sexta-feira, 17 de julho de 2020

Em reunião pública de 15 de Julho de 2020 Câmara de Évora conheceu projetos estruturantes para Évora e para a Região

Nesta reunião, o Executivo Municipal teve a oportunidade de conhecer dois projetos de cariz estruturante para o concelho de Évora e para a região. Tratou-se da apresentação do Plano Estratégico do Aeródromo Municipal de Évora para 2020-2024 - que está em fase final de elaboração - e do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), que caminha para a segunda fase de expansão.

O Presidente da Câmara, Carlos Pinto de Sá, referiu que a recuperação económica e financeira do Município permite avançar para a concretização da estratégia de desenvolvimento de Évora, sendo o Plano Estratégico do Aeródromo Municipal, um dos exemplos deste trabalho em curso. A elaboração deste Plano foi contratada à Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) e visa afirmar o Aeródromo Municipal à escala nacional e internacional como infraestrutura aeronáutica de referência, dotando-o de atividades e serviços com valor económico que contribuam para a sua sustentabilidade e posicionamento de Évora no sector aeronáutico bem como para a criação de emprego e desenvolvimento do concelho.
Propõe-se um plano de ação que engloba sete linhas de atuação que passam pela atualização e melhoria da infraestrutura, operacionalização e gestão, crescimento e atração de investimento, estabelecimento de parcerias, programação regular, plano de comunicação e imagem, bem como diversificação de fontes de receita e financiamento. Uma apresentação que contou com a presença do Presidente do Conselho de Administração da SPI e Professor catedrático, Augusto Medina.

Por seu turno, também o Presidente Executivo do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT) e Vice-reitor da Universidade de Évora, Professor Soumodip Sarkar, veio dar a conhecer, a convite do Presidente da Câmara Municipal, os mais recentes avanços referentes a este centro de inovação, conhecimento e tecnologia do Alentejo que está em expansão e a afirmar-se a nível internacional, cujo trabalho pode conhecer em https://www.pact.pt/site/

Uma expansão que quer voltar a contar com o envolvimento direto da autarquia na sua administração, a qual deixou de poder participar no capital social do Parque por imposição estatal nos tempos de austeridade impostos pela Troika, o que já não acontece atualmente. Esta participação é vista com bons olhos por todo o Executivo camarário e será agora analisada para se decidir em que termos poderá avançar.

Nesta reunião, o Presidente da Câmara de Évora informou ainda sobre os dados mais recentes do Covid-19 no Concelho, salientando que a situação se mantém estabilizada, tendo ocorrido 62 casos no total. Destes, metade já recuperou totalmente e 31 estão ainda a recobrar a saúde em suas casas.

Na região, a situação está estabilizada, apesar de se manter a preocupação com o surto ativo em Reguengos de Monsaraz, pelo que continua o nível de alerta e os equipamentos de segunda linha em regime de prevenção.

De entre o conjunto de pontos tratados na ordem do dia, destaca-se ainda a aprovação da Prestação de Contas Consolidadas – Relatório de Gestão Consolidado do Município de Évora 2019, com duas abstenções dos vereadores do PS e a aprovação, com uma abstenção do vereador do PSD, da Alteração da Estrutura dos Serviços do Município de Évora, com a criação da Unidade de Habitação e Reabilitação Urbana. O trabalho desta unidade orgânica incidirá na habitação e reabilitação urbana do edificado com vista à concretização da Estratégia e do Plano Local de Habitação.

Ministra da Saúde afasta fim da lotação máxima nos transportes públicos

Hipótese foi admitida pelo ministro das Infraestuturas, mas Marta Temido, neste momento, não vê motivo para alterar aquilo que está definido.
A ministra da Saúde, Marta Temido, afasta neste momento da pandemia de Covid-19 o fim da lotação máxima de dois terços nos transportes públicos.
A medida foi admitida pelo ministro das Infraestutruras, Pedro Nuno Santos, em entrevista à TSF, mas Marta Temido diz que ainda não estamos na altura de reverter a medida.
“As nossas recomendações conhecem um caráter evolutivo, tendo também em conta as recomendações das organizações internacionais, mas neste momento não vejo motivo para alterarmos aquilo que está definido”, declarou a ministra da Saúde, na conferência de imprensa de balanço da pandemia de Covid-19.
Marta Temido sublinha que, em relação à concentração de pessoas em espaços fechados, as autoridades de saúde têm sido “sempre muito cuidadosas com as decisões”.
“Sabemos que é um dos fatores que aumenta a exposição ao risco. Portanto, sendo um transporte público definido como sendo um espaço onde se acumula um número significativo de pessoas, por regra, e um espaço fechado, de difícil arejamento, esse é sempre um tema que nos suscita a maior preocupação”, afirma a governante.
A ministra da Saúde diz que vários estudos apontam para a ausência de relação direta entre as viagens em transportes públicos e a transmissão da infeção, desde logo porque é muito difícil identificar uma causalidade direta.
“As pessoas que viajam em transportes públicos têm normalmente outros fatores de exposição ao risco, é difícil isolá-los e identificar uma causalidade única, mas há um risco por si só nessa circunstância e temos que ter, nesta fase da pandemia, com um número de casos que precisamos de reduzir, a maior das cautelas na apreciação de quaisquer alternativas”, refere Marta Temido.
Lusa

