sexta-feira, 28 de maio de 2021

Centenas em Coimbra gritaram que chegou a hora de “os fascistas irem embora”

Centenas de pessoas manifestaram-se hoje em Coimbra contra o partido Chega, que realiza na cidade o seu congresso, gritando que "chegou a hora de os fascistas irem embora".

Munidas de tambores, bandeiras, tarjas e cartazes, centenas de pessoas concentraram-se ao final da tarde na Praça 8 de Maio, na Baixa de Coimbra, onde estava inicialmente previsto o final da marcha do Chega.
"Já ninguém atura o facho do Ventura", "Coimbra! Antifascista!" e "Fascistas, fascistas, chegou a vossa hora; os imigrantes ficam e vocês vão embora", foram algumas das palavras de ordem dos manifestantes, que tentaram ir ao encontro da marcha do Chega, que foi desviada para a Praça Heróis do Ultramar, mas acabaram impedidos por um forte aparato policial.

Fonte: Lusa

Imagens: Sapo e Notícias de Coimbra

"Eles partiram a pregar por toda a parte e o Senhor cooperava com eles" Jo 16, 20

VII Domingo Solenidade da Ascensão do Senhor - Ano B

16-05-2021 08:20

"Eles partiram a pregar por toda a parte e o Senhor cooperava com eles" Jo 16, 20


Ensinar e comunicar são missões de grandeza e humildade. Reclamam um trabalho constante e um movimento de ir ao encontro das pessoas. Somos muito pobres quando desvalorizamos o trabalho de professores e comunicadores, transformando-os em burocratas de experiências educativas ou em “papagaios” de acontecimentos ou ideias. Como também ficamos mesmo pobres quando não se cultiva, desde o berço familiar, o gosto de aprender, a disciplina de estudar, o trabalho em grupo, a criatividade de produzir, a possibilidade de errar. Mas que tem isto a ver com a festa da Ascensão de Jesus? 


Os 40 dias que vão da Ressurreição de Jesus à Ascensão são equiparados ao tempo de preparação de um discípulo segundo os mestres rabínicos do Judaísmo. Já conhecemos a simbologia deste número em outras passagens bíblicas e na sua influência na liturgia cristã. Ao contrário dos discípulos dos mestres judeus, que escolhiam o seu Rabi, Jesus sublinha que foi Ele quem escolheu os seus discípulos. Chamar, viver, ensinar e enviar é o movimento que dá corpo ao discípulo-apóstolo. Quanto podemos aprender com Jesus e os discípulos ao longo dos 3 anos e 40 dias que esteve com eles?! Essa é a tarefa do Espírito Santo agora connosco. 


Entrelacei o ensino com a comunicação nesta “procura”, porque li a mensagem do Papa Francisco para este Dia Mundial das Comunicações Sociais. Tem este tema: «“Vem e verás” (Jo 1, 46). Comunicar encontrando as pessoas onde estão e como estão».  Não é só para os jornalistas ou todos os que trabalham na Comunicação Social, ainda que se lhes dirija especialmente. Seria um espantoso exercício para a vida e trabalho de todos, e muito especialmente para as escolas que fazemos (sim, porque mal ou bem, todos as fazemos ou desfazemos!) deixarmo-nos desacomodar pelo “ir e ver”, que “é o método de toda a comunicação humana autêntica”. Claro que é mais fácil “deixar andar”, criar mais uns “tik-tok’s”, mergulhar nos écrans, deixar de olhar nos olhos uns dos outros, consumir sem critério de escolha, sem sair, pois há tanto para ver nas “cavernas electrónicas”! 


Façamos nossa a oração com que termina a mensagem: “Senhor, ensinai-nos a sair de nós mesmos, / e partir à procura da verdade. // Ensinai-nos a ir e ver, / ensinai-nos a ouvir, / a não cultivar preconceitos, / a não tirar conclusões precipitadas. // Ensinai-nos a ir aonde não vai ninguém, / a reservar tempo para compreender, / a prestar atenção ao essencial, / a não nos distrairmos com o supérfluo, / a distinguir entre a aparência enganadora e a verdade. // Concedei-nos a graça de reconhecer as vossas moradas no mundo / e a honestidade de contar o que vimos.” Vai valer a pena! 


Pe. Vitor Gonçalves 

in Voz da Verdade

in  http://m.dafgemrc.webnode.com.pt/news/vii-domingo-solenidade-da-ascensao-do-senhor-ano-b/

Enviado por José Rui Marmelo Rabaça

Município de Figueiró dos Vinhos reforça Rede Wi-Fi da Vila

O Município reforçou o acesso à Rede Wi-Fi na vila, disponibilizando agora, a munícipes e visitantes, uma rede alargada de pontos de acesso à internet, privilegiando as áreas de maior afluxo de pessoas, nomeadamente:

1. Parque do Vale da Pipa (parque infantil e Bairro São João Baptista)

2. Zonas envolventes à câmara municipal (frente à CM, Praça Saint Maximin, Jardim de Cima, Igreja e Ramal);

3. Rua Dr. Manuel Simões Barreiros (zona de acesso às lojas);

4. Zona envolvente ao Espaço Cidadão, Terminal Rodoviário e Farmácias;

5. Zona envolvente da Biblioteca (interior e exterior), Bombeiros e Centro de Saúde;

6. Zona envolvente da Piscina (interior e exterior);

7. Zona Central do Mercado Municipal

8. Zona envolvente do Museu e Centro de Artes, Casa da Cultura, Casulo, Tribunal e Creche

9. Zona envolvente da Segurança Social, Universidade Sénior e Polo de Formação 

A instalação desta rede de pontos de acesso à internet foi financiada a 100 % pela União Europeia, através da iniciativa WiFi4EU, com a atribuição de um voucher para investimento no valor de 15.000 €.

O programa, denominado  Promoção da conectividade à Internet em comunidades locais: WiFi4EU” e promovido pela Agência de Execução para a Inovação e as Redes da Comissão Europeia, visa proporcionar um acesso de qualidade à Internet, por cidadãos e visitantes em toda a UE, através de pontos de acesso Wi-Fi gratuitos em locais públicos, tais como parques, praças, edifícios oficiais, bibliotecas, centros de saúde, entre outros pontos de interesse público.

Figueiró dos Vinhos foi um dos municípios portugueses com candidatura aprovada que, após um necessário processo de escolha e implementação das adequadas infraestruturas preconizadas pela Comissão Europeia, poderá, agora, oferecer a todos os cidadãos, que circulem na vila, a possibilidade de aceder, gratuitamente, à internet através de qualquer dispositivo eletrónico com Wi-Fi.

A implementação da rede de acesso à internet - WIFI4EU veio, deste modo, fortalecer a capacidade da rede Wi-Fi instalada pelo município em finais de 2016.

Feira das Lambarices vai ser “uma festa de Águeda e de Portugal”

 Evento, que surge do Orçamento Participativo Portugal, está previsto para acontecer entre os dias 3 e 11 de setembro.

