quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Oliveira de Azeméis: GNR apreende armas em contexto de violência doméstica

 A GNR de Aveiro, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de São João da Madeira, no dia 5 de dezembro, apreendeu diversas armas e munições num processo por violência doméstica, na localidade de Carregosa, no concelho de Oliveira de Azeméis.

No âmbito da investigação de um processo de violência doméstica, os militares da Guarda apuraram que um homem de 32 anos exercia violência verbal, psicológica e física contra a ex-companheira de 33 anos. Após terminar o relacionamento, o agressor foi residir com o pai, de 63 anos, que tinha na sua posse diversas armas, duas das quais proibidas. Foi realizada uma busca domiciliária, tendo sido apreendido o seguinte material:

·Uma arma de caça de calibre 12;

.Uma arma de ar comprimido;

·Uma navalha de abertura automática (borboleta);

·Uma navalha ponta-e-mola;

·Diversos cartuchos e munições de vários calibres.

O homem de 63 anos foi ainda detido por posse de arma proibida, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis.

Aluna da UC integra World Toilet Organization

Bruna Coelho, aluna do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências  e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), e membro da rede de pesquisa internacional Sci-Tech Asia , acaba de ser convidada para integrar a equipa da World Toilet Organization (WTO), a maior organização não-governamental (ONG) mundial dedicada a melhorar as condições sanitárias e a qualidade dos sanitários em todo o globo.

Fundada em 2001, a WTO tem hoje mais de 150 organizações afiliadas em mais de meia centena de países.  Esta ONG promove anualmente a World Toilet Summit, um importante evento mundial dedicado ao saneamento básico, e iniciou o movimento que levou à criação do Dia Mundial da Casa De Banho das Nações Unidas celebrado a 19 de novembro.

Bruna Coelho está atualmente a desenvolver um projeto de mestrado de antropologia social-cultural na FCTUC, sob orientação do docente Gonçalo D. Santos, intitulado “Sanitários Públicos no Feminino: Análise do Movimento Internacional da Adaptação das Diretivas de Género nas Casas de Banho Públicas”.

Este projeto, explica a aluna, «explora o movimento internacional pela adaptação de diretivas de género no design e na manutenção de casas de banho públicas, propondo uma análise inovadora da situação dos sanitários públicos urbanos em Portugal. Se mais de metade da população global ainda vive sem saneamento seguro, também é verdade que a situação dos sanitários públicos em países afluentes como Portugal está longe de responder às ansiedades dos seus utilizadores, especialmente as mulheres».

O trabalho é pioneiro, acrescenta o orientador, «na forma como utiliza metodologias etnográficas para dar voz ao ponto de vista das mulheres portuguesas e suas sugestões sobre como se pode tornar as casas de banho públicas num espaço mais feminino».

O estágio de Bruna Coelho na WTO faz parte do seu projeto de mestrado. «É uma oportunidade única para estudar de perto o universo de investigação e ativismo em WASH (Water, Sanitation and Hygiene), e desenvolver contactos preciosos com especialistas de todo o mundo», acredita.

Bruna Coelho vai estar a trabalhar com o atual presidente da WTO, Jack Sim, o magnata da indústria de construção que tem dedicado muito da sua vida ao melhoramento das casas de banho um pouco por todo o mundo.

Cristina Pinto

Cantanhede | Em três escolas sob tutela do Ministério da Educação

Câmara de Cantanhede avança com candidaturas para remoção de fibrocimento

O Município de Cantanhede apresentou três candidaturas destinadas à obtenção de financiamento para a remoção das coberturas de fibrocimento que ainda se encontram em três estabelecimentos de ensino do concelho, designadamente a Escola Secundária Lima de Faria, em Cantanhede, a Escola Básica Carlos de Oliveira, em Febres, e a Escola Básica e Secundária João Garcia Bacelar, na Tocha.

Há muito que a Câmara Municipal aguardava a abertura de uma linha de apoio comunitário que possibilitasse a realização das intervenções, uma vez que se tratam de escolas sob tutela do Ministério da Educação e não faria sentido a autarquia realizar obras em edificações que não lhe pertencem. Mas logo que, na sequência de um protocolo subscrito pela presidente da Câmara Municipal, Helena Teodósio, e o ministro Tiago Brandão Rodrigues, o Programa Operacional Centro 2020 passou a contemplar financiamento para a remoção das coberturas de fibrocimento, o executivo camarário cantanhedense não perdeu tempo e avançou com três candidaturas num valor total que ascende a mais de 150 mil euros.

Esta é uma excelente notícia para as comunidades escolares, na medida em que passam a existir condições para que os edifícios escolares a intervencionar venham a cumprir efetivamente a legislação em vigor em matéria de segurança”, afirma a autarca, lamentando “a circunstância de mais de 1300 crianças do meu concelho, além de professores e funcionários, ainda estarem expostas a ambientes considerados nocivos para a saúde”.

 A autarca lembra que “há alguns anos a Câmara Municipal promoveu a substituição das coberturas de fibrocimento na Escola Básica Marquês de Marialva, em Cantanhede, e desde essa altura que esperávamos que tivessem sido criadas condições para que avançássemos com intervenções idênticas na Escola Secundária Lima de Faria, na Escola Básica Carlos de Oliveira e na Escola Básica e Secundária João Garcia Bacelar”, sublinhando que, “incompreensivelmente, o problema se arrastou por demasiado tempo”. Segundo Helena Teodósio “o município tem investido muito na qualificação da rede educativa que é da sua responsabilidade e alimentávamos a expetativa de que o Ministério da Educação tivesse procedido de igual modo nos estabelecimentos que lhe pertencem relativamente a esta questão da segurança, o que de resto era o mínimo exigível. Pugnámos muito por isso e agora que há condições para avançar com as obras, vamos resolver o problema o mais rapidamente possível”, conclui.

Relativamente às obras a realizar, numa primeira fase serão efetuadas as medições e análises de controlo de fibras de amianto por laboratório credenciado, após o que será feita a remoção das coberturas, recorrendo para o efeito à utilização de equipamentos de proteção individual apropriados ao manuseio desse tipo de materiais, bem como à mobilização de uma Unidade Móvel de Descontaminação. Uma vez que se trata de material perigoso para a saúde pública, a sua total remoção será efetuada nos termos da legislação em vigor, incluindo todos os trabalhos necessários a um perfeito acabamento em conformidade com o previsto no mapa de medições, peças desenhadas e caderno de encargos.

Os projetos de requalificação preveem a substituição de 2276 m2 de cobertura por placas metálicas em painel "sanduíche", tipo ERFI, constituídas por chapa perfilada de aço galvanizado termolacado. A nova cobertura será aplicada sobre a estrutura existente, através de método de fixação compatível e deverão ser colocados todos os acessórios necessários incluindo cumes e remate de beirado.

 

André Pereira apresenta livro “Lágrima” na Biblioteca Municipal de Leiria

O leiriense André Pereira apresenta, esta sexta-feira, dia 11 de dezembro, às 18 horas, na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, em Leiria, o seu primeiro romance "Lágrima".

Um filho morre e os pais choram. Nesta história, o filho é Tomás e os pais são Clara e Afonso. Ela chora como uma mãe deve chorar a morte de um filho, ele ri como se a morte de um filho tivesse graça.

Este é o ponto de partida de “Lágrima”, o primeiro romance de André Pereira, natural dos Marrazes, reeditado este ano com ilustrações de Sara Vieira, natural do Alqueidão da Serra.

Depois de ter esgotado a primeira edição, o autor decidiu convidar a sua amiga Sara para acrescentar algo à edição seguinte. Ela aceitou e, juntos, criaram um livro quase novo, mantendo o texto, alterando a sua forma de o ler. Uma obra diferente daquela apresentada na primeira edição, com outra roupa, com outra cara, mas com a mesma voz.

Nas palavras do autor " O André sente, escreve e brinca”.

Enquanto argumentista, escreveu para televisão (5 Para a Meia-Noite, Bem-vindos a Beirais), rádio (O Tal País, de Herman José) e teatro (Outra Coisa e Que Vem do Latim).

É autor de dois solos de stand-up comedy (Pensamentos, Palavras, Actos e Omissões e Humor Amor) e dos projetos O Que Te Quero Dizer, com que escreve cartas e retratos a desconhecidos, e Mal Por Mal, uma tira de banda desenhada sobre a actualidade. Tem crónicas assinadas no Público P3 e, na estante, dois livros da sua autoria (pequenas estórias de muitas vidas e Lágrima) e três como ghostwriter. Tudo o que tenha arte, riso e tripas de fora também tem o André. Sentindo, escrevendo e brincando".

A sessão terá o limite de 10 participantes e serão cumpridas todas as regras da DGS

O livro estará à venda na Livraria Arquivo, FNAC Leiria e nas páginas do autor:

www.andre-pereira.com

www.facebook.com/andrefilipereira

www.instagram.com/an.drepereira

Agora falo eu! - Jovens de Leiria à conversa sobre o impacto da pandemia nas suas vidas


No próximo dia 15 de dezembro, pelas 18h00, jovens das escolas secundárias do concelho de Leiria estarão à conversa com a jornalista Diana Duarte sobre o impacto da pandemia nas suas vidas. 

Inserido no Projeto Educativo Municipal – Leiria Concelho Educador, este fórum - Agora falo eu! - pretende criar um espaço dedicado a dar voz aos jovens e ao modo como enfrentam e lidam com a pandemia no seu quotidiano. 

A mediação da conversa estará a cargo da jornalista da RTP e Antena 3 Diana Duarte, natural de Leiria, que tem participado em várias iniciativas sobre o papel das novas gerações na sociedade. 

Agora falo eu! estará acessível a toda a comunidade educativa e público em geral através da página do facebook do Município de Leiria.

Perito da UC participa na elaboração de plano estratégico para os serviços médico-legais e forenses da Líbia

O professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), Duarte Nuno Vieira, encontra-se na Líbia a participar na elaboração de um projeto de desenvolvimento dos serviços médico-legais e forenses daquele país que garanta o pleno respeito pelos direitos humanos.

A deslocação integra-se numa ação conjunta do Gabinete para as Drogas e Crime das Nações Unidas (UNODC) e da Missão de Apoio Fronteiriço da União Europeia na Líbia (EUBAM-Lybia), no âmbito de um projeto mais vasto que visa o combate ao tráfico de seres humanos e às redes criminosas de contrabando de migrantes no Norte de África.

Em concreto pretende-se elaborar um plano estratégico - a curto, médio e longo prazo - que defina as prioridades e as ações efetivas suscetíveis de permitirem a concretização de perícias médico-legais e forenses confiáveis e cientificamente sólidas, para apoio às investigações criminais na Líbia.

Na sequência da queda do regime de Kadhafi, em 2011, «a Líbia tem vivenciado um contexto contínuo de agitação política e institucional, associado a significativos problemas de segurança. Estas circunstâncias favoreceram uma competição intensa pelo poder que conduziu, em 2014, a uma polarização política, com a criação de dois governos rivais, no leste e oeste da Líbia. A segurança tem estado assim fragmentada e politizada, dominada pela competição entre redes e unidades diversas, verificando-se um aumento de atividades do crime organizado, assim como a presença de grupos terroristas», contextualiza Duarte Nuno Vieira.

Assim, afirma o especialista forense da FMUC, «sendo as perícias médico-legais e forenses absolutamente essenciais para o apoio ao processo de justiça criminal, este projeto visa ajudar a estabelecer um setor médico-legal e forense eficiente e profissional, que garanta, simultaneamente, o pleno respeito pelos direitos humanos e pelo Estado de direito».

No âmbito desta deslocação, o especialista da FMUC vai ainda prestar apoio no processo de identificação de corpos encontrados em valas comuns e participar no delineamento de cursos de capacitação forense, de índole internacional, visando a formação e qualificação dos profissionais forenses daquele país.

Estes cursos poderão vir a ser concretizados com o apoio do Centro de Investigação e Formação Forense em Direitos Humanos e Ação Humanitária (Coimbra University Centre for Humanitarian and Human Rights Forensic Research and Training) da FMUC, do qual Duarte Nuno Vieira é diretor executivo.

Este centro, que reúne especialistas internacionais de reconhecido mérito, «é uma plataforma internacional que pretende vir a ser uma referência global no âmbito da aplicação das Ciências Forenses à ação humanitária e aos direitos humanos, ajudando governos, organizações intergovernamentais e ONG’s em todo o mundo, através da prestação de serviços periciais, serviços de consultoria, investigação e formação forense», refere ainda o catedrático da FMUC. 

Cristina Pinto

Câmara aprova Projeto de Execução para Centro de Negócios de Leiria e Centro Associativo Municipal no Topo Norte do Estádio


O projeto de Execução para Centro de Negócios de Leiria e Centro Associativo Municipal no Topo Norte do Estádio, que corresponde à última fase de projeto, foi aprovado esta quarta-feira em reunião de Câmara, com votos favoráveis dos eleitos do PS e abstenção dos eleitos do PSD.

Esta decisão surge na sequência da aprovação, em Abril deste ano, de uma alteração ao projeto-base de forma a dotá-lo das infraestruturas que o tornem atrativo ao investimento na área das novas tecnologias, espaço que passará ainda a acolher um centro de artes e indústrias criativas.

No que diz respeito ao Centro de Negócios de Leiria, a grande alteração passou pela instalação de um piso técnico essencial para permitir a instalação de empresas de matriz tecnológica, destacando-se ainda uma alteração na fachada interior do Estádio, de forma a permitir a visualização do relvado e a criação de uma zona de lazer.

O projeto de execução para o Topo Norte, em que foi necessário efetuar um reforço das medidas de segurança, contempla ainda um Centro de Artes que estará dotado de excelentes condições para a atividade cultural, com um piso destinado para a prática de Dança, outro para a Música e um terceiro para a prática de Artes Performativas e Artes Plásticas.

Quanto à Torre Nascente, após um longo processo negocial com vista à alienação deste espaço à Autoridade Tributária, esta instituição acabou por recuar, passando a pretender o arrendamento do mesmo, mas numa área inferior à inicialmente pretendida.

Com este investimento, pretende-se a conclusão de todo o Edifício do Topo Norte do Estádio Municipal de Leiria, para além da Torre Nascente a alienar às Finanças, dando-lhe um uso compatível e que potencie a utilização do equipamento, contribuindo para a sua sustentabilidade, numa área de intervenção de 26.573,00 m2.

O projeto de execução passa a ter uma estimativa de custos de 12.995.262,29€, acrescido de IVA, que corresponde ao valor da estimativa do projeto base aprovado em abril deste ano sem qualquer desvio.

Com esta aprovação, estão reunidas as condições para apresentação de candidatura a fundos comunitários até ao final do ano. De referir ainda que este investimento, para além da captação de investimento, fixação de empresas e criação de postos de trabalho, irá gerar retorno financeiro para o Município pelo aluguer de espaços às empresas que ali se instalarem.

Este é um grande investimento reprodutivo do Município de Leiria, um projeto mobilizador alinhado com uma estratégia que visa colocar Leiria entre os municípios melhor posicionados para a digitalização da economia.

Município de Leiria apoia economia com 870 mil euros através de Fundo de Emergência Empresarial e redução de taxas


O Município de Leiria aprovou esta quarta-feira um conjunto de medidas extraordinárias de apoio à economia, no valor de 870 mil euros, através da criação de um Fundo de Emergência Municipal de Apoio Comercial e Empresarial “Leiria Protege”, 375 mil euros, e uma alteração ao Regulamento e Tabela de Taxas que se traduz numa redução de cerca de 500 mil euros na cobrança de taxas ao sector económico no próximo ano. 

Esta medida surge enquadrada na estratégia de resposta do Município de Leiria face à crise gerada pela pandemia Covid-19 no tecido económico do concelho. 

No caso do Fundo de Emergência Municipal de Apoio Comercial e Empresarial “Leiria Protege”, o processo passa pela aprovação de um regulamento que estabelece as regras para atribuição de apoios financeiros a fundo perdido para microempresas, sob candidatura, sendo ainda submetido à Assembleia Municipal de Leiria e posteriormente publicado no Diário da República. 

Quanto ao Regulamento e Tabela de Taxas, esta alteração excepcional inclui a possibilidade de isenção das taxas mediante requerimento relativas à publicidade, taxas de ocupação de espaço público, estacionamento até 10 de Janeiro de 2021 e taxas de terrado da feira do levante e do sector têxtil do mercado grossista “O Falcão”, o que perfaz um total de €392.000. 

Será ainda concedida a redução de 50% das rendas dos espaços municipais, redução de 50% do pagamento de encargos decorrentes da utilização de espaços municipais para instituições com fins lucrativos ou com fins comerciais e isenção do pagamento de encargos decorrentes da utilização de espaços municipais para instituições sem fins lucrativos, o que corresponde a um total de reduções/isenções da utilização de espaços, num total de €105.000.



PROJECTOS SOLIDÁRIOS “FECHADA, MAS DE PORTA ABERTA” E “. DE PARTIDA!” RECEBEM NESTA QUADRA DO NATAL CONTRIBUTOS DO LFITNESS HEALTH CLUB

Nesta quadra do natal que já se começou a viver, os projectos solidários desenvolvidos pela Direcção Geral da Associação de Solidariedade Social Sociedade Columbófila Cantanhedense, “Fechada, mas de Porta Aberta”, que diariamente distribuiu bens alimentares pelas famílias que vem acompanhando nos últimos anos e o Projecto de Cooperação “. de Partida!”, que regularmente envia para Cabo Verde, bens para as famílias, igualmente acompanhadas pelos seus parceiros, vão beneficiar da campanha solidária, “JUNTOS continuamos A AJUDAR”, promovida pelos ginásios do grupo LFitness Health Club, sediados nas cidades de Cantanhede e Oliveira do Bairro. 

Os clientes daquele grupo estão a ser convidados a deixar os seus contributos na recepção dos clubes até ao dia 15 de janeiro, nomeadamente vestuários, brinquedos, produtos alimentares, entre outros. 

Sedeados em Cantanhede e Oliveira do Bairro, os Ginásios LFitness Health Club, para além de proporcionarem aos seus clientes um acompanhamento físico e nutricional, adaptado a todas as idades, realizado por técnicos especializados, disponibilizam ainda treinos individuais e aulas de grupo desde Cycling, Zumba a Pilates, entre outras.

Ampliação do Centro Cyclin’Portugal para Sede do BTT de Manteigas

Obra adjudicada 

Na sequência de consulta prévia a empreiteiros locais e regionais, saiu vencedora a proposta de António José Gaspar Correia, pelo valor total de adjudicação de 58.246,63 €. 

A empreitada consiste na ampliação do edifício do Centro de BTT de Manteigas, agora designado pela Federação Portuguesa de Ciclismo como Centro Cyclin’Portugal, dotando-o com um salão multiusos, um escritório e instalações sanitárias de apoio. 
Situado no Parque da Várzea o edifício é ponto de partida e chegada de vários percursos de acordo com níveis de dificuldade, categorizados em fácil, difícil, acessível e muito difícil, num total de 150km. 

A modalidade de BTT, e de ciclismo em geral, trazem ao nosso concelho milhares de pessoas por ano, sendo o Grupo de BTT de Manteigas um dos mais antigos do nosso país. 

O prazo da obra é de 180 dias.

Ansião | Câmara lança iniciativa de apoio ao comércio local


O Município de Ansião, através do Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Económico e do pelouro do Turismo, lança este ano a iniciativa Natal é no Comércio Local, com o objetivo de promover e revitalizar o comércio no concelho. 

A iniciativa, que representa um investimento da autarquia superior a cinco mil euros, pretende apoiar os empresários e comerciantes do concelho, afetados significativamente pela crise financeira decorrente da situação sanitária que se tem vivido nos últimos meses. 

Apelando e sensibilizando a população para fazer compras nos estabelecimentos comerciais do concelho, por cada dez euros de compras, o cliente ganha um cupão que o habilita a prémios que vão dos 100 aos 1000 euros, materializados em vales de compras a utilizar igualmente no comércio local. 

A iniciativa decorre de 8 de dezembro de 2020 a 8 de janeiro de 2021, e o sorteio será feito publicamente no dia 15 de janeiro. 

As Normas de Funcionamento e a ficha de inscrição dos estabelecimentos aderentes encontram-se disponíveis no portal da autarquia.

EXPOSIÇÃO “JOÃO DE DEUS – O POETA DAS LETRAS” TERMINA ITINERÂNCIA EM SILVES


A exposição “João de Deus - O Poeta das Letras”, inserida na programação cultural das Comemorações dos 190 Anos do Nascimento de João de Deus, termina a sua itinerância no Largo do Município, em Silves, onde estará patente até ao dia 31 de Dezembro.

Esta mostra biobibliográfica de rua conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

A exposição esteve presente nas freguesias de São Bartolomeu de Messines (março), Armação de Pêra (julho e agosto), Alcantarilha (setembro) e Algoz (outubro), com o objetivo de promover o conhecimento da Vida e Obra de João de Deus.

Através das estruturas expositivas é dada a oportunidade aos visitantes de conhecerem o trabalho poético e pedagógico de uma das mais ilustres personalidades da História de Portugal.

A conceção e criação da exposição estiveram a cargo da empresa Bairro dos Livros, contando com a especial participação da ilustradora Joana Estrela.

O Município de Silves relembra para a importância da adoção de comportamentos responsáveis e recomenda o cumprimento das orientações emanadas pela DGS.

CÂMARA MUNICIPAL APOIA A RESTAURAÇÃO OFERECENDO ENTREGAS AO DOMICÍLIO


A Câmara Municipal de Torres Vedras irá apoiar o setor da restauração, suportando os custos associados às entregas ao domicílio das refeições confecionadas pelos restaurantes locais. A medida será aplicada a partir de dia 12 de dezembro para fazer face às restrições impostas pelo novo Estado de Emergência estabelecido pelo Decreto nº11/2020, de 6 de dezembro.

Os restaurantes interessados em aderir devem fazer o registo gratuito na plataforma restaurantes-tvedras.pt. Esta plataforma centraliza num único local a oferta de restauração do Concelho, permitindo aos clientes consultar a ementa, o horário de funcionamento, a morada, os contactos e os serviços de entrega ao domicílio disponíveis em cada estabelecimento.

A entrega ao domicílio das encomendas será gratuita para os clientes, sendo assegurada por duas plataformas: a UberEats, que opera na Cidade e zona limítrofe, e a IzzyMove, que opera em todo o Concelho.

Os clientes que pretendam recorrer à UberEats devem realizar a encomenda na plataforma online deste serviço e utilizar o código promocional “CMTORRESVEDRASFD”. Os restaurantes já aderentes à UberEats serão contactados pela plataforma para se associarem a esta campanha e os restaurantes que queiram aderir a este serviço devem remeter esse pedido para o e-mail empresas@cm-tvedras.pt.

No caso de entregas através do serviço IzzyMove, os clientes devem fazer o seu pedido para o restaurante, indicando o nome, a morada para a entrega e contacto telefónico. As entregas deste serviço são realizadas recorrendo a táxis. 

Os valores cobrados aos restaurantes pelos serviços da UberEats e IzzyMove serão depois reembolsados pela Câmara Municipal de Torres Vedras. Esta campanha decorre durante o mês de dezembro ou até ser atingido o montante global de 25 mil euros. Para qualquer esclarecimento adicional, os restaurantes devem entrar em contacto através do e-mail empresas@cm-tvedras.pt.

PRESIDENTE DA REPÚBLICA PRESIDE À CERIMÓNIA DE ENCERRAMENTO DAS COMEMORAÇÕES DO 190.º ANIVERSÁRIO DE JOÃO DE DEUS

 

A cerimónia de encerramento das comemorações dos 190 anos do nascimento de João de Deus será presidida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Esta sessão decorrerá no próximo dia 14 de dezembro, no auditório Francisco Vargas Mogo, em SB Messines, e integrará diversas atividades literárias e culturais em homenagem ao pedagogo e poeta, filho da terra, de reconhecido mérito nacional e que será para sempre recordado como uma das mais eminentes figuras do seu tempo e de toda a literatura e pedagogia portuguesas.

 

Neste contexto, o final desta tarde será, então, marcado pela cerimónia de encerramento das comemorações iniciadas em janeiro – sob a chancela da Presidência da República - e interrompidas em março último, devido à pandemia por COVID-19, e que, gradualmente o município tem vindo a repor, em total observância e cumprimento das medidas e normas emanadas pela DGS. Esta sessão contará com as intervenções do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e da Presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma.

 

Da cerimónia farão, também, parte duas apresentações: uma do livro infantil “Fábulas de João de Deus”, ilustrado por Marta Jacinto, e outra da obra “João de Deus - Imortal e intemporal”, um estudo historiográfico, da autoria de Maria João Raminhos, editado pela autarquia em parceria com a editora Colibri. A sessão contará, ainda, com apontamentos musicais pelo projeto Guitarras de Fado.

 

O programa comemorativo terminará em Silves, pelas 21h00, com o concerto “Se eu fosse uma Nuvem João de Deus Revisitado”, pela Lisbon Poetry Orchestra, que terá lugar na Praça Al-Muthamid. O espetáculo, produzido em exclusivo para estas comemorações, pretende revisitar a obra do poeta, entrosando a sua lírica à do seu amigo íntimo Antero de Quental e trançando, simultaneamente, uma trajetória entre o passado, o presente e o futuro da poesia e o próprio percurso da Lisbon Poetry Orchestra, numa homenagem à palavra dos poetas Jorge de Sena, Sophia de Mello Breynner Andresen, ao surrealista António José Forte e à novíssima poesia de Cláudia R. Sampaio.

 

Todas as iniciativas serão transmitidas em livestream através do facebook do Município de Silves.

 

 

 

Para onde conduz a eleição americana

Sobre as eleições americanas de 2020, uma pergunta crucial: o “moderado” Joe Biden conduzirá os EUA à comunistização?

  • John Horvat II*

Entre os conservadores americanos, as recentes eleições transcorreram num clima de vaga defesa dos princípios cristãos, em um mundo cada vez mais paganizado. De acordo com os resultados apurados, nenhum dos dois lados prevaleceu. De fato, no mapa eleitoral nacional dos condados [os estados americanos são divididos em condados, equivalentes aproximadamente aos nossos municípios] permanece o mesmo vasto mar vermelho dos republicanos no centro (o mundo rural americano), com ilhas urbanas azuis dos democratas, que se repetem desde a eleição presidencial do ano 2000.

Este tem sido o curso da política norte-americana durante longo tempo, e em sua maior parte os eleitores veem as eleições como uma maneira de continuar vivendo como sempre viveram. Os EUA continuam produzindo eleições-gangorra — ora para a esquerda, ora para a direita — que ao longo do tempo acabam se compensando mutuamente, num espetáculo de frustração e polarização, mas sempre deslizando rumo à esquerda.

A América precisa mudar

As eleições deste ano apresentaram aspectos diferentes das anteriores, quebrando o processo político que costumava manter as coisas como sempre estiveram. As pessoas não conseguem mais concordar com as outras, ainda que em questões das mais comezinhas. Viverem juntas, numa nação dividida, vem se tornando muito difícil, para não dizer quase impossível. E a mensagem das eleições é que os americanos não podem mais viver como sempre viveram, precisam mudar.

Contudo, as mudanças propostas aos eleitores pela esquerda revelam uma agenda radical neopagã, que ataca frontalmente os valores cristãos ainda vigentes. A se manter o embate no campo político, o confronto de ideias irá tão-só num crescendo, até que acabará por arruinar o país.

Mudança moral necessária

As mudanças políticas habituais — ora para um lado, ora para o outro — não mais adiantarão. Basta considerar o grande número de americanos que votaram por candidatos que defendem: o aborto até o momento do parto; cirurgias transgênicas para menores; legalização da maconha, e até mesmo de drogas pesadas. Todas essas medidas vêm entrando dia após dia nos costumes da vida americana, transformando-a per diametrum. Favorecem sempre o mundo paganizado, que a esquerda idolatra.

Qual será então o rumo dos acontecimentos? A guerra de culturas continuará, a batalha pelos corações e mentes prosseguirá. Os americanos honestos têm a obrigação de recordar aos seus renitentes conterrâneos que o problema do país é principalmente moral; e uma profunda mudança cultural será necessária, caso se queira resolver a presente crise moral. Os americanos devem se convencer de que necessitam mudar pessoalmente o seu modo de ser, passando a outro que reflita as normas cristãs. E assim agindo, convergirem todos para uma vida virtuosa, única maneira de se chegar à harmonia social. Caso contrário, acabarão por corromper o que ainda resta de sadio na sociedade, corroído pela atual cultura hipertrofiada pelo sexo e pelo materialismo, destruindo vidas e famílias.

Os americanos não podem mais continuar vivendo como sempre viveram, pois a sociedade está cada vez mais concessiva à vida de pecado, destruindo o bem comum. A conversão aos Dez Mandamentos e aos princípios cristãos é a única solução, só isso pode frustrar os esforços da esquerda em “converter” o mundo à tirania socialista.

Onde entra Fátima nas eleições

Para os católicos, este apelo à conversão já é bastante conhecido, pois corresponde à mensagem de Nossa Senhora em 1917, advertindo em Fátima a humanidade para o desastre que viria num momento difícil, posterior ao grande conflito político da Primeira Guerra Mundial. Referindo-se aos “erros da Rússia”, o perigo indicado era o mesmo que agora ameaça o nosso país.

Contudo, a Mãe de Deus não nos trouxe um programa político, e a política não resolveu os problemas de um mundo em guerra. Pedia oração, penitência e emenda de vida, pois Deus já estava por demais ofendido, e o mundo não deveria continuar vivendo no pecado. O pedido de mudança de rumos foi veemente, e um ponto crucial dele foi a consagração formal da Rússia ao Coração Imaculado de Maria — o que, aliás, ainda não foi atendido.

Agora os EUA terão de enfrentar uma múltipla crise: a covid-19; a agitação social; a incerteza econômica; e uma agenda socialo-comunista radical — o que redundará em implicações políticas muito sérias. Todavia, essas ameaças extrapolam o poder dos políticos para resolvê-las. A única solução é o país se voltar para Deus, para Quem nada é impossível. Eis a grande lição de Fátima aplicável às recentes eleições.

Joe Biden vai comunistizar os EUA?

