lembra ainda o problema dos alunos mais novos que não têm autonomia para conseguir usar sozinhos as plataformas nem resolver eventuais problemas que surjam.

No entanto, o presidente da ANDE faz um balanço positivo deste regresso ao ensino à distância: "Está a correr muito melhor, pelo menos é o feedback que temos de alunos e professores".

A experiência adquirida no confinamento de março do ano passado "permitiu que agora todos estivessem muito mais preparados", acrescentou.

"As famílias já estão mais adaptadas às novas tecnologias, até porque muitas adquiriram equipamentos que antes não tinham. Do lado dos professores, também já há uma experiência no uso das plataformas que em março não existia", disse à Lusa.

O programa do Governo de distribuição de computadores continua longe de chegar à maioria dos estudantes. Até ao momento, já foram entregues 100 mil equipamentos estando prevista a distribuição de mais 335 mil.

O Ministério da Educação decidiu que os estudantes que não tinham equipamentos para acompanhar as aulas online deveriam regressar às escolas, onde existe material e uma equipa para os ajudar a acompanhar as aulas que continuam a ser dadas pelos seus professores.

"Foi feito esse levantamento e neste momento todos esses alunos estão nas escolas. Claro que este é um processo que está em constante mutação", disse à Lusa Filinto Lima.

Por exemplo, se o computador de um aluno se avaria ele tem de voltar para a escola, para continuar a ter aulas, assim como quando chegam remessas de equipamentos para distribuir pelos estudantes, estes podem então ter aulas a partir de casa.

Lusa

MUNICÍPIO DE SILVES DISTRIBUI CONTENTORES PARA RECOLHA SELETIVA DE BIORRESÍDUOS NO MERCADO DE SB MESSINES


Integrando a sua política de sustentabilidade ambiental, o Município de Silves distribuiu esta manhã, no mercado de SB Messines, contentores para recolha seletiva de biorresíduos. Esta iniciativa resulta da campanha “Silves a compostar da Serra ao mar”.
Na prática, os biorresíduos separados através destes contentores serão depositados nos compositores comunitários, permitindo, assim, o seu tratamento e a redução da pegada ecológica indexada ao transporte e deposição em aterro, com os benefícios ambientais daí resultantes.
Relembramos que o Município de Silves é pioneiro no Algarve na promoção da compostagem comunitária, inicialmente direcionada às freguesias de São Marcos da Serra e de São Bartolomeu de Messines, e no lançamento de campanha de compostagem doméstica em todo o concelho, mediante a entrega de centenas de compostores incluídos no “kit” de compostagem e realização de formação aos aderentes.

De salientar que este projeto representa um passo importante numa estratégia, de longo prazo, que passará pelo cumprimento da Diretiva Quadro dos Resíduos e do PERSU2020+, que prevê a obrigação de recolha seletiva de biorresíduos a partir de 31 de dezembro de 2023, integrando o concelho de Silves no pelotão da frente, a nível nacional.

México | Salud mental y bienestar, una prioridad para las empresas

 

  • Este próximo 20 de febrero se conmemora el Día Mundial de la Justicia Social, con el que se busca impulsar el empleo pleno y el acceso al bienestar.

  • De acuerdo con la UNAM y el Instituto Nacional de Psiquiatría de la Secretaría de Salud (SSA), la demanda de atención mental creció hasta un 30% desde la pandemia.


Ciudad de México, 18 de febrero de 2021.-  Este próximo 20 de febrero se conmemora el Día Mundial de la Justicia Social, con el que se busca promover el empleo pleno y el acceso al bienestar, que en el aspecto laboral, se ha transformado de manera completa en los últimos 18 meses, ya que ahora más que nunca, el objetivo es contar con herramientas accesibles, que permitan a los colaboradores tener opciones que les faciliten el cuidado de su salud tanto física como emocional. 


“De acuerdo con una encuesta realizada por Gympass el año pasado, el 57,5% de los empleadores en América Latina no han adoptado herramientas enfocadas al bienestar de sus colaboradores, lo que nos habla del desafío que enfrenta la región; mientras que aquellas que ofrecen opciones como son plataformas de bienestar tanto físico como mental observan un impacto positivo en el clima laboral: disminuye el ausentismo, se reducen los costos de atención médica; hay un mayor compromiso de los empleados y también un aumento de la productividad”, detalló Rodolfo Oviedo, Head de Client Sales de Gympass.


En el caso específico de México, hay que recordar que el entorno laboral -además- cuenta con dos elementos enfocados al bienestar: la NOM 035 así como la recién aprobada ley que regula el teletrabajo.


Cuando las empresas consideran enfoques integrales, como son las plataformas donde los colaboradores pueden encontrar opciones de ejercicio físico, así como aplicaciones de cuidado nutricional y también emocional, puede alinear sus objetivos de recursos humanos, y así generar círculos virtuosos. 


Para Gympass, lo ideal es: 

 

Visualizar el bienestar como un concepto integrado: De acuerdo con un estudio propio de Gympass a nivel regional, un 77% de los usuarios entrevistados destacaron la importancia de que las empresas ofrezcan soluciones de bienestar, sin embargo, sólo el 34% de las empresas tuvo un enfoque que incluía también el aspecto emocional y no sólo el físico. 


Promover la atención a la salud mental:  Según datos de la UNAM y el Instituto Nacional de Psiquiatría de la Secretaría de Salud (SSA), la demanda de atención mental creció hasta un 30% desde la pandemia. Un entorno de alta incertidumbre aunado a presiones laborales, familiares y personales, más el estrés cotidiano, se está convirtiendo en un elemento a cuidar. A pesar del expresivo aumento, pocas empresas brindan soluciones para que sus empleados se ocupen de su salud mental.


Estimular la práctica deportiva: Con la nueva normalidad, los mexicanos están -en promedio, 43 horas a la semana sentados, lo que representa un riesgo tanto a la salud física como emocional. La opción de poder hacer ejercicio desde cualquier dispositivo, a cualquier hora, también puede ser un detonador de salud emocional al momento de compartir objetivos de rutinas de ejercicio entre equipos de trabajo, favoreciendo un ambiente más colaborativo. 


 


DENISSE PATIÑO

Coordinadora de Cuenta

denisse@merakimexico.com

(55)4819.0948 (55)5264.0302 / (55)7589.7774

Calle 5 No. 8, Colonia San Pedro de los Pinos, Del. Benito Juárez, C.P. 03800, CDMX

Antes de imprimir, piensa en tu compromiso con el medio ambiente.

França alarga período de isolamento de sete para dez dias


O ministro da Saúde, Olivier Véran, anunciou hoje que o período de isolamento para os casos positivos passa de sete para 10 dias e os números do país mantêm-se nos mesmos níveis, com 22.501 novos casos, segundo as autoridades francesas.

Com uma prevalência de 36% da variante detetada no Reino Unido nos casos positivos em França, o ministro da Saúde, Olivier Véran, anunciou hoje que o período de isolamento para os casos confirmados no país passa de sete a 10 dias.

"Certos estudos científicos mostram a possibilidade que essas variantes sejam responsáveis por uma duração contagiosa mais longa que a covid clássica", referiu o ministro em conferência de imprensa.

Ainda segundo Véran, a França nunca saiu da segunda vaga, já que os números do país não baixam uma queda acentuada mesmo com um recolher obrigatório nacional entre as 18:00 e as 06:00.

Nas últimas 24 horas foram detetados 22.501 novos casos, elevando assim o total de números positivos desde o início da pandemia para 3.536.648. Ainda desde quarta-feira, morreram 271 pessoas, perfazendo um total de 83.393.

Há 3.394 pacientes nos cuidados intensivos em França, mais 44 do que na véspera e, no total, há atualmente 25.762 pessoas internadas devido à covid-19.

Alguns membros do Conselho Científico, órgão que aconselha o Presidente da República, Emmanuel Macron, indicaram hoje que os mais idosos se devem autoimpor um isolamento para terminar o confinamento geral.

No entanto, o ministro da Saúde disse hoje que tem de haver "solidariedade" entre as gerações e que esse tipo de isolamento é "muito discutível".

Lusa
Imagem: CM

PR considera que o diploma sobre a Eutanásia utiliza “conceitos altamente indeterminados”


O PR pediu hoje a fiscalização da constitucionalidade do diploma que despenaliza a morte medicamente assistida considerando que utiliza "conceitos altamente indeterminados", como o de "sofrimento intolerável".

No requerimento enviado ao Tribunal Constitucional, o chefe de Estado aponta também "a total ausência de densificação do que seja lesão definitiva de gravidade extrema", e pede aos juízes que apreciem a conformidade do artigo 2.º e, consequentemente, dos artigos 4.º, 5.º, 7.º e 27.º deste diploma com a Constituição da República Portuguesa, por violação dos princípios da legalidade e tipicidade criminal e da proibição de delegação em matéria legislativa.

"Não é objeto deste requerimento ao Tribunal Constitucional, em todo o caso, a questão de saber se a eutanásia, enquanto conceito, é ou não conforme a Constituição, mas antes a questão de saber se a concreta regulação da morte medicamente assistida operada pelo legislador no presente decreto se conforma com a Constituição, numa matéria que se situa no 'core' dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, por envolver o direito à vida e a liberdade da sua limitação, num quadro de dignidade da pessoa humana", afirma Marcelo Rebelo de Sousa.

O artigo 2.º do diploma aprovado no dia 29 de janeiro na Assembleia da República estabelece que deixa de ser punida a "antecipação da morte medicamente assistida" verificadas as seguintes condições: "Por decisão da própria pessoa, maior, cuja vontade seja atual e reiterada, séria, livre e esclarecida, em situação de sofrimento intolerável, com lesão definitiva de gravidade extrema de acordo com o consenso científico ou doença incurável e fatal, quando praticada ou ajudada por profissionais de saúde".

Referindo-se à expressão "situação de sofrimento intolerável", o Presidente da República refere que, "todavia, este conceito não se encontra minimamente definido, não parecendo, por outro lado, que ele resulte inequívoco das 'leges artis' médicas".

"Com efeito, ao remeter-se para o conceito de sofrimento, ele parece inculcar uma forte dimensão de subjetividade. Uma vez que estes conceitos devem ser, nos termos do decreto, como adiante se concretizará, preenchidos, no essencial, pelo médico orientador e pelo médico especialista, resulta pouco claro como deve ser mensurado esse sofrimento: se da perspetiva exclusiva do doente, se da avaliação que dela faz o médico. Em qualquer caso, um conceito com este grau de indeterminação não parece conformar-se com as exigências de densidade normativa resultantes da Constituição, na matéria 'sub judice'", acrescenta.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "não parece que o legislador forneça ao médico interveniente no procedimento um quadro legislativo minimamente seguro que possa guiar a sua atuação".

Relativamente à expressão "lesão de gravidade extrema", o chefe de Estado argumenta: "Sendo o único critério associado à lesão o seu caráter definitivo, e nada se referindo quanto à sua natureza fatal, não se vê como possa estar aqui em causa a antecipação da morte, uma vez que esta pode não ocorrer em consequência da referida lesão, tal como alerta, no seu parecer, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida".

Lusa

Furtaram carro em Pereira para furtarem máquina de tabaco na Granja do Ulmeiro: foram apanhados em pouco tempo!


A GNR de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal de Montemor-o-Velho, ontem, dia 17 de fevereiro, recuperou uma máquina de tabaco furtada e identificou dois homens, de 16 e 23 anos, na localidade de Granja de Ulmeiro, no concelho de Soure.

No decorrer de uma investigação de um furto de uma máquina de tabaco de um estabelecimento durante a madrugada de dia 17 de fevereiro, os militares da Guarda surpreenderam os suspeitos, que se encontravam numa viatura com os maços de tabaco furtados, num caminho florestal em Figueiró do Campo.

Ao tentar abordá-los, os indivíduos colocaram-se em fuga, tendo sido intercetados pouco depois pelos militares da Guarda. Durante as diligências policiais, foi ainda localizada a máquina de tabaco furtada, bem como o veículo interveniente no furto do estabelecimento, tendo sido apurado que também foi furtado nessa madrugada na localidade de Pereira, em Montemor-o-Velho.

No total, foram apreendidos dois veículos, uma máquina de tabaco e 455 maços de tabaco.

Os suspeitos foram constituídos arguidos, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Soure.

Covilhã | POSTOS DA GNR DE PAUL E UNHAIS REABREM NA SEGUNDA-FEIRA

Os postos da GNR de Unhais da Serra e Paul reabrem na próxima segunda-feira, dia 22 de fevereiro.

Após diligências realizadas no sentido de obter esclarecimentos e soluções por parte do Ministério da Administração Interna, o Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira, foi informado pelo Ministro Eduardo Cabrita da reabertura já no dia 22 dos postos encerrados temporariamente no concelho da Covilhã.

Vítor Pereira recebeu esta informação “com agrado, após manifestarmos a nossa forte preocupação por esta situação tão injusta para as freguesias do Paul e de Unhais da Serra”. Para o autarca, “fica assim reposta a normalidade no funcionamento destes postos da GNR, tão importantes para a segurança e proteção das populações do Couto Mineiro e do sul do Concelho da Covilhã”.


Aveiro | Reunião de Câmara – 18 de fevereiro de 2021

Apresentamos por este meio a informação sobre as principais deliberações da Reunião do Executivo da Câmara Municipal de Aveiro, realizada hoje, quinta-feira, dia 18 de fevereiro, nos Paços do Concelho.

  1. Requalificação e Ampliação da Escola do Solposto

O Executivo Municipal deliberou aprovar o projeto de execução e autorizar a abertura do concurso público para a requalificação e ampliação da Escola Básica (EB) do Solposto (em Santa Joana), com o valor base de 2.756.000€.

Com esta obra a Escola vai passar a ter oito salas para o 1.º ciclo, duas salas para o pré-escolar e serão resolvidas carências de diversas tipologias que apresenta atualmente, como são as questões relacionadas com a segurança, a eficiência energética do edifício, a qualidade e o conforto do espaço dos edifício e do recreio.

Depois de nas últimas semanas terem avançado para o terreno a reabilitação e ampliação das EB da Póvoa do Paço, Quintã do Loureiro e Azurva, prossegue com intensidade o trabalho de recuperação do Parque Escolar Municipal de acordo com a nova Carta Educativa do Município.

Além destas escolas, estão ainda previstas intervenções na EB das Barrocas, Bonsucesso e Areais (todas em fase final de projeto), além da EB de Esgueira, EB Eixo e do novo Centro Escolar de Nossa Senhora de Fátima. Estas obras correspondem um investimento da Câmara Municipal de Aveiro para 2021 e anos seguintes de 20 milhões de euros.

  1. PMAA 2020/2021: CMA paga despesa do aquecimento da Piscina para atletas de competição do Galitos e do Sporting de Aveiro

O Executivo Municipal deliberou aprovar a adenda ao contrato-programa de desenvolvimento desportivo com o Clube dos Galitos, através da qual a Câmara Municipal de Aveiro irá comparticipar as despesas relativas ao aquecimento da Piscina, no valor de 14.200€.

Integrado no Programa Municipal de Apoio às Associações (PMAA), este apoio excecional reveste-se de especial importância para o desenvolvimento desportivo dos atletas de competição da modalidade de natação, sendo mais um contributo para que o Galitos e o Sporting de Aveiro (este na natação adaptada) prossigam a sua atividade com as necessárias condições de treino dos nadadores e dos treinadores.

3. Aberto concurso público para nova fase de requalificação dos Montes de Azurva

O Executivo Municipal deliberou aprovar a abertura do concurso público para uma nova fase de requalificação de vários arruamentos e bolsas de estacionamento na urbanização dos Montes de Azurva, pelo valor base de 292.858,97€.

A empreitada visa a realização de arranjos urbanísticos na Rua Eng. Robert Erick Zipprich, com a reabilitação da faixa de circulação, o acesso às habitações e o reforço da sinalização existente. Por sua vez, nas ruas David Mourão Ferreira, Vieira da Silva, Alexandre O’Neil e Ferreira de Castro serão cuidadas as zonas de passeios e estacionamento, e ainda corrigida, nos locais que se verifique necessário, a pavimentação das vias.

Serão também reabilitadas duas zonas de estacionamento automóvel já utilizadas pelos moradores, a Norte, a qualificação de um parque nas traseiras do prédio que tem frente para a Rua Vitorino Nemésio com capacidade para 50 lugares e a construção de uma segunda bolsa de estacionamento, a Sul, junto à rua Virgílio Ferreira, com capacidade para 35 lugares. Ambos os estacionamentos serão arborizados.

Nas suas duas fases, a qualificação da urbanização dos Montes de Azurva representa um investimento total da Câmara Municipal de Aveiro no atual mandato (2017/2021) de cerca de 750.000€, a que acresce a reabilitação e ampliação em curso da EB de Azurva, no valor de 1.531.403,79€ e a futura obra na antiga EN 230 no troço de ligação de Azurva a Esgueira (em fase final de projeto).

  1. Aquisição de terrenos para ampliação do Parque de Feiras e Exposições de Aveiro

Como contributo para o cumprimento do objetivo da Câmara Municipal de Aveiro de ampliar o Parque de Feiras e Exposições de Aveiro e de criar uma via de cintura ao Parque, nos termos do que está definido no Estudo Urbanístico do Parque de Feiras em vigor desde dezembro de 2019, o Executivo Municipal deliberou adquirir dois terrenos com a área total de 6.995,90 m2, na Avenida D. Manuel Almeida Trindade, à Caixa Económica Montepio Geral pelo valor de 98.350€. Estas aquisições são essenciais para a construção da Via de Cintura do Parque de Feiras e Exposições e para a sua ligação à Rua D. Manuel de Almeida Trindade.

De acordo com o que está definido no PDM e no Estudo Urbanístico do Parque de Feiras, a estrutura será aumentada com a integração de um Pavilhão Multiusos e uma alteração profunda da sua servidão rodoviária.

  1. Desmantelamento de veículos abandonados na via pública

No âmbito do serviço de recolha, depósito e tratamento de veículos abandonados nas várias vias públicas do Município de Aveiro, o Executivo Municipal deliberou desmantelar 42 viaturas em fim de vida, que foram recentemente recolhidas do espaço público.

A remoção destes veículos da via pública respeita o conceito de prioridade, quer pela sua localização ou avançado estado de degradação, como pelo local onde se encontram, contribuindo para a má organização do espaço público envolvente, a que adicionamos sempre a reiterada e prioritária preocupação ambiental.

Para a realização desta operação e de acordo com a lei e com o devido processamento administrativo, foram considerados abandonados, decorrido o prazo de 45 dias sem que os seus titulares os tenham reclamado.

  1. Covid-19: CMA mais Famílias e mais Cidadãos apoiados

O Executivo Municipal deliberou aprovar apoios económicos a mais 5 famílias residentes em Aveiro correspondendo a mais 15 Cidadãos ajudados no valor global de 1.788,79€, no âmbito dos “Apoios Sociais a Cidadãos e Famílias Carenciadas”, do Fundo de Apoio a Famílias.

Para dar resposta a estas situações, a CMA utiliza o Fundo de Apoio a Famílias, que tem para 2021 uma verba total de 150.000€, um valor superior em 50% ao de definido para mesmo Programa em 2020, mas que será dotado do valor que se verificar necessário.

Os apoios do PAAASE 2021, que integram a área social e muitas outras, estão disponíveis em: https://covid19.cm-aveiro.pt/

Ansião | Processo de vacinação arrancou hoje no concelho


A fase de vacinação contra a Covid-19 destinada a idosos com mais de 80 anos, começou hoje em Ansião e decorrerá até ao final da próxima semana.

As primeiras vacinas estão a ser administradas no Centro de Saúde de Santiago da Guarda, hoje e amanhã, a seniores da mesma freguesia e das freguesias de Alvorge e Ansião. No sábado será a vez de o Centro de Saúde de Avelar acolher a população de Avelar, Chão de Couce, Pousaflores e a restante de Ansião.

O modelo será replicado inversamente na próxima semana, estando prevista a administração de 84 vacinas por dia, num total de cerca de 500.

A base de dados criada por um técnico de informática do município, com o cruzamento da informação dos diversos programas existentes no Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte e também da plataforma Trace COVID, facilitou a identificação da população a vacinar, assim como o contacto telefónico, que está a ser efetuado por outro colaborador da autarquia também afeto exclusivamente a este processo, complementando o trabalho da equipa de enfermagem do Centro de Saúde de Ansião.

O transporte de quem não tem meios próprios de deslocação, está a ser assegurado pelas Juntas de Freguesia, sendo as pessoas com problemas de mobilidade mais acentuados transportadas pelos Bombeiros Voluntários de Ansião.

A equipa de profissionais de saúde envolvida neste processo é constituída por três enfermeiros e um médico do Centro de Saúde de Ansião, acompanhados e apoiados pela Delegada de Saúde Local e pela Coordenadora Municipal de Proteção Civil.

Cantanhede | No apoio às famílias mais vulneráveis ao impacto da pandemia

 Câmara Municipal reforça intervenção nas áreas da ação social e da educação

O Município de Cantanhede tem potenciado os apoios sociais para diluir impacto da pandemia de Covid-19 no concelho, através de um conjunto de medidas específicas que contemplam o reforço dos auxílios e de ações nas áreas da intervenção social e saúde, direcionados para as famílias vulneráveis, nomeadamente através da Linha direta de apoio à Ação Social e Saúde (telf: 231 249 043) a que podem recorrer as pessoas em isolamento profilático ou em situação de carência de económica, para terem apoio psicossocial ou para solicitar que lhes sejam levados géneros alimentares e medicamentos ao domicílio.

Para já, a presidente da autarquia, Helena Teodósio, destaca “a atuação absolutamente meritória das equipas de ação social e da educação ao longo do último ano, nomeadamente no trabalho de apoio de proximidade às pessoas e famílias mais vulneráveis ao impacto da crise sanitária, um trabalho que merece o mais vivo reconhecimento de todos pelo valor e pelo alcance das respostas sociais desencadeadas sempre em tempo útil, ultrapassando todos os obstáculos”. A líder do executivo camarário de Cantanhede considera que “nenhuma autarquia estava preparada para o que tiveram de enfrentar desde que a pandemia eclodiu” e manifesta-se “impressionada com o esforço de superação que os serviços fizeram para resolver as inúmeras situações especialmente difíceis com que se depararam, quer aqueles que têm estado sempre na linha da frente a operacionalizar os apoios, quer os que lhes têm dado suporte de retaguarda”. Helena Teodósio salienta ainda “a importância da inestimável colaboração de outras entidades nesse processo, designadamente as juntas de freguesia, as IPSS, as escolas, a GNR e os Bombeiros Voluntários, além de outras que colaboram na sinalização de quem precisa de ajuda”.

Neste momento, a Equipa de Intervenção em Situações de Exceção (EISE) – criada para atuação em situações excecionais, dando resposta aos pedidos que chegam à Câmara Municipal – está a prestar auxílio a mais de 500 famílias” adianta Célia Simões, vereadora com o pelouro da Ação Social, que não esconde o “receio de que esse número venha a aumentar ainda mais”.

A edil camarária explica que “nas situações urgentes e inadiáveis, os serviços têm apostado na distribuição de cabazes alimentares semanais, bem como na simplificação processual, com recurso à instrução do processo administrativo simplificado no âmbito do Regulamento de Atribuição de Subsídios a Agregados Familiares em Extrema Carência e Programa Abem previstos no atual estado de emergência”.

Por outro lado, Célia Simões refere que “tem sido reforçado o apoio direto no âmbito do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas e vamos continuar a proceder à aquisição de bens alimentares para atender a novos casos de carência social que eventualmente vierem a ser sinalizados, nomeadamente de famílias afetadas por layoff ou pelo encerramento de pequenas e médias empresas da região”. Além disso, esclarece a autarca, “a Câmara Municipal tem intensificado a sua intervenção noutras frentes, como por exemplo na parceria com a REA - Rede de Emergência Alimentar do Banco Alimentar Contra a Fome - Coimbra, a intensificação das respostas sociais no âmbito do Banco de Recursos Colmeia, a colaboração com o Lions Clube de Cantanhede na dinamização do Banco de Leite, que proporciona este bem às crianças de agregados mais necessitados, para além de outros apoios de empresas locais e da sociedade civil que têm vindo a contribuir através da doação de bens, colaborando para potenciar todos os apoios, de forma solidária, e fazer chegar alimentação a quem dela precisa”.

A Câmara Municipal de Cantanhede está igualmente a proceder à distribuição regular, ao domicílio, de cabazes de bens de primeira necessidade às famílias de alunos dos jardins de infância e do 1.º CEB em situação de carência económica, campanha que foi acionada para lhes prover refeições que de outro modo não poderiam beneficiar face à impossibilidade de se deslocarem às escolas neste período de confinamento. Quanto aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos de agregados familiares socialmente fragilizados, são as escolas que estão a facultar-lhes diariamente refeições em regime de take-away.

Quanto aos cabazes que a autarquia cantanhedense está a fornecer a 96 crianças dos jardins de infância e do 1.º CEB, são constituídos por carne, peixe, fruta, legumes, arroz e massa, contendo provimentos para 10 dias, sendo distribuídos de duas em duas semanas pelos serviços municipais de educação.

Estas iniciativas fazem parte do pacote de medidas que a autarquia cantanhedense decidiu prolongar até ao final do primeiro semestre do ano para diluir impacto da pandemia de Covid-19, pacote esse que contempla o reforço dos auxílios e das ações nas áreas da intervenção social e saúde, tal como acontece com a educação. A deliberação camarária aprovada para o efeito, por unanimidade, refere que, findo o período estabelecido, será feita uma ponderação sobre a eventual necessidade de prosseguir com todas ou parte de tais ações, em função da evolução que a crise sanitária vier a registar.

Diário de Um Corpo Sem Memória

Fernando Correia regressa com um livro de fé e redenção

O jornalista e autor Fernando Correia está de volta com Diário de Um Corpo Sem Memória, um livro sobre a doença de Alzheimer de que a mãe das suas filhas é vítima. Um relato comovente do confronto de um homem com a ausência e a saudade num tempo de distâncias. Diário de Um Corpo Sem Memória é uma edição Guerra e Paz e estará disponível, a partir do dia 23 de Fevereiro em todos os locais já abertos da rede livreira portuguesa, livrarias online e no site da editora.

Em 2015, Fernando Correia, voz maior da rádio portuguesa, nome grande do desporto e da televisão, abriu-nos as portas da sua dor no Piso 3, Quarto 313. No livro, Fernando deu-nos a conhecer Vera, a sua companheira de uma vida, presa à impiedosa doença de Alzheimer, sem possibilidades de recuperação.

Agora, o autor regressa ao tema com Diário de Um Corpo Sem Memória, um livro que mostra a forma como tem vivido este contacto com Vera e a forma como um corpo sem memória pode transmitir angústias, dores, prantos e incertezas através de uma alma amiga.

São relatos de uma enorme fé, um crer apoiado em olhares, reacções e expressões faciais, que permitem a estes dois eternos companheiros atravessarem juntos o deserto que se estende à sua frente. Nesse deserto, há-de surgir, sugere-nos o autor, um oásis de luz que os irá conduzir à redenção procurada.

Diário de Um Corpo Sem Memória é um livro de ajuda e de espiritualidade, servindo-se de factos reais em tempo real. Estará disponível nas livrarias online e na rede livreira já aberta a partir do próximo dia 23 de Fevereiro, mas a pré-reserva do livro poderá ser feita desde já no site da Guerra e Paz Editores.

Diário de Um Corpo Sem Memória
Fernando Correia
Não-Ficção / Memórias
128 páginas · 15x23 · 12,00€
Nas livrarias a 23 de Fevereiro

Leiria | Município requalifica rua principal da Cruz D’Areia


O Executivo da Câmara Municipal aprovou esta quarta-feira, em reunião, o projeto da primeira fase da requalificação da Rua D. José Correia Alves da Silva, na Cruz D’Areia, uma empreitada que tem um investimento estimado em 1,34 milhões de euros e uma duração prevista de 340 dias.

Num primeiro momento, a obra será executada no troço que inicia junto ao viaduto da A8 e que termina na Rua Jaime Cabral Azevedo, artéria adjacente ao Regimento de Artilharia 4, tendo como objetivos o reordenamento do espaço público com requalificação do ambiente urbano, o aumento da segurança rodoviária e a sua relação com o peão e a implementação de soluções de acalmia de tráfego.

Pretende-se ainda aumentar os passeios, reordenar o estacionamento público e as zonas de cargas e descargas, bem como executar medidas relacionadas com as situações de mobilidade reduzida.

Os trabalhos incluem a requalificação das infraestruturas subterrâneas (águas, comunicações, eletricidade e gás), a instalação de ilhas ecológicas e ainda a existência de passadeiras desniveladas e de cor contrastante com pavimento tátil no passeio e com sinalização LED com sensor de presença de peões.

O projeto será agora submetido a concurso público para execução da empreitada, não existindo ainda previsão para data de início da obra.

Marinha Grande | CONCURSO NACIONAL DE LEITURA 2021 - FASE MUNICIPAL

A Câmara Municipal da Marinha Grande, através da Biblioteca Municipal, vai realizar pelo quarto ano consecutivo a Fase Municipal do Concurso Nacional de Leitura 2021, iniciativa que envolve a participação de mais de uma centena de alunos dos diferentes níveis de ensino dos três Agrupamentos de Escolas do concelho.  

Devido às restrições impostas pela Covid-19, este ano o concurso terá um novo formato, já que irá realizar-se à distância, com recurso a plataformas digitais, garantindo-se desta forma a participação de todos os alunos apurados na fase escolar em cada nível de escolaridade.

Assim, no dia 24 de fevereiro, pelas 14h30, todos os participantes no concurso terão acesso à prova escrita, devendo ser realizada em sessão assíncrona, e no dia 26 de fevereiro terão lugar as provas orais, por nível de escolaridade, em sessão síncrona, realizada entre os concorrentes e os membros do júri do concurso.

As obras selecionadas para a Fase Municipal são as seguintes:
º CEB - “O galo da velha Luciana”, de António Mota
º CEB - “Três histórias do futuro”, de Luísa Ducla Soares
º CEB - “A lua de Joana”, de Maria Teresa Maia Gonzalez
SECUNDÁRIO - “O carteiro de Pablo Neruda”, de Antonio Skármeta

Os quatro vencedores em cada nível de escolaridade irão representar o concelho na fase seguinte do Concurso - Fase Intermunicipal, que se irá realizar em Leiria, no próximo mês de abril.

Recorde-se, que o Concurso Nacional de Leitura já vai na sua 14.ª edição e é uma iniciativa conjunta do Plano Nacional de Leitura 2027 (PNL), da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) e do Instituto Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, em articulação com os Agrupamentos de Escolas e os Municípios, com o objetivo de estimular o gosto e os hábitos de leitura e melhorar a compreensão leitora. A iniciativa tem como destinatários os alunos dos 1.º,2.º, 3.º ciclos do ensino básico e alunos do ensino secundário.

Mais 105 mortes e 1944 novos casos de Covid-19 em Portugal

Nas últimas 24 horas registaram-se 1944 novas infeções.

Portugal regista esta quinta-feira mais 105 mortes e mais 1944 novos casos de infeção por Covid-19 do que os registados no boletim epidemiológico de quarta-feira.

Em Lisboa e Vale do Tejo há 969 novos casos. Na região Norte são mais 489 as pessoas infetadas.


Há também registo de uma descida nos internamentos. No total, são 3819 doentes hospitalizados em enfermarias, menos 318 nas últimas 24 horas. Nas unidades de cuidados intensivos estão 688 pessoas, menos 31 do que na quarta-feira.

TSF

Justiça abre 33 inquéritos ligados a irregularidades na vacinação Covid


Dos 33 inquéritos, sete foram na área da Procuradoria-Geral Regional de Lisboa, oito na área do Porto, 10 na área de Coimbra e oito na área da Procuradoria-Geral Regional de Évora.

O Ministério Público já instaurou 33 inquéritos relacionados com irregularidades na vacinação contra a Covid-19, entre os quais a IPSS de Castelo Branco, Farminhão, Resende e Trancoso e a responsáveis autárquicos de Lisboa, Portimão e Reguengos de Monsaraz.

Dos 33 inquéritos respeitantes a irregularidades relacionadas com o plano de vacinação contra a Covid-19, sete foram na área da Procuradoria-Geral Regional de Lisboa, oito na área do Porto, 10 na área de Coimbra e oito na área da Procuradoria-Geral Regional de Évora, refere o Ministério Público numa resposta enviada à agência Lusa.

"Atentas algumas questões específicas colocadas pela imprensa, esclarece-se que, para além de situações anteriormente confirmadas, foram, designadamente, instaurados inquéritos relativamente a factos noticiados relativos a instituições particulares de solidariedade social de Castelo Branco, Farminhão, Resende e Trancoso ou relacionados com a vacinação de responsáveis autárquicos de Lisboa, Portimão e Reguengos de Monsaraz", enumera.

Lusa


Centro de Vacinação Municipal para a Covid-19 de Porto de Mós

Amanhã, dia 19 de fevereiro, irá dar-se início à vacinação no concelho de Porto de Mós para pessoas com idade superior ou igual a 80 anos e para as pessoas com 50 ou mais anos com doenças associadas, incluídas na 1ª fase, no Pavilhão Municipal de Porto de Mós onde está implementado o Centro de Vacinação Municipal para a Covid-19.

No primeiro dia serão vacinadas cerca de 100 pessoas, com idade igual ou superior a 80 anos, de acordo com o critério idade, definido pelas autoridades de saúde, iniciando-se pelos mais velhos das freguesias de Porto de Mós e do Alqueidão da Serra.

No sábado, dia 20 de fevereiro, terá início a vacinação para as pessoas com 50 ou mais anos, seguindo o mesmo critério e com pelo menos uma das seguintes patologias: Insuficiência cardíaca; Doença coronária; Insuficiência renal (TFG <60ml/min); Doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC); doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração. Serão vacinadas cerca de 230 pessoas das freguesias de Porto de Mós, Alqueidão da Serra, Pedreiras, Juncal e Calvaria de Cima, podendo, ainda, ser chamadas pessoas de outras freguesias.

O Centro de Vacinação Municipal para a Covid-19 conta com a presença de uma equipa médica, uma equipa de enfermagem, uma equipa de apoio logístico e os bombeiros voluntários, de modo a garantir as melhores condições para a concretização do procedimento da vacinação.

À medida que houver disponibilização de vacinas para o concelho de Porto de Mós, a vacinação será estendida aos restantes utentes de todas as freguesias, estando prevista a descentralização do Centro Municipal de Vacinação para a Covid-19 para esse efeito.

Os contactos são feitos telefonicamente pelos Centros de Saúde. Assim, pedimos que esteja atento ao seu telefone. Durante o contacto a pessoa é questionada sobre a intenção de vacinação e o agendamento da mesma.

Município de Leiria atribui Votos de Louvor a António Casalinho e ao Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sanchez


O Executivo da Câmara Municipal de Leiria aprovou na sua reunião de 17 de fevereiro, um Voto de Louvor ao bailarino leiriense António Casalinho, que se sagrou vencedor da mais prestigiada competição de ballet do mundo: Prix de Lausanne e, um Voto de Louvor ao Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sanchez pelo seu papel primordial na formação e promoção na área da Dança.

Aluno do Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sanchez desde a sua fundação em 2015, António Casalinho iniciou-se na dança aos oito anos de idade e frequenta diversas modalidades como o Ballet Clássico, Contemporâneo, Caráter e Pas de Deux, para além da sua participação em master classes com profissionais convidados e conceituados no mundo da Dança.

Bolseiro da The Royal Ballet School entre 2015 e 2018, a sua prestação pública tem sido protagonista de inúmeros prémios internacionais tendo vencido, neste ano de 2021, a chamada “bolsa número um” no Prix de Lausanne, a mais prestigiada competição de ballet do mundo, alcançando assim o título de “Laureado do Prix de Lausanne”.

O Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sanchez destaca-se mais uma vez no panorama mundial pela excelência da sua formação, rigor na preparação e qualidade artística ao serviço de uma comunidade alargada e além-fronteiras, contribuindo para a formação integral dos jovens.

Castelo de Paiva | Governo avança para a fase de consulta pública

OBRAS DO IC35 E DA VARIANTE À EN 222 INCLUÍDAS NO PLANO DE RECUPERAÇÃO E RESILIÊNCIA

Gonçalo Rocha apela para um regime excepcional para simplificar procedimentos.

 Governo de Portugal colocou em consulta pública o Plano de Recuperação e Resiliência, uma estratégia de desenvolvimento apresentada como um plano ambicioso, de execução célere, rigorosa e transparente para recuperar a economia do nosso país, traduzido um apoio financeiro fundamental para o país e que vai incluir dois projectos essenciais para o progresso do concelho de Castelo de Paiva, nomeadamente a ligação da Variante à EN 222 até ao nó de Canedo da A32 e a conclusão IC35, de Eja a Penafiel, até 2026.

 


 Foi com grande satisfação que o presidente Gonçalo Rocha tomou conhecimento desta decisão do Governo de colocar, em consulta pública, o Plano de Recuperação e Resiliência, para ajudar o país a sair da crise provocada pela pandemia que nos atinge desde o ano passado. No total são quase 14 mil milhões de euros em subvenções e 2.700 milhões em empréstimos, financiados por Bruxelas, valores que devem ser aplicados de acordo com as prioridades do país, até 2026.

Uma das obras incluídas neste documento é o IC35, que integra a rubrica “Missing links e Aumento de capacidade da Rede” e que conta com a concretização das ligações Penafiel (EN15) - RansRans - Entre-os-Rios e Sever do Vouga-IP5(A25).

Recorde-se que, esta é uma obra há muitos anos prometida por anteriores governos, e reivindicada pelas populações dos concelhos de Castelo de Paiva, Cinfães, Marco de Canaveses e Penafiel, reclamando a ligação à auto-estrada A4, nomeadamente pelos empresários ligados à forte industria do sector da exploração de granitos.


No caso da Variante à EN 222 em Castelo de Paiva, trata-se do percurso entre a Área Empresarial de Lavagueiras, localizada em Pedorido, no extremo sul do concelho e o Nó de Canedo da A32/IC2, um troço numa extensão de cerca de 10 quilómetros.

Nesta fase, decorre o “Projecto de Execução da obra”, a cargo da Infraestruturas de Portugal (IP), sendo que esta intervenção vai permitir aproximar o Parque Empresarial dos principais eixos rodoviários, beneficiando o transporte de pessoas e mercadorias mais eficiente e segura. O traçado atravessa os concelhos de Santa Maria da Feira, Gondomar e Castelo de Paiva, visando promover a redução de tempos de percurso, desenvolver a conectividade e a intermodalidade, fomentar o crescimento económico e potenciar o emprego.

Gonçalo Rocha, edil de Castelo de Paiva, refere que esta é “uma excelente notícia, o momento e a oportunidade para o concelho e para a região, que não pode ser desperdiçada, daí o apelo de mobilizar o país como o mote para esta fase de desenvolvimento que é fundamental para alavancar a região “.

Agora não temos a justificação da questão financeira para as obras não avançarem, porque “ estamos a ser brindados com a solução financeira, que é essencial. Mesmo estando em processo de discussão pública, será seguramente incluído”, sublinhou o edil paivense, que destacou a importância de ser possível “ desbloquear a questão burocrática do processo e também a parte administrativa”, que espera que “seja célere”.

Neste seguimento, o presidente Gonçalo Rocha evidencia a importância da conjugação de esforços de todas as entidades, sublinhando que “ a batalha é conseguir que os prazos sejam encurtados para termos projectos prontos para lançar. Há muita matéria que se tem de conjugar, tem de haver uma grande mobilização do país para executar um quadro tão ambicioso. Temos de trabalhar de forma célere, porque é um passo gigante para alcançar o objetivo”.

Recorde-se que, antes de entregar o plano definitivo em Bruxelas, no início do próximo mês de Março, o Governo está aberto aos contributos dos principais parceiros sociais e económicos e da sociedade em geral, sendo que a fase de consulta pública vai durar duas semanas.

Com o financiamento das obras da Variante EN222 e o IC35, de Penafiel a Entre - os –Rios assegurado a 100% no Plano de Recuperação e Resiliência, o autarca paivense refere que o Primeiro Ministro António Costa e o Ministro da Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, fizeram um excelente trabalho, mostrando vontade de, por escrito, se congratular com esta excelente decisão, colocando em destaque, a necessidade urgente do avanço destes investimentos, e que para tal, seja adoptado um regime excepcional no País, de simplificação de procedimentos de contratação e de pareceres.

Mesmo sendo importante cumprir as regras e a transparência tida como fundamental e necessária, mas também é importantíssimo acelerar estes investimentos para o nosso território, porque este é um momento que deve mobilizar o País e todas as forças. O dinheiro está assegurado, que sempre fora problema, agora depende de todos os executar.

Carlos Oliveira

Nova legislação obriga a apresentação de requerimento para obtenção de isenção de derrama


As empresas que cumpram os critérios para obtenção de isenção do imposto de derrama devem apresentar requerimento para o efeito junto do Município, uma mudança de procedimentos resultante de uma alteração à Lei n.º 73/2013, que obriga os Municípios à aprovação de um regulamento para o efeito.

Anteriormente, a atribuição da isenção ocorria de forma automática, devendo agora as empresas em situação de beneficiar desta isenção apresentar o requerimento até ao dia 30 de abril (requerimento disponível em https://www.cm-leiria.pt/pages/215).
No caso do Município de Leiria, foi criado um Regulamento de Apoio ao Investimento e à Criação de Emprego no Concelho de Leiria "Leiria Investe", que estabelece de que forma as empresas podem beneficiar da isenção.

A elaboração deste regulamento decorre de uma alteração à Lei n.º 73/2013, de 3 de setembro, alterada e republicada pela Lei n.º 51/2018, de 16 de agosto, que estabelece o regime financeiro das autarquias locais e entidades intermunicipais, no âmbito dos poderes tributários conferidos aos municípios.

Esta Lei prevê, na alínea d) do artigo 15.º, por remissão para o disposto no n.º 2 do artigo 16.º, a possibilidade de os Municípios concederem isenções e benefícios fiscais, desde que a Assembleia Municipal, mediante proposta da Câmara Municipal, aprove o regulamento que integre os critérios e condições para o reconhecimento de isenções totais ou parciais, objetivas ou subjetivas, relativamente aos impostos e outros tributos próprios, o que no caso de Leiria já aconteceu.

O objetivo é incentivar o desenvolvimento local, contribuindo para a captação e fixação de empresas, emprego e investimento no concelho, promovendo os princípios gerais da atividade administrativa, em especial o da legalidade, igualdade, transparência, prossecução do interesse público.

Não obstante, e porque os incentivos previstos se destinam sobretudo a premiar investimento e criação de emprego no Município de Leiria, espera-se que os resultados do programa se traduzam, sobretudo, na realização de investimento estruturante e produtivo criando atratividade económica, riqueza e novas áreas de negócios e na criação de postos de trabalho diretos e indiretos.

De entre as receitas municipais, pela relevância que assumem ao nível das isenções a que alude a alínea citada, merecem especial menção o imposto municipal sobre imóveis (IMI) e o imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis (IMT), previstos, respetivamente, nas alíneas a) e b) do artigo 14.º, bem como a derrama, prevista na alínea c) do mesmo artigo, enquanto imposto municipal que incide sobre o lucro tributável das pessoas coletivas, cuja taxa é fixada anualmente pelos diferentes municípios.
No caso de Leiria, a isenção de derrama tem de ser sujeita candidatura sob a forma de requerimento remetido à Câmara Municipal até 30 de abril do ano seguinte a que o imposto diz respeito, podendo candidatar-se ao Programa “Leiria Invest” os sujeitos passivos de IRC que, à data da apresentação da candidatura, reúnam, cumulativamente, as condições de acesso referidas no artigo 11º do regulamento e formalizem a candidatura em formulário próprio juntando os documentos referidos no artigo 12º do mesmo documento.
Na prática, significa que os sujeitos passivos de IRC podem beneficiar de isenção total da derrama aplicada sobre o lucro tributável sujeito e não isento de IRC desde que cumpram um dos seguintes critérios: Volume de negócios igual ou inferior a 150.000,00 euros; ou volume de negócios superior a 150.000,00 euros, empresa sediadas no concelho e que, no último ano económico, tenham procedido à criação líquida no concelho de, pelo menos, 3 postos de trabalho.

O Regulamento pode ser consultado em https://www.cm-leiria.pt/cmleiria/uploads/writer_file/document/4735/regulamento_publicado_em_dr_10_marco_2020.pdf
O formulário "Requerimento Programa Leiria Invest" está disponível em: https://www.cm-leiria.pt/pages/215

Informações adicionais podem ser solicitadas através do e-mail economia@cm-leiria.pt 



Regantes europeus apresentam prioridades do regadio à Presidência Portuguesa da UE

Os regantes europeus, representados pela Irrigants d’Europe, apresentaram à Presidência Portuguesa da União Europeia as áreas de atuação prioritárias para um regadio sustentável, vital para assegurar a soberania alimentar e atingir a neutralidade carbónica da UE.

Numa reunião com a titular da pasta da Agricultura no Governo de Portugal e presidente do AgriFish- Conselho de Agricultura e Pescas da UE, Maria do Céu Antunes, os Irrigants d’Europe indicaram 4 pilares de atuação prioritários para o futuro do regadio na UE: Modernização de infraestruturas; Agricultura 4.0; Ecoesquemas; Mitigação das alterações climáticas e reutilização.

Entre as medidas apresentadas destacam-se: o uso de energias renováveis nos sistemas de regadio; a implementação da rega de precisão e tecnologias digitais para aumentar a produtividade da terra e melhorar a qualidade da água; o apoio a práticas sustentáveis na governança da água; a melhoria dos serviços de ecossistema fornecidos por infraestruturas de hidráulica agrícola; o aumento da capacidade de armazenamento de água e de regularização interanual nas bacias hidrográficas e o incentivo à reutilização de águas residuais tratadas na agricultura.

