terça-feira, 26 de setembro de 2017

Alguém ainda não sabe onde doar sangue em Aveiro e arredores?


Alguém ainda não sabe onde doar sangue em Aveiro e arredores?
Pois bem, ora vejam com atenção:

Horário das Sessões de Colheitas no Posto Fixo da ADASCA
Quartas-feiras das 15:00 Horas às 19:30 Horas = Sábados das 9:30 Horas às 13:00 Horas
Dia semana | data | brigadas
SETEMBRO
4ª Feira │ 27-09-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 30-09-2017 │ POSTO  DE AVEIRO-SEDE ADASCA

OUTUBRO
4ª Feira │ 04-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 11-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 18-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 25-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 07-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 21-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 28-10-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA

NOVEMBRO
4ª Feira │ 08-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 15-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 22-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 29-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 04-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 18-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 25-11-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA

DEZEMBRO
4ª Feira │ 06-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 13-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
4ª Feira │ 20-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 02-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 09-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 23-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA
Sábado │ 30-12-2017 │ POSTO DE AVEIRO-SEDE ADASCA

Querem mais datas? Mais oportunidades? Vão criar dadores em estufas? Quem anda a brincar connosco?

Alerta aos dadores de sangue de Aveiro e arredores. Só se lembram de vós para esticar os braços, mas, quando foi necessário assinar baixos assinados, como ainda tantas diligencias para a reposição da isenção das taxas moderadoras nos hospitais públicos, como caso do Estatuto do Dador onde estavam os tais agora interessados em vós? Em promover mais brigadas?

A comunidade e os doentes têm as costas largas, como o tampo das secretárias de quem toma estas decisões.

Quantos destes defensores dos dadores de sangue estiveram na VII Convenção Nacional de Dadores de Sangue e Medula Óssea? Fizeram um pacto com o silencio para não ficar mal vistos?

A confirmar-se a informação que nos foi transmitida pela Senhora Directora do CST de Coimbra, a ADASCA em 2018 vai realizar 109 sessões de colheitas de sangue. Será certamente é a única associação com mais brigadas num só local.

Editorial | As caras lindas do Centro de Sangue e Transplantação de Coimbra em Aveiro

COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES (CNE) DÁ PRAZO DE 24 HORAS À CÂMARA MUNICIPAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS PARA REMOÇÃO DE PUBLICIDADE ILEGAL

Resultado de imagem para Comissão Nacional de Eleições
A Comissão Nacional de Eleições (CNE) obrigou, hoje, 25 de Setembro de 2017, a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos a retirar os outdoors colocados ilegalmente e toda a publicidade ilegal que a Câmara faz no site e nas redes sociais. Já se sabia do aproveitamento político que a Câmara faz de determinadas situações, fica agora a saber-se que a Câmara Municipal recorreu ao orçamento municipal para o qual contribuem todos os Figueiroenses para fazer publicidade ilegal.

A Lei proíbe claramente esta situação.

A Candidatura do Engº Filipe Silva e o PSD, lamentam profundamente a prática de tais atos ilegais por parte do executivo socialista na Câmara Municipal, que em nada dignificam o Município nem o PS.

Congratulamo-nos com a deliberação (embora tardia e tomada após pedido de intervenção ao Senhor Provedor de Justiça - a queixa foi apresentada em 24 de Agosto e só 31 dias depois a CNE deliberou) adotada pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), que veio confirmar a ilicitude da afixação dos referidos outdoors e da publicidade on-line e ordenou a sua remoção no prazo de 24 horas.

Adverte, igualmente, a Comissão Nacional de Eleições (CNE), que a Câmara Municipal se abstenha, no futuro e até ao final do período eleitoral, de realizar publicidade institucional, relativamente a quaisquer atos, programas, obras ou serviços. A violação dessa proibição é sancionável por coima de € 15 000 a € 75 000, eventualmente agravada no caso de reincidência.

Esperamos, sinceramente, que o executivo socialista na Câmara Municipal e o PS de Figueiró dos Vinhos compreenda, finalmente, que Portugal é um Estado de Direito, que se baseia em leis e que essas leis são para cumprir não podendo por e dispor a seu belo prazer, assim e sem mais, de fundos do erário público, dado que estes pertencem aos cidadãos do nosso concelho.

Em anexo a deliberação da CNE  
Com os melhores cumprimentos
Partido Social Democrata / Figueiró dos Vinhos




OMDESIGN: ACABOU A EXPOSIÇÃO E VEIO MAIS UM PRÉMIO


Diogo Gama RochaO packaging de autopromoção Omdesign 2016, que havia já conquistado no último mês de Agosto um Red Dot Award, voltou agora a ser premiado internacionalmente com um ouro nos Pentawards. A distinção no concurso de design foi atribuída este sábado em Barcelona na categoria de Self Promotion do evento, com a agência de Leça da Palmeira a receber o ouro depois de ter conquistado nos mesmos prémios uma prata e um bronze na edição de 2015.
Este domingo foi também o último dia em que esteve patente ao público a exposição Omdesign, Foco Na Excelência Desde 1998, que foi inaugurada no início de Junho, no Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira.
A mostra destacou o percurso da agência. Desde 2015 que a Omdesign já recebeu 160 distinções. Só neste primeiro semestre de 2017, a agência somou cerca de 40 prémios atribuídos em várias competições, como Pentawards (França), International Design Awards, Vega Digital Awards e Muse Creative Awards (EUA), A’ Design Award & Competition (Itália), Wine Design Challenge (Inglaterra) e iF Design Award (Alemanha).

