terça-feira, 6 de julho de 2021

Castelo de Paiva | Espectáculo realiza-se na próxima Sexta Feira

  Festival Inventa apresenta “ música ao luar “ no Monte de São Domingos da Serra

O emblemático santuário de São Domingos da Serra, em Raiva, no território de Castelo de Paiva, vai ser palco já na próxima Sexta Feira, dia 9 de Julho, pelas 21h30, de mais uma jornada do “ Musica ao Luar “, do Festival Inventa.

Estes projectos emergentes da música nacional associam-se às paisagens naturais dos territórios intervencionados. Parques naturais, paisagens protegidas, espaços envolventes a áreas arqueológicas e outras edificações classificadas servem de cenário para concertos intimistas ao luar, para ver, ouvir e sentir.


Monday é o projecto a solo de Cat Falcão, metade do duo Golden Slumbers. Apresentou-se ao público em 2018 com o disco de estreia “One” (incluído nas listas de melhores álbuns do ano em rádios e publicações portuguesas) e passou por palcos como os do Bons Sons, das Festas do Mar e do Festival Impulso, entre muitos outros.


Agora, Monday regressa com um novo trabalho e uma sonoridade diferente, com Cat a abrir uma janela e a deixar o dia entrar. O resultado são canções coloridas, orelhudas e vibrantes. As novas canções, produzidas com o Miguel Nicolau (Memória de Peixe), trocam as influências folk por uma estética despreocupada e sonhadora, carregada de guitarras ondulantes e sintetizadores suaves, onde a sensibilidade pop de Monday destaca-se neste novo mundo, e a voz de Cat Falcão aparece mais ambiciosa e confiante.


Recorda-se que este é espectáculo com entrada gratuita, condicionada à lotação do espaço definido para o evento, sendo obrigatório o uso de máscara e a observação das regras de distanciamento entre os participantes.


O Festival Inventa é um projecto promovido no âmbito da operação 'Cultura em Rede – Tâmega e Sousa', sendo cofinanciado pelo NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, sendo promotores a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, a Associação de Municípios do Vale do Sousa – Rota do Românico, e a Associação de Municípios do Baixo Tâmega.


Carlos Oliveira

Praia fluvial de Monsaraz vai ter ação de limpeza do lixo para preservar ecossistemas da albufeira de Alqueva


A praia fluvial de Monsaraz vai ter no dia 11 de julho, pelas 10h, uma ação de limpeza do lixo integrada na iniciativa Blue Flag Med Week, no âmbito do programa Clean Seas da Organização das Nações Unidas. A operação de limpeza do areal e das zonas envolventes à praia fluvial de Monsaraz está incluída nesta iniciativa que teve início em 2017 e envolve todos os países do Mediterrâneo membros da bandeira azul internacional, promovendo ações simultâneas de limpeza das praias e marinas sob o lema “Cuidar do mar que nos une”.
Com esta ação pretende-se contribuir para a preservação dos ecossistemas existentes na albufeira de Alqueva, pois o lixo marinho encontra-se em todos os lagos, rios, mares e oceanos do mundo, desde as zonas costeiras densamente povoadas às ilhas mais isoladas. Este tipo de lixo é um enorme problema para o equilíbrio dos ecossistemas marinhos ou lacustres, mas também para a saúde humana.
As praias são ambientes propícios à aglomeração de pessoas e por isso são um local privilegiado para a concentração de resíduos, fabricados ou processados, que depois entram no sistema aquático e acabam no fundo dos oceanos. O lixo marinho afeta inúmeras espécies de mamíferos, répteis, peixes e aves, que ficam presas em redes de pesca ou que confundem os itens de plástico por alimento.
Na edição deste ano da Blue Flag Med Week participam organizações não governamentais de Portugal, Espanha, Croácia, França, Chipre, Montenegro, Grécia, Israel, Eslovénia, Turquia e Malta que pretendem mobilizar os habitantes, as associações, a comunidade escolar e os turistas das regiões para terem um papel ativo no combate ao lixo marinho.




Carlos Manuel Barão 

Évora | Artes à Rua 2021 cancelado devido à pandemia


A Câmara Municipal de Évora decidiu cancelar a edição deste ano do Festival Artes à Rua, cuja realização deveria ter lugar ao longo do mês de agosto. Em causa está a evolução da situação pandémica, com a previsão de agravamento da situação nas próximas semanas a não aconselhar a realização deste tipo de eventos públicos nas datas anunciadas. 

A autarquia lamenta a situação e prevê retomar no Jardim Público, assim que as condições sanitárias o permitam, a programação que seja possível implementar. A chamada para apresentação de novas criações por parte dos artistas será aberta em breve, prevendo-se que as apresentações dos projectos selecionados possam acontecer no primeiro semestre de 2022. 

Recorde-se que este é o segundo ano em que a pandemia de Covid-19 impede a realização do Artes à Rua - Festival de Artes Públicas de Évora.

Leiria | Falhas no cadastro obrigam a reforçar investimento nas Av. Nossa Senhora de Fátima e Gen. Humberto Delgado


A Câmara Municipal de Leiria aprovou esta terça-feira, em reunião de Câmara, um reforço do investimento nas Avenidas Nossa Senhora de Fátima e General Humberto Delgado, uma situação resultante de falhas no cadastro que identifica as infraestruturas enterradas, o que obrigou a vários trabalhos não previstos na empreitada inicial, uma decisão tomada com o objetivo de garantir total qualidade numa intervenção que vai elevar de forma exponencial a qualidade de vida para moradores e comerciantes desta área da cidade.