A Feira das Lambarices, projeto vencedor do Orçamento Participativo Portugal (OPP) de 2018, foi apresentado, ontem, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Águeda, numa cerimónia que contou com a presença das secretárias de Estado Ângela Ferreira, (Adjunta e do Património Cultural) e Maria de Fátima Fonseca (Inovação e Modernização Administrativa), bem como da diretora-geral do GEPAC, Fernanda Heitor, e da diretora regional de Cultura do Centro, Susana Menezes.

Este evento promete fazer as delícias da população local, regional, nacional e até internacional, com uma mostra de doçaria tradicional portuguesa.

A Câmara de Águeda desde a primeira hora que se associou a este evento, que surge de uma ideia da Associação Cultural e Recreativa de Vale Domingos, e que ganhou uma outra dimensão e estrutura. Previsto na proposta inicial para decorrer na aldeia durante 3 dias, passou para a baixa da cidade e vai acontecer durante 9 dias, prevendo-se a sua realização entre os dias 3 e 11 de setembro, podendo ainda ser alargado para mais um dia.

A Feira das Lambarices decorrerá em simultâneo com a Festa do Leitão (organizada pela ACOAG, que é agora também parceira desta iniciativa) e inclui uma uma mostra de doces tradicionais das várias regiões do país (no pavilhão do GICA), uma zona de restauração e uma zona de espetáculos. O cartaz cultural, com artistas de renome nacional, será divulgado oportunamente.

Esta iniciativa é “um regozijo muito grande, mas também uma responsabilidade”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, salientando que “uma aldeia de 300 habitantes foi capaz de ganhar o OPP”, um instrumento de financiamento nacional de onde Águeda trouxe “vários prémios”.

Este apoio é também muito “responsabilizante. Vale Domingos, de uma terra que ninguém queria ouvir falar, está hoje nos olhos e nas bocas do do mundo, pelos melhores motivos”, declarou o Edil, sublinhando que Vale Domingos é hoje “um exemplo efetivo de integração social e da capacidade de mobilizar pessoas para um desígnio comum, que é transformar aquele lugar no bom sentido, o que tem captado apoios de vários quadrantes, como da Câmara Municipal e do Governo”. E isto, continua o Presidente da Câmara, “é muito responsabilizante. Não podemos falhar; todos, de Vale Domingos e os que nos envolvemos nesta luta”.

“Acredito que vamos conseguir, que vamos tirar daqui um exemplo muito grande daquilo que pode ser a transformação de um lugar com a vontade e dinamização em volta de projetos generosos”, frisou ainda Jorge Almeida.

Edson Santos sublinhou que a Feira das Lambarices é um projeto que tem vindo a ser trabalhado ao longo dos últimos meses no sentido de concretizar o sonho idealizado pelas gentes de Vale Domingos. “De um projeto de dois ou três dias a ser realizado em Vale Domingos, juntamente com os proponentes, conseguimos elevá-lo, juntar vários parceiros e vamos ter um grande evento, que esperemos seja uma festa de Águeda e de Portugal”, disse o Vice-Presidente da Câmara de Águeda.

Para Ricardo Pereira, presidente da Associação de Vale Domingos, proponente desta ideia vencedora do OPP e que conquistou o maior número de votos em todo o mundo, passar este evento para o centro de Águeda faz todo o sentido. “Vale Domingos também tem a ganhar. Já temos muitas coisas a acontecer em Vale Domingos; não é só receber, também sabemos dar e queremos ser úteis para o concelho”, disse, defendendo que a feira ganhou “outra dinâmica”.

Presente na cerimónia, Ângela Ferreira, secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, destacou o mérito deste projeto que “a partir da gastronomia e das artes e com o envolvimento ativo da comunidade de Vale Domingos procura transformar o lugar, favorecendo a sociabilidade comunitária mas ao mesmo tempo promove e valoriza o concelho de Águeda, dos pontos de vista cultural, económico e turístico”. A governante saudou o Município de Águeda por se ter associado a este projeto, “seja no apoio logístico, seja no apoio financeiro, que junta 110 mil euros aos 250 mil euros provenientes do OPP”.

Também Maria de Fátima Fonseca, secretária de Estado da Inovação e Modernização Administrativa, apontou que a execução de mais este projeto a nível nacional é “indicador da bondade do instrumento” (OPP) e “da vitalidade do processo participativo”. Defendendo que “a seguir a uma boa ideia, tem que existir capacidade de concretização”, como a que acontecerá em Águeda com a Feira das Lambarices, a governante concluiu, em total acordo com uma das frases de apresentação do concelho de Águeda, que “são as pessoas que fazem territórios mágicos, onde vivem dias felizes”.

 

LIVRE: “Biodiversidade deve ser uma prioridade dos municípios”

 O rápido declínio da biodiversidade em Portugal tem levado os cidadãos a exigir do poder local um papel mais interventivo na sua preservação e valorização. Nas próximas eleições autárquicas, o LIVRE defende medidas de desenvolvimento da biodiversidade em harmonia com o bem-estar dos cidadãos nos municípios do país.

O desaparecimento da biodiversidade tem ocorrido a um ritmo alarmante em todo o mundo. Segundo a Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre a Biodiversidade e os Serviços dos Ecossistemas, um milhão de espécies de plantas e animais estão hoje em risco de extinção, 28,7 milhões de hectares de florestas desapareceram desde o início da década de 1990 e mais de 90% da população de peixes marinhos diminuiu ou é pescada em excesso.

No continente europeu, a Agência Europeia do Ambiente alerta para o rápido declínio da biodiversidade que resulta, em grande parte, da atividade humana. Neste contexto, Portugal destaca-se pelos piores motivos: a situação ecológica de um elevado número de espécies do país é desconhecida, circunstância que ganha especial relevância quando se encontram ameaçadas ou em risco de extinção. É o caso de espécies emblemáticas como o lobo-ibérico ou o lince-ibérico, mas também a águia-real-ibérica, o abutre-preto e o peixe saramugo, assim como de outras espécies de animais, plantas e fungos menos conhecidas. No total, ascendem a quase cinco centenas as espécies em Portugal que se encontram ameaçadas ou em risco de extinção.

Se é verdade que cabe ao governo assegurar as medidas basilares no que respeita à preservação e proteção da biodiversidade, o poder local tem vindo a assumir um papel significativo neste contexto, até porque os cidadãos assim o reclamam. O LIVRE acompanha e promove desde sempre as iniciativas dos cidadãos e do poder local que permitem não só a reversão da perda da biodiversidade como o seu desenvolvimento e valorização.

Assinalou-se no dia 22 de maio, o Dia Internacional da Biodiversidade. As Linhas Programáticas do LIVRE para as próximas eleições autárquicas apresentam várias medidas que promovem a biodiversidade, que cada candidatura adaptará ao seu contexto local. Entre as medidas apresentadas pelo LIVRE encontram-se:

O estabelecimento de estratégias municipais e planos de ação para a biodiversidade.
A restauração ou mesmo implantação de habitats adequados à biodiversidade característica da região em que se inserem os municípios.
O incentivo à agricultura familiar de base biológica.
A promoção da biodiversidade urbana.
O combate à poluição luminosa, poluição atmosférica e ruído, prejudiciais à biodiversidade.
O fim do corte indiscriminado da vegetação e das podas de árvores mal executadas.
A promoção de iniciativas locais de educação ambiental e ciência cidadã conducentes ao conhecimento da biodiversidade do município.
Uma biodiversidade próspera é um bem comum que contribui para a saúde, bem-estar e sustentabilidade das comunidades humanas que vivem nas cidades, vilas e aldeias do país. O LIVRE defende que o poder local pode e deve ter um papel decisivo na proteção, desenvolvimento e valorização da biodiversidade.

Campanha europeia ‘Protect Our Future Too’ alerta para impacto do aumento das temperaturas na saúde dos animais de companhia e tutores

 O ambiente é o local onde se desenvolve a vida na terra, com todos os seres vivos e não vivos que nela habitam. No Dia Mundial do Ambiente, a campanha ‘Protect Our Future Too’, pretende aumentar a consciência sobre os riscos para os animais de companhia e para os seus tutores, causados pela alteração das estações do ano, especialmente no que toca ao aumento das temperaturas.

A previsão avançada pelo Centro Europeu de Previsão do Tempo a Médio Prazo, relativa ao aumento das temperaturas no próximo verão, representa um risco para a saúde dos animais de companhia e, por consequência para a saúde de toda a família.

Embora os parasitas estejam ativos ao longo de todo o ano, com o aumento das temperaturas o risco de ameaça aumenta, tornando-se um perigo para o animal e, consequentemente para o Homem.

Esta é uma das preocupações da campanha de sensibilização #protectourfuturetoo, que pretende sensibilizar para uma desparasitação e vacinação regular, bem como visitas frequentes ao Médico Veterinário.

Esta iniciativa conta com o apoio da Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia (APMVEAC) e da MSD Animal Health, e tem como embaixador o Nuno Markl, que se junta a esta causa com a consciência de que a prevenção é o caminho para proteger o ser-humano, mas também os nossos animais de companhia.

A campanha Protect Our Future Too considera que os animais de companhia, as pessoas e o ambiente fazem parte de um sistema fortemente ligado e que as questões como as zoonoses e as doenças infeciosas estão interrelacionadas com a procura pela saúde e bem-estar animal.

O aumento das temperaturas permite que os parasitas se espalhem mais rapidamente, criando novos riscos de doenças como a Babesiose, a Anaplasmose ou a Doença de Lyme.

A campanha "Protect Our Future Too" (#protectourfuturetoo) pretende sensibilizar a população para o impacto que a alteração das estações do ano tem sobre os animais de companhia e a relação entre animais de companhia e tutores. Como parte vital da sociedade, a MSD Animal Health acredita que é importante tomar medidas para proteger também o futuro dos animais de companhia. Esta iniciativa procura ajudar os Médicos Veterinários a educar e informar os tutores, a fim de criar consciência coletiva sobre a forma como podem ajudar a proteger os animais de companhia ao longo do ano.

Proença-a-Nova | Agrupamento de Escolas com novos cursos profissionais no próximo ano letivo


Técnico de Informática – Instalação e Gestão de Redes e Técnico de Restaurante/Bar: estes são os dois novos cursos profissionais que o Agrupamento de Escolas de Proença-a-Nova disponibilizará nos anos letivos de 2021 a 2024 para os alunos que terminem o 9º ano e pretendam iniciar uma especialização profissional que garante o nível de qualificação 4, equivalente ao 12º ano. Para além dos alunos do concelho, podem inscrever-se nestes cursos profissionais alunos de qualquer ponto do distrito ou do país: para essas situações, o Município associa-se ao Agrupamento de Escolas e garante alojamento aos alunos deslocados, bem como subsídio de alimentação e de transporte. Durante a formação, haverá a possibilidade de realizar estágios em empresas locais.

“Aproveitamos para elogiar o trabalho e dedicação de toda a comunidade educativa do Agrupamento que, neste tempo de rankings, soube elevar a posição da Escola Básica e Secundária Pedro da Fonseca, colocando-a mesmo num lugar de pódio no distrito de Castelo Branco. Como sempre, estamos empenhados em colaborar neste bom trabalho e na divulgação destas duas ofertas de formação, tendo em conta o seu elevado potencial de empregabilidade no concelho e na região também”, salienta João Manso, vice-presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova.

Paralelamente à oferta profissional, o Agrupamento disponibiliza os cursos científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades. Atualmente, estão a decorrer ainda os cursos profissionais de Técnico de Comércio (que termina neste ano letivo), de Técnico de Informática – Sistemas e de Animador Sociocultural, que decorrem até ao ano letivo de 2021/2022. Mais informações podem ser obtidas diretamente no Agrupamento de Escolas, pelo número 274 670 080 ou pelo email secretaria@aeproencaanova.pt.


Iniciativa inédita da CPCJ de Ferreira do Zêzere: Dia da criança 2021

 Para comemorar o Dia Mundial da Criança, a CPCJ de Ferreira do Zêzere, este ano, vem lançar um desafio junto das entidades empregadoras privadas e públicas do nosso concelho. Vivemos numa era de pandemia, em que o COVID-19 nos restringiu muitas esferas e áreas da nossa vida. Para que possamos ter famílias e crianças mais felizes, lançamos o desafio, no dia 1 de junho de 2021, permitir que o/a seu/sua colaborador/a saía mais cedo, ou seja, uma flexibilização de horário, a compensar posteriormente, ou seja a entidade empregadora será recompensada pelo trabalhador noutro horário a estipular por justo acordo,, para que o/a mesmo/a possa neste dia fazer uma surpresa e passar a tarde, ou pelo menos mais algumas horas, ter tempo de qualidade com o/a seu/sua filho/a e dar cumprimento aos ideais e valores de união da família, que são a base e pilar de um bom desenvolvimento psicoemocional de uma criança e sobretudo a promoção e proteção dos Direitos da Criança. Esta ação está harmonizada com o Agrupamento de Escolas de Ferreira do Zêzere.

Ajude-nos a transformar o Dia Mundial da Criança, 1 de junho de 2021, num dia especial e que ficará para sempre na memoria da criança, teve o melhor presente, estar com os seus pais.


As entidades empregadoras que aderirem a esta ação, serão distinguidas por esta CPCJ com o selo Entidades Empregadoras Amigas da Criança, porque são entidades que reconhecem a importância de adotar práticas que harmonizem a vida familiar com a vida profissional, valorizam a promoção do equilíbrio trabalho-família não como um gasto, mas sim como um investimento que gera retornos sólidos para a empresa e para a sociedade.


Para receber o selo “Entidades Empregadoras Amigas da Criança”, as entidades patronais devem divulgar esta iniciativa junto dos seus colaboradores (remetendo prova dessa divulgação e comunicar a esta CPCJ) e a indicação de que houve colabores/as a beneficiar desta ação nessa organização (indicando o número que usufruiu desta iniciativa). O Selo será atribuído após a verificação desses requisitos.