​Habitantes de Barcelona aconselhados a ficar em casa devido a aumento de contágios

Habitantes de Barcelona aconselhados a ficar em casa devido a ...
Executivo regional apela aos cidadãos desta área para não irem passar o fim de semana a segundas residências e anuncia o encerramento de cinemas, teatros e discotecas, e a proibição de reuniões com mais de dez pessoas assim como as visitas a lares.
O Governo regional da Catalunha recomenda aos habitantes da área metropolitana de Barcelona para "ficarem em casa" e só saírem em caso de necessidade, uma medida para travar o aumento de casos de covid-19.
A porta-voz do executivo regional, Meritxell Budó, apelou esta sexta-feira aos cidadãos desta área para não irem passar o fim de semana a segundas residências e anunciou o encerramento de cinemas, teatros e discotecas, e a proibição de reuniões com mais de dez pessoas assim como as visitas a lares.
Os habitantes dessas regiões "devem ficar em casa no caso de não ser necessário sair", disse Meritxell Budo em conferência de imprensa.
Em termos práticos, tratasse de estender as restrições que já estão em vigor na freguesia de Barcelona de L'Hospitalet de Llobregat a toda a área metropolitana da capital catalã, assim como a duas zonas da província de Lérida: La Noguera e Segrià.
O conselheiro do Interior (Administração Interna), presente na mesma conferência de imprensa, indicou que a previsão inicial é para que estas medidas, que afetam cerca de quatro milhões de pessoas, estejam em vigor durante 15 dias.
O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, disse hoje numa entrevista a uma rádio que na totalidade do país existem 158 surtos da pandemia de covid-19 ativos, estando a maioria deles numa situação controlada.
O responsável governamental admitiu a sua preocupação com os surtos nas comunidades autónomas de Aragão e Catalunha.
A política sanitária está descentralizada, em Espanha, e as medidas de luta contra a pandemia são da responsabilidade de cada uma das 17 comunidades autónomas.
A Espanha contabilizou 580 novos casos de infeção pelo novo coronavírus na quinta-feira, o que representou um novo máximo diário desde o fim do estado de emergência, em 21 junho passado.
Dos 580 novos casos de infeção, 266 foram diagnosticados em Aragão e 142 na Catalunha.
Os números globais do país, desde o início da pandemia, apontam para 258.855 casos de infeção.
Nos últimos sete dias foram contabilizadas nove mortes associadas à doença covid-19.
Em termos totais, e desde o início da pandemia, Espanha regista 28.416 vítimas mortais (com testes positivos à covid-19).
Lusa
Imagem: TSF

Portalegre | Quatro dezenas de dadores de sangue em Monforte


Devido às precauções relativas à atual pandemia, a sala polivalente municipal, dado possuir caraterísticas arquitetónicas mais adequadas, foi o local onde Monforte abraçou desta vez a sua brigada. Uma iniciativa da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – em articulação com o Grupo de Dadores Benévolos de Sangue de Monforte e o banco de sangue do hospital de Portalegre.
Constatou-se um empate técnico entre homens e mulheres, tendo comparecido quatro dezenas de pessoas, o que nos apraz destacar.
Uma vez avaliados, em termos clínicos, os voluntários, cinco deles não puderam concretizar a dádiva, sendo o total de unidades de sangue recolhidas de 35.
Três jovens concretizaram a sua estreia na doação de sangue. Quanto ao Registo Português de Dadores de Medula Ósseaem boa horaconcretizaram-se mais quatro inscrições.
Enfim, tudo pormenores que temos muito prazer em salientar.
22 de agosto em Fronteira
As nossas colheitas são aos sábados e de manhã. Podem-nos encontrar brevemente nos centros de saúde de: Castelo de Vide a 18 de julho; Fronteira a 22 de agosto.
Obrigatório visitar: 
JR

Covilhã | MUNICÍPIO PROMOVE INTERVENÇÃO NO RELVADO DO ESTÁDIO SANTOS PINTO


A Câmara Municipal da Covilhã iniciou, no dia 15 de julho, uma intervenção profunda no relvado do Estádio Municipal José Santos Pinto. Estão a ser realizadas operações de descompactação e arejamento com extração, em associação com escarificações e espalhamentos de areia. Os trabalhos têm como objetivos fundamentais preparar o campo para suportar as exigências de um novo período de utilização intensiva e o melhoramento da regularidade da superfície, bem como da drenagem, que assegura uma superfície de jogo mais firme. 