Entre os problemas detetados no subsolo, e por isso invisíveis, estão desatualizações, incorreções e desajustes entre os cadastros de infraestruturas de várias entidades e a realidade com que o empreiteiro se confrontou no terreno, situação que ocorreu em diversos troços da obra, em muitos casos relativos a redes instaladas há dezenas de anos.

Em alguns casos verifica-se inclusivamente inexistência de cadastro, implantação não regulamentar a nível de profundidade e de afastamento com outras infraestruturas existentes na área, implicando reajustamentos na altimetria dos traçados das mesmas, situações com implicações diretas no projeto de uma intervenção que apresenta um nível de complexidade muito superior ao inicialmente previsto, obrigando a alterações e ao prolongamento do calendário de trabalhos.

Além desta situação, no decorrer dos trabalhos, constatou-se que os ramais domiciliários de saneamento e de águas existentes apresentam deficiente estado de conservação da tubagem e outros elementos, obrigado à sua substituição, dificuldade a que acrescem ainda as deficientes condições geotécnicas do solo, que não foram devidamente caracterizadas em toda a extensão aquando dos ensaios em fase de projeto.

Perante este cenário, o Município foi confrontado com a necessidade de prorrogar e aumentar o investimento, de forma a garantir total qualidade numa intervenção que se assume de crucial importância para a melhoria da qualidade de vida nesta área da cidade que sairá fortemente valorizada após este investimento no espaço público.

Para a resolução cabal dos problemas detetados, o Município vai efetuar um reforço de trabalhos no valor de 509.041,50 euros, mas na análise efetuada foi também possível efetuar poupanças no valor de 178.914,45€, do que resulta um investimento de 330.127,05 euros.

Com a aprovação desta empreitada, reúnem-se as condições para dar um novo impulso ao andamento dos trabalhos, numa obra de grande complexidade, mas fundamental para Leiria.

O Município de Leiria lamenta os transtornos que esta obra tem causado e apela à compreensão de moradores e comerciantes.

Apesar dos dificuldades sentidas atualmente, é nossa convicção de que ficaremos a ganhar muito no futuro com uma intervenção que transforma, qualifica e moderniza por completo uma importante área da cidade de Leiria, que passará a apresentar níveis de qualidade de vida de excelência.

Refira-se que a Câmara de Leiria apenas pôde assumir uma intervenção desta envergadura pois na última década foi possível equilibrar as contas do Município, o que nos permite agora efetuar obras com elevado grau de profundidade e complexidade no concelho.

Leiria | Município abre concurso para obras na Rua Capitão Mouzinho de Albuquerque


O Executivo da Câmara Municipal aprovou esta terça-feira, por unanimidade, a abertura de novo concurso público para a realização de obras de requalificação na Rua Capitão Mouzinho de Albuquerque, num investimento total de 1,7 milhões de euros.

Este novo procedimento vem da necessidade de revisão de parte da informação colocada a concurso em 2020, nomeadamente a conclusão do estudo geotécnico, a atualização cadastral das várias infraestruturas (também devido à intervenção na Avenida Heróis de Angola), alterações ao nível do saneamento, entre outros, que permitiu baixar o valor da empreitada em quase 75 mil euros.

Candidatados a cofinanciamento ao abrigo do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, cuja comparticipação, a ser aprovada, será de 85 por cento, os trabalhos incluem o reordenamento do trânsito com a eliminação de uma via nas Ruas Capitão Mouzinho de Albuquerque e de São Francisco, alargamento de passeios e remoção de barreiras arquitetónicas, com vista a uma circulação pedonal com maior segurança e conforto.

Estão ainda previstas intervenções ao nível das infraestruturas enterradas, a colocação de mobiliário urbano, a regularização do estacionamento e a melhoria da rede de iluminação pública, bem como o melhoramento de todo o espaço público com o objetivo de promover a reabilitação dos edifícios existentes nas ruas e potenciar a dinâmica do comércio e serviços.

Esta é uma das quatro áreas que compõem a intervenção global para o eixo urbano comercial e envolvente da Avenida Heróis de Angola.

Leiria | Município adjudica construção do Centro Escolar dos Marrazes


A adjudicação da construção do Centro Escolar dos Marrazes foi aprovada, por maioria, esta terça-feira, em reunião de Câmara, uma empreitada que apresenta um projeto renovado e que representa uma mais-valia significativa para a qualidade do ensino no concelho.

Pelo valor de 5,4 milhões de euros, cerca de 1,5 milhões abaixo do preço base do concurso e com um prazo de execução previsto em 18 meses, a obra permitirá oferecer condições de excelência para o ensino, além de um pavilhão desportivo para toda a população.

Com uma área total de intervenção superior a 31 mil metros quadrados, o Centro Escolar dos Marrazes pretende dar resposta às necessidades de oferta educativa ao nível do pré-escolar e do 1.º ciclo nos Marrazes, sendo composto por um bloco destinado a jardins de infância, um outro para crianças do ensino básico e o pavilhão desportivo, que estará também ao serviço da comunidade leiriense.

Nesta infraestrutura, passarão a estar integrados os jardins de infância de Outeiros da Gândara, Janardo, Bairro das Almuinhas e n.º 2 de Marrazes, além da Escola Básica n.º 2 de Marrazes, num total de cerca de 600 crianças, promovendo-se a articulação de níveis de ensino diferentes, bem como o desenvolvimento de atividades importantes e necessárias à educação e formação dos alunos.

Para o Município de Leiria, esta é uma empreitada prioritária no que se refere ao reordenamento da rede educativa do concelho, já que, apesar dos investimentos efetuados nos últimos anos na melhoria das condições das escolas dos Marrazes, irá resolver definitivamente problemas relacionados com o funcionamento de estabelecimentos em instalações provisórias e em mau estado, a sobrelotação e consequente desdobramento de turmas e a existência de crianças em lista de espera.