As áreas de regadio e de armazenamento de água são um motor de desenvolvimento económico e social dos territórios da UE e são indutoras de biodiversidade, ao contribuírem para um mosaico de usos diferenciados e complementares da água.

Os regantes europeus consideram que a Presidência Portuguesa do Conselho Europeu, durante a qual serão decididos importantes envelopes financeiros como o do Plano de Recuperação e Resiliência e da Política Agrícola Comum, é uma oportunidade única para afirmar a importância do regadio na produção sustentável de alimentos na Europa e no cumprimento das metas do Pacto Ecológico Europeu.

«Os regantes europeus estão totalmente empenhados em ajudar a atingir os objetivos apresentados pela Presidência Portuguesa do Conselho da UE para a Agricultura – desenvolvimento rural, segurança alimentar e inovação – e consideram que um regadio moderno e sustentável e um armazenamento de água resiliente contribuem para alcançar tais metas», afirmou José Núncio, presidente da Irrigants d’Europe e presidente da FENAREG- Federação Nacional de Regantes de Portugal. «A dinamização do regadio, com base em infraestruturas eficientes e em práticas que promovam os serviços de ecossistemas, responde aos desafios de uma Europa resiliente, digital e líder na ação climática», concluiu

Por seu turno, a presidente do AgriFish- Conselho de Agricultura e Pescas da UE, afirmou que «o regadio é absolutamente determinante» para cumprir as metas da Presidência Portuguesa da UE na área da Agricultura, e garantiu que a regulamentação da futura PAC, em discussão, «prevê a continuidade dos apoios ao regadio público coletivo e ao regadio eficiente (ao nível do agricultor), com financiamento a 100% nas estruturas coletivas, para podermos aumentar a ambição em termos da eficiência do uso dos recursos no contexto de um modelo mais focado no desempenho do que na conformidade das políticas».

No contexto das alterações climáticas, o regadio já não é apenas vital para os agricultores dos países do Sul da Europa. Os anos de seca consecutiva, entre 2018 e 2020, geraram avultadas perdas nas colheitas agrícolas dos países da Escandinávia, Dinamarca e Alemanha. «Os países do Norte da Europa já não precisam apenas de drenagem, mas também de rega para garantir a água necessária à produção das suas culturas agrícolas e à manutenção da biodiversidade no solo. Devido aos efeitos das alterações climáticas, estamos perante  uma perspetiva nova e diferente da gestão da água na UE, que deve ser considerada e apoiada no âmbito da futura PAC», alertou Adriano Battilani, secretário-geral da Irrigants d’Europe e responsável  da associação de regantes ANBI-Associazione Nazionale Consorzi di Gestione e Tutela del Territorio e Acque Irrigue de Itália.

Os regantes europeus apresentarão também as suas prioridades para o regadio ao Parlamento Europeu, à Comissão Europeia, a organizações europeias de agricultores e da indústria da água, como a COPA/COGECA, a EIA e a EUWMA, bem como aos respetivos Ministros da Agricultura e Parlamentos nacionais.

Federação preocupada com o futuro dos clubes

Vítor Félix lembra que a pandemia de Covid-19 tem causado “enormes dificuldades”, com os “problemas graves de tesouraria” a surgirem no topo das “dores de cabeça”

A Federação Portuguesa de Canoagem está “preocupada com o futuro dos clubes”, devido aos condicionalismos impostos pela pandemia de Covid-19, que tem provocado “enormes dificuldades”. “Os clubes não prestam serviços aos associados e aos atletas, o que gera problemas graves de tesouraria”, expressou Vítor Félix, antes de confirmar que, no que diz respeito ao financiamento de 2020, «o IPDJ [Instituto Português do Desporto e Juventude] e o COP [Comité Olímpico de Portugal] têm tudo em dia».

Apesar dos problemas causados pela pandemia no ano passado, o presidente da Federação Portuguesa de Canoagem assumiu que “2020 foi um ano em contraciclo em relação às outras modalidades”. “No que diz respeito ao número de praticantes, a canoagem tinha crescido, fruto de ser uma modalidade praticada ao ar livre e talvez também pelo facto de as provas do calendário nacional terem sido centralizadas em Montemor-o-Velho e terem decorrido sem problemas”, resumiu.

Decretado em meados de janeiro de 2021, o novo confinamento levou, a exemplo do ocorrido no ano anterior, ao adiamento de várias provas. “Até ao dia 15 de abril, o calendário nacional foi cancelado. Antecipando um cenário muito positivo, esperamos fazer a retoma a 23 de abril, com a realização da seletiva interna para o apuramento olímpico”, referiu Vítor Félix, antes de agradecer aos clubes filiados na Federação Portuguesa de Canoagem.

A canoagem é uma modalidade ao ar livre e podia ter continuado, mas a Federação aconselhou os clubes e a comunidade da canoagem a contribuírem, também, para o decréscimo de casos de contágio por Covid-19. Por essa razão, os clubes foram aconselhados a fechar”, realçou o dirigente federativo, logo enaltecendo o contributo também dado pela canoagem para a redução acentuada do número diário de casos registados nos últimos dias.

Equipa Nacional trabalha para Tóquio 2021

Mesmo com várias limitações impostas pela pandemia, a Equipa Nacional continua o seu trabalho. Fernando Pimenta, Joana Vasconcelos e o K4, constituído por Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, estão em estágio em Sevilha, na vizinha Espanha, país onde também treina Teresa Portela, mas em Pontevedra. Em Montemor-o-Velho, Marco Apura, Bruno Afonso e Francisca Laia mantêm-se focados, assim como Norberto Mourão e Floriano Jesus.

“O trabalho não pode parar”, sublinhou Vítor Félix, que logo realçou que “não há alterações na preparação” para Tóquio 2021, antes de acrescentar, sobre a realização dos Jogos Olímpicos, que “não há nenhuma certeza”. “Mas os indicadores são muito positivos. O COP, o COI [Comité Olímpico Internacional] e a organização dizem que vão realizar-se, com ou sem Covid-19, com ou sem público”, prosseguiu, apontando a descida do número de casos e a vacinação como dois dados que reforçam o otimismo.

Depois da seletiva nacional de apuramento das quotas de Portugal a 23 de abril, os atletas da Seleção Nacional vão discutir, entre 12 e 16 de maio, em Szeged, na Hungria, “mais algumas quotas europeias para os Jogos Olímpicos e para os Jogos Paralímpicos”. Sobre estes atletas pertencentes à elite do desporto português, o presidente da Federação Portuguesa de Canoagem defendeu a importância de “poderem ser vacinados o mais breve possível”.