Para o Vereador com o pelouro do Desporto, José Miguel Oliveira, “com esta indispensável intervenção, o Município quer garantir as condições ideais do relvado para os treinos e jogos da temporada 2020/2021 do Sporting Clube da Covilhã. Damos assim o nosso contributo e fazemos votos para que seja uma grande época desportiva, na qual o clube alcance todos os seus objetivos e os maiores sucessos”.

Águeda | ganha atividades de náutica de lazer

Nova vivência na Pateira surge com a concretização de um projeto no âmbito do Orçamento Participativo de Águeda. 

A Pateira tem, desde ontem, ao dispor dos cidadãos, um conjunto de equipamentos de náutica de lazer para fruição da lagoa. Entre as atividades que agora se podem realizar, em Óis da Ribeira, estão stand up paddling, andar com gaivota, Kayak ou water bikes. 

Este foi um dos projetos mais votados no âmbito do Orçamento Participativo (OP) e a sua concretização foi possível através de um acordo de cooperação com a União de Freguesias (UF) de Travassô e Óis da Ribeira. O projeto, proposto por um grupo de cidadãos, pretende que a oferta de soluções de náutica de lazer se estenda a pessoas com deficiência motora e intelectual, permitindo que todos, de uma forma inclusiva, possam desfrutar da Pateira. 

No momento da entrega, Jorge Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, salientou que a Autarquia está a fazer “todos os esforços para concretizar todos os projetos vencedores do OP” e este, na Pateira, tem “um sabor especial”. Isto porque, com as atividades náuticas de lazer, é dada vida à Pateira e as pessoas usufruem “desta maravilha da natureza que temos aqui”. 

“Esta é mais uma razão para virmos até à Pateira, mais um motivo para as pessoas ficarem aqui mais tempo, porque podem entrar em segurança na Pateira e gozar estes equipamentos, estando em contato muito próximo com a água”, concluiu o Edil. 

Para além desta ação em concreto, com as atividades de fruição da lagoa, a Câmara de Águeda tem apostado fortemente nos percursos pedestres. Edson Santos, Vice-Presidente da Câmara de Águeda, também presente no momento da entrega deste projeto do OP à comunidade, salientou a intenção da Autarquia de proceder ao alargamento dos passadiços. “A par da requalificação destes, vamos aumentar os passadiços, mas precisamos da colaboração dos proprietários de alguns terrenos”, referiu Edson Santos, defendendo que a Pateira “não nos separa, une-nos”. 

Projeto envolveu grupo de cidadãos locais 
Este projecto partiu de um grupo de pessoas ligadas à Pateira e aos desportos náuticos, com o objectivo de desenvolverem um projecto de forma a proporcionar às pessoas a possibilidade de usufruírem da lagoa natural. 

Um dos proponentes, António Brinco, manifestou a alegria pela concretização de um sonho, que “demorou bastante tempo a pôr em prática, devido a todas as suas especificidades”. Trata-se de um projeto que permite “divulgar a Pateira e os seus encantos” e sem o qual “não havia condições para as pessoas se fixarem; agora têm atividades para fazer enquanto aqui estão”, disse António Brinco. 

“É um projeto abrangente, integrador e amigo do ambiente, mas que tem de ser auto-sustentável”, declarou o proponente, afirmando que as atividades terão de ser pagas pelos utilizadores, garantindo meios não só para a manutenção mas também para o acompanhamento das atividades por parte de monitores credenciados. 

No âmbito do protocolo, assinado formalmente ontem, a Câmara de Águeda cede os equipamentos associados à náutica de lazer, que serão geridos pela UF com vista à utilização pelo público em geral. A UF, para além de disponibilizar os equipamentos e materiais para as atividades na Pateira, trata do armazenamento, manutenção e conservação desses equipamentos, bem como garante monitores para a dinamização das atividades e acompanhamento dos utilizadores. 

Entre os equipamentos cedido para a realização de atividades náuticas estão kayaks duplos sit on top, pranchas de stand up paddling, gaivotas, water bikes, coletes salva-vidas e um atrelado para transporte do material. 

Paulo Pires, em representação da UF de Travassô e Óis da Ribeira, declarou que “este grupo de proponentes fez a diferença quando se uniu para criar esta proposta”, que permite “promover a Pateira de uma forma equilibrada”. 

Refira-se que a implementação deste projeto teve um investimