terça-feira, 20 de abril de 2021

Cancro de Pulmão | Rede Ibero-americana

 Centro Hospitalar do Porto em rede para melhorar formação sobre cancro pulmonar.

Investigadores do Centro Hospitalar Universitário do Porto integram uma rede, juntamente com investigadores espanhóis, colombianos, argentinos e peruanos, que visa promover a educação e formação contínua do cancro do pulmão.

Em comunicado, o Centro Hospitalar Universitário do Porto explica que o intuito é unir «sinergias para melhorar as perspetivas do tumor com maior mortalidade do mundo».

O cancro de pulmão é uma das principais causas de morte «silenciosas» do mundo, originando quase «três mortes por minuto, terminando 4 mil vidas por dia e 1,59 milhões de vidas a cada ano».

Em Espanha e Portugal, o cancro do pulmão afeta mais de 30 mil pessoas anualmente e na América Latina é a causa de pelo menos 60 mil mortes anuais, representando 12% das mortes por cancro nessa região.

Em 2020, foram diagnosticados 5.420 novos casos de cancro de pulmão em Portugal e perto de 4.800 pessoas morreram vítima da doença.

Rede visa promover a educação e a formação contínua
Os investigadores portugueses, espanhóis, colombianos, argentinos e peruanos criaram a Rede Ibero-americana de Cancro de Pulmão (REDICAP), que tem como um dos principais objetivos «promover a educação e a formação contínua» deste tipo de tumor.

«É necessário melhorar a deteção, o tratamento e a prevenção da patologia e, por isso, os especialistas esperam que a aliança REDICAP também desenvolva o seu trabalho como órgão consultivo em termos de linhas estratégicas de atuação», acrescenta.

Para os especialistas da rede, os principais desafios associados a esta patologia são «melhorar a informação sobre o impacto do consumo de tabaco, sendo que o aumento da mortalidade de mulheres com este cancro é uma preocupação especial».

O diagnóstico precoce da doença e o acesso dos pacientes a tratamentos inovadores são, para os especialistas, «pontas de lança para aumentar a sobrevivência».

Citado no comunicado, o Diretor do Serviço de Oncologia Médica do Centro Hospitalar e representante português da rede, António Araújo afirma que a criação desta rede de estudo no cancro do pulmão «é de extrema importância».

«Os problemas que enfrentamos a este nível, pela similaridade dos povos, da língua e do comportamento são muito sobreponíveis e requerem ações semelhantes. Esta rede vai permitir-nos ganhar consistência nas nossas posições, desenvolver ações com maior impacto a nível dos médicos e das populações, homogeneizar o estudo, o ensino e o tratamento do cancro do pulmão e sermos mais audíveis pelos decisores políticos, no que toca a políticas que envolvam o tabaco e este cancro», salienta o médico.

A REDICAP é presidida pelo Grupo Espanhol de Cancro de Pulmão (GECP), nomeadamente pelo Diretor do Serviço de Oncologia do Hospital Universitário Puerta de Hierro de Madrid, Mariano Provencio.

A rede conta ainda com o Chefe da Oncologia Torácica do Instituto Alexander Fleming de Buenos Aires, Cláudio Martin, e do Diretor médico da Clínica Aliada de Lima, Carlos Carracedo.

Visite:

Procriação Medicamente Assistida

 

Tratamentos de PMA com prazo alargado por mais seis meses.

As mulheres que viram os seus tratamentos de procriação medicamente assistida (PMA) adiados devido à pandemia Covid-19, e que ultrapassam este ano o limite de idade (40 anos), têm mais seis meses para os realizar, segundo uma circular hoje divulgada pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

A circular informativa conjunta esclarece o alargamento do prazo para a realização de tratamentos, tendo em conta a situação excecional decorrente da pandemia e os impactos provocados na atividade programada, garantindo, dessa forma, a equidade no acesso a tratamentos de PMA. 

Desta forma, as mulheres que ultrapassaram o limite de idade entre 18 de março de 2020 e 28 de fevereiro 2021 e que, em simultâneo, viram os seus tratamentos cancelados por perturbações da resposta assistencial em resultado da pandemia Covid-19, podem aceder a tratamentos PMA durante os próximos 6 meses. 

No caso de mulheres que perfaçam o limite de idade entre março e dezembro de 2021 esse limite é prolongado por mais 6 meses. 

Estas condições são aplicadas para “técnicas PMA de 1ª linha (Inseminação Intra-Uterina) e de 2ª linha (Fertilização In Vitro e Injeção Intracitoplasmática de espermatozoides, mantendo-se o máximo de 3 ciclos (para cada caso/casal)”, lê-se no documento. 

Para saber mais, consulte:

DGS > Circular Informativa Conjunta ACSS/DGS nº 7/2021/ACSS/DGS de 30/03/2021.

Investimento na ULSAM

 Governo autoriza concessão dos serviços de imagiologia por 8,4 ME.

A Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) foi autorizada pelo Governo a assumir um encargo de mais de 8,4 milhões de euros (ME), durante quatro anos, ao abrigo do contrato para concessão dos serviços de imagiologia.

De acordo com a portaria hoje publicada em Diário da República, assinada pelos secretários de Estado do Orçamento e da Saúde, a ULSAM “necessita de proceder à celebração do contrato para concessão de exploração e prestação de serviços de imagiologia, celebrando para o efeito o respetivo contrato válido por 12 meses, renovável por iguais períodos, até ao limite de duas renovações, se não houver denúncia do mesmo”.

O diploma autoriza “a assunção de compromissos plurianuais”, num montante global até 8.488 238,83 euros, a que acresce IVA à taxa legal em vigor, referente ao contrato para “concessão de exploração e prestação de serviços de imagiologia”.

O documento refere ainda que os encargos “resultantes do contrato não excederão, em 2021, os 2.122.059,71 euros, em 2022, os 2.829.412,94 euros, em 2023, os 2.829 412,94 euros, e em 2024 os 707.353,24 euros”.

