segunda-feira, 29 de março de 2021

Fernando Santos diz que Ronaldo é exemplo nacional e vai manter a braçadeira

 

O selecionador português de futebol mostrou-se hoje solidário com a reação de Cristiano Ronaldo no final do jogo na Sérvia e assegurou que o avançado "vai manter a braçadeira" diante do Luxemburgo, na qualificação para o Mundial2022.


"Vai manter a braçadeira. Todos sabem que o Cristiano é um exemplo nacional, de trabalho, no treino. Se o Cristiano tivesse ofendido o selecionador nacional, os colegas ou a federação, aí, sim, teríamos de pensar. Mas não aconteceu nada disso. Foi um momento de grande frustração, que poderia ter-me acontecido a mim, tendo em conta as coisas que eu disse ao quarto árbitro", afirmou Fernando Santos, em conferência de imprensa.

O técnico, que fazia a antevisão da partida no Luxemburgo, da terceira jornada do grupo A de qualificação para o Mundial2022, comentou a reação de Ronaldo no final do jogo com a Sérvia (2-2), no sábado, quando o avançado atirou com a braçadeira de capitão para o chão, na sequência de um golo que não lhe foi validado, aos 90+3 minutos, e que teria dado o triunfo a Portugal.

"É um momento de grande frustração, por parte de alguém que quer dar tudo pela seleção, que vê a bola entrar na baliza e não é golo. Poderia ter acontecido a qualquer um. Não se põe causa o estatuto de capitão", asseverou.

De resto, Fernando Santos lembrou que apenas uma vez na carreira deixou de contar com um jogador: "Houve um jogador que, uma vez, atirou com a camisola para chão, depois de eu o ter substituído. Esse ofendeu todos. Não foi nada disso que aconteceu com o Cristiano. Vai ser capitão de certeza."

O encontro entre Portugal e o Luxemburgo está agendado para terça-feira, a partir das 19:45 (hora de Lisboa), na Cidade do Luxemburgo, e será dirigido pelo russo Sergei Ivanov.

A seleção nacional estreou-se no grupo A da qualificação europeia com um triunfo sobre o Azerbaijão (1-0), em Turim, antes de ceder um empate na visita à Sérvia (2-2), em Belgrado.

Portugal divide o topo da classificação com a Sérvia, ambos com quatro pontos, logo seguidos pelo Luxemburgo (três), que no sábado se estreou na fase de apuramento com uma surpreendente vitória por 1-0 na visita à República da Irlanda. Em duas partidas realizadas, os irlandeses ainda não pontuaram, tal como o Azerbaijão, que tem apenas um jogo disputado.

Lusa
Imagem: Rádio Comercial

Aumentou o número de pessoas idosas vítimas de violência em 2020

O número de pessoas idosas vítimas de violência aumentou mais de 20% em 2020 face a 2019, segundo as últimas estatísticas da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

O relatório anual da APAV referente a 2020, divulgado hoje, dá conta de "13.093 vítimas diretas, tendo estas sido alvo de mais de 19.000 crimes e outras formas de violência" ao longo do último ano.

Dessas vítimas, 12,4% são pessoas idosas, a maior percentagem de sempre desde a criação da associação em 1990.

Apesar de se registarem mais 12,1% de vítimas no geral do que em 2019, o aumento chega a 21,8% nas pessoas com mais de 65 anos, faixa etária em que se contabiliza 1624 vítimas.

As estatísticas referentes a 2020 indicam ainda que 72% das vítimas idosas são mulheres com uma idade média de 76 anos, a maioria dos autores dos crimes são os filhos ou os cônjuges, a que correspondem a 33,8% e 22,7%, respetivamente. Do sexo masculino 15,3% das vítimas são pessoas idosas.

Já os autores dos crimes com mais de 65 anos equivalem apenas a 4,8% do total. Dos 13.133 autores denunciados, "65% eram do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 35 e os 54 anos", conclui o relatório.

Estes dados apresentam uma cobertura de 94% do território nacional, uma vez que "dos 308 municípios existentes em Portugal, a APAV chegou a 290 através do apoio prestado às vítimas diretas", afirma-se no relatório.

Na última newsletter do projeto "Violência contra as Mulheres e Violência Doméstica em Tempos de Pandemia" da APAV, a associação registava também que 11,8% dos pedidos de ajuda de violência contra as mulheres reportados durante o primeiro confinamento, entre 22 de março e 03 de maio de 2020, eram de violência contra as pessoas idosas.

Lusa

Crónica Postal: O DESABAFO DO IEFP


A pandemia obriga a novas formas de fazer as coisas. Uma delas é a formação do IEFP. Feita agora à distância, os desempregados tem que enviar por e-mail os papéis. Digo papéis, pois são mesmo papéis o que os formandos são obrigados a preencher, para depois digitalizar e enviar por e-mail.

Do lado de lá, o dos funcionários do IEFP, estes “papéis” agora enviados por e-mail parece que causam uma enorme confusão. Sente-se a dificuldade em tratarem dos processos desta forma.

À questão de um desempregado que havia frequentado um curso mas que não recebeu a bolsa, o funcionário explicou bem a confusão instalada. “A formação à distância e a recolha de documentos tem sido um grande desafio”, desabafou por escrito o funcionário do IEFP. E faz contas para se perceber a trabalheira que os papéis criam. “Veja a quantidade de documentos que enviou e multiplique por toda a turma e volte a multiplicar por uma série de turmas que iniciam ao mesmo tempo”. O desabafo permite perceber que os funcionários também acham que são muitos papéis. “Claro que os formandos não culpa, mas tem sido difícil gerir tudo”. O e-mail do funcionário é um desabafo, na atenciosa forma que encontrou para explicar ao formando as falhas.

Esta fase pandémica realça problemas que sempre foram conhecidos, mas que não se notava tanto. O estado burocrático pesa! Para o cidadão e para os seus funcionários.

Bem podia o estado “aproveitar” a obrigatoriedade de teletrabalho e dos contactos do cidadão por meios tecnológicos, para reduzir drasticamente a desnecessária burocracia.