 

    Faça a diferença, por si e por todos.

Race4Eco promove a melhoria ambiental no Rali da Bairrada

Com o propósito de executar ações práticas no terreno, bem como sensibilizar para a redução efetiva da pegada ecológica que o Rali da Bairrada transporta para o meio ambiente, o projeto Race4Eco pretende transmitir as boas práticas que incentivem a adoção de critérios ambientais.

Produzido pela Promolafões, em parceria com a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), o projeto Race4Eco pressagia a redução de impactos e promove o uso eficiente de recursos materiais e energéticos. Para o Rali da Bairrada, na estrada este fim-de-semana, é objetivo primordial reduzir a pegada carbónica, a qual passa, no final da prova do Clube Automóvel do Centro, em parceria com a Câmara Municipal de Vagos, plantar árvores em vários pontos do concelho.

Para José Correia, da Promolafões, o projeto Race4Eco tem por missão verde «passar as boas práticas ambientais, ou seja, reduzir as emoções de CO2 que a caravana do Rali da Bairrada produz no território de Vagos».

«A organização vai ter 12 viaturas híbridas, elétricos e plug-in e, no contexto de recolha de lixo, vão ser espalhados vários ecopontos pelo percurso, nas partidas e chegadas das especiais, nas zonas identificadas que vão ter algum público, parque de assistência, entre outros», referiu o promotor da prova.

Ainda de acordo com José Correia, «a estrutura organizativa e a Promolafões vão disponibilizar separadores dos hidrocarbonetos, os quais serão posteriormente recolhidos». «Tivemos também a preocupação em envolver e transmitir as boas práticas ambientais com a comunidade escolar, porque não devemos descurar que os mais novos são os homens de amanhã».

 Numa altura em que apenas estão ativos dois casos de Covid-19 no concelho de Vagos e com cerca de 800 pessoas envolvidas no Rali da Bairrada, José Correia está ciente de que tudo vai correr dentro dos parâmetros exigidos, «até porque todos, sem exceção, vão ser testados, em que os elementos de segurança vão ter ainda a incumbência de medir a temperatura a todas as pessoas com pulseira pela passagem dos diferentes canais de baixa e alta densidade».

Sobre a plantação de árvores, o responsável pela Promolafões afirmou que «a comunidade escolar do concelho de Vagos terá a missão, em conjunto com alguns pilotos do Rali da Bairrada, de efetuar esse desígnio».

Por seu turno, Carlos Santos, diretor de prova do Rali da Bairrada, sublinhou que a organização do Rali da Bairrada «teve sempre a preocupação, desde a primeira hora, de ir de encontro do projeto Race4Eco». «Num passado recente, a nossa logística emitia muitos documentos em papel, sendo reduzido drasticamente, e quase tudo é feito pela via online, não apenas com a preocupação, mas também atentos à pandemia que nos tem assolado ultimamente. Temos uma preocupação constante que queremos passar aos mais novos que gostam do automobilismo, e que amanhã possam vir a ser praticantes com boas práticas».

Conhecedor das dificuldades dos pilotos, uma vez que já foi assíduo praticante de ralis e, por isso, consciente dos inconvenientes que uma prova pode originar, Carlos Santos destacou a orgânica da prova, sustentando que, para o Rali da Bairrada, «procurámos concentrá-la o mais possível, evitando deslocações extensas que se faziam no passado». «Além disso, privilegiámos os concorrentes no sentido de usufruírem alojamentos mais próximos do centro operacional do Rali da Bairrada, afastando viagens suplementares e produzirem menos emissões de CO2».

Carlos Santos afirmou ainda que «houve também uma preocupação para que, nos reconhecimentos, haja alguma limitação, travando com o descontrole e o número de passagens pelas especiais, as quais surgem agora com limitações de dias e de horário, também como forma da organização dar o seu contributo para a preocupação ambiental».

“Preservação do meio ambiente é uma preocupação de todos nós”

A Câmara de Vagos diz que a mobilização para cuidar do meio ambiente tem sido, cada vez mais, o mote da sua ação, procurando corresponder aos anseios da população de uma melhor qualidade de vida. De acordo com Silvério Regalado, Presidente da Autarquia, «a preservação do meio ambiente é uma preocupação de todos nós, em que temos alguns projetos, o mais recente é o da reciclagem dos quais é dos óleos usados que está a decorrer nos nossos estabelecimentos de ensino com a colaboração do Agrupamento de Escolas de Vagos».

Relativamente à componente da mobilidade elétrica, o autarca de Vagos anunciou que «já foram instalados três carregamentos de viaturas elétricas: um na Praia da Vagueira, outro na Ponte de Vagos e, um posto rápido no centro da vila de Vagos, que serve também para promover a utilização destes meios de mobilidade elétrica».

Sobre o Race4Eco, Silvério Regalado sublinhou que «é um projeto importante para a organização do Rali da Bairrada e, naturalmente, que o Município de Vagos não poderia estar desassociado das nossas escolas e dos jovens estudantes a fim de minimizar a pegada ecológica com esta iniciativa, como forma de pensar no futuro, claro e objetivo».

O Presidente da Câmara Municipal revelou que a autarquia «também usufrui de um projeto a decorrer em conjunto coma associação Zero, a Universidade de Aveiro e com os outros municípios da região aveirense, visando medir a pegada ecológica de cada um dos habitantes no nosso concelho».

«Depois do comportamento do público no Rally de Portugal, que correu muitíssimo bem, gostaria de fazer um pedido especial para que fosse seguido o exemplo de civismo que aconteceu recentemente e que fosse aplicado no nosso concelho. O Rali da Bairrada não deixa de ser uma lufada de ar fresco para o setor hoteleiro e restauração do nosso território e regiões circundantes», sustentou Silvério Regalado, arrebatado com o facto da economia local possa também florescer com o Rali da Bairrada no “seu” território.

ETPC celebra o mês do Curso Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos

Alunos do Curso Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos participam em palestra dinamizada pela PHC

A Escola Técnico Profissional de Cantanhede (ETPC), no âmbito das Comemorações do Mês dos Cursos, recordou o dia do Curso Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos no dia 27 de maio de 2021 e teve como objetivos estimular o interesse dos alunos pela futura atividade profissional; aplicar na prática os conteúdos lecionados nas disciplinas da área técnica do curso de programação; permitir aos alunos ter contacto com a realidade profissional; aproximar os alunos do mundo do trabalho; e partilhar saberes entre profissionais da área da informática.

O encontro visou temas como programação, software de gestão, web, base de dados, entre outros.

A PHC é uma das empresas mais reconhecidas a nível nacional do desenvolvimento de software de gestão, tornando-se assim, uma multinacional de origem portuguesa dedicada ao desenvolvimento de software de gestão. Fundada em 1989, conta com 227 colaboradores, mais de 400 parceiros certificados. Com mais de 34 mil clientes, espalhados por 25 países, e 159 mil utilizadores de software, a PHC conta também com escritórios em Lisboa, Porto, Madrid, Lima, Luanda e Maputo.