Para saber mais:

Finanças e Saúde – Gabinetes da Secretária de Estado do Orçamento e do Secretário de Estado da Saúde
Autoriza a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, E. P. E., a assumir um encargo referente ao contrato para concessão de exploração e prestação de serviços de imagiologia

Requalificação no CHTV

 Serviço de Imagiologia do hospital de Viseu aumenta capacidade.

O Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV) aumentou a sua capacidade em salas e equipamento para separar os doentes da urgência dos que estão programados, num investimento perto dos 500 mil euros.

De acordo com o Diretor do Serviço Imagiologia CHTV, Duarte Silva, “o grande objetivo desta sala, que era um anseio nosso há anos, mas que se tornou particularmente necessária com a pandemia, é separar os doentes do serviço de urgência dos que estão na sala de espera para exames programados. Assim, não se misturam”.

Duarte Silva, em declarações aos jornalistas, explicou que “será possível manter os exames programados, sem atrasos, porque os doentes não serão misturados”, além de “evitar contágios de doenças” e isso tornar o “serviço mais seguro”.

“Aqui faz-se todo o tipo de exames gerais, desde raio-x do tórax, de coluna, dos pés, das mãos, do crânio. Ou seja, todo o tipo de exames de radiologia convencional proveniente do serviço de urgência”, salientou.

Numa visita guiada aos jornalistas, o responsável mostrou a “nova sala de ecografia, também destinada ao serviço de urgência, e que se soma às outras três já existentes”, assim como a “sala dos exames contrastados”.

Relativamente ao equipamento apresentado, Duarte Silva destacou o dos estudos mamários que, “após um período, em 2018, em que nem era possível fazer exames”, passou em 2019 a estar equipado “com um dos melhores aparelhos a nível nacional”. Neste momento, “fazemos todo o tipo de diagnóstico da patologia mamária”.

Visite:

CHTV – http://www.chtv.min-saude.pt/

Viatura | Emergência e Reanimação

 Viatura do CHBM assinala 5 anos em atividade e mais de 10 mil ativações.

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) assinalou cinco anos de atividade. É a 44.ª viatura deste tipo em funcionamento no país e, atualmente, a equipa é constituída por 23 médicos e 21 enfermeiros com formação diferenciada.

De acordo com o centro hospitalar, ao longo destes cinco anos, a viatura, teve cerca de 10.900 ativações, «o que corresponde a uma média de 6 ativações por dia, percorreu cerca de 331.878 quilómetros, o que equivale a uma média de 182 quilómetros por dia ou de 30 quilómetros por ativação».

O CHBM destaca uma grande variedade na tipologia das ocorrências, nomeadamente emergências médicas, emergências de trauma, e emergências pediátricas e obstétricas.

A sua área de atuação engloba preferencialmente os concelhos de Alcochete, Barreiro, Moita e Montijo, sendo que por diversas situações, quando solicitado pelo Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), abrange também outros concelhos limítrofes.

As VMER são veículos de intervenção pré-hospitalar destinadas ao transporte rápido de uma equipa, composta por um médico e um enfermeiro, ao local onde se encontram os doentes, vítimas de acidente ou doença súbita em situações de emergência. O seu principal objetivo consiste na estabilização pré-hospitalar e no acompanhamento dos doentes, durante o transporte, até ao hospital.

Para saber mais, consulte:

CHBM > Notícias

CHOeste cria Provedor do utente

 Provedor irá representar os interesses dos utentes e famílias.

O Centro Hospitalar do Oeste (CHOeste) conta agora com a figura do Provedor do Utente, que terá como preocupação central ouvir ativamente e dar resposta aos utentes e respetivas famílias, quando estes procuram ajuda e esclarecimento sobre o atendimento e cuidados prestados nas Unidades Hospitalares que compõem a entidade.

Para o efeito, foi nomeado Provedor do Utente do CHOeste o Dr. José Marques, personalidade externa à instituição, que irá trabalhar em estreita articulação com o Gabinete do Cidadão e o com o Gabinete Jurídico do centro hospitalar.

De acordo com comunicado divulgado, pretende-se que a comunicação com o provedor ocorra preferencialmente por via digital. Para tal, os utentes poderão redigir as suas sugestões, anseios, oportunidades de melhoria, entre outros no formulário disponível na página eletrónica do CHOeste e enviar para o endereço de correio eletrónico: provedordu@choeste.min-saude.pt .

Para o Conselho de Administração do CHOeste, a criação da figura do Provedor do Utente faz parte da estratégia da Instituição, que tem como desígnio trazer o doente para o processo de decisão, considerando os seus contributos para a melhoria da qualidade dos cuidados de saúde prestados aos Utentes da região Oeste.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.

Para saber mais, consulte:

CHOeste > Notícias

Hospitalização domiciliária

                   ULS Guarda inaugura hoje Unidade de Hospitalização Domiciliária.

 A Unidade de Hospitalização Domiciliária da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda inicia hoje atividade.

De acordo com a ULS, o novo espaço, instalado no Pavilhão da Consulta Externa do Hospital Sousa Martins, «será o suporte da equipa da Unidade de Hospitalização Domiciliária, composta por uma equipa de profissionais experientes e diferenciados, constituída por médicos de Medicina Interna e Enfermeiros com vasta experiência e competências».

A Unidade de Hospitalização Domiciliária tem como objetivo o internamento no conforto de casa do doente, com prestação de cuidados, rigor e segurança clínica idênticos ao internamento convencional.

Para saber mais, consulte:

ULS Guarda > Notícias

Covid-19 | Plano de desconfinamento

 A terceira fase do Plano de desconfinamento avança esta segunda-feira, dia 19 de abril, com o regresso às aulas presenciais dos alunos do ensino secundário e do superior.

No entanto, há 10 concelhos que não seguem nesta terceira etapa do desconfinamento.  

A decisão da generalidade do país avançar para a próxima fase do processo de desconfinamento foi anunciada pelo Primeiro-Ministro, António Costa, após o último Conselho de Ministros, que analisou a evolução da pandemia da Covid-19 nas últimas duas semanas.