EDUARDO COSTA, jornalista, Presidente da Associação Nacional da Imprensa Regional

Marinha Grande | “Era uma vez…” histórias infantis contadas online


A Biblioteca Municipal da Marinha Grande vai apresentar online a leitura de cinco livros infantis, à quinta-feira, durante o mês de abril, dando continuidade a uma iniciativa realizada desde o início do confinamento, com o objetivo de promover a literatura infantil junto das famílias.

A transmissão da sessão de leitura vai acontecer à quinta-feira, no Youtube e Facebook da Câmara Municipal da Marinha Grande e da Biblioteca Municipal, ficando depois disponível nestas plataformas.

Os livros escolhidos para leitura no mês de abril são os seguintes:
1 de abril . ”A Verdade segundo o Artur", de Tim Hopgood
8 de abril . ”A Menina com os Olhos Ocupados", de André Carrilho
15 de abril . ”Mansão das Gaivotas", de Rubens Mariano
História alusiva ao Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que se comemora a 18 de abril
22 de abril . ”A Menina que Queria Desenhar o Mundo", de Adélia Carvalho
29 de abril . ”Dançar nas Nuvens", de Vania Starkoff.

Câmara de Águeda ilumina de azul os Paços do Concelho e o Centro de Artes

 Iluminação de azul, que se vai prolongar durante todo o mês de abril, tem por objetivo assinalar o mês da prevenção dos maus-tratos na infância.

A Câmara Municipal de Águeda vai iluminar de azul, na próxima quinta-feira, os edifícios dos Paços do Concelho e do Centro de Artes de Águeda, como forma de assinalar o “Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância – Abril”, numa ação que se vai prolongar durante todo o mês de abril.

Esta iniciativa resulta de uma parceria entre o Município e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Águeda e pretende dar visibilidade à campanha do Laço Azul, que visa sensibilizar e alertar para a proteção das crianças.

“Esta é uma ação a que nos associamos, por considerarmos de extrema relevância sensibilizar desde cedo e de uma forma transversal os cuidados que devem ser assegurados às crianças e jovens”, disse Elsa Corga, Vereadora da Educação e Ação Social da Câmara de Águeda.

Para além da parceria da Câmara Municipal nesta ação, a CPCJ de Águeda vai intensificar as mensagens de alerta sobre esta temática, com atualizações semanais na página oficial da instituição no Facebook (https://www.facebook.com/aguedacpcj), sensibilizando para a prevenção dos maus-tratos e a promoção dos direitos das crianças.

Também em concertação com as Juntas e Uniões de Freguesia do concelho, que aderiram a esta iniciativa, estão a ser construídos laços azuis que as autarquias vão expor em cada sede a partir de dia 6 de abril.

No âmbito desta iniciativa, a CPCJ apelou ainda às escolas, Instituições Particulares de Solidariedade Social e Associação Comercial de Águeda para que sensibilizem a comunidade e construam laços azuis usando materiais recicláveis ou outros e os exponham em locais visíveis.

Outra das ações a realizar durante este mês, em parceria com a Federação das Associações de Pais do Concelho de Águeda, está um webinar subordinado ao tema “Abuso sexual: Prevenir para melhor proteger”, com Rui Abrunhosa.

Este mês será ainda feita a leitura de uma história e dramatização para as crianças dos 3.º anos, por parte de professoras da Rede de Bibliotecas Escolares, bem como um diálogo com as crianças sobre os seus direitos.

Todos as atividades, cujas datas e horários estão a ser ultimados, podem ser acompanhadas na referida página de Facebook da CPCJ.

De referir que o Laço Azul é uma campanha que nasceu em 1989, quando uma mulher norte-americana (Bonnie Finney) amarrou uma fita azul na antena do carro, num ato simbólico de homenagem ao seu neto que acabara de ser vítima mortal de maus-tratos. Na sequência desta iniciativa – que se tornou viral – abril passou a ser o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

A campanha deste ano, em Portugal liderada pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos das Crianças e Jovens, tem como tema “Serei o que me deres… que seja Amor”.

A CPCJ de Águeda junta a todas estas ações de sensibilização, a difusão do hino “Pintar de azul”, numa alusão à cor-símbolo da campanha, uma música que foi criada a partir de mensagens e diálogos mantidos com as crianças e escolas do 1.º Ciclo do concelho. Neste hino (que conta com o arranjo musical de Rui Ferreira e Luís soares e a interpretação da Escola de Música/Coro ARCEL), o laço azul pode ser muita coisa: “a canção de embalar do sono de uma criança”; “o colo, o abraço, a ternura, o carinho” ou “a esperança”. É este “convite” à mudança que é defendido na música e que se espera de cada campanha.

Leiria | Investimento de seis milhões torna Castelo mais inclusivo e atrativo


Valorização do património, maior inclusão e mais atratividade turística foram os objetivos apontados pelo Presidente da Câmara Municipal sobre a intervenção já concluída no Castelo de Leiria, numa visita realizada esta segunda-feira com os órgãos de comunicação social.

Para Gonçalo Lopes, a obra “tem preocupações de valorização do património e de mudança de paradigma das visitas ao Castelo, já que há uma forte aposta nas acessibilidades e no conforto para vivenciar o espaço em termos culturais e artísticos”.

Acompanhado pela Diretora Regional de Cultura do Centro e pelos arquitetos responsáveis pelo projeto, o Presidente destacou a importância dos trabalhos agora concluídos, justificando que este é um “investimento estratégico para aquilo que é a nossa visão do futuro e, com esta obra, Leiria estará na linha da frente da recuperação [da pandemia].

Encontram-se também em fase de conclusão os acessos mecânicos ao Castelo, que permitirão a subida a pessoas de mobilidade reduzida, bem como uma maior aproximação entre a envolvente da cidade ao centro histórico, já que poderão ser utilizados gratuitamente e por moradores e pessoas que trabalhem naquela zona.

O autarca salientou a “democratização do acesso” ao interior das muralhas, o que “irá permitir receber turistas que antigamente não sentiam vontade de visitar este património porque era de difícil acesso”, para além do novo potencial cultural do espaço, com a criação de condições para a realização de um vasto conjunto de eventos nas mais diversas modalidades.