Entre Julho e Setembro há filmes e provas de Vinho Verde

 Ciclo de Cinema na Vinha: Região dos Vinhos Verdes leva 20 sessões a vários pontos do País


Entre 10 de Julho e 11 de Setembro, a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) promove o Ciclo de Cinema na Vinha com 20 sessões distribuídas por vários pontos do País, que convidam a assistir a filmes portugueses e estrangeiros na companhia de Vinho Verde. Sob o tema “A Viagem”, o Ciclo propõe diferentes formas de interpretação do conceito de “viagem”, abordando a relação entre espaço e tempo, numa expedição cinematográfica por cinco momentos de evasão.

 

Com curadoria de Daniel Ribas e Rita Morais, o Ciclo de Cinema na Vinha leva cerca de uma dezena de filmes a diferentes locais: no Porto, a Casa do Vinho Verde recebe cinema no jardim, enquanto a Região dos Vinhos Verdes exibe filmes entre vinhas na Quinta da Raza (Celorico de Basto), na Adega Edmun do Val (Valença), no Monverde Wine Experience Hotel (Amarante), no Palácio da Brejoeira (Monção), na Adega de Ponte da Barca (Ponte da Barca), no Solar das Bouças (Amares), na Quinta de Lourosa (Lousada), na Quinta de Linhares (Penafiel) e no Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde (Ponte de Lima).

 

A novidade da segunda edição do Ciclo de Cinema na Vinha é que o Vinho Verde chega também à Covilhã, Bragança, Évora, Coimbra e Faro, com sessões em espaços icónicos em cada cidade: “Depois do sucesso da primeira edição, voltamos a apostar em propostas culturais ao ar livre, reforçando a ligação entre vinho e cultura que tanto defendemos. Este ano, celebramos o tema “Viagem” num total de 20 sessões, alargando o nosso Ciclo a outras cidades do País e levando o Vinho Verde como companhia perfeita das noites de Verão ao ar livre. Estendemos ainda a oferta dentro da Região, onde os produtores sabem receber o público como ninguém e mostrar a riqueza de cada lugar”, destaca Manuel Pinheiro, Presidente da CVRVV.

 

As sessões têm início pelas 20h30 e são limitadas a um máximo de 50 pessoas. Os bilhetes estão disponíveis em www.vinhoverde.pt ou através dos contactos de cada espaço aderente.

 

Ciclo de Cinema na Vinha | Datas e locais:

Julho

10 | Casa do Vinho Verde (Porto) | “Viajo porque preciso, volto porque te amo” (Marcelo Gomes, Karim Ainouz)

15 | New Hand Lab (Covilhã) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

16 | Casa do Vinho Verde (Porto) | “First Cow” (Kelly Reichardt)

17 | Quinta da Raza (Celorico de Basto) | “First Cow” (Kelly Reichardt)

22 | Museu do Abade de Baçal (Bragança) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

30 | Monverde Wine Experience Hotel (Amarante) | “First Cow” (Kelly Reichardt)

31 | Adega Edmun do Val (Valença) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

 

 

Agosto

6 | Monverde Wine Experience Hotel (Amarante) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

7 | Palácio da Brejoeira (Monção) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

12 | Antigo Matadouro – Pólo Cultural (Évora) | “Bom Dia” (Yasujirõ Ozu)

13 | Adega de Ponte da Barca (Ponte da Barca) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

14 | Casa do Vinho Verde (Porto) | “Os respigadores e a respigadora” (Agnès Varda)

19 | Praça do Comércio (Coimbra) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

20 | Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde (Ponte de Lima) | “O Carteiro de Pablo Neruda” (Michael Radford)

21 | Casa do Vinho Verde (Porto) | “Cemitério do esplendor” (Apichatpong Weerasethakul)

26 | Museu Municipal de Faro (Faro) | “First Cow” (Kelly Reichardt)

28 | Solar das Bouças (Amares) | “First Cow” (Kelly Reichardt)

 

Setembro

3 | Quinta de Lourosa (Lousada) | “As férias do Sr. Hulot” (Jacques Tati)

4 | Quinta de Linhares (Penafiel) | “As férias do Sr. Hulot” (Jacques Tati)

11 | Casa do Vinho Verde (Porto) | “Tabu” (Miguel Gomes)


 

Sofia Figueiras



ESTARREJA | Entrega das Bolsas de Estudo do Ensino Superior


30 jovens estarrejenses têm o apoio do Município para seguirem os seus estudos. A sessão de entrega do valor total das bolsas de estudo 2020/2021 decorreu no dia 25 de junho.

A 12.ª edição das Bolsas de Estudo do Ensino Superior apoia 30 estudantes com a atribuição de 15 novas bolsas e 15 renovações, num investimento de 25 mil euros. Destinado a estudantes dos 17 aos 25 anos residentes no concelho, este programa anual prevê a atribuição de novas bolsas, com um valor mensal até 125€ (consoante o escalão), durante um período de 10 meses, correspondente ao ano letivo. O programa prevê ainda a possibilidade de renovação de bolsas atribuídas em edições anteriores.

Com a criação das Bolsas de Estudo do Ensino Superior em 2009, a Câmara passou a auxiliar na formação qualificada dos jovens que necessitam desta ajuda. A prestação pecuniária é destinada à comparticipação nos encargos inerentes à frequência do ensino superior.

Acreditando que a educação e a formação são fatores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho, a Câmara Municipal de Estarreja procura desta forma motivar os jovens a estudar, apoiando financeiramente os que não dispõem dos meios económicos suficientes. Em contrapartida, o bolseiro disponibiliza 80 horas por ano de serviço à comunidade enquadradas em programas municipais.

São consideradas como condições preferenciais na atribuição das bolsas de estudo o menor rendimento per capita do agregado familiar e o melhor aproveitamento escolar.

Em 12 edições, foram atribuídas um total de 222 bolsas aos estudantes estarrejenses.

Carla Miranda

Proença-a-Nova | ABC das Localidades já se encontra à venda

Livro será comercializado através da Marca Proença-a-Nova Origem

O livro do ABC Localidades, editado pelo Município de Proença-a-Nova e apresentado durante a emissão do Proença ON Festa, já se encontra à venda na marca Proença-a-Nova Origem e pode ser adquirido na loja online da marca, bem como na loja do Centro Ciência Viva da Floresta, no Posto de Turismo ou na loja O Sítio Certo no Mercado de Benfica, em Lisboa. Também estará disponível quer para venda, quer para requisitar, na Biblioteca Municipal. O livro tem um valor de 10 euros.

A rubrica ABC das Localidades surgiu em 2013 integrada na Agenda Cultural do Município, onde a cada mês se destacava uma aldeia do concelho, contando a sua história através das memórias dos locais e, como o próprio nome indica, seguia a ordem alfabética. A compilação destes textos é uma forma de enaltecer os cidadãos proencenses, destacando a sua cultura, as suas vivências, em suma, todo o património imaterial e material de cada uma das localidades do concelho. Para o presidente da Câmara Municipal, João Lobo, “este livro é sobre as nossas localidades, mas que conta essencialmente a história das pessoas que fizeram o território, valorizando o que para elas era simplesmente a sua vida diária e que para nós é um património incontestável”.

O ABC das Localidades trata-se de um trabalho de recolha de histórias, lendas, tradições únicas e outros aspetos que marcam a identidade de cada povoação que importa preservar. O sucesso deste projeto deveu-se à autenticidade das centenas de entrevistados em cada uma das localidades do concelho que de forma genuína aceitaram partilhar memorias, vivências e recordações dos seus tempos de infância e juventude. As entrevistas realizadas transformaram-se rapidamente em pontes para uma herança de reconhecido interesse que importa preservar, pois constrói a nossa identidade coletiva enquanto concelho.






Investigadores do Campo Arqueológico regressam a Proença-a-Nova

Trabalhos decorrem até 31 de julho

Os investigadores do 10º Campo Arqueológico de Proença-a-Nova já se encontram no terreno retomando os trabalhos de investigação no concelho. Promovido pelo Município de Proença-a-Nova em parceria com a Associação de Estudo do Alto Tejo, a campanha deste ano, na qual participam 18 estudantes e 10 arqueólogos, está decorrer em três sítios arqueológicos: Campo 1: Bateria das Batarias (séculos XVIII e XIX) - 05-17 de julho; Campo 2: Capela Velha do Peral (séculos XV a XVII) - 12-24 de julho; Campo 3: Anta da Moita da Galinha - 19-31 de julho.

Para além dos campos arqueológicos, o CAPN tem previstas outras atividades lúdico-didáticas, como conferências, debates e visitas de estudo. Com o tema “Cerâmica Moderna e Contemporânea. Estética, formas e funcionalidades”, esta conferência terá lugar no dia 15 de julho, às 18h, na Casa das Associações e tem entrada livre. A 24 de julho decorre a atividade “Ser arqueólogo por um dia” aberta a todos os interessados em participar nas escavações e conhecer de perto o trabalho dos arqueólogos. Esta iniciativa gratuita tem inscrições limitadas a 5 pessoas por campo – Capela Velha do Peral e Anta da Moita da Galinha - através do telefone 939 127 478. No mesmo dia, às 18h00, no Parque Urbano será apresentado o livro "Proença-a-Nova. Arqueologia e Património", com entrada livre.




O Campo Arqueológico de Proença-a-Nova (CAPN) é um modelo misto de campo de trabalho, investigação e aprendizagem para alunos, preferencialmente dos ramos da arqueologia, da história e das arqueociências, que teve início em 2012 como Campo Arqueológico de Proença-a-Nova e que a partir de 2013 tomou um cariz internacional. O intuito destes campos é estudar, preservar e divulgar os sítios arqueológicos do concelho dando a conhecer um património que ainda é desconhecido de muitos.


“A Gândara na obra narrativa de Carlos de Oliveira”: Livro de Mário Oliveira apresentado na Casa Carlos de Oliveira

Com todas as medidas de segurança impostas pela Direção Geral da Saúde asseguradas, cerca de 30 pessoas puderam assistir à apresentação editorial do livro A Gândara na obra narrativa de Carlos de Oliveira”, a última obra de Mário Oliveira, numa cerimónia que decorreu na Casa Carlos de Oliveira, em Febres, no passado dia 3 de julho.

Na mesa de honra, para além do autor, Mário Oliveira, esteve António Apolinário Lourenço, professor de literatura na Universidade de Coimbra, a quem coube a apresentação da obra, Pedro Cardoso, vice-presidente Câmara Municipal e Carlos Alberto Alves, presidente da Junta de Freguesia de Febres.

O vice-presidente da autarquia cantanhedense, Pedro Cardoso, congratulou-se por esta excelente iniciativa “claramente pertinente no ano em que se assinala o centenário do nascimento de Carlos de Oliveira, figura ímpar da literatura neorrealista”. O responsável pelo pelouro da cultura fez questão de felicitar o autor Mário de Oliveira, “pela qualidade do projeto editorial que assinalamos hoje e pelo empenho que o mesmo colocou neste trabalho de investigação e a profundidade da reflexão” salientando ainda o “importante contributo para perpetuar o nome e a obra de Carlos de Oliveira, um mestre das letras que tanto contribuiu para dar a conhecer as vivências das gentes gandaresas, no século 20”, concluiu.

António Apolinário Lourenço, professor da Universidade de Coimbra, com quem o Município tem trabalhado ao nível científico, nomeadamente na realização de iniciativas literárias sobre autores locais, realçou “o esforço desenvolvido pela autarquia de Cantanhede no sentido de, constantemente, relembrar e valorizar os escritores do concelho e a sua obra” designadamente “grande vultos e figuras incontornáveis da cultura regional e nacional, como é o caso de Jaime Cortesão (1884-1960), Augusto Abelaira (1926-2003) e, presentemente, Carlos de Oliveira (1921-1960).”

O autor Mário Oliveira, visivelmente emocionado, partilhou com os elementos da mesa e todos os presentes “o sentimento de grande responsabilidade com que abraçou ao escrever este livro, nomeadamente pela riqueza do maravilhoso património cultural da Gândara, e particularmente de Cantanhede”. Por outro lado, o autor manifestou “a enorme satisfação pela concretização deste projeto” destacando “a felicidade por poder finalmente apresentar este livro para o qual tanto se empenhou e no qual colocou tanto trabalho pessoal”.

O presidente da junta de freguesia, Carlos Alves sublinhou “a importância deste tipo de iniciativas culturais que tem vindo a ser efetuadas na Casa Carlos de Oliveira” reforçando a “vontade de tornar este espaço num importante polo de dinamização cultural de Febres”.



Sobre Mário Oliveira

Mário Idílio Paulino de Oliveira é natural da Bunhosa, concelho de Montemor-o-Velho, onde nasceu em 1959. Licenciado em Literatura Portuguesa, é professor de Português na Escola Secundária de Cantanhede, do Agrupamento de Escolas Lima-de-Faria.

Nas suas próprias palavras, Mário Oliveira diz-se “Nascido na Gândara, em terra areeira, solta, de bunho e água, deixada pelo mar de outrora, viveu no mato do povo, em comunhão fáunica com enguias, salamandras, rãs, cobras, ruibacos e gatos bravos, toirões – que, das aves (tantas aves!), ainda guarda o espanto infantil das cores e do canto.

Em sílica, barro e cal, dali partiam adobes térreos para os muros das casas. Para trás, ia ficando a cratera, a terra nua, o charco, o poço fundo… o dilúvio de relâmpagos e trovões. O abismo era tentador no verão, mas a criança media bem a fundura, a dobra das águas, o perigo, o canto da cigarra… e, vendo os outros, sem mestre, aprendia.

Tempo de vida solidária, familiar, de partilha do tempo e do fermento, de afetos e ralhos, de religião e superstição, de ladainhas para o quebranto! E sempre a terra, a experiência dos sentidos por entre milheirais, leiras fecundas de ralos e grilos, batata e feijão, sons de picachanca, fermentação de mostos, broa quente no forno, sangrinas no quintal…

Isto, num tempo em que reinava o Silêncio e alguns partiam. Havia violência na casa do vizinho, a pobreza de sol a sol, a fome dos que pediam às portas, o frio sem roupa nem sola, o vício escorropichado, a dívida certa, o fiado… a miséria! O autor aprendeu a vida com tudo isto: vendo, ouvindo, sentindo, meditando (talvez daí a opção pela narrativa neo-realista de Carlos de Oliveira).

Entretanto, a escola… o mundo mais largo, pouco a pouco: a primarinha (noves fora, nada; e vão quatro - quase sem palmatória, exceto quando subia aos telhados para tirar ninhos de pardal), o estudo preparatório (Armstrong pisava a Lua e havia Bonanza ao sábado), o liceu (de um Infante de Sagres que não viu – porque era já o tempo do “Trama” e Abril oferecia-se livre, em flor), a velha universidade (de noites sabatinas, de descoberta do amor e consciência de si). De permeio, a orfandade… tempo difícil, de solidão negra, quando tudo deveria ter mais encanto.

Depois, o sonho dos dias, a vida lenta, a germinação de um grão, a relação fraterna, o esquecimento de si, o amor no fim. Poderia ser controlador de tráfego aéreo ou jurista, em que fez estudos. Acabou professor no ensino secundário, que “A realidade sempre é mais ou menos do que nós queremos”.


Anadia adere ao Balcão Único do Prédio


O Balcão Único do Prédio (BUPi) vai abrir em Anadia, no próximo dia 12 de julho, no âmbito de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro ao Programa Operacional Regional do Centro – CENTRO 2020.

O Balcão Único do Prédio é dirigido aos proprietários de prédios rústicos e mistos, tendo como principal objetivo identificar a localização dos terrenos e respetivos proprietários, através da georreferenciação dos limites dos prédios rústicos e mistos. Paralelamente, todos os terrenos identificados no BUPi serão registados na Conservatória do Registo Predial de forma gratuita – regime excecional que irá vigorar até ao mês de janeiro de 2025.

O serviço vai ser disponibilizado pelo Município, no edifício da Câmara Municipal, funcionando no horário normal, das 8h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h00. No dia de abertura, pelas 9h00, será feita uma demonstração de como funciona este sistema de localização e de registo.

“Cultura Perto de SI” em Cacia

 

Cacia vai ser "abençoada" com um espectáculo de elevada qualidade. 
Certamente que, a população daquela localidade de comparecer em peso, dentro das condições impostas tendo em conta a contingência pandémica que vivemos.

Morreu Rogério Cação. Vereador de Peniche estava há décadas ligado à solidariedade social

Autarquia decidiu decretar três dias de luto municipal, recordando Rogério Cação como "amigo do seu amigo" e "homem íntegro, com uma vida pessoal, familiar e profissional intensa."

O vereador da CDU na Câmara de Peniche e dirigente de várias organizações nacionais ligadas à solidariedade social Rogério Cação morreu esta terça-feira aos 65 anos, informou o município.

Segundo a nota de imprensa, a autarquia decidiu decretar três dias de luto municipal, recordando Rogério Cação como "amigo do seu amigo" e "homem íntegro, com uma vida pessoal, familiar e profissional intensa".

O município, no distrito de Leiria, destacou a "cordialidade e simpatia, valores que soube passar à família e a quem com ele privou", assim como o percurso associativo e político.

Rogério Cação era presidente da Confecoop - Confederação Cooperativa Portuguesa, sendo o seu representante na Comissão Nacional de Acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência.

Era também vice-presidente da Fenacerci - Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social, membro do Conselho Económico e Social e vice-presidente da Confederação Portuguesa de Economia Social.

O seu percurso pelas organizações de solidariedade social valeu-lhe a atribuição do grau de comendador da Ordem de Mérito, em 2010.

Em Peniche, era vereador da CDU na Câmara Municipal de Peniche, tendo sido o cabeça de lista nas eleições autárquicas de 2017, responsável pelo grupo de teatro da Universidade Sénior de Peniche, presidente da direção da Cercipeniche - Cooperativa de Educação, Reabilitação, Capacitação e Inclusão, presidente da Adepe - Associação para o Desenvolvimento de Peniche e presidente da mesa da assembleia da Acompanha - Cooperativa de Solidariedade Social.

Foi presidente da Assembleia Municipal de Peniche e membro do Conselho Nacional de Educação. Natural de Peniche, Rogério Cação era licenciado em Pedagogia e Antropologia pela Escola Superior de Educação de Lisboa e pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, respetivamente, e foi professor de Educação Especial, encontrando-se aposentado destas funções.

Na mesma nota, o município manifestou "profundo pesar pelo seu falecimento" e endereçou as condolências à família.

Lusa

Costa assume que Portugal está “mesmo a enfrentar uma quarta vaga desta pandemia”

Primeiro-ministro sublinhou o esforço de vacinação que as autoridades de saúde estão a fazer e pede o mesmo sentido de responsabilidade aos utentes na hora de receber a vacina.

O primeiro-ministro assumiu, esta terça-feira, que o país está a viver uma quarta vaga da pandemia. António Costa pede aos portugueses que não cedam agora ao facilitismo ou ao cansaço.

"O país está ainda a enfrentar esta difícil pandemia, estamos mesmo a enfrentar uma quarta vaga desta pandemia. E não nos podemos distrair, não podemos relaxar, isto exige que aceleremos mesmo o processo de vacinação. Vai ser feito um esforço muito grande nas próximas duas semanas, com condições que serão mais incómodas para quem se vacina, mas que reforçará a segurança de todos e particularmente daqueles que vão ver mais rapidamente alcançada a segunda dose da vacinação", explicou António Costa.

Em Serralves, no Porto, o chefe do Governo sublinhou ainda o esforço de vacinação que as autoridades de saúde estão a fazer e pede o mesmo sentido de responsabilidade aos utentes na hora de receber a vacina.

"Esta é uma luta que não terminou, é uma luta que tem de continuar e que temos de travar", disse o primeiro-ministro.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 3 980 935 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 183,7 milhões de casos de infeção pelo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

Lusa / TSF

Leiria | Sessões de esclarecimento sobre intervenção na Ribeira dos Milagres e Frente Ribeirinha do Rio Lis

 

O Município de Leiria vai promover duas sessões de esclarecimento, no próximo dia 8, sobre as intervenções de Limpeza e Valorização da Ribeira dos Milagres, numa extensão de 15,5 km, e da Frente Ribeirinha do Rio Lis, numa extensão de 9 km, por intermédio de empreitada já consignada, de forma a garantir o correto funcionamento do fluxo hidrológico dos cursos de água atrás mencionados.

A primeira sessão está marcada para as 17h00, no auditório do Estádio Municipal Dr. Manuel Magalhães Pessoa (porta 7), relativa à Limpeza e Valorização da Frente Ribeirinha do Rio Lis.

Às 21h30, no salão da Igreja Paroquial dos Milagres, realiza-se nova sessão sobre a Limpeza e Valorização da Ribeira dos Milagres.

As sessões serão efetuadas pela empresa EcoSalix – Sistemas Ecológicos de Engenharia Natural, e contarão com a presença do presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, da vereadora do Ambiente e Saúde, Ana Esperança, e ainda de Nuno Bravo, em representação da APA/ARH Centro, Juliana Mendes, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, e Pedro Teiga, da Engenho e Rio, Unipessoal.

Refira-se que as operações visadas na empreitada consistem em intervenções de limpeza e valorização, assim como de estabilização das margens com recurso a técnicas de engenharia natural e de reposição/reabilitação da galeria ripícola, a realizar no primeiro ano e que serão continuadas com operações de manutenção e valorização a efetuar nos dois anos seguintes.

Sendo um dos objetivos do projeto de “Limpeza e Valorização da Ribeira dos Milagres e da Frente Ribeirinha do Rio Lis na Cidade De Leiria” envolver a população na requalificação e melhoria dessas linhas de água através das ações de limpeza e valorização das suas margens e do leito, o Município promove as duas sessões de esclarecimento com o objetivo de apresentação dos trabalhos e esclarecimento de dúvidas aos proprietários e população em geral.


Município de Cantanhede distinguido com Prémio Especial Valorfito 2020

A Valorfito atribuiu à Câmara Municipal de Cantanhede o Prémio Especial Valorfito 2020, galardão que distingue os participantes no projeto “Por Amor à Terra”.

Um ano após o reforço de sensibilização do Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura no concelho, a autarquia viu assim reconhecido o seu esforço na implementação de ações alinhadas com os princípios da sustentabilidade ambiental, neste caso traduzidas num aumento da recolha de cerca de seis toneladas de embalagens vazias de produtos fitofarmacêuticos.

Esse reconhecimento surgiu no projeto “Por Amor à Terra”, promovida pela Valorfito, em parceria com a Câmara Municipal de Cantanhede, tendo como principal objetivo sensibilizar os agricultores para a necessidade e benefício da entrega de embalagens vazias deste tipo de produtos. Nesse sentido, a autarquia cantanhedense tem vindo a desenvolver uma campanha assente essencialmente nas juntas de freguesia, que funcionam como polos de distribuição de informação junto dos agricultores, processo que envolveu a criação de 18 pontos de retoma como locais de receção dos resíduos de embalagens de produtos fitofarmacêuticos.

Como forma de incentivar a entrega de embalagens vazias, a Valorfito oferece um par de luvas de nitrilo, próprias para o seu manuseamento, assim como um saco para o acondicionamento seguro dos resíduos deste tipo de produtos que combatem pragas e doenças.

Além da autarquia cantanhedense e da Agridistribução – Rede Agriloja, a Valorfito premiou 17 empresas nacionais que se destacaram pelas suas boas práticas em prol da sustentabilidade, efetuando um balanço sobre o importante e cada vez mais relevante papel dos Pontos de Retoma, convidando a um debate e reflexão sobre as principais preocupações e metas no âmbito da atividade.

À semelhança de anos anteriores, os prémios deste ano gratificaram o empenho dos Pontos de Retoma nacionais para seis categorias principais: o prémio Crescimento, o prémio Cooperativa, com grande destaque, o prémio Excelência, o galardão mais desejado e que distingue o TOP 3 das boas práticas para critérios tanto quantitativos quanto qualitativos; e ainda os prémios Biocidas, Sementes e Madeira.

Num ano especialmente difícil, mas em que se verificou um crescimento da taxa de retoma global para quase 44%, António Lopes Dias, Diretor Geral da Valorfito relembra que, “é essencial manter, ano após ano, o trabalho de valorização dos projetos de sensibilização que a indústria promove em prol de uma agricultura (ainda mais) sustentável. Por isso, este ano, reunimo-nos na Companhia das Lezírias, na quinta modelo da ANIPLA, que anualmente recebe centenas de profissionais agrícolas com vista à sensibilização para as melhores práticas, parabenizando os que se destacam na recolha das embalagens dos produtos fitofarmacêuticos, biocidas e sementes”, refere. “É aqui que regularmente exemplificamos as boas práticas de armazenamento, com todas as regras presentes na lei 26, dando especial ênfase à tripla lavagem das embalagens rígidas, passo fundamental para a segurança ambiental e do agricultor, pelo que, pareceu-nos o cenário perfeito para destacar o bom trabalho de dezenas de parceiros com quem pudemos contar em 2020”, acrescenta o Diretor Geral.

A Valorfito continua a contar com todos para manter o caminho de crescimento das retomas de resíduos de embalagens de Produtos Fitofarmacêuticos, Sementes e Biocidas, rumo a uma agricultura cada vez mais sustentável.

Celorico da Beira | Férias Desportivas 2021


O Município de Celorico da Beira em parceria com o Projeto CLDS 4G - Celorico Solidário, vai levar a efeito, de 12 a 23 de julho, as Férias Desportivas 2021, dirigidas aos jovens dos 8 aos 16 anos, com o intuito de lhes proporcionar momentos de lazer, socialização e desporto, tão essenciais para a saúde física e mental, em especial nos tempos conturbados que ainda estamos a atravessar por força da crise sanitária.

Durante a semana selecionada e cumprindo escrupulosamente as regras impostas pela DGS, os jovens vão ocupar os tempos livres de forma saudável, divertida mas, também pedagógica, desfrutando dos prazeres do sol, da água, do ar livre, da beleza das paisagens da Serra da Estrela, do cinema e dos desportos mais radicais como o surf e a canoagem.

Participar nas Férias Desportivas é gozar as férias com alegria, descontração, camaradagem, é partir à descoberta de outras paragens, protagonizar momentos únicos de ação e aventura, enfim, é uma oportunidade para se libertar do pesadelo da pandemia e dos seus constrangimentos e conquistar a almejada normalidade.

Leiria | Programa Viver Activo - Renovação de inscrições

O Viver Activo está de volta, este ano num formato especial adaptado à situação pandémica que vivemos, de modo a possibilitar a retoma da prática da atividade física aos utentes deste programa, de forma segura e responsável.

As aulas recomeçaram de forma progressiva e condicionada, numa primeira fase através das plataformas digitais, seguindo-se a prática desportiva ao ar livre.

As atividades letivas do Programa em 2021/2022 vão ter início com um aumento da oferta das aulas disponíveis, mas com a correspondente redução do número de praticantes por turma, cumprindo todas as recomendações da Direção-Geral da Saúde e das Autoridades de Saúde Locais.

No Núcleo de Leiria, a data de início das aulas está prevista para o dia 13 de setembro de 2021. Nos restantes núcleos, Bajouca, Caranguejeira e Maceira, o início das aulas terá lugar a 01 de outubro de 2021, existindo, contudo, a possibilidade destas datas serem suscetíveis de alteração, caso haja indicação das autoridades competentes.