Não se sabe até que ponto é confiável o compromisso, publicamente assumido por Joe Biden, de “controlar os socialistas cabeças quentes” que se apoderaram do seu partido.

Há um segundo aspecto das eleições que deve ser considerado. Com a nação tendo de enfrentar todas essas ameaças existenciais, deveria ter havido um embate de grandes ideias sobre temas importantes, tais como a necessidade dos valores tradicionais familiares, o perigo das ideias comunistas e a falta de lei e ordem.

Acontecimentos patéticos centrados nesses assuntos pediam soluções ancoradas em princípios sólidos, e esses temas deveriam ter sido levantados nos debates. Entretanto, os eleitores não obtiveram o debate que mereciam. Os liberais e a mídia conduziram as eleições como uma competição de personalidades, como se tudo dependesse de temperamentos e simpatias.

O Partido Democrata evitou lançar como seu candidato quem pudesse assustar o público, como a exasperante Elizabeth Warren e o abrasivo Bernie Sanders, substituindo-os pelo ex-vice-presidente Joseph Biden, com pouca personalidade e discurso atraente para os moderados. No lado oposto, os maneirismos do Presidente Trump, um tanto atrevidos, amedrontaram muitos já golpeados pela crise da covid-19, pelas desordens públicas e pela incerteza econômica. Havia muita procura por uma saída fácil.

O nascimento da opção Biden

A narrativa da mídia defendeu a tese de que o sóbrio Biden, abrigado no seu escritório do porão, manteria as coisas como elas sempre foram. Prometia levar as coisas para a esquerda, mas devagarinho. Traria uma enxurrada de dinheiro do governo para um país em crise. Tornaria tudo moderado, não deixaria sua fé católica influenciar qualquer de suas decisões, mesmo quando envolvessem sérios problemas morais, como o aborto sob pedido ou o “casamento” de pessoas do mesmo sexo.

Assim nasceu a opção Biden, que devolveria a moderação ao país. O ex-vice-presidente garantiu aos eleitores que controlaria os socialistas cabeças-quentes, que tinham tomado conta de seu partido. Pensaria cuidadosamente antes de encher os tribunais ou fazer qualquer coisa mais radical. Se os democratas perderem as eleições finais para o Senado na Geórgia, em janeiro próximo um fraco e envelhecido Biden teria assim uma desculpa para resistir aos democratas radicais. Biden poderia então ser Biden, e não uma marionete da esquerda. Desta forma, a opção Biden seria uma escolha mais que otimista, com a qual todos viveriam felizes para sempre.

Diante de um mundo de incertezas, a opção Biden representava o que alguns pensaram ser a segurança da mediocridade: evitava movimentos abruptos que poderiam assustar os eleitores; oferecia a eles a ilusão de um sonho de olhos abertos; qualificava-a como a melhor solução possível; e ignorava os piores cenários do horizonte.

Como funciona o mundo real

O mundo real não funciona de acordo com hipóteses tão inocentes. A opção Biden contém em si todo o potencial para um desastre, muito além da imaginação de eleitores despreocupados que tentaram achar uma saída fácil. No caso de os democratas vencerem as eleições eliminatórias para o Senado, a esquerda radical poderia ter um cheque em branco para tocar sua agenda legislativa: anistia e cidadania para todos os 16 a 29 milhões de imigrantes ilegais; o new deal verde; transformar em estados Porto Rico e o Distrito de Colúmbia (nele está localizada a capital Washington); uma revolução climática histérica, que subverteria o American way of life; e também encher de esquerdistas a Suprema Corte.

Mesmo considerando sua pessoa “moderada”, Biden prometeu desfazer todas as mudanças da administração Trump. Os EUA retornariam ao Acordo Climático de Paris. Em todos os importantes assuntos sociais, se oporá às leis morais que devem governar as ações humanas, entre as quais as restrições anti-aborto até o nono mês de gestação. Será uma oposição aos esforços de incontáveis americanos, que batalharam duramente para erradicar este grande pecado coletivo contra a Lei de Deus. Como vice-presidente, em 2016, ele manifestou aprovação à nova lei de “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. Se assumir o cargo, sem dúvida será um dos presidentes mais anticatólicos da história.

Uma vice-presidente radical

No currículo político de Kamala Harris nada há de moderado, e deve-se admitir que ela sempre favorecerá os radicais – como vice, ou eventualmente como presidente.

Muitos eleitores moderados não se dão conta de que Biden escolheu, para compor a sua chapa como vice-presidente, a senadora mais radicalmente esquerdista. Não há nada de moderado em Kamala Harris, que sempre favorecerá a posição mais radical. Não se pode esquecer a possibilidade de um presidente com mais de 78 anos não poder concluir o mandato, especialmente sabendo-se que ele já mostrou sinais de fraqueza e confusão mental. Desta forma, a vice-presidente radical pode ser convocada a tomar o posto do presidente “moderado”, e uma líder comunista governará o país segundo a plataforma marxista dos democratas. Os que procuraram evitar o marxismo radical, escolhendo a opção Biden, podem assim caminhar para as garras do nefando comunismo.

A melhor opção

Independentemente do resultado das eleições, é um fato inegável que milhões de eleitores escolheram a opção Biden como uma fácil saída para a presente crise. A probabilidade de a esquerda tomar o poder mostra bem que não há segurança na mediocridade. A irrealidade otimista não é uma opção viável e estável para o futuro dos EUA. Se um presidente ignora a lei moral para promover o programa político de seu partido, conduz ao desastre, pois as leis imorais são contrárias à natureza humana.

Não existe uma saída fácil para a crise atual. Tentar evitar sofrimento agora, apenas aumentará o seu efeito no futuro. Ao aceitar a opção Biden, a nação novamente perdeu o seu rumo. Os EUA precisam abraçar o sofrimento e se aproximar de Deus.

_____________

* John Horvat é vice-presidente da TFP norte-americana, autor do best-seller Return to Order (Retorno à Ordem), no qual mostra como se pode escapar das garras da sociedade baseada apenas no materialismo produtivista e na intemperança frenética, oposta aos altos ideais medievais. Este artigo foi traduzido por João Carlos Leal da Costa.


“Quem governa é o Governo.” Reestruturação da TAP não será votada no Parlamento

O primeiro-ministro disse que quem anunciou que a TAP estaria em votação na Assembleia da República, "teve uma má fonte ou precipitou-se".

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o plano de reestruturação da TAP não será votado na Assembleia da República, frisando que "não faz parte do sistema constitucional português" que o parlamento "substitua o Governo nas funções de governação".

Em declarações aos jornalistas, esta quinta-feira, à entrada para o Conselho Europeu, em Bruxelas, António Costa referiu que quem anunciou que o plano de reestruturação iria ser submetido ao Parlamento estava errado: "Creio que quem anunciou, ou teve uma má fonte, ou se precipitou naquilo que era a perspetiva da atuação do Governo", frisou António Costa, em declarações aos jornalistas à entrada para o conselho europeu.

Quem governa em Portugal é o Governo, e isso significa governar nas áreas boas e nas áreas más, significa governar quando se tomam medidas populares e governar quando se tomam medidas impopulares. Faz parte da ação governativa e não vale a pena o Governo ter a ilusão que pode transferir para outro órgão de soberania aquilo que só a ele lhe compete fazer. Seria, aliás, um erro que assim fosse", frisou.

Frisando que "procurar consensos amplos em matérias que têm um efeito estrutural para o país" faz parte das tarefas de quem governa, o primeiro-ministro referiu que tem procurado "ter em conta a posição dos diferentes partidos políticos" no projeto TAP para que seja um "projeto nacional", mas que uma votação na Assembleia da República seria um "salto qualitativo".

"Daí a ser votado na Assembleia da República, creio que seria um salto que não teria em conta aquilo que é a repartição de competências no nosso sistema constitucional", sublinhou o primeiro-ministro.

No domingo, no seu espaço de comentário na SIC, Marques Mendes disse que o Governo tinha a intenção de levar a debate no parlamento o plano de reestruturação da TAP, que terá de ser apresentado até à próxima quinta-feira em Bruxelas.

Na segunda-feira, fonte da direção do PSD disse à Lusa que o grupo parlamentar social-democrata foi informado pelo Governo da intenção do Executivo de levar o plano de reestruturação da TAP a debate na Assembleia da República.

Lusa / TSF

Bruxelas publica medidas para prevenir cenário de ‘no-deal’ no Brexit

Prazo das negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia está prestes a terminar.

A Comissão Europeia apresentou, esta quinta-feira, um conjunto de medidas de contingência específicas nas áreas dos transportes e das pescas, tendo em vista as incertezas sobre um acordo pós-'Brexit' entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido.

Com a aproximação do fim do prazo das negociações para se chegar a um acordo comercial e a possibilidade de um cenário de 'no-deal' cada vez mais provável, o executivo comunitário propôs medidas de contingência que asseguram as ligações aéreas, a segurança aérea, as ligações rodoviárias e a manutenção do acesso às águas britânicos para os navios pesqueiros da UE e vice-versa.

O período de transição pós-'Brexit' termina a 31 de dezembro.

Lusa

 

Cientista da Universidade do Minho recebe bolsa “milionária” do Conselho Europeu de Investigação

Conselho de Investigação Europeu atribui bolsa no valor de dois milhões de euros a uma investigadora da Universidade do Minho. Ana João Rodrigues vai desenvolver projeto em neurociências.

A investigadora do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da Universidade do Minho, Ana João Rodrigues, recebeu uma bolsa do Conselho Europeu de Investigação (ERC) que garante dois milhões de euros para desenvolver o seu projeto de investigação em neurociências.

A proposta da equipa liderada pela neurocientista procura perceber de que forma o cérebro perceciona e codifica o prazer e a aversão.

A investigadora explica que tentam “perceber como é que os neurónios no nosso cérebro conseguem perceber se o estímulo é positivo ou é negativo”

De acordo com Ana João Rodrigues, a bolsa é o “culminar de muitos anos de esforço e do papel da equipa e da instituição neste caminho.

“Só conseguimos chegar aqui porque tivemos a sorte de estar numa instituição que acredita no nosso trabalho e que nos dá liberdade para desenvolver projetos ambiciosos e um pouco ‘fora da caixa’”, observa a neurocientista, para quem a bolsa do Conselho Europeu de Investigação é o “reconhecimento por pares, a nível internacional, da excelência de investigação de uma equipa”.

O reconhecimento deixa Ana João Rodrigues “extremamente orgulhosa”, acrescentando que esta “é uma marca de qualidade da investigação científica que qualquer cientista quer alcançar”.

As bolsas científicas ERC são as mais prestigiadas e competitivas da Europa. Premeiam projetos individuais cuja seleção é fundamentada no currículo do investigador e na excelência do projeto a executar. As bolsas de consolidação de carreira, como é o caso, são atribuídas a investigadores que tenham entre sete a doze anos de experiência, após completarem o doutoramento.

Ana João Rodrigues tem 39 anos e é natural de Vila NIova de Famalicão. É licenciada em Biologia Aplicada em 2003, na Universidade do Minho, tendo-se doutorado em Ciências da Saúde, em 2008, na Escola de Medicina da UMinho.

Atualmente lidera uma equipa de investigação no ICVS, após larga experiência em laboratórios internacionais de referência nos EUA, Holanda, Itália, Finlândia e Portugal. O seu trabalho de investigação centra-se na forma como o cérebro codifica eventos de prazer e aversão, conducentes a comportamentos.

RR / Olímpia Mairos

Imagem: Univ. do Minho


Sporting com rival dinamarquês na ‘Champions’ de futsal, Benfica joga na Suíça

O Sporting vai receber o Gentofte, da Dinamarca, nos 16 avos de final da Liga dos Campeões de futsal, enquanto o Benfica terá de ir à Suíça defrontar o Minerva, ditou o sorteio realizado hoje em Nyon, Suíça.

Além dos dois emblemas portugueses, o FC Barcelona, detentor do título, joga na Catalunha com o FC Pristina, do Kosovo, enquanto o ACCS Asnières Villeneuve, o novo clube do português Ricardinho, atua em França frente aos italianos do Pesaro.

As partidas dos 16 avos de final vão decorrer entre 12 e 17 de janeiro, a uma só mão.

O Sporting conquistou a 'Champions' de futsal em 2019, depois do Benfica já ter alcançado tal proeza, em 2010.

Lusa

Luxemburgo: Aumento do salário mínimo nacional aprovado no Parlamento

 O Parlamento aprovou hoje por unanimidade o aumento de 2,8% no salário mínimo nacional no Luxemburgo já a partir de 01 de janeiro de 2021.

A medida, que abrange mais de 60 mil trabalhadores no país, entra em vigor no próximo dia 01 de janeiro de 2021.

Assim, o salário social mínimo social passará de 2.141,99 euros para 2.201,93 euros brutos (12,73 euros/hora), enquanto o salário mínimo qualificado aumenta de 2.570,39 euros para 2.642,32 euros brutos (15,27 euros por hora).

O anunciado aumento salarial de 2,8% vai custar cerca de 54 milhões de euros por ano às empresas luxemburguesas, sendo que 11 milhões dos quais dizem respeito a contribuições sociais.

Para além do salário mínimo nacional, foi igualmente aprovado o aumento de 2,8% do rendimento de inclusão (REVIS) e a proposta compensatória de 500 euros por trabalhador às empresas, como forma de compensar o aumento do salário mínimo, que custará aos cofres públicos cerca de 20 milhões de euros.

Os aumentos têm sido contestados pelas entidades ligadas ao patronato e aplaudidos pelas centrais sindicais do país.

Fonte: LUX24

AdC acusa Continente, Pingo Doce, Auchan e Beiersdorf de concertação de preços


Em causa está uma prática que, na terminologia de concorrência, é designada por ‘hub-and-spoke’, que “prejudica os consumidores”, assinala a Autoridade da Concorrência.

A Autoridade da Concorrência (AdC) acusa as cadeias de supermercados Modelo Continente, Pingo Doce e Auchan e a Beiersdorf, fornecedora de produtos de cosmética e higiene pessoal, de concertação de preços entre 2008 e 2017.

Através de um comunicado, a AdC anuncia que a investigação concluiu pela existência de indícios de que os três grupos da grande distribuição “utilizaram o relacionamento comercial” com a Beiersdorf, fornecedora de produtos das marcas Nívea, Hansaplast, Labello ou Harmony, entre outras, para “alinharem preços de venda ao público” dos principais produtos, “em prejuízo dos consumidores”.

Além dos três grupos da grande distribuição, a acusação recai também sobre o fornecedor Beiersdorf, com a AdC a precisar que os comportamentos investigados “duraram vários anos”, tendo sido praticados entre 2008 e 2017.

Caso venha a confirmar-se, a conduta em causa é “muito grave”, refere o organismo, assinalando tratar-se de uma prática equivalente a um cartel em que os distribuidores não comunicam entre si, como sucede habitualmente num cartel, recorrendo antes a “contactos bilaterais com o fornecedor” para “promover ou garantir, através deste, que todos praticam o mesmo preço de venda ao público".

Em causa está uma prática que, na terminologia de concorrência é designada por ‘hub-and-spoke’, a qual, acentua a AdC, “prejudica os consumidores”.

A AdC salienta, contudo, que a adoção da Nota de Ilicitude “não determina o resultado final da investigação”, lembrando que nesta fase do processo é dada oportunidade aos visados de “exercer os seus direitos de audição e defesa em relação aos ilícitos que lhes são imputados e às sanções em que poderão incorrer”.

A acusação hoje conhecida segue-se a uma outra, de 24 de novembro, em que a AdC acusou os mesmos três grupos de grande distribuição de prática idêntica com a Active Brands, fornecedor de vinhos e bebidas brancas das marcas Licor Beirão e Porto Velhotes.

O organismo presidido por Margarida Matos Rosa tem atualmente em curso mais de dez investigações no setor da grande distribuição de base alimentar, algumas das quais ainda sujeitas a segredo de justiça.

O comunicado refere que o setor da grande distribuição alimentar está entre as prioridades definidas pela AdC, “tendo em conta a importância que detém para a maioria dos consumidores portugueses e para o abastecimento diário das famílias”.


Lusa

Salário mínimo vai ter aumento de 30 euros em 2021

 A Tutela tinha estipulado a meta de chegar aos 750 euros de salário mínimo no final da legislatura, o que coloca uma maior pressão para os próximos dois anos, com a necessidade de um acréscimo de 85 euros.

O Governo confirmou que a proposta de aumento do salário mínimo será de 665 euros em 2021. Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, garantiu que este foi o valor apresentado nas reuniões com os parceiros sociais e que o Governo está a preparar medidas para compensar as empresas pelo acréscimo de encargos inerente.

As empresas não vão ter aumento de encargos da Taxa Social Única porque o Governo promete pagar ao longo do ano a diferença na TSU. No final da reunião desta quarta-feira, o ministro da Economia assumiu que, para o próximo ano, devido à pandemia, o aumento do salário mínimo tem de ser apoiado por medidas do Estado.

"Em virtude do aumento do salário mínimo, as empresas vão ter maiores encargos, designadamente com a TSU. O Governo irá criar um mecanismo para entregar às empresas, a fundo perdido, um valor idêntico ou próximo daquele que é o maior encargo do ano 2021 com a TSU, resultante deste aumento de salário", anunciou Pedro Siza Vieira.

O ministro adiantou que este mecanismo ainda está em estudo, mas abrange a totalidade dos encargos. Por outro lado, para um aumento de 30 euros por mês, o Governo também se compromete a atualizar os contratos públicos com as empresas que façam serviços ao Estado. Uma atualização dos contratos que contemple a diferença do aumento de custos com o novo salário mínimo.

A Tutela tinha estipulado a meta de chegar aos 750 euros de salário mínimo no final da legislatura, o que coloca uma maior pressão para os próximos dois anos, com a necessidade de um acréscimo de 85 euros. A subida em 30 euros equivale a um aumento de 4,7%.

A UGT tem defendido um aumento de 35 euros para o SMN e a CGTP reivindica uma subida para 850 euros a curto prazo.

As confederações patronais têm contestado o aumento do salário mínimo nacional, argumentando com as dificuldades económicas que as empresas atravessam devido à pandemia da Covid-19.

O Governo tem competência para fixar o valor anual do salário mínimo nacional, depois de ouvir os parceiros sociais.

Lusa / TSF - Catarina M. Vasconcelos e José Milheiro