Para além do conjunto de trabalhos complementares de requalificação do Largo de São Pedro, da Torre Sineira, do Largo da Sé e do parque verde da encosta, Gonçalo Lopes anunciou o que designou de “Castelo 2.0”, projeto que prevê intervenção no Palácio, porque “há zonas do Castelo a precisarem de ser melhoradas” e “se não houver preocupações de conservação, ele irá ficando deteriorado e estamos a destruir aquilo que é a nossa identidade”.

Segundo a Diretora Regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes, a requalificação do Castelo de Leiria “foi um processo desafiante e que nos orgulha profundamente”, pois este é um “exemplo do que se pode fazer para que efetivamente o património seja de todos e possa ser usufruído por qualquer pessoa”.

Encerrado ao público desde junho de 2019 e com abertura prevista para o próximo mês de maio, o Castelo sofreu uma intervenção que incluiu a requalificação da Casa do Guarda, dos celeiros medievais e da Igreja da Pena.

Os trabalhos arqueológicos foram acompanhados por Vânia Carvalho, arqueóloga municipal, para quem “a intervenção muda a perspetiva que temos de Leiria”, pois “há uma história nova para contar” na sequência das descobertas feitas, que “permitem recuar mais na história [cerca de cinco mil anos] e perceber que Leiria era muito mais relevante do que se pensava”.

A intervenção no Castelo teve um investimento de 2,6 milhões de euros (incluindo o Largo de São Pedro, que aguarda a consignação da obra), sendo financiada pelo PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e pelo Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial em cerca de 2,2 milhões de euros.

As obras dos acessos mecânicos, no Largo da Sé e no parque verde da encosta terão igualmente apoio financeiro dos fundos comunitários, sendo que o investimento de todas as intervenções ascende aos seis milhões de euros.

Também presentes na visita estiveram os vereadores da Cultura, Anabela Graça, e das Obras Municipais, Ricardo Santos.

“Olhar a Liberdade” em concurso de fotografia digital

“Olhar a Liberdade” é o título do Concurso de Fotografia Digital promovido pela Câmara Municipal da Marinha Grande, no âmbito das comemorações do 25 de Abril, cujo objetivo principal é estimular a criatividade daqueles que se dedicam ao gosto de captar e fixar imagens.

Num contexto condicionado pela pandemia, este concurso pretende contribuir para expressar a forma como olhamos e sentimos a liberdade nos dias de hoje, tendo em conta o que temos vivido e sentido no último ano, apelando ao registo de imagens que testemunhem um novo olhar e uma nova forma de fruir a liberdade.

A participação é gratuita e cada participante pode concorrer com um máximo de duas (2) fotografias em formato JPEG. As inscrições decorrem de 1 a 18 de abril de 2021, através do formulário online disponível no link https://www.cm-mgrande.pt/pages/1108.

Não são aceites fotografias manipuladas digitalmente, e que incluam molduras, assinaturas, datas ou outros dados, bem como efeitos e/ou elementos inseridos ou removidos na imagem. A edição/tratamento da imagem é permitida, sendo possível fazer alguns ajustes básicos, nomeadamente: contraste, brilho, saturação, limpeza de sujidade do sensor, redução de ruído e ajuste das tonalidades das curvas de níveis.

As fotos a concurso serão publicadas na página do Facebook do Município da Marinha Grande, em https://www.facebook.com/agendamarinhagrande, no dia 22 de abril de 2021, e estarão a votação do dia 22 de abril, até às 17h00 do dia 25 de abril. As três fotos que obtiverem mais "gostos" serão as vencedoras.

Os resultados serão exibidos na mesma página de Facebook e os vencedores serão informados, por correio eletrónico, a partir do dia 26 de abril de 2021, do resultado e da forma como poderão receber os prémios.

Alerta:DGS alerta para fraca qualidade do ar devido a massa do Norte de África


Uma massa de ar do Norte de África está a provocar uma “fraca qualidade do ar no continente”, alertou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), que recomendou cuidados redobrados para a população mais sensível, como crianças e idosos.


“Está a ocorrer uma situação de fraca qualidade do ar no continente, prevendo-se que a mesma se mantenha hoje e terça-feira”, um fenómeno que se deve à “intrusão de uma massa de ar proveniente dos desertos do Norte de África”, adiantou a DGS.

Segundo a mesma fonte, o efeito deste fenómeno pode ser enfraquecido com a chuva que está prevista para algumas zonas do país, o que permitirá reduzir a concentração de partículas no ar.

Estas partículas inaláveis têm “efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, nomeadamente nas crianças e idosos, cujos cuidados de saúde devem ser redobrados durante a ocorrência destas situações”, adiantou ainda a DGS.

Nesse sentido, é recomendado que a população em geral reduza os esforços prolongados, limite a atividade física ao ar livre e evite a exposição a fatores de risco, como o fumo do tabaco e o contacto com produtos irritantes.

Os grupos de cidadãos, pela sua maior vulnerabilidade aos efeitos deste fenómeno, para além de cumprirem as recomendações para a população em geral, devem permanecer no interior dos edifícios e, se viável, com as janelas fechadas”, avisou a DGS.

Além das crianças e idosos, a DGS aponta como vulneráveis pessoas com problemas respiratórios crónicos, principalmente asma, e doentes do foro cardiovascular, recomendando que, em caso de agravamento de sintomas, devem contactar a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou recorrer a um serviço de saúde.


Lusa

Compra do terreno já foi formalizada: Lusomapei SA vai instalar fábrica em Cantanhede

 

A Lusomapei, SA acaba de formalizar a compra de um lote na Zona Industrial de Cantanhede para instalação de uma nova unidade fabril.

O contrato foi assinado durante uma reunião de Mário Jordão e Carlos Lobinho, respetivamente administrador delegado e administrador da empresa, com a presidente da Câmara Municipal. Helena Teodósio congratula-se pelo “crescente interesse de indústrias de prestígio e dimensão internacional em instalarem-se no concelho, como acontece agora com a Lusomapei e com outras que também já adquiram terrenos para o efeito. Esta realidade mostra bem o quanto tem sido acertada a estratégia da autarquia em investir na expansão das zonas industriais, nomeadamente nas de Cantanhede, Tocha e Febres”.