A sessão iniciou com a apresentação da empresa, mostrando aos alunos os motivos que fizeram com que esta empresa conseguisse arrebatar diversos prémios e em várias áreas. Seguidamente, houve espaço para uma breve demonstração prática de um dos seus produtos – o PHC CS. Aqui, os alunos puderam ver a versatilidade deste software de gestão e da Framework do PHC CS Web.

Para finalizar esta experiência tão enriquecedora ao nível científico e tecnológico, o diretor de curso – Michael Teixeira -  informa os alunos de programação que em virtude de terem sido mantidos contactos com esta empresa para dinamizarem esta sessão de esclarecimento; por reconhecer o mérito da PHC no que diz respeito às suas ideias inovadoras e de tecnologia avançada;  e por considerar que é importante os alunos do ensino profissional terem contacto com as melhores tecnologias e softwares, foi estabelecido um protocolo de colaboração entre a ETPC e a PHC. Este protocolo vai fazer nascer uma sala PHC na ETPC, onde os alunos de programação poderão usufruir desta software de gestão - PHC CS - e enriquecer ainda mais a sua formação académica.

O diretor de curso – Michael Teixeira – aproveita ainda para agradecer à PHC, que de uma forma tão generosa acedeu ao seu convite para participar nesta palestra e por se tornar um parceiro colaborador da ETPC.

Os alunos participaram na atividade com empenho e dinamismo, demonstrando grande interesse e dedicação, tendo os alunos considerado este tipo de palestras são “de extrema importância pois mostram onde e como aplicar os conhecimentos adquiridos nas aulas de programação”. No final da atividade, o balanço era francamente positivo e a experiência enriquecedora e motivadora para a persecução dos objetivos profissionais dos alunos.

MUNDO | 4 pacientes mortos em incêndio em hospital no Brasil


Quatro pacientes de covid-19 que estavam internados no Hospital Municipal Doutor Nestor Piva, na cidade de brasileira de Aracaju, morreram hoje devido a um incêndio no edifício, que obrigou ainda à transferência de mais 50 doentes.

Contactada pela Lusa, a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde de Aracaju confirmou quatro vítimas mortais, sem dar maiores detalhes.

O incêndio deflagrou cerca das 06:30 (10:30 em Lisboa) numa área dedicada ao atendimento de pacientes com covid-19.

Ainda não há informações sobre o que causou o incêndio, mas, segundo relatos de funcionários e do corpo de bombeiros, a principal suspeita é que o fogo tenha surgido no sistema de ar condicionado do hospital.

“Esse incêndio pode ser considerado de grandes proporções devido às consequências. O problema maior foi a quantidade de fumaça acumulada na área covid-19 e a retirada das vítimas, que estavam acamadas”, disse o capitão do corpo de bombeiros, Breno Queiroz, ao portal de notícias G1.

Quando o fumo começou a espalhar-se pelo hospital, os profissionais de saúde iniciaram de imediato a retirada dos doentes.

A imprensa local relatou que funcionários atenderam, no exterior do edifício, os pacientes enquanto aguardavam transferência para outras unidades de saúde.

Veículos e ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levaram cilindros de oxigénio para as vítimas.

O prefeito de câmara de Aracaju, Edvaldo Nogueira, responsáveis da proteção civil, bombeiros e agentes das polícias acompanhavam a emergência causada pelo incêndio.

“Assim que soube do incêndio ocorrido no Hospital Nestor Piva, vim até o local para acompanhar os trabalhos, prestar assistência aos pacientes e passar todas as orientações devidas para as equipas da prefeitura”, informou o prefeito de Aracaju em mensagem na rede social Twitter.

Num comunicado, a direção do Centro Médico do Trabalhador, responsável pela gestão do Hospital Doutor Nestor Piva, destacou que a situação foi controlada.

“O local do incêndio já está sendo periciado e outro local já sendo providenciado com urgência para reabertura do hospital”, concluiu a nota.

Fonte: noticiasdecoimbra

“Dia Mundial do Brincar” foi assinalado em Silves


O “Dia Mundial do Brincar” foi assinalado hoje, dia 28 de maio, pelo Município de Silves, não com o habitual encontro físico face à atual crise sanitária, mas com a entrega de uma lembrança simbólica a todos os alunos do pré-escolar e 1.º ciclo do concelho. A iniciativa, organizada em parceria entre a autarquia e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens local (CPCJ), contemplou, ainda, o lançamento de um vídeo que relembrou as edições de 2018 e 2019, reforçando a importância de brincar para o desenvolvimento integral da criança.

«Brincar é um direito, uma fonte inesgotável de alegria, uma atividade fundamental para o desenvolvimento do ser humano e essencial para a saúde física e mental. Brincar é a principal atividade da criança. Uma criança que não brinca chama tanto a atenção como uma que não coma. Brincar é uma necessidade básica, uma experiência rica e complexa», referiu Rosa Palma, Presidente da Câmara Municipal de Silves, salientando a importância de todos serem «capazes, enquanto sociedade, de respeitar os direitos das crianças fazendo com que sejam felizes».

Relembramos que o Dia Mundial do Brincar foi criado em 1999, por iniciativa da então presidente da International Toy Library Association (ITLA), Freda Kimo, por ocasião da 8ª Conferência Internacional de Ludotecas em Tóquio. Foi reconhecido no calendário da UNICEF em 2000, ano em que foi assinalado pela primeira vez. A efeméride tem como objetivo destacar o 31º artigo da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas, que menciona que todas as crianças, sem exceções, têm o direito a descansar, relaxar, brincar e participar em atividades educativas e culturais.

Vídeo disponível em

...

Barcelos | IPCA vai chegar a casa de alunos do ensino secundário de todo o país nos dias 1 e 2 de junho | Online


Os próximos dias 1 e 2 de junho prometem ficar na história do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), com a realização de dois dias abertos, inteiramente online, destinados a alunos, pais e professores do ensino secundário de todo o país.
“Vamos fazer chegar o IPCA a casa dos alunos, para que o IPCA passe a ser também a sua casa”, revelou a presidente da instituição, Maria José Fernandes, acrescentando que “o objetivo é, não só divulgar a oferta educativa, mas também contribuir para uma decisão bem fundamentada acerca do curso superior que irão escolher”.

Para Maria José Fernandes, “esta é uma fase da vida dos nossos jovens em que têm de tomar uma decisão muito importante, que pode definir o seu futuro, pelo que também é nossa missão contribuir para que o façam da maneira mais informada e esclarecida possível”.

A edição deste ano do OPEN’IPCA – uma iniciativa habitualmente presencial, mas que, a exemplo do ano passado, se realiza online devido ao contexto de pandemia – vai decorrer no dia 1 de junho, após as 16h00, e no dia seguinte, após as 10h30.

“A grande novidade deste ano será a Sessão Live Open IPCA’2021, que terá uma componente totalmente inovadora, com várias novidades e surpresas reservadas para os alunos do ensino secundário”, destacou Daniel Miranda, docente da instituição e responsável pela comissão organizadora.

Segundo adiantou, “estas sessões vão decorrer em direto, e desdobram-se nos dois dias do evento, e vão permitir ao aluno viajar, em direto, pelo IPCA e, dessa forma, viver o IPCA”.

Na sessão de esclarecimentos, “os alunos poderão escolher as salas zoom de cada uma das cinco escolas superiores e conversar com os vários diretores de curso, colocar questões e obter todas as informações que necessitem, nomeadamente sobre a escola em questão, a oferta educativa, a estrutura curricular, notas de acesso e os apoios sociais existentes”.

Durante dois dias, os alunos, pais e professores do ensino secundário terão, assim, uma oportunidade única de interagirem com docentes e estudantes do IPCA, que poderá, também, servir para esclarecer dúvidas acerca do processo de candidatura a cursos de Licenciatura ou Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP).

O OPEN’IPCA 2021 contará, também, com a participação da presidente do IPCA, bem como de representantes dos vários serviços do IPCA, da Associação Académica (AAIPCA) e dos grupos académicos.

Todas as informações, bem como os links que darão acesso à Sessão Live OPEN’IPCA e às sessões de esclarecimento, estarão disponíveis no site https://open.ipca.pt.

Ana Teixeira


Ansião | Praça do Município acolhe Festa do Livro de 1 a 6 de junho


Junho em Ansião é sinónimo de Festa do Livro. Depois de uma edição de 2020 atípica, a Festa do Livro está de regresso ao seu formato e ao seu local habituais, contando também com algumas atividades online.
O arranque no dia 1 de junho será marcado pela abertura da XXIV Feira do Livro, na Praça do Município, local onde estará reservado também o espaço “Brincar na Praça”, destinado às crianças no dia que lhes é especialmente dedicado.

Algumas empresas do concelho voltarão a acolher, nos dias 1 e 2, a “Palavra Andante”, sessões de poesia dinamizadas pelo ator ansianense João Patrício e pelo músico Luís Travassos. Centrado na leitura e na escrita, o dia 2 promoverá nas escolas do 1.º ciclo do ensino básico um “Encontro com a escritora Ana Isabel Marques”, momento que se repetirá no dia 4. Ainda na quarta-feira, dia 2, terá lugar o webinar “Leitura, educação e desenvolvimento emocional”, promovido conjuntamente pelo Município, pela Biblioteca Municipal, pelo Centro Local de Aprendizagem de Ansião da Universidade Aberta e pelo CLDS 4G. Esta última entidade e a Biblioteca Municipal dinamizarão ainda e também online uma sessão do projeto que têm em curso “Histórias do Sentir”, que consiste em oficinas sobre educação emocional.

A música preencherá o programa dos dias 3, 4 e 5, com, respetivamente, “Música para Crianças”, o espetáculo final do projeto “Crianças ao Palco” e um concerto com The Happy Mess, todos a ter lugar na Praça do Município.

No domingo dia 6 de junho, a atividade da manhã será direcionada para as crianças, com a peça de teatro infantil “Lagarta Sim, Lagarta Não”, pela Companhia de Teatro de Santo Tirso; as da tarde, aos mais criativos, com uma sessão de “Desenhar Ansião – Urban Sketch”, e aos amantes de livros, com a apresentação, no Auditório da Câmara Municipal, do livro Alma de Pelmá, da autoria de Filipe Antunes dos Santos.

“Montras de Letras”, “Somos Capa”, “Personagens de Plasticina” e a Exposição “O Enredo” compõem o programa da Festa de Livro, através da qual a autarquia pretende enaltecer e levar, das mais diversas formas, a beleza das palavras a todos quantos dela queiram desfrutar.

Ciclovia Covilhã-Fundão: contrato de financiamento já assinado com o governo


O Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira, participou ontem, dia 27 de maio, na cerimónia de assinatura do contrato de financiamento com o Governo para a construção da ciclovia que irá unir a Covilhã ao Fundão.
Este projeto intermunicipal conta com um investimento total de 980.693,58 euros, cofinanciado pelo Fundo Ambiental no valor de 490.346,79 euros, e vai permitir reforçar a estratégia de desenvolvimento da mobilidade sustentável na região.

A futura ciclovia vai ter uma extensão total aproximada de 13 km, ao longo da Estrada Nacional 18, que liga as duas cidades e através da qual é efetuado o acesso a dois importantes polos industriais. O troço da Ciclovia no concelho da Covilhã inicia-se no cruzamento do Hospital, interligando com os percursos cicláveis da cidade, presentemente em execução, e terminará no Souto Alto onde interligará com o troço do Fundão.

O Presidente do Município da Covilhã, congratulou-se com a assinatura deste contrato de financiamento com o Governo, tendo em conta a “importância de integrar um projeto nacional que aposta na proteção do meio ambiente, no incentivo à atividade física e na utilização de meios de transporte alternativos”. Vítor Pereira destaca a “conjugação de esforços que estreitam ainda mais os laços entre duas cidades e dois concelhos que já têm muitas afinidades e se complementam”. Para o autarca, “esta relação saudável contrasta com a situação que existia em tempos idos, com um certo virar de costas entre os dois concelhos. São estes os projetos decisivos para a união e cooperação crescente entre a Covilhã, o Fundão e outros municípios vizinhos, para reforçar o desenvolvimento sustentado de uma das zonas mais importantes do interior de Portugal: a Cova da Beira”.

A cerimónia “Portugal Ciclável”, que teve lugar em Odivelas, foi presidida pelo ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes, e pelo secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro. No total, foram assinados nove contratos de financiamento para implementar ciclovias em vários pontos do país, com o apoio do Fundo Ambiental e no âmbito da estratégia do Governo de promoção da mobilidade suave. O Programa Portugal Ciclável 2030 prevê a construção de cerca de mil quilómetros de ciclovias e um financiamento de 300 milhões de euros, permitindo poupar até 50 mil toneladas de emissões de dióxido de carbono.


VALIDAR Junho no Cine-Teatro de Estarreja: música, cinema, teatro e dança

 Está com saudades de assistir às melhores peças de teatro, a concertos, a filmes, a espetáculos de dança, ou passar momentos únicos em palco com a família? Descubra as propostas do Cine-Teatro de Estarreja para junho, mês em que celebra 16 anos desde a sua reabertura.

Sempre com máscara, distanciamento e respeito por todas as medidas de segurança, venha aproveitar e viver a cultura ao máximo.

 

“Salão das Festas” é no CTE

Os grandes concertos de música das Festas de Santo António sobem ao palco do Cine-Teatro, devido à impossibilidade de se realizarem no Parque Municipal de Antuã, onde habitualmente juntam milhares de pessoas. A sala de espetáculos da cidade será, nestes dias, o “Salão das Festas”, sempre às 21h.

A abertura deste espaço está a cargo do grupo “Step by Step”. 11 artistas sobem ao palco para tocar temas originais e interpretar nomes sonantes da música portuguesa e internacional. A não perder no dia 10.

No dia seguinte, 11, o “trovador das patilhas”, Samuel Úria, apresenta o seu mais recente disco publicado em 2020, “Canções do Pós-Guerra”.

Cais Sodré Funk Connection convidam Paulo de Carvalho para o espetáculo do dia 12 para juntos (re) fazerem canções com história e outras mais atuais.

O “Salão das Festas” encerra com a Orquestra Filarmonia das Beiras. No dia 13, com direção do maestro Cláudio Ferreira e a flautista Inês Pinto, a Orquestra apresenta um concerto único comemorativo do Dia do Município.

 

Cuca Roseta é a convidada do 16.º aniversário da reabertura do CTE

O principal palco de Estarreja celebra 16 anos desde da sua reabertura. Para cantar os parabéns sobe ao palco Cuca Roseta para apresenta o seu novo álbum de originais, “Meu”, onde é cantautora de todos os temas. Todos estão convidados a soprar as velas, dia 19, às 21h.

 

Teatro, música para bebés e dança são também destaque na programação

No dia 2, às 21h, a oficina de formação teatral estarrejense, o Teatro do Desassossego, apresenta a peça de teatro “O Dragão entre o Céu e a Terra” com texto de Gonçalo Waddington e encenação e cenografia de Tânia Ruivo. Este espetáculo integra o projeto PANOS – palcos novos palavras novas, organizado pelo Teatro D. Maria II, que visa cruzar o teatro escolar e juvenil com as novas dramaturgias. Para isso, encomenda, anualmente, peças originais a escritores reconhecidos, com o objetivo de serem representadas por adolescentes.

A música tem o dom de chegar a todas as idades, e a Educarte propõe uma oficina “Música para Bebés”, para a manhã de domingo, dia 20, às 11h.

A Companhia de Dança de Évora, acompanhada pelo Nuno Bastos Trio, homenageia Chico Buarque de Holanda com a performance de dança “Chico”. No dia 26, às 21h, o público embarca numa viagem cheia de beleza e emoção.

 

A sétima arte é já uma referência na agenda do CTE

O Cinema em Cartaz apresenta o filme “O Pai”, de Florian Zeller, no dia 18, às 20h30. Anthony Hopkins arrecadou, na edição deste ano, o óscar de Melhor Ator por interpretar Anthony neste drama.

 

A programação cinematográfica das Quintas de Cinema, com exibição às 20h30, é da responsabilidade do Cine Clube de Avanca, em colaboração com o CTE. Conta ainda com o apoio do ICA e do Ministério da Cultura. A primeira proposta está marcada para o dia 3 e é o drama “Marighella”, de Wagner Moura. Dia 17, será exibido o filme “As Andorinhas de Cabul”, de Zabou Breitman e Élea Gobbé-Mévellec. Na noite do dia 24, é exibido “A Floresta” de Roman Zhigalov.

 

Estamos certos que na diversidade da programação do CTE, encontra os espetáculos preferidos para nos continuar a visitar e a viver a cultura com a importância que esta merece.

Castelo de Paiva | Ontem no Auditório Municipal: Centro Sol Nascente apresentou percursos pedestres – payvápé


Valorização turística do território evidenciada pelos responsáveis municipais.

O Centro Sol Nascente, colectividade sedeada na Raiva, em colaboração com a Câmara Municipal de Castelo de Paiva, e as Juntas de Freguesia do concelho, representadas nesta iniciativa, apresentou ontem no espaço do Auditório Municipal, os Percursos Pedestres contemplados no projecto “ PayváPé “, uma cerimónia que contou a participação da Academia de Dança de Castelo de Paiva, e com a presença do Vereador do Pelouro da Cultura e Desporto, José Manuel Carvalho, e da Vereadora do Pelouro do Turismo, Paula Melo, que abordaram o interesse municipal e valorização do território através deste projecto turístico e cultural.

Segundo André Maria, da entidade promotora, a associação Centro Sol Nascente, esta visão resultou da percepção de que era possível fazer mais neste domínio, “ e estava ao nosso alcance criar a dinâmica certa que levasse os paivenses a conhecerem o seu próprio território, para tantos ainda desconhecido. Sentimos que podíamos desempenhar um papel importante na identificação dos locais de interesse e na criação das rotas que levassem as pessoas até às nossas maravilhas, e acreditamos que podíamos ser uma alavanca do turismo e uma grande ajuda a quem nos visita e acima de tudo sabíamos que a força de vontade supera qualquer desafio “.

Na apresentação, este responsável, recordou que, “ estávamos em Junho de 2020, quando demos o primeiro passo para abraçar este desafio e depressa percebemos que era fundamental trazermos para o nosso movimento associativo, Centro Sol Nascente, elementos de todo o Concelho, que dominassem o território e que com espírito de missão e voluntariado quisessem integrar este excelente projecto, e primeiro objectivo foi concluído com facilidade e conseguimos gerar um grupo coeso com visão e conhecimento técnico diversificado. Delineamos os locais que eram de maior interesse e construímos no papel a rede de percurso a que demos o nome de “PayváPé” “, que resulta da junção das palavras “Payva” e “a pé”, sendo que “Terras de Payva” foi o nome desta região e “andar a pé” é o método privilegiado para percorrer os percursos.

O conceito foi apresentado a todas as Juntas de Freguesia e ao Município de Castelo de Paiva, e recebemos o apoio unânime de todas estas entidades e um grande empenho destes na concretização do projecto, “ mas a nossa força está no voluntariado, reflectida numa vontade insana de lutar por esta terra com toda a nossa energia, empenhando todo o nosso esforço e tempo sem obter qualquer compensação financeira. Não efectuamos candidatura a nenhum fundo europeu e acreditamos que assim ainda está a fazer mais sentido. PayváPé não é um projecto profissional, cheio de “pompa e circunstância”, mas uma prova de amor à terra, à natureza e ao próximo “.

Para o Vereador do Desporto e Cultura, José Manuel Carvalho, “ este é um projecto de grande interesse municipal, que representa muito mais que um conjunto de percursos, antes simboliza a dinâmica de toda uma comunidade, sublinhando o empenhamento e a dedicação do Centro Sol Nascente, promotor do projecto, que soube reunir um grupo de voluntários incansáveis, e contar com a colaboração das Juntas de Freguesia que se aliaram e contribuíram no financiamento e nas limpezas dos caminhos utilizados nestes percursos por todo o território concelhio “.

Este responsável deu os parabéns a todos por esta grande iniciativa e recordou que, a Câmara Municipal desde a primeira hora apadrinhou este projecto e financiou parte significativa dos custos, até porque é um desígnio que muito nos honra e abrange todo o território do concelho, com muitos paivenses envolvidos, sendo que, caminhamos no mesmo sentido: promover positivamente a nossa terra.