Principais medidas em vigor a partir de 19 de abril:

  • Ensino secundário
  • Ensino superior
  • Cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculos
  • Lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação
  • Todas as lojas e centros comerciais
  • Restaurantes, cafés e pastelarias (max 4 pessoas ou 6, por mesa, em esplanadas) até às 22h ou 13h ao fim-de-semana e feriados
  • Modalidades desportivas de médio risco
  • Atividade física ao ar livre até 6 pessoas e ginásios sem aulas de grupo
  • Eventos exteriores com diminuição de lotação
  • Casamentos e batizados com 25% de lotação


O plano de desconfinamento do Governo prevê quatro fases, três já implementadas, estando a próxima prevista 3 de maio, cuja aplicação prática está, todavia, dependente da evolução dos contágios e do número de novos casos de Covid-19.

Para saber mais, consulte:

Estamos on > Plano de Desconfinamento: Datas e Regras Gerais

Covid-19 | Recorde de Vacinação

Portugal ultrapassa meta das 2,5 milhões de doses de administradas.

Portugal alcançou o recorde de vacinação contra a Covid-19 neste fim de semana. Foram administradas, este sábado e domingo, dias 17 e 18 de abril, 183 mil doses, elevando o total de vacinas administradas contra a Covid-19, em Portugal Continental, para mais de 2,5 milhões. Destas, cerca de 1,8 milhões foram primeiras doses e 700 mil segundas.

O Primeiro-Ministro, António Costa, considerou que se tratou de “um grande sucesso” e que Portugal caminha para cumprir os objetivos do plano de vacinação.

António Costa agradeceu aos profissionais de saúde, aos autarcas e ao coordenador da Task Force para a vacinação, Vice-Almirante Henrique de Gouveia e Melo e sua equipa, que estiveram este fim de semana em visita à Região Norte. “Portugal está pronto para cumprir o objetivo”, garantiu o Primeiro-Ministro.

Entre as pessoas vacinadas este fim de semana estiveram quase 170 mil professores e funcionários das escolas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Proença-a-Nova | Infrações detetadas pela GNR disponibilizadas na página do Município

As ações de fiscalização que os militares da GNR realizaram no concelho nos dias 26 e 27 de março permitiram identificar 93 infrações críticas nas faixas de proteção junto aos aglomerados urbanos, a casas isoladas e aos parques e polígonos industriais do concelho de Proença-a-Nova, menos 39 do que as registadas em 2020. O Gabinete de Proteção Civil e Florestas do Município, em colaboração com a GNR, disponibiliza os mapas com a identificação destes pontos na área dedicada à floresta na página do Município, bem como a delimitação da área a limpar em cada uma das aldeias do concelho, alertando para o facto de poderem existir outras situações de incumprimento que não foram referenciadas, mas que, ainda assim, podem vir a incorrer em multa.

A partir de junho, os militares da GNR regressarão ao terreno para verificar quais destes 93 pontos se mantêm em incumprimento, autuando quem não tiver o espaço dos 100 metros em redor do aglomerado populacional limpo (ou 50 metros no caso das habitações isoladas). A limpeza, conforme definida no Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, tem de ser realizada pelos proprietários até ao dia 15 de maio, depois de publicado o prolongamento do prazo em Diário da República, no dia 17 de março (Decreto-Lei n.º 22-A/2021), por decisão do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Câmara Municipal de Proença-a-Nova entrega compostores domésticos aos munícipes


Iniciativa ambiental arranca em maio
O Município de Proença-a-Nova vai promover um conjunto de ações de sensibilização ambiental sobre compostagem doméstica, nas sedes de freguesia, a partir do mês de maio: a primeira ação acontece a 7 de maio, às 19h30, em São Pedro do Esteval; segue-se a 14 de maio, às 19h00, em Sobreira Formosa; a 21 de maio, às 19h00, em Montes da Senhora; e a 27 de maio, às 18h30, em Proença-a-Nova. As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias nas respetivas Juntas de Freguesia e o número de participantes está limitado à capacidade da sala onde decorrerá a ação, de acordo com as normas da Direção-Geral de Saúde. No final, os participantes receberão um compostor doméstico (número de equipamentos limitados e atribuídos por ordem de inscrição).

Esta iniciativa foi uma das propostas aprovadas no âmbito do Orçamento Participativo 2020, apresentada pelo munícipe Pedro Serra, que contempla a aquisição de compostores para distribuição gratuita junto dos munícipes. O objetivo é sensibilizar para a diminuição da aplicação de adubos e pesticidas sintéticos, reduzindo a contaminação dos solos, da água e do ar. A oferta dos compostores é comum a todas freguesias do concelho, num investimento total de 3.600,00 €.

A compostagem é um processo natural e biológico de decomposição de resíduos orgânicos (provenientes das hortas, jardins e cozinhas) por ação de microrganismos que os transformam numa matéria rica, escura, com aspeto de solo, denominado ‘composto’. A compostagem doméstica, além de ser um processo extremamente simples de executar, permite valorizar os resíduos, poupando custos ambientais e económicos significativos (nomeadamente custos no transporte de lixos e na deposição em aterro). O adubo orgânico resultante é ideal para ser utilizado em vasos, floreiras ou nos canteiros das hortas (agricultura biológica) e jardins, pois melhora substancialmente a estrutura do solo.

Covilhã | Obras nas freguesias em destaque nas comemorações do 25 de abril


No âmbito do programa das Comemorações do 25 de Abril, estão previstas, no dia 24 de abril, visitas a algumas obras em curso nas freguesias do concelho da Covilhã. O périplo tem início às 10H00, em S. Jorge da Beira, com a visita às obras da Estrada do Porsim, seguindo-se, às 11H30, uma visita ao Welcome Center – Casa de Apoio aos Fornos Comunitários, em Sobral de S. Miguel.

Durante a tarde, às 14H30, está agendada uma visita a várias intervenções na freguesia das Cortes do Meio, designadamente ao Parque das Oliveiras – novo parque infantil, parque fitness e zona de lazer; Rotunda do Pastor e da zona envolvente; asfaltamento do Caminho do Louseiro; Praceta Quintela; Lavadouro da Fonte dos Calções e da Fonte do Terreiro; e o lançamento da primeira pedra das obras de ampliação do cemitério.

O conjunto de visitas termina às 16h00, no Mercado de Unhais da Serra.

SAMP e Município de Leiria lançam projeto de inclusão social pela Arte


A SAMP e o Município de Leiria vão lançar o projeto UpA - Unidos pela Arte, um projeto de inclusão social, recorrendo à arte para facultar ferramentas essenciais para manter o estado de saúde, bem como potenciar a autoestima, autocontrolo, adaptabilidade, relações sociais, promovendo a criação de grupos e redes de apoio.

Este é um projeto dirigido a profissionais de saúde, cuidadores, colaboradores de instituições e os demais que entendam benefício participar.

Este programa pretende constituir-se como boa prática a ser alargada a um maior território para chegar a todos os que precisam, com uma solução de práticas participativas e um trabalho artístico cocriativo.

Para este projeto, propõem-se a criação de uma companhia artística permanente, que integre todos os interessados que se detetem ou que nos sejam encaminhados por instituições, profissionais da saúde, cuidadores e colaboradores.

Prevê-se, com estes grupos, promover o encontro através de práticas sonoras comunitárias, viajando com a Música, com o Teatro e com o Movimento.

Nos tempos atuais, as comunidades encontram-se a atravessar um dos momentos mais desafiantes e de grandes tensões sociais, emocionais e económicas.

O medo, a ansiedade e a incerteza agudizaram-se no dia-a-dia de cada individuo, e consequentemente deterioram as relações, as famílias, as equipas de trabalho e toda uma sociedade. Assim se passa não só com a saúde física, mas também, e principalmente, com a saúde mental, que desestabilizada a longo prazo, traz também a redução da imunidade e estados físicos patológicos associados.

Uma das consequências desta crise é a diminuição dos recursos financeiros e por tal facto, a arte, o auto cuidado e a terapia passam para segundo plano, aumentando o recurso a medicação do foro psicológico e internamento em serviços de psiquiatria.

E neste sentido que nasce a vontade de desenvolver um projeto de práticas comunitárias, em que a Arte se torna a ferramenta principal para o Estar com o Outro.

Se, por um lado, o objetivo é, através de um trabalho comunitário cocriativo desenvolver performances artísticas, enaltecendo as aptidões de cada indivíduo, que terá como resultado final a apresentação de diversas performances em locais imprevisíveis do Concelho de Leiria, por outro, pretende-se facilitar novas descobertas, novos olhares e novos canais de comunicação, que nos permitem questionar e caminhar conscientes rumo a autoestima e autoconsciência.

É nesta evolução de consciência que, depois de atravessarmos os estados de medo, ansiedade, perda de horizonte e futuro, descobrimos as nossas potencialidades, o que faz de nós únicos e fundamentais no núcleo familiar, no meio laboral, na comunidade, no planeta e na vida. E isto acreditamos ser a verdadeira dimensão da palavra saúde. Todas estas tomadas de consciência e todo este caminhar é facilitado pela presença da música, do som e das artes em geral.

O projeto SAMP “Unidos pela Arte - UpA” é financiado e apoiado pela Câmara Municipal de Leiria.

 


Aveiro | Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite -São João da Madeira, vence Sessão Distrital do Concurso EUROSCOLA


A Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, de São João da Madeira, ficou em primeiro lugar na fase distrital do Concurso EUROSCOLA de 2021.

Cinco das vinte e cinco escolas que participaram no programa Parlamento dos Jovens do distrito de Aveiro, concorreram ao Euroscola: Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva, Escola Profissional de Aveiro, Escola Profissional de Viticultura e Enologia da Bairrada, Escola Secundária de Vagos e Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite.

O tema do concurso na edição 2021 é: «Cidadania e participação jovem, qual o papel das novas tecnologias».

O Júri, constituído por Perpétua Sousa – Formadora na área das Novas Tecnologias, Cristina Gomes – Departamento Ciências Sociais, Políticas e do Território da UA e Luís Ventura – Diário de Aveiro, avaliou os trabalhos escritos e apresentados em vídeo, tendo atribuído a vitória ao Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite, (São João da Madeira), representado pelos alunos Tiago Lopes e Rodrigo Martins.

O trabalho vencedor será agora avaliado por um Júri Nacional que irá decidir quais das escolas vencedoras em cada sessão distrital do continente, Açores e Madeira, participarão numa visita para conhecer de perto o Parlamento Europeu. Nas atuais circunstâncias, a visita será adaptada a uma "visita virtual" com participação em seminários organizados por Bruxelas para este efeito.

Este Concurso é organizado a nível nacional pelo IPDJ, I.P. e pelo Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, com a participação da Assembleia da República e das Direções Regionais da Juventude dos Açores e da Madeira.

Podem concorrer todas as Escolas do Ensino Secundário que participam no Programa Parlamento dos Jovens.


Águeda | Comboio histórico do Vouga realiza viagens nos dias 24 e 25 de abril


Nestes dois dias, a locomotiva a vapor volta a circular na Linha do Vouga, naquela que é a única linha de bitola estreita em funcionamento em Portugal.

O comboio histórico do Vouga volta a soltar vapor nos próximos dias 24 e 25 de abril, numa edição especial para dar a conhecer ou rever as paisagens da Linha do Vouga, fazendo a ligação entre Aveiro e Macinhata do Vouga.

Nesta edição, que respeita todas as regras sanitárias e de segurança em vigor indicadas pela Direção-Geral de Saúde, integra a viagem uma antiga locomotiva a vapor, construída pela casa alemã Henschel & Sohn, e cinco carruagens dos primeiros anos do século XX.

O programa previsto para cada um dos dias inicia com a partida da estação de Aveiro, às 13h35 e chegada a Macinhata do Vouga, às 15h22. Cerca de uma hora depois, às 16h33, será feita a viagem de regresso e após uma paragem de 40 minutos em Águeda, a partida está marcada para as 17h45 e a previsão de chegada a Aveiro às 18h49.

Nestes dois dias, para além de apreciarem a beleza da paisagem, os viajantes têm a oportunidade de viajar a bordo de um dos mais carismáticos comboios do mundo, referido como um “comboio de sonho” no livro “Dream Trains”, editado pela União Internacional de Caminhos de Ferro (UIC).

Esta viagem, a par de outras iniciativas, são demonstrativas da aposta da CP e da Câmara Municipal de Águeda na recuperação de locomotivas e na valorização do património histórico ferroviário.

“Este comboio é único em Portugal e uma referência internacional que os amantes da ferrovia reconhecem e que pode ser apreciado por todos”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda, salientando que é estratégia do Município apostar neste património para dinamizar o turismo ferroviário e sustentável, com ganhos para a economia local.

Município de Leiria promoveu sessão online “Estabelecimentos Seguros “


O Município de Leiria promoveu na manhã desta terça-feira, dia 20 de abril, uma sessão online com o objetivo de esclarecer e sensibilizar os proprietários dos estabelecimentos de restauração e similares para a importância do cumprimento, tanto por parte dos estabelecimentos como dos clientes, das normas de segurança inerentes a esta nova fase de desconfinamento.

Participaram nesta sessão as vereadoras do Desenvolvimento Económico, Catarina Louro e da Saúde, Ana Esperança; Responsáveis da Saúde Pública; Forças de Segurança, representadas pela GNR e pela PSP, assim como a ACILIS e proprietários de diversos estabelecimentos, de Leiria.

Neste encontro, ficou demonstrada a preocupação dos representantes das entidades presentes, essencialmente por se verificar que regras fundamentais como o uso de máscara e o distanciamento obrigatório não estão a ser devidamente cumpridas, o que cria o “cenário ideal” para um retrocesso no combate à pandemia, que não é desejado por ninguém.

Para Ana Silva, Delegada de Saúde de Leiria, presente na sessão, é fundamental que todos cumpram as recomendações e não esqueçam que existem casos de reinfeção e as variantes do vírus continuam a circular, pelo que a distância e a máscara são vitais.

Os representantes das forças de segurança, nomeadamente o Comandante do destacamento Distrital de Leiria da GNR, Capitão Daniel Matos, e o Subintendente Abel Batalha da PSP, esclareceram os proprietários presentes acerca da legislação em vigor e dos procedimentos legais adequados no âmbito da pandemia, deixando evidente que tanto a GNR como a PSP agem no sentido de encontrar soluções, preferindo uma intervenção mais didática e esclarecedora, mas não deixando de atuar se se verificar que o incumprimento se mantém, seja por parte dos estabelecimentos ou dos cidadãos.

Como ficou definido pelas vereadoras Ana Esperança e Catarina Louro, ações como a sessão que decorreu hoje têm como objetivo um trabalho conjunto e de proximidade entre entidades, estabelecimentos e cidadãos, na prossecução de um bem maior e comum, que é o de ultrapassarmos a pandemia com o empenho e a colaboração de todos.

Refira-se que o Município tem vindo a realizar ações de proximidade e de sensibilização junto dos estabelecimentos com esplanadas, apelando aos clientes e proprietários para o cumprimento escrupuloso das regras definidas pelas autoridades, em colaboração com as Forças de Segurança, Autoridade de Saúde, a Proteção Civil e a ACILIS, tal como uma campanha e ações de sensibilização apelando e promovendo o comércio seguro, de forma a recuperar a confiança e o sentimento de segurança a comerciantes e clientes.

Toda a informação em anexo

“Dezenas de quilómetros de filas” na fronteira de Valença. “Ambiente infernal”


AECT pede fim do “calvário” para trabalhadores e empresários.
O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho classificou de “inferno” o “ambiente” vivido hoje de manhã na fronteira entre Valença e Tui, na Galiza, apelando ao fim do “calvário” de trabalhadores e empresários transfronteiriços.

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho classificou de “inferno” o “ambiente” vivido hoje de manhã na fronteira entre Valença e Tui, na Galiza, apelando ao fim do “calvário” de trabalhadores e empresários transfronteiriços.

“Legalmente não sabemos o que fazer mais. Intervenções ilegais? Não sabemos fazer”, refere o AECT Rio Minho numa nota hoje enviada à Lusa.

Com sede em Valença, o AECT Rio Minho abrange 26 concelhos: os 10 municípios do distrito de Viana do Castelo que compõe a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho e 16 concelhos galegos da província de Pontevedra.

O agrupamento reafirmou “a necessidade de reabertura urgente das fronteiras, bem como a compensação financeira para trabalhadores e empresários transfronteiriços, devido aos elevados prejuízos provocados por esta decisão injusta e desproporcionada, no tempo e na forma”.

“Os responsáveis políticos por esta ruína socioeconómica transfronteiriça têm de assumir as suas responsabilidades”, sustenta o agrupamento com sede em Valença.

Na sexta-feira, o Ministério da Administração Interna (MAI) avançou que o controlo de pessoas nas fronteiras terrestres e fluviais entre Portugal e Espanha vai prolongar-se por mais 15 dias, mantendo-se em todos os Pontos de Passagem Autorizados (PPA) os horários e as regras estabelecidas.

Atualmente, das oito passagens que ligam o distrito de Viana do Castelo às Galiza, o atravessamento da fronteira durante 24 horas apenas está autorizado na ponte nova de Valença. Há ainda em Monção, Melgaço, no Lindoso, Ponte da Barca, pontos de passagem que estão disponíveis nos dias úteis, das 07:00 às 09:00 e das 18:00 às 20:00

Na manhã de hoje, segundo o AECT Rio Minho, “o ponto de passagem autorizado Valença-Tui, viveu, um ambiente infernal, com dezenas de quilómetros de filas para entrar em Portugal, com a passagem pelo controlo do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras a demorar uma média de duas horas”.