Segundo a autarca, “trata-se de um processo que o executivo camarário está apostado em continuar a intensificar, tendo em vista o reforço a base económica com a atração de investimentos industriais em setores de elevado valor acrescentado, reforçando por essa via as cadeias de valor do concelho e alargando o leque de oportunidades de trabalho”. Para Helena Teodósio, “essa é seguramente a melhor forma de ultrapassarmos a crise económica e social originada pela pandemia de Covid-19, ou seja, preparando desde já o futuro com condições cada vez mais favoráveis à instalação de empresas, o que estamos a fazer através de uma política de atratividade empresarial bastante competitiva”.

Na Zona Industrial de Cantanhede, a Lusomapei, SA propõe-se investir 11,5 milhões de euros na construção de uma nova fábrica que terá cerca de 8.000 mt2 de área coberta e 17.600 mt2 de armazenagem externa A nova unidade produtiva será equipada com tecnologia de vanguarda, prevendo-se a criação de 40 novos postos de trabalho diretos, na sua maioria qualificados. 

O objetivo da Lusomapei, SA é aumentar a capacidade produtiva e o serviço ao cliente nos principais mercados onde opera, fornecendo produtos químicos para o sector da construção, especificamente, adesivos para colagem de cerâmica e materiais pétreos, juntas de betumação, impermeabilizantes, ETICS, argamassas de reparação de betão, adjuvantes para moagem e adjuvantes para betão, entre outros. Fundada no final de 2001, a Lusomapei S.A. é a filial da Mapei em Portugal, alicerçando a sua atividade “no compromisso de continuar a investir em segurança, saúde e ambiente”.


 

INTERRUPÇÃO DO FORNECIMENTO DE ÁGUA NA URB. SENHORA DO PILAR, URB. VALE VERDINHO, URB. COLINAS VERDES E RUA 5 DE OUTUBRO NO DIA 31 DE MARÇO NA UNIÃO DE FREGUESIAS DE ALGOZ E TUNES

A Câmara Municipal de Silves (CMS) informa que no dia 31 de Março (Quarta-feira), entre as 09h00 e as 11h00, será interrompido o fornecimento de água nas Urbanizações de Vale Verdinho, Sr.ª do Pilar, Colinas Verdes e Rua 5 de Outubro (em Algoz).

Este corte deve-se a motivos de força maior, relacionados com esforços conjuntos entre o Município e as Águas do Algarve, S.A. na identificação de uma eventual anomalia nas infraestruturas de abastecimento de água, podendo ocorrer variações de pressão e caudal aquando da reposição do abastecimento.

Para esclarecimento de qualquer dúvida ou obtenção de informações adicionais a Câmara Municipal disponibiliza o seguinte contacto telefónico do Piquete de Águas: 282 440 860.

Serão tomadas todas as diligências para que os trabalhos decorram de forma célere e eficiente, pelo que a CMS agradece a melhor compreensão dos munícipes e utentes do sistema pelos transtornos causados.

Vagos aderiu à Rede Nacional de Municípios Amigos da Juventude


No dia 16 do mês de fevereiro de 2021, a adesão do Município de Vagos à Rede Nacional de Municípios Amigos da Juventude (https://www.redemunicipiosjuventude.fnaj.pt/) foi validada pela Federação Nacional de Associações Juvenis (FNAJ), tornando, desta forma, o Município membro fundador desta Rede pioneira que se traduz num espaço para as políticas de Juventude de Base Local.

Esta plataforma conta já com mais de 70 Municípios portugueses e tem como missão consolidar a ligação e cooperação entre o movimento associativo juvenil e as autarquias, traduzindo-se numa rede de contacto e compromisso para a implementação de reais políticas de juventude, potenciadora de uma abordagem inovadora na forma de encarar as questões da participação jovem.

A inclusão do Município de Vagos nesta Rede eleva o atual compromisso da autarquia com os jovens do concelho, potenciando a criação de mais e melhores políticas amigas da Juventude, por meio da partilha de boas práticas, da criação de estratégias e da promoção de sinergias associativas e municipais.

Figueira da Foz: GNR apreendeu armas de fogo em contexto de violência doméstica


O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas, no dia 25 de março, apreendeu duas armas de fogo e várias munições no âmbito de um processo de violência doméstica, no concelho de Figueira da Foz.

Na sequência de uma investigação por violência doméstica, em que o suspeito de 39 anos agredia fisicamente a vítima, sua ex-companheira de 42 anos, os militares da Guarda apuraram que o agressor tinha violado a medida de coação que lhe havia sido imposta pela autoridade judiciária de entregar as armas que tivesse em sua posse. No seguimento da ação foi dado cumprimento a duas buscas, uma domiciliária e uma em veículo, tendo sido apreendidas duas armas de fogo de calibre 12, bem como 970 cartuchos do mesmo calibre.

Os factos foram remetidos para o Departamento de Investigação e Ação Penal da Figueira da Foz.

A ação contou com o reforço do Posto Territorial de Maiorca e do Destacamento de Intervenção de Coimbra.

Imagem: Notícias de Coimbra

AVISO » PERIGO DE INCÊNDIO RURAL » MEDIDAS PREVENTIVAS

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se a partir de hoje, dia 29 de março e para as próximas 72 horas, um quadro meteorológico de tempo seco, com aumento gradual dos valores de temperatura máxima e vento de quadrante Leste, realçando-se os seguintes aspetos:


» Humidade relativa BAIXA durante a tarde. Recuperação noturna a diminuir gradualmente.

 

» Vento do quadrante Norte, rodando para o quadrante Leste, com brisa no litoral durante a tarde e sendo moderado a forte até 40 km/h durante a noite e manhã nas terras altas.

 

» Subida da temperatura com acentuada amplitude térmica, devendo manter-se até ao dia 1 abril.

 

» Este cenário meteorológico traduz-se num aumento dos índices de risco de incêndio até quarta-feira, dia 31 de março, com condições favoráveis à rápida propagação de incêndios.

 

EFEITOS EXPECTÁVEIS

 

Em função da previsão das condições meteorológicas é expectável:

Tempo seco com condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

 

MEDIDAS PREVENTIVAS

 

A Autoridade Nacional de Emergência de Proteção Civil (ANEPC) recorda que, de acordo com as disposições legais em vigor:

 

»  A realização de queimadas extensivas só é permitida após autorização da Autarquia local;

 

» Para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja de nível muito elevado ou superior:

- A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, está também sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa.