Na perspectiva de Paula Melo, vereadora do Pelouro do Turismo, é de aplaudir esta ideia do Centro Sol Nascente, gizada para um grande desafio de aventura e potencial turístico, que foi criar uma rede de percursos pedestres para dar a conhecer o vasto território de Castelo de Paiva, potenciando todas a sua beleza paisagística e cerca de 100 locais de interesse turístico e possibilidade de visitação, destacando todavia, que o projecto não valoriza apenas as caminhadas, mas o BTT e a vertente do cicloturismo, porque os utilizadores dos percursos podem também explorar a versão clicável, que podem enfrentar os pisos de terra batida, desafiar a estrada, abraçar o silencio dos montes, o cume das serras e o leito dos quatro rios que atravessam o território municipal
Em cada uma das antigas nove freguesias de Castelo de Paiva foi sinalizado um percurso circular, a iniciar e terminar na sua Igreja Matriz, com o objectivo de dar a conhecer o melhor de cada freguesia. A estes nove trajectos foi adicionado um percurso extra nas Aldeias de Xisto de Midões e Gondarém, que inicia e termina na sede da associação, Centro Sol Nascente.

Assim, já a partir de 29 de Maio pode o visitante partir à descoberta de todos estes trilhos, a pé ou de bicicleta, seguindo as setas azuis e brancas que foram colocadas nesta rede de 10 percursos, com mais de 120 quilómetros de trilhos por todas as freguesias, que vão dar a possibilidade de conhecer melhor o território paivense, e potenciar actividades saudáveis com permanente contacto com a natureza. Qualquer informação adicional sobre este projecto está acessível através do Link https://payvape.pt ou através do vídeo da apresentação, Link - https://www.dropbox.com/s/tsim1sy836jdws6/payv%C3%A1p%C3%A9_FINAL.mp4?dl=0

Carlos Oliveira

 


Câmara Municipal promove a 1.ª edição da MALA – Manifestação Literária de Águeda

 Iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Águeda vai decorrer entre os próximos dias 2 e 5 de junho, incluindo apresentação de livros, espetáculos, oficinas e muito mais.


A Câmara de Águeda promove, entre os dias 2 e 5 de junho, a primeira edição da MALA – Manifestação Literária de Águeda, que pretende criar novos estímulos para o desenvolvimento do gosto pelo livro e pela leitura, com as atividades programadas divididas entre a Biblioteca Municipal Manuel Alegre (BMMA) e o Centro de Artes de Águeda (CAA). Este evento surge depois da iniciativa preparatória “Faz a MALA!”, que decorreu em novembro último e que contou com momentos de afirmação/discussão do livro, numa reflexão coletiva entre autores, ilustradores, agentes literários e comunidade.

“Este é um evento que visa encorajar a leitura como fonte de conhecimento, de sabedoria e de cultura”, disse Elsa Corga, Vereadora da Cultura da Câmara de Águeda, acrescentando que o livro e a leitura são “caminhos que conduzem à manifestação da imaginação de pessoas de todas as idades”.

Nestes quatro dias, há muitas manifestações para acompanhar, em formato presencial ou online, desde sessões de histórias, espetáculos, oficinas, apresentações de livros, exposições, conversas e música, sendo que cada atividade, apesar de participação gratuita, tem lotação limite (inscrições para o e-mail bmma.educativo@cm-agueda.pt, nos eventos realizados na BMMA, ou para o caa@cm-agueda.pt, nos eventos que decorrem no CAA).

Pedro Seromenho, Mafalda Milhões, Cristina Taquelim, Afonso Melo, Manuela Ribeiro e Alice Caetano são os nomes do panorama literário que vão estar em Águeda para esta manifestação, que conta ainda com alguns artistas locais, como Sun of the Beach, Luís Formiga, Coletivo Nora ou Carisma Cerâmica, para além de Rodrigo Guedes de Carvalho, Daniela Onís e Rúben Alves que apresentam em Águeda o seu “Ruge”.

Toda a programação, que está disponível na página de Facebook da BMMA, respeita as regras determinadas pela Direção-Geral de Saúde, tendo em conta a situação de contingência devido à pandemia da Covid-19.

Programação variada

A programação da MALA (cujo cartaz completo segue em anexo) inclui, no primeiro dia do evento, uma sessão de “Histórias Giratórias” (10h, online); a peça “A viagem de Sophia”, pela companhia S.A.Marionetas (14h30, CAA); a inauguração da exposição retrospetiva de “Mafalda Milhões à procura do traço” (17h, sala polivalente BMMA, patente até 30 de agosto); a apresentação do livro de Cristina Taquelim, ilustrado por Mafalda Milhões, “Teodora e o Mistério dos Cachapins” (18h, sala polivalente BMMA); curta-metragem de animação “Tasso e Niki”, pelo Coletivo Nora (21h, pátio BMMA); e uma sessão de contos “Histórias que não lembram ao diabo!” com Cristina Taquelim (21h15, pátio BMMA).

Para o segundo dia (quinta-feira) está previsto uma oficina de ilustração “À procura do traço”, por Mafalda Milhões (14h30, sala polivalente BMMA); uma oficina de escrita criativa e ilustração, “Atelier de conto e linha”, por Pedro Seromenho (15h, piso 1 BMMA); a apresentação do livro “Uma Mão Cheia”, de Pedro Seromenho (17h, pátio BMMA); e uma conversa sobre “A importância do íntimo e do afeto na mediação do livro e da leitura” entre Mafalda Milhões, Pedro Seromenho, Cristina Taquelim e Maria Conceição Vicente (pátio BMMA).

Para sexta-feira, dia 4, está programado um passeio poético com Catarina Viegas e Luís Formiga (15h, partida do pátio BMMA); inauguração da exposição “Um livro é uma sequência de espaços”, com curadoria de Luís Alegre e José Sebastião Albuquerque (17h30, espaço expositivo do CAA, patente até 22 de agosto); espetáculo “Ruge”, com Rodrigo Guedes de Carvalho, Daniela Onís e Rúben Alves (21h, CAA). Este é o único evento da MALA com bilheteira (bilhetes a oito euros, com descontos).

No sábado, dia 5, decorrerá uma conversa sobre “A interdisciplinaridade ligada à promoção do livro”, com Manuela Ribeiro e Maria Conceição Vicente (10h30, pátio BMMA); uma sessão de histórias contadas em mais um “Porque hoje é sábado”…, com Pedro Seromenho (11h, sala polivalente BMMA); workshop de criação e performance de histórias inventadas “O Livro Infantil” (14h30, piso 1 BMMA); oficina de pintura “Um azulejo com história”, com Carisma Cerâmica (15h, pátio fórum); performance musical com os Sun of the Beach (16h e 17h15, pátio BMMA); apresentação do livro de Alice Caetano “Palco Sombrio Guiné – Guerra Colonial e Actos Cénicos”, por Fernando Almeida (16h15, pátio BMMA) e a apresentação, por Paulo Sucena, de dois livros de Afonso Melo: “Se Tivesse Sido Eu a Inventar Deus” e “Matemático das Seis Cordas” (17h15, sala polivalente BMMA).

A programação é variada e convida a fazer a MALA, ir a cada manifestação e viver (inúmeras) experiências literárias.