A propósito dos trabalhos presentes na mostra, Diogo Gama Rocha, director-geral da Omdesign, referiu em entrevista ao M&P que “é extremamente difícil destacar um único projecto, uma vez que para nós todos os trabalhos, clientes e marcas têm a mesma importância. Mas para falar apenas de um, escolho o packaging de autopromoção Omdesign 2016, que criámos em Dezembro do ano passado. Inspirada na forma da bolota, esta embalagem, produzida em madeira e cortiça, sem recurso a derivados de petróleo, foi a forma que encontrámos para devolver à natureza o que diariamente retirámos da mesma para criar outros packagings e materiais. Convidámos todos aqueles que receberam este packaging a regar a bolota que o mesmo contém e a plantar o sobreiro quando germinar”. Na mesma entrevista o responsável refere que a Omdesign tem “participado estrategicamente em diversas competições nacionais e internacionais de design e publicidade e é, efectivamente, muito gratificante vermos os nossos trabalhos premiados a ‘correrem o mundo’ e a elevarem ainda mais o design nacional e as marcas que orgulhosamente trabalhamos”.
Leia a entrevista a Diogo Gama Rocha na próxima edição do M&P
Por  a 26 de Setembro de 2017

Uber, Cabify e 99 criam campanha contra projeto de lei que inviabiliza serviços

Uber, Cabify e 99 criam campanha contra projeto de lei que inviabiliza serviços
Uma proposta de regulamentação de serviços de transporte por aplicativo uniu os concorrentes Uber, Cabify e 99. Neste final de semana, as empresas lançaram a campanha Juntos pela Mobilidade, que se posiciona contra o Projeto de Lei 28, de 2017, que pretende, entre outras coisas, exigir que os carros dos serviços utilizem placas vermelhas, como táxis.

A PLC 28 tem como relator o senador Pedro Chaves (PSC-MS) e estabelece normas para o funcionamento dos serviços no Brasil. Está na lista, por exemplo, a necessidade de autorização individual para cada motorista, que deve ser dada pelas prefeituras, a exigência de CNH na categoria B e veículo no próprio nome, além da contratação de seguros obrigatórios e inscrição como contribuinte do INSS.

Para as empresas do setor, trata-se de uma tentativa do Governo Federal de transformar uma prestação de serviços privada em matéria pública. Em e-mail enviado a clientes, no qual indicam a campanha e também o posicionamento contra o tema, Uber e Cabify afirmam que as novas regras devem restringir a operação dos aplicativos e aumentam a burocracia.

Para eles, por exemplo, a necessidade de regulamentação semelhante à dos táxis deve encarecer as viagens, além de reduzir o número de motoristas. Com isso, cairiam também o número de opções disponíveis aos consumidores, uma vez que, para as companhias do setor, foi justamente a política de preços que as transformou em uma opção viável e bastante utilizada pelos moradores das cidades atendidas.

Além disso, surgem aqui outras questões. A necessidade de um carro registrado no nome do próprio motorista, por exemplo, inviabiliza serviços de aluguel, usados por quem busca uma renda extra, e também a divisão do mesmo veículo por membros de uma família ou cônjuges, que alternam seus horários de trabalho nos aplicativos como forma, também, de ganharem mais dinheiro.

Senadores que participaram de uma audiência pública sobre o projeto de lei, na última semana, demonstraram intuito de fazer com que a matéria seja votada em regime de urgência, ainda nesta semana. A expectativa é de que a PLC 28/2017 entre na pauta desta terça-feira (26).

As companhias criticam a falta de discussão sobre o tema junto às companhias e a sociedade civil, evidenciadas pela tentativa de votar a matéria rapidamente. Para partidários das empresas, a aplicação de regime de urgência tem a ver com uma tentativa de evitar a participação popular, que se posicionaria contra a normatização, e também de fazer valer interesses contrários à operação dos aplicativos no Brasil.

Existem, também, outras propostas sobre a questão em andamento em Brasília. O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), por exemplo, é autor de outro projeto relacionado à regulamentação dos aplicativos de transporte, mas considera que a PLC 28/2017 é um retrocesso na prática, por estatizar a atividade e contar com um viés intervencionista.

A sugestão dele ainda exige que os motoristas tenham cadastros junto à prefeitura, mas exclui a necessidade de permissão e placas diferenciadas, obrigando os colaboradores, apenas, a possuírem cadastro como microempreendedores individuais, de forma a contribuírem com o INSS e realizarem o pagamento de impostos mensalmente.

Além disso, outras normas incluem a obrigatoriedade de aceite de pagamentos em dinheiro e a resposta solidária, junto com o motorista, a danos causados durante a operação dos serviços. A proposta ainda está em tramitação em comissão do Senado, e Chaves, relator da PLC 28, não exclui a possibilidade de unir à própria daquela redigida por Ferraço.

Além disso, políticos levantam preocupações quanto aos direitos trabalhistas dos motoristas. É o caso, por exemplo, do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que acredita em uma alternativa que garanta não apenas a segurança dos colaboradores dos aplicativos, mas também uma concorrência justa com taxistas e outros motoristas de praça, principalmente no que toca o pagamento de impostos.

No momento em que esta reportagem é escrita, a consulta pública sobre a PLC 28 conta com 36,8 mil votos contra, registrados pela população por meio da internet, contra 12 mil a favor.