- Para a sua realização, deverão ser assegurados os cuidados estabelecidos em Queima de Amontoados em Segurança, disponível em:

https://fogos.icnf.pt/sgif2010/InformacaoPublicaDados/Queima_2019.jpg.

 

A ANEPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.


Salazar visto pelo único jornal português com liberdade de imprensa durante o Estado Novo


O professor Rui Correia está de volta aos livros com uma investigação sobre o Diário de Notícias da comunidade portuguesa de New Bedford, Massachusetts, nos Estados Unidos, o único jornal português que, durante o Estado Novo, gozava de liberdade de imprensa. Salazar em New Bedford é o título deste documento histórico, importantíssimo para compreender uma era complexa e a forma como os emigrantes portugueses na Nova Inglaterra viviam e analisavam o regime de Salazar. O novo livro do vencedor da edição de 2019 do Global Teacher Prize é uma edição Guerra e Paz, com o apoio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e chega à rede livreira nacional no próximo dia 6 de Abril.

Durante o regime de Salazar, Portugal e toda a imprensa portuguesa viveram submetidos a uma implacável censura mediática. Deste policiamento constante, nasceria uma imprensa conformada, que, refém, projectou durante 48 anos uma narrativa noticiosa centrada num partido único, numa pátria inteira rendida a uma só voz.

Mas os tentáculos desse grande polvo não chegavam ao outro lado do Atlântico, como a muitos outros pontos do Globo, nos quais a liberdade de imprensa era um garante dos seus regimes. Assim era em New Bedford, cidade de Massachusetts, nos Estados Unidos da América, onde a comunidade de imigrantes portugueses criou o Diário de Notícias, um jornal diário em língua portuguesa que expressava a sua fidelidade à liberdade de expressão.

Mesmo à distância, aquele órgão de comunicação seguia de perto os acontecimentos do seu país natal, acolhendo nas suas páginas as opiniões e as causas de todo o espectro político do seu tempo, desde os adeptos da monarquia até aos afectos ao socialismo.

Agora, 48 anos depois daquele jornal fechar portas, o Diário de Notícias de New Bedford volta a revelar o seu contributo histórico com a publicação de Salazar em New Bedford. O livro é um excelente, rigoroso e pormenorizado trabalho de investigação do professor e historiador Rui Correia, a partir de algumas das milhares de edições do jornal português nos Estados Unidos.

O estudo traz à luz do dia o importante contributo do único diário português – o único livre naqueles tempos – para interpretar uma época muito particular da nossa história. Nele se entrelaçam o mundo do jornalismo, da política, da propaganda e da imigração nos Estados Unidos. Uma fonte limpa e uma visão singular e incisiva do Estado Novo.

Salazar em New Bedford contou com o apoio à edição da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e chega às livrarias portuguesas no dia 6 de Abril, com a chancela da Guerra e Paz. A obra poderá ainda ser adquirida através do site da editora.

Salazar em New Bedford
Rui Correia
Não Ficção / História
248 páginas · 15x23 · 16,00 €
Nas livrarias a 6 de Abril
Guerra e Paz, Editores

Aveiro | Participação pública para revisão do plano de pormenor do centro

O período de Participação Pública para formulação de sugestões e apresentação de informações no âmbito da revisão do Plano de Pormenor (PP) do Centro (zona da Fonte Nova) inicia-se esta quinta-feira, 01 de abril e prolonga-se por 15 dias úteis, até ao dia 22 de abril.

Os interessados podem apresentar os seus contributos por escrito, em carta dirigida ao Presidente da Câmara Municipal de Aveiro (CMA) ou por via eletrónica para o e-mail geral@cm-aveiro.pt, através do modelo disponível no site do Município de Aveiro (https://www.cm-aveiro.pt/).

O desenvolvimento urbano da zona de incidência do PP do Centro, o Cais da Fonte Nova e sua envolvente, são uma operação que recebe um balanço muito positivo, existindo, no entanto, várias disfunções a tratar em várias zonas deste PP, quer no que respeita aos espaços privados quer no que respeita aos espaços públicos, que queremos resolver com este processo de Revisão do PP do Centro, que definimos realizar no quadro da vigência do novo PDM.

Os Termos de Referência estarão disponíveis a partir de dia 01 de abril, no Gabinete de Atendimento Integrado (GAI) da CMA, localizado no Edifício do Centro de Congressos, Cais da Fonte Nova ou também através do site da CMA em:

Aveiro | Discussão pública do relatório sobre o estado de ordenamento do território


Tem início esta quinta-feira, 01 de abril e por um período de 30 dias úteis, até 14 de maio, a Discussão Pública do Relatório sobre o Estado de Ordenamento do Território.

Os interessados podem apresentar os seus contributos por escrito, em carta dirigida ao Presidente da Câmara Municipal de Aveiro (CMA) ou por via eletrónica para o e-mail geral@cm-aveiro.pt, através do modelo disponível no site do Município de Aveiro (https://www.cm-aveiro.pt/).

Este relatório traduz a avaliação que a CMA realiza permanentemente sobre a concretização da sua política de ordenamento do território e urbanismo, bem como as dinâmicas sociodemográficas e económicas do Município.

A presente avaliação, que incorpora já as alterações promovidas pela revisão do PDM de Aveiro, evidencia uma maior intensidade na reabilitação urbana, não só decorrente da forte dinâmica do setor do turismo como também dos incentivos fiscais que surgiram neste período e do esforço que tem sido feito através da reabilitação do espaço público, com obras e investimento da CMA por todo o Município.

O Relatório estará disponível para consulta, a partir do dia 01 de abril, no Gabinete de Atendimento Integrado (GAI) da CMA, localizado no Edifício do Centro de Congressos, Cais da Fonte Nova ou através do site da CMA em:


Aveiro | Entregues 28.400 unidades de equipamentos de proteção individual aos bombeiros e ipss

 Câmara entregou 113.400 unidades de EPI no primeiro trimestre de 2021 

A Câmara Municipal de Aveiro (CMA) realizou entre hoje, 29 de março e a última sexta-feira, uma nova entrega de 28.400 unidades de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de 150 litros gel desinfetante às duas Corporações de Bombeiros do Município e às 26 Instituições Privadas de Solidariedade Social (IPSS). Nos três primeiros meses de 2021 a CMA já entregou 113.400 unidades de EPI.

Trata-se da quarta entrega realizada pela CMA em 2021, integrada no Programa de Ação de Apoio à Atividade Social e Económica / Operação anti Covid-19, opção política prioritária que continuamos a concretizar, com um elevado investimento da CMA de 8 milhões de euros, 23 ações, 100 medidas e uma operação especial.

Com a preocupação de prestar auxílio às Instituições e aos Cidadãos que mais precisam neste momento, foram distribuídas máscaras cirúrgicas (7.650 un.), máscaras FFP2 (1.900 un.), luvas (13.100 pares), fatos (845 un.), óculos de proteção (200 un.) toucas (1.325 un.), protetores de sapatos (1.440 un.), batas (1.210 un.), aventais (730 un.) e gel desinfetante (150 litros).

Nestas e noutras entregas já realizadas, a CMA cuida de realizar uma distribuição de forma proporcional, quer à dimensão de cada Instituição em termos de Idosos beneficiados e de Funcionários, quer na entrega de EPI mais adequados às Instituições que têm Idosos em Lares, com casos de Covid-19 positivos.

Reiteramos o agradecimento público pelo excelente trabalho em prol da Vida da Nossa Boa Gente, dos Dirigentes, Profissionais e Voluntários das IPSS’s e dos Bombeiros, e desejando que tudo corra bem na Vida das Pessoas e das Instituições, nesta fase difícil e intensa do Combate à Pandemia do Coronavírus / Covid-19.

Retoma dos sorteios da Campanha de Vouchers “Vagos +Comércio”

No seguimento do decretado Confinamento que levou, consequentemente, à suspensão dos sorteios da Campanha de Vouchers “Vagos +Comércio”, o Município de Vagos e o Núcleo Empresarial de Vagos (NEVA) informam de que, ao abrigo do Plano de Desconfinamento em vigor, desde o passado dia 11 de março de 2021, serão retomados os sorteios da campanha.

De forma a regularizar os três sorteios suspensos (meses de janeiro, fevereiro e março de 2021) e respetiva extração dos cupões, será realizado um sorteio abrangente no próximo dia 9 de abril de 2021, pelas 16h00.

Assim, este sorteio, dará lugar à extração de 120 cupões, equivalente ao total dos cupões dos três sorteios suspensos.

Face ao exposto, esclarecem-se os seguintes pontos:

  • Face à reabertura da Biblioteca Municipal de Vagos, a colocação de cupões poderá ser feita na tômbola que se encontra na Biblioteca Municipal de Vagos, no seguinte horário de funcionamento:
    • Segunda a sexta-feira das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00;
    • Sábados das 10h00 às 13h00;
  • A colocação de cupões pode continuar a ser feita nas caixas disponíveis para este efeito num dos seguintes edifícios de Junta de Freguesia, de acordo com os respetivos horários de funcionamento:
    • Edifício da Junta de Freguesia de Calvão
    • Edifício da Junta de Freguesia de Covão do Lobo
    • Edifício da Junta de Freguesia da Gafanha da Boa Hora
    • Edifício da Junta de Freguesia de Ouca
    • Edifício da Junta de Freguesia de Santa Catarina
    • Edifício da Junta de Freguesia de Santo de André de Vagos
    • Edifício da Junta de Freguesia de Soza
    • Edifício da Junta de Freguesia de Vagos
  • Os cupões respeitantes às compras realizadas após o sorteio do dia 18 de dezembro 2020 até ao dia 9 de abril serão considerados neste próximo sorteio (excecionalmente);
  • A colocação de cupões nas caixas disponíveis nas juntas de freguesia deverá ser feita até 3 dias antes da data do sorteio;
  • A colocação de cupões na tômbola da Biblioteca Municipal de Vagos poderá ser feita até ao período da manhã do dia do sorteio.

Assim, no próximo mês de abril de 2021, serão realizados dois sorteios no âmbito desta campanha, ou seja, para além do sorteio do dia 9 de abril, manter-se-á, salvo indicações em contrário, a realização do sorteio inicialmente agendado para dia 30 de abril, sendo válido para este último sorteio, apenas os cupões referentes a compras realizadas entre o dia 9 e o dia 29 de abril de 2021.

Para qualquer questão/esclarecimento, poderá contactar através do telefone 234 799 600 ou por e-mail para geral@maiscomercio.vagos.pt.

Marinha resgata tripulante a precisar de ajuda médica urgente ao largo dos Açores


A Marinha Portuguesa resgatou domingo um tripulante, a necessitar de assistência médica imediata, de um navio mercante que navegava ao largo da costa dos Açores, segundo uma informação divulgada pela força militar, acrescentando que o tripulante está hospitalizado.

O tripulante, de nacionalidade turca, "apresentava sintomas de hemorragia gastrointestinal, a necessitar de cuidados médicos imediatos”, refere a nota da Marinha, que precisa que o resgate feito ao início da tarde de domingo aconteceu em articulação com o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento das Lajes (RCC Lajes) da Força Aérea.

De acordo com a nota da Marinha, “o resgate foi efetuado pela aeronave EH-101 da Força Aérea Portuguesa (FAP), que transportou o paciente para o Aeroporto de Ponta Delgada – João Paulo II, na Ilha de São Miguel, onde aterrou às 19h45 (horas locais) do dia 28 de março”.

“O paciente foi posteriormente transferido para o Hospital do Divino Espírito Santo, na ilha de São Miguel. Estiveram envolvidos nesta operação o MRCC Delgada, o RCC Lajes, uma aeronave da FAP (EH-101) e uma ambulância do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores”, acrescenta a informação.

Lusa

Variedade de aspectos na vida de nosso Divino Salvador

 

Numa conferência para sócios e cooperadores da TFP, em 9 de outubro de 1971, Plinio Corrêa de Oliveira tratou de vários aspectos da fisionomia moral de nosso Divino Redentor. Para este Domingo de Ramos, selecionamos o seguinte trecho sobre a entrada de Jesus em Jerusalém — primeiro dia da Semana Santa.

  • Plinio Corrêa de Oliveira

Quando analisamos a vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, notamos que as circunstâncias dessa vida Lhe permitiriam exercer de modo supereminente todas as profissões lícitas que um homem pudesse exercer. Não há atividade lícita alguma que Ele não pudesse ter exercido.

Jesus Cristo, por exemplo, como Rei, a mais alta atividade na ordem temporal. Ele, de fato, era Príncipe da Casa de Davi. Tinha, portanto, toda a nobreza, toda a superioridade, toda a grandeza do principado. Em sua entrada em Jerusalém no Domingos de Ramos [quadro acima], Ele foi aclamado verdadeiramente como Rei de Jerusalém. O povo bradava dando vivas: “Hosana ao filho de Davi!”.Descendente, portanto, dos antigos reis.

Se bem Ele tenha entrado em Jerusalém montado num burrico, que era a manifestação da sua mansidão, sua majestade não perdeu nada com isto. Pelo contrário, o Evangelho narra que o povo O aclamava com entusiasmo, numa verdadeira consagração. O povo sentia a grandeza régia d’Ele.

Nosso Senhor foi o sacerdote por excelência. Todo o sacerdócio que existiu na Antiga Lei era uma prefigura do sacerdócio d’Ele. De outro lado, todo o sacerdócio que o sucedeu é uma participação do sacerdócio d’Ele. O pontífice por excelência. Aquele que foi pontífice e vítima ao mesmo tempo — porque Ele foi vítima, oferecendo-se a Si próprio em sacrifício — foi o instituidor da Santa Missa. E, portanto, o celebrante e vítima ao mesmo tempo, o que posteriormente foi consumado no altar da Cruz.

Deveríamos imaginar um rei com todas as qualidades arquetípicas de rei, o mais majestoso e o mais nobre dos reis que existissem. Ainda assim teríamos pálida ideia da majestade de Jesus Cristo. Deveríamos imaginar um sacerdote, um pontífice, um Papa o mais plenamente papal que pudéssemos conceber. Mesmo assim teríamos pálida ideia de quem foi Nosso Senhor Jesus Cristo.

Ele foi verdadeiramente batalhador e guerreiro. Sua vida foi de luta. Não só lutou contra os demônios, expulsando-os continuamente, mas combateu também contra o poder das trevas nesta Terra, enfrentando de modo magnífico a conjuração secreta que se tramava contra Ele. Inclusive no momento em que O buscavam para prender, os soldados queriam saber quem era Jesus de Nazaré e Ele respondeu: “Ego sum”(Sou eu). Nesse momento, todos os soldados caíram por terra.

É a afirmação magnífica do guerreiro, que, simplesmente ao enunciar seu nome, derruba todos os adversários. Ele depois se entregou, declarando que se entregava porque assim o desejava. Pois se Ele quisesse, teria muitas legiões de anjos à sua disposição. Elas desceriam imediatamente e liquidariam seus adversários. Para se compor o feitio moral de Nosso Senhor, imagine-se o mais perfeito dos guerreiros de todos os tempos e ter-se-á, assim, uma pálida ideia daquilo que Ele foi.

ABIM

Estudo avalia a perceção dos residentes em cidades pequenas sobre a atividade turística

 

Para os residentes em cidades pequenas, os impactos socioculturais da atividade turística são mais importantes do que os impactos económicos, conclui um estudo conduzido por investigadores da Universidade de Coimbra (UC) e do Instituto Politécnico de Viseu (IPV).

Esta investigação, que teve por objetivo analisar a relação entre a ligação ao lugar e os impactos percecionados pelos residentes em cidades de pequena dimensão relativamente à atividade turística, envolveu 350 habitantes de várias cidades, entre as quais Aveiro, Covilhã, Figueira da Foz, Gouveia, Guarda, Leiria, Seia e Viseu.

«A investigação sobre a visão dos residentes relativamente à atividade turística é pouco explorada, mais ainda em cidades de pequena dimensão. Por isso, este estudo pretende precisamente colmatar essa lacuna na literatura e contribuir para um melhor planeamento destes destinos que, fruto da pandemia, vão ter uma maior procura», afirma Cláudia Seabra, investigadora e docente da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC).

Uma explicação para os dados obtidos no estudo, financiando pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), prende-se com o facto de «nas pequenas cidades o espírito de comunidade ainda ser forte. As pessoas estão mais conscientes dos efeitos sociais que o desenvolvimento do turismo tem nas suas vidas do que os efeitos económicos ou ambientais. Em geral, as pequenas cidades têm uma população pequena e envelhecida, com menos oportunidades de emprego, cuidados de saúde e grandes infraestruturas de comunicação», afirma Cláudia Seabra.

Nessas comunidades, fundamenta, «as pessoas geralmente estão ansiosas para conhecer novas pessoas e se conectar com outras culturas e gerações diferentes. Em geral, os impactos negativos dos grandes centros urbanos onde milhares de turistas se aglomeram não são sentidos. Os turistas são vistos como pessoas que trazem oportunidades de negócios, visitando bares, restaurantes, hotéis e atrações da região, ao mesmo tempo que compram produtos locais para levar. Por outro lado, os turistas são fontes de rejuvenescimento cultural».

A docente e investigadora do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) considera que os resultados deste estudo, além de contribuírem para uma «maior consciência dos efeitos que o desenvolvimento do turismo está a ter na comunidade dos destinos das pequenas cidades, porque o turismo pode ser um desafio para as pequenas localidades e cidades, sobretudo de forma sustentável», podem ajudar «os gestores a fornecer benefícios económicos, sociais e culturais de longo prazo para a comunidade local, melhorando a qualidade de vida e, assim, fortalecendo o lugar e o vínculo com a comunidade».

Cristina Pinto

Proença-a-Nova | Projeto Memórias Resgatadas avalia resposta dos municípios à gripe pneumónica de 1918


O projeto “Memórias Resgatadas, Identidades (Re)construídas” (MRIR), que o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa se encontra a desenvolver nos concelhos de Proença-a-Nova, Sertã, Oleiros, Mação e Vila de Rei, está a recolher informação sobre a resposta que os municípios do Pinhal Interior Sul deram às populações durante a pneumónica – ou gripe espanhola – que assolou o mundo em 1918-1919, comparando-a com a resposta que estes mesmos municípios estão a dar atualmente, quando se vive a crise de saúde pública provocada pela COVID-19. A investigação está a ser dinamizada por Ana Isabel Madeira, investigadora responsável, e por Helena Cabeleira, apoiadas por António Manuel Silva, que se encontram a visitar os arquivos municipais. “Andamos à procura de elementos nos livros de atas das sessões de câmara e das comissões administrativas locais, da imprensa local e regional da época, nos livros dos cemitérios e nos livros de registos de correspondência, das entradas e saídas”, refere António Manuel Silva, dando um exemplo: “No dia 30 de outubro de 1918 foram enterradas 11 pessoas no cemitério de Proença-a-Nova”.

Sendo que o objeto principal de investigação do projeto MRIR é a exploração da memória e do património histórico local relacionados com a educação, o ensino e a escola em meio rural, estão a ser avaliados particularmente os aspetos interligados com este tema, nomeadamente “se as escolas fecharam e as aulas foram suspensas”. Por enquanto, ainda é cedo para apresentar conclusões, mas há certos dados, relacionados com Proença-a-Nova, que se destacam, por exemplo, a mortandade da população que foi transversal a todas as aldeias e a fome, tendo em conta a escassez de cereais: é preciso recordar que a Europa estava a sair da I Guerra Mundial, seguindo-se depois a pneumónica que teve também consequências graves.

Paralelamente, a equipa continua a trabalhar sobre os dados já recolhidos para constituir uma Memória da Educação ao nível local, identificando o património material e imaterial associado à Educação e ao Ensino (edifícios, iconografia, biografias de pedagogos e professores, efemérides, museus escolares, imprensa local e regional, estatística escolar ou visitas de estudo). Qualquer pessoa que tenha elementos por partilhar pode contactar a equipa através da página do projeto (http://www.ie.ulisboa.pt/projetos/mrir) ou do Facebook (www.facebook.com/projecto.investiga.mrir).

Este projeto é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, com cofinanciamento do programa Compete2020, Lisboa2020, Portugal2020 e União Europeia.

Inglaterra levanta restrições mas com cautela

O Reino Unido dá hoje mais um passo para sair do confinamento em vigor há três meses com o fim, em Inglaterra, da ordem para ficar em casa, mas as autoridades mantêm uma mensagem de cautela. 

A partir de hoje, as pessoas podem juntar-se em grupos de seis ao ar livre e podem retomar a prática de desportos em espaços abertos, como ténis, golfe ou natação, a primeira etapa do plano de desconfinamento do Governo britânico.

As restrições continuam ao convívio de agregados familiares diferentes dentro de casa e, apesar de não existirem instruções claras sobre a distância que se pode viajar dentro do país, continua a ser proibido pernoitar fora da residência principal.

O comércio não essencial vai permanecer fechado até 12 de abril e os restaurantes e cafés só poderão servir dentro de portas a partir de 17 de maio, altura em que o Governo admite levantar as restrições de viagem para o estrangeiro.

Com o programa de vacinação bastante avançado, o primeiro-ministro, Boris Johnson, espera levantar completamente o confinamento em 21 de junho, autorizando eventos com público como concertos e jogos de futebol.

Porém, avisou hoje os britânicos, é preciso manter a cautela "pois os casos estão a aumentar em toda a Europa e novas variantes ameaçam o nosso plano de vacinação".

As outras regiões do Reino Unido - Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte - estão a adotar medidas semelhantes, mas com datas diferentes. No País de Gales, milhares de pessoas invadiram praias e parques naturais no sábado, depois que as autoridades suspenderem as restrições de viagem que estavam em vigor desde dezembro.

O receio com a onda de infeções em curso em alguns países do continente europeu, como França, Alemanha ou Polónia, levou o Governo britânico a anunciar que vai exigir testes rápidos a profissões até agora isentas de quarentena, como camionistas ou tripulações de avião que cheguem do estrangeiro.

O ministro da Cultura, Oliver Dowden, disse à BBC no domingo que as etapas do desconfinamento "poderão ser atrasadas se a situação se deteriorar". 

O Reino Unido é o país com mais mortes na Europa e o quinto a nível mundial, tendo registado 126.592 óbitos confirmados desde o início da pandemia covid-19.

Lusa

Prolongadas até 15 abril restrições ao tráfego aéreo

O Governo alargou até 15 de abril a suspensão dos voos com o Reino Unido e Brasil e o isolamento profilático de 14 dias passa também a aplicar-se à fronteira terrestre para países de alto risco.

Segundo uma nota do executivo, do Brasil e Reino Unido apenas estão permitidos os voos de repatriamento e os cidadãos que cheguem ao nosso país provenientes destes países, bem como da África do Sul, nos voos de repatriamento ou através de escalas, têm não só de apresentar o comprovativo de teste negativo como cumprir um período de isolamento profilático de 14 dias.

"Os passageiros que chegam a território nacional sem o comprovativo de realização do teste para despiste da infeção por SARSCoV-2 têm de o realizar no interior do aeroporto, a expensas próprias, através de profissionais de saúde habilitados para o efeito, e têm de aguardar o resultado no próprio aeroporto", refere.

A nota do gabinete do ministro da Administração Interna diz ainda que os passageiros provenientes de países onde se regista uma taxa de incidência igual ou superior a 500 casos por 100 mil habitantes "só podem efetuar viagens essenciais" e também estão sujeitos a isolamento profilático de 14 dias. Na lista destes países constam a Bulgária, República Checa, Chipre, Eslovénia, Estónia, França, Hungria, Itália, Malta, Polónia e Suécia.

Também só podem efetuar viagens essenciais os passageiros provenientes de países onde a taxa de incidência é igual ou superior a 150 casos por 100 mil habitantes, como é o caso da Alemanha, Áustria, Bélgica, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Finlândia, Grécia, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Roménia e Suíça.

"Nos voos provenientes de países terceiros apenas são permitidas viagens essenciais", refere o Governo.

Lusa

Imagem: JN