“Ao buzinão audível de revolta, vários trabalhadores transfronteiriços fizeram chegar o seu testemunho desesperante ao AECT Rio Minho, por ‘email’, telefone, nas redes sociais”, descreveu.

“Apesar de evocar sensibilidade para o assunto, o ministro da Administração Interna do Governo de Portugal, Eduardo Cabrita, tem mantido uma posição completamente inflexível e intransigente, sendo da sua inteira responsabilidade e competência esta afronta aos trabalhadores e empresários transfronteiriços”, sustentou o agrupamento.

Segundo o AECT Rio Minho “quer no primeiro confinamento em 2020, quer neste segundo encerramento de fronteiras decretado no início do ano, o município de Vila Nova de Cerveira e o AECT Rio Minho encetaram todas as diligências consideradas legalmente disponíveis”.

Adianta ter ainda remetido “ofícios e dossiês de testemunhos de trabalhadores e empresários ao Presidente da República, aos primeiros-ministros de Portugal e de Espanha, aos ministros da Administração Interna, dos Negócios Estrangeiros, da Economia, do Trabalho, da Coesão Territorial”, estabelecido “contactos com os deputados na Assembleia da República”, realizado “uma reunião de sensibilização junto da Comissão Europeia, reuniões com uma comitiva de eurodeputados portugueses e galegos conferências de imprensa, um estudo sobre os prejuízos socioeconómicos provocados por estes encerramentos”.

“Nunca quisemos colocar em causa a defesa da saúde pública. Apenas queremos que haja bom senso político para com os milhares de trabalhadores e empresários transfronteiriços, e que vivem diariamente um calvário, um desgaste físico e emocional para exercer as suas funções laborais, sendo afunilados por um único ponto de passagem autorizado”, sustentou.

Lusa

Imagem: O Minho

Assembleia Municipal de Cantanhede subscreve posição camarária contra a exploração de caulinos nas imediações dos Olhos da Fervença

A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou, por unanimidade, uma posição contra a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de caulino na zona da Loureira, entre os Olhos da Fervença e S. Caetano. Foi na reunião plenária de 19 de abril que o órgão deliberativo da autarquia cantanhedense deliberou no sentido de subscrever os fundamentos invocados pelo executivo camarário na deliberação datada de 15 de março, na qual é rejeitada a implementação do projeto que mereceu parecer favorável da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Na Assembleia Municipal, Helena Teodósio, lembrou que, logo que a Câmara Municipal tomou conhecimento do processo na fase de consulta pública, “mandou fazer uma avaliação técnica que concluiu haver diversos problemas e consequências nefastas que a extração de caulinos poderá acarretar para o território”, até porque se trata de “uma atividade que põe seriamente em risco espaços naturais e turísticos como os que existem na zona em causa”.

Uma das maiores preocupações da presidente da autarquia prende-se com o impacto negativo que a exploração poderá causar nas nascentes dos Olhos da Fervença, para cuja envolvente já existe um ambicioso projeto de ampliação e requalificação da praia fluvial, projeto esse que de resto foi apresentado na reunião da Assembleia Municipal de 19 de abril. “Estamos absolutamente contra o que configura um atentado ambiental aos recursos naturais, culturais e hídricos, uma vez que a referida exploração ficaria situada a menos de 500 metros da Zona de Proteção Intermédia e a menos de 1.000 metros à Zona de Proteção Imediata”, sublinha Helena Teodósio.

Especialmente preocupante é também “o impacto nos recursos hídricos subterrâneos, a prospeção e pesquisa prevista abrangeria parcialmente a bacia hidrográfica da Vala da Veia e da Ribeira da Corujeira, para onde conflui uma das mais importantes redes de cursos de água do concelho”, o que, de acordo com o parecer técnico invocado por Helena Teodósio, poderá “arruinar o valioso património natural e cultural existente, como por exemplo a Rota dos Moinhos que se pretende implementar com o desenvolvimento do PIER dos Olhos da Fervença, a ampliação da rede ciclável do Município de Cantanhede e os percursos pedestres da “Rota do Tremoço”.

Outras consequências indesejáveis do licenciamento são “o reduzido e inadequado distanciamento da exploração às comunidades locais, antevendo-se desde já um tremendo impacto social negativo causado pela mais que previsível perturbação da qualidade de vida da população, a degradação das condições ambientais e ecológicas (alterações da estrutura dos solos e da cobertura vegetal, com implicações nas atividades agrícolas e florestais e a destruição de habitats naturais), sem esquecer os efeitos ao nível da saúde pública, nomeadamente a diminuição da qualidade do ar, o aumento substancial do ruído e a contaminação dos solos, com todos os prejuízos daí decorrentes para a agricultura e a pecuária”.

Por outro lado, é também tido como certo o acentuar da degradação das infraestruturas públicas, devido ao incremento significativo da circulação rodoviária, nomeadamente de veículos pesados e máquinas, o que, além de reverter em prejuízos assinaláveis para o erário municipal, trará inevitavelmente associado o aumento dos riscos de sinistralidade no território, afetando assim a segurança dos cidadãos.

É de referir ainda que o processo de licenciamento da Área de Prospeção e Pesquisa de Depósitos Minerais na zona da Loureira mereceu também uma posição de rejeição por parte das freguesias de Cadima, S. Caetano e Sanguinheira.





Portugal com 5mortes e 424 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Rt situa-se em 1


Registaram-se também 902 casos de recuperação nas últimas 24 horas.
Portugal regista esta terça-feira mais cinco mortes e 424 novos casos de infeção por Covid-19 do que os registados no boletim epidemiológico de segunda-feira.

De acordo com os dados mais recentes da DGS, a incidência da Covid-19 em Portugal continental e ilhas é agora de 71,8 casos por 100.000 habitantes. Se olharmos apenas para o continente, o valor é menor: 68,1 casos de infeção por por 100.000 habitantes.

Nesta altura, o valor do R(t) é de 1, tanto ao nível do território nacional, como apenas no continente.

Estão confirmadas 16.951 mortes devido à Covid-19 em Portugal, mais cinco do que no último boletim epidemiológico emitido pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de pessoas infetadas pela doença até agora é de 831.645, mais 424 nas últimas 24 horas. Há, neste momento, 24.576 casos ativos, menos 483 do que na segunda-feira.

Até ao momento, 790.118 pessoas conseguiram recuperar, das quais 902 nas últimas 24 horas.

Há ainda 21.866 pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde.

Há agora 429 pessoas internadas (menos 25 do que nas últimas 24 horas), 113 das quais em cuidados intensivos (mais uma do que no último registo).

Carolina Quaresma / TSF

Covid-19: Hospital de Penafiel não renova contratos com 60 enfermeiros


O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), sediado em Penafiel, está a comunicar a cerca de 60 enfermeiros com "contrato covid-19" que não vai renovar o seu vínculo, denunciou hoje a Ordem dos Enfermeiros.

Segundo o presidente da Secção Regional Norte da Ordem dos Enfermeiros, João Paulo Carvalho, trata-se de uma situação da qual já se falava há algum tempo, mas que agora se confirma com o envio das primeiras comunicações aos profissionais.

Em causa estão, explicou, seis dezenas de contratos celebrados por quatro meses, entretanto renovados por mais quatro, para reforçar as equipas de enfermagem no pico da segunda vaga de covid-19.

Sobre o assunto, uma nota do CHTS enviada hoje à Lusa indica que "o Conselho de Administração está a acompanhar a situação e a zelar pelo cumprimento dos processos legais aplicáveis".

Em declarações à Lusa, João Paulo Carvalho lembrou hoje que aqueles profissionais foram essenciais para a resposta à covid-19 num dos hospitais do país que enfrentou maior pressão, nomeadamente no final de 2020, e também onde, "historicamente, há maior défice de recursos de enfermagem".

Anotou ainda que 14 dos profissionais que vão ser dispensados estão no serviço de urgência.

"Foram profissionais que deram o seu melhor, alguns até ficaram infetados, e agora são colocados na rua", lamentou, questionando as opções da tutela, nomeadamente "as contenções orçamentais".

Segundo o responsável, estes enfermeiros estão “a sentir-se usados pelo Estado e o Governo está a poupar à custa dos portugueses".

Alertou, ainda, para o facto de aqueles profissionais, que já se encontravam integrados, poderem ser essenciais se houver uma nova vaga de covid-19 em Portugal, como já está a ocorrer em alguns países europeus.

João Paulo Carvalho disse também ser do conhecimento da Ordem que "muitos profissionais" têm sido obrigados a trabalhar 15 dias, ininterruptamente, para cumprir o plano de vacinação, situação que, além do impacto negativo na qualidade de vida dos profissionais, "pode representar um risco para os cuidados de saúde que estão a ser prestados".

"Não se pode fazer mais com o mesmo ou até com menos", concluiu.

Lusa

Imagem: Expresso de Amarante

Descoberta nova espécie de inseto no arquipélago da Madeira


Dois membros da Universidade da Madeira publicaram um estudo numa revista europeia revelando a existência de uma nova espécie de inseto no arquipélago, o ‘Cixius wollastoni Freitas & Aguin-Pombo, 2021’, anunciou hoje a academia regional.
“Énio Freitas e Dora Aguin-Pombo, membros da Universidade da Madeira (UMa), publicaram recentemente um estudo na revista European Journal of Taxonomy (Jornal Europeu de Taxinomia) em que revelam a existência de uma nova espécie de inseto, ‘Cixius wollastoni Freitas & Aguin-Pombo, 2021’”, lê-se na informação hoje disponibilizada.

O documento explica que a denominação dada à nova espécie é “em reconhecimento a Thomas H. Wollaston, um pioneiro no estudo da fauna entomológica da Madeira”.

Segundo a academia regional, “até à data, os estudos publicados sobre os cixídeos do arquipélago da Madeira eram fragmentários” e em “algumas espécies as descrições estavam ainda incompletas e/ou eram baseadas num pequeno número de espécimes”.

“Os dados sobre a ecologia e distribuição eram também escassos e baseados em trabalho de campo que datam de 40 anos”, complementa.

Para os investigadores, “ter um amplo conhecimento sobre a taxanomia, a informação e distribuição do habitat é essencial para a conservação da biodiversidade deste rico arquipélago”.

Neste estudo, intitulado "Taxonomy of the Cixiidae (Hemiptera, Fulgoromorpha) from the Madeira archipelago", os autores fazem “um relato completo da taxonomia dos cixídeos da Madeira com base em espécimes de museus e material recolhido em trabalho de campo, realizado na Ilha da Madeira e nas Ilhas Desertas (Ilhéu Chão e Deserta Grande)”, enfatiza a Universidade insular.

A academia acrescenta que, sendo “algumas destas espécies muito raras ou a viver em áreas muito restritas, Énio Freitas e Dora Aguin-Pombo pretendem apresentar em breve medidas para a sua conservação”.

Ainda salienta que o trabalho dos dois investigadores “regista, pela primeira vez, a ocorrência de ‘Pentastiridius leporinus’ (Linnaeus, 1761) na Madeira, disponibiliza ainda uma descrição detalhada e ilustrada de todas as espécies, incluindo a recém-descoberta, bem como uma chave de identificação para esta família dos insetos.

Com esta descoberta, o Cixius wollastoni Freitas & Aguin-Pombo, 2021, “a Madeira passa a somar sete espécies de cixídeos, dos quais seis endémicos, juntando-se assim a Tenerife, com o maior número de espécies endémicas da Macaronésia”, conclui a informação da UMa.

Lusa

Silves | NOVO REGULAMENTO DE TAXAS E LICENÇAS MUNICIPAIS ENTRA EM VIGOR A 21 DE ABRIL


Este instrumento normativo preconiza a revisão em baixa do valor das taxas municipais e o reforço das isenções tributárias, sobretudo no domínio das políticas fiscais verdes e do combate às alterações climáticas, assim como a sua adaptação ao novo PDM de Silves, o primeiro do Algarve de 2.ª geração, e às novas competências municipais transferidas pelo Estado, regulando, deste modo, todo o universo das taxas que são cobradas pelo Município de Silves, o que facilita inequivocamente a tomada do seu conhecimento quer pelos serviços municipais, quer pelos munícipes e potenciais investidores.

 

Além disso, o atual executivo municipal liderado pela Presidente Rosa Palma, serve-se do novo regulamento de taxas e licenças municipais para concretizar as políticas públicas e as orientações estratégicas estabelecidas para a área geográfica do concelho de Silves, visando, nomeadamente:

 

a) Estimular o investimento, a competitividade e o empreendedorismo, e, consequentemente, alavancar o desenvolvimento económico e social, ao privilegiar actividades económicas e todas aquelas que sejam geradoras de riqueza e coesão, sobretudo as que se mostram inovadoras, sustentáveis, criadoras de emprego ou valorizadoras da identidade do território municipal, sem prejuízo da salvaguarda do meio ambiente, das zonas verdes e do espaço público;

 

b)  Promover a valorização, proteção, fruição e divulgação do património cultural, bem como das instalações e equipamentos de utilização coletiva de natureza cultural, desportiva, recreativa e social, como forma de promoção do concelho de Silves e de atração de visitantes e potenciais investidores;

 

c) Incentivar a reabilitação, regeneração, recuperação, beneficiação e conservação do edificado existente, especialmente daquele que se encontra situado nos centros históricos urbanos ou em áreas de reabilitação urbana, bem como a conclusão de obras inacabadas, como forma de impulsionar a reabilitação e regeneração urbana, e, por essa via, resgatar e melhorar a qualidade de vida das populações no meio urbano e aglomerados populacionais dispersos;

 

d) Proteger o ambiente, ao incentivar a eco-inovação e a eficiência na utilização de recursos, a redução da dependência energética do exterior e a indução de padrões de produção e de consumo mais sustentáveis, e, simultaneamente, combater e mitigar o fenómeno das alterações climáticas, tendo por base o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do Algarve (PIAAC-AMAL), que está alinhado com os principais objetivos da Estratégia Europeia de Adaptação às Alterações Climáticas (EEAAC) e da Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020);

 

e) Assegurar sempre uma conveniente adequação dos valores das taxas devidas pelos particulares e uma equilibrada repartição da cobertura dos custos orçamentais com os serviços prestados, enquanto expressão da igualdade materialmente adequada às taxas, que impõe que cada indivíduo contribua de acordo com o custo ou valor médio das prestações administrativas de que é causador ou beneficiário; e,

 

f) Contemplar as isenções de taxas que visem fomentar iniciativas empresariais de interesse municipal, a realização das actividades de manifesto interesse público municipal, bem como garantir a aplicação efetiva do princípio da discriminação positiva a quem dele deva beneficiar. 

 

Neste contexto, o novo regulamento de taxas e licenças municipais emerge como um instrumento normativo fundamental para a regulamentação das relações jurídico-tributárias geradoras do pagamento de taxas a favor do Município de Silves, mas também como um instrumento referencial e estratégico para promover o desenvolvimento e crescimento económico do concelho de Silves e a sua coesão territorial, e, em consequência, prosseguir o interesse público municipal, na perspetiva da melhoria das condições de vida e do bem-estar das populações.

 

O novo regulamento municipal poderá ser consultado no site institucional do Município de Silves, em www.cm-silves.pt (https://www.cm-silves.pt/pt/374/taxas-e-licencas.aspx).

 

MUNICÍPIO ATRIBUI NOME DE MÁRIO SOARES A RUA DA COVILHÃ


A Câmara Municipal da Covilhã vai homenagear Mário Soares, atribuindo o seu nome a uma das novas ruas da cidade.
No âmbito das comemorações do 47º aniversário do 25 de Abril na Covilhã, o Município pretende com esta iniciativa imortalizar na toponímia da cidade o nome de Mário Soares (1924–2017), figura ímpar da luta pela Liberdade e pela Democracia, que ocupa já um lugar de destaque na História de Portugal.

A cerimónia simbólica de descerramento da placa terá lugar às 18h00 do próximo domingo, dia 25 de abril, na nova Rua Mário Soares, junto à Avenida Infante Dom Henrique, e contará com a presença do filho, João Soares.

Importa recordar que a Autarquia atribuiu a Mário Soares a Chave da Cidade e a Medalha de Ouro de Mérito Municipal, nas comemorações do 145º aniversário da Elevação da Covilhã a Cidade, no dia 20 de outubro de 2015.



Estudantes do Mestrado em Recursos Florestais da ESAC obtêm Credenciação em Distribuição, Comercialização e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos


João Francisco Sousa, José Luís Chaves e Nuno Miguel Marcos, estudantes do Mestrado em Recursos Florestais da Escola Superior Agrária do Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC), são os três primeiros estudantes deste ciclo de estudos a receber a credenciação e o respetivo Certificado do Curso de Formação Profissional em “Distribuição, Comercialização e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (DCAPF)”, atribuídos pela Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR).

A formação em Ciências Florestais e os conteúdos das Unidades Curriculares de Proteção Florestal e de Gestão de Produtos Fitofarmacêuticos permitiram a obtenção deste diploma de especialização profissional, exclusiva para Técnicos com formação superior, uma importante mais-valia na oferta formativa proporcionada pela ESAC aos estudantes do Mestrado em Recursos Florestais.

Este curso que, no âmbito do processo de avaliação pela A3ES a decorrer, deverá ver a designação alterada para Mestrado em Engenharia dos Recursos Florestais, confere, para além da credenciação em DCAPF, credenciação em Análise de Incêndios e Uso do Fogo de Supressão, Fogo Controlado e Engenharia Natural.

A ESAC congratula-se com este reconhecimento da sua oferta formativa e deseja aos estudantes o maior sucesso.