Para o efeito, já se encontram a decorrer as renovações do Programa Viver Activo para os utentes com mais de 55 anos já inscritos no Programa, de acordo com o seguinte:

Núcleo de Leiria – de 1 a 30 de julho de 2021, no Complexo Municipal de Piscinas de Leiria;

Núcleo da Bajouca – no dia 12 de julho de 2021, das 09:00 às 13:00, no Pavilhão Desportivo Municipal da Bajouca;

Núcleo da Caranguejeira – nos dias 13 e 14 de julho de 2021, das 09:00 às 13:00, na Piscina Municipal da Caranguejeira;

Núcleo da Maceira – nos dias 15 e 16 de julho de 2021, das 9:00 às 13:00, na Piscina Municipal da Maceira;

Para procederem à renovação das inscrições, os alunos devem fazer-se acompanhar pelo Cartão de Utente das Piscinas e por uma cópia da nota de liquidação de IRS, no caso de pretenderem candidatar-se ao apoio do Município de Leiria, para desconto na mensalidade.

Marcelo Rebelo de Sousa alerta que “há mais vida para além da pandemia”

O Presidente da República defendeu que a vida não se limita à pandemia de covid-19, considerando que os atletas portugueses apurados para os Jogos Olímpicos de Tóquio2020 representam a "esperança" numa vida menos condicionada pelas restrições sanitárias.

"A vida não para, não acaba com a pandemia. Há mais vida para além da pandemia, há mais desporto, mais solidariedade, mais esperança para além da pandemia", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa na cerimónia de apresentação de cumprimentos da missão portuguesa aos Jogos Olímpicos Tóquio2020, em Lisboa.

A posição do chefe de Estado perante os atletas lusos, que considerou um "símbolo de esperança para além da pandemia", surge quase uma semana depois de ter considerado que não se justifica um "discurso alarmista fundamentalista" perante a evolução da situação epidemiológica no país e que era necessário "cabeça fria" na análise e tomada de medidas.

"Não é que não haja o dever de todos, nomeadamente os mais jovens, de estarem atentos nos seus comportamentos àquilo que é o seu relacionamento em sociedade. Outra coisa é entrar-se no discurso alarmista fundamentalista que se não justifica", referiu Marcelo Rebelo de Sousa no passado dia 30 de junho, em declarações aos jornalistas na Fundação Calouste Gulbenkian, onde participou na sessão solene de encerramento das comemorações dos 150 anos do nascimento de Alfredo da Silva, fundador da Companhia da União Fabril (CUF).

Paralelamente, no final de maio, o Presidente da República já havia apelado a mudanças na matriz de risco que tem servido de base para o processo de desconfinamento.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.117 pessoas e foram registados 890.571 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Fonte e Imagem: Lusa

Autoridades russas perdem contacto com avião com 28 pessoas a bordo

A bordo seguiam, além dos seis membros da tripulação, 22 passageiros, incluindo duas crianças. Foram ativados meios para acionar as busca.

As autoridades russas perderam o contacto com um avião de passageiros AN-26, com 28 pessoas a bordo, na península de Kamchatka, no extremo oriental da Rússia, informaram as agências noticiosas locais.

O aparelho, uma aeronave turbo-hélice bimotor, tinha saído da cidade russa de Petropavlovsk-Kamchatsky, na península de Kamchatka, com destino à localidade de Palana, de acordo com as agências russas Interfax e RIA Novosti.

"O avião cessou a comunicação via rádio quando estava prestes a aterrar. Não informou de quaisquer problemas a bordo", disse uma fonte dos serviços de emergência regionais, citada pela agência oficial TASS.

Segundo a mesma fonte, a aeronave pode ter caído no Mar de Okhotsk, quando executava a manobra de aproximação ao aeródromo de Palana.

As autoridades regionais estão a organizar equipas de busca para localizar o avião, que estava em funcionamento desde 1982 e cuja licença deveria expirar a 30 de agosto.

Dois helicópteros foram mobilizados para as buscas.

De acordo com as agências russas, a bordo seguiam, além dos seis membros da tripulação, 22 passageiros, incluindo duas crianças.

A manutenção técnica deficiente e a falta de regulamentos de segurança já provocaram vários acidentes no setor da aviação russo.

O último acidente grave registou-se em maio de 2019, quando um avião Sukhoi Superjet, pertencente à companhia aérea nacional Aeroflot, foi forçado a aterrar, explodindo na pista de um aeroporto de Moscovo e matando 41 pessoas.

Em fevereiro de 2018, um aparelho AN-148, da Saratov Airlines, despenhou-se pouco depois da descolagem, perto de Moscovo, matando as 71 pessoas a bordo.

Uma investigação determinou que um erro humano esteve na origem do acidente.

Lusa

Brasil bate Peru com golo de Paquetá e é o primeiro finalista

O anfitrião Brasil, campeão em título, qualificou-se na segunda-feira para a final da edição 2021 da Copa América em futebol, ao vencer o Peru por 1-0, na primeira meia-final, disputada no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Na reedição da final de 2019, um golo de Lucas Paquetá, servido por Neymar, aos 35 minutos, selou o triunfo dos 'canarinhos', que estão pela oitava vez na final e venceram as últimas cinco disputadas (1997, 1999, 2004, 2007 e 2019).

A final, marcada para sábado, no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, a partir das 21:00 locais (01:00 de domingo em Lisboa), colocará frente a frente o Brasil e o vencedor da segunda meia-final, que opõe hoje a Argentina à Colômbia, em Brasília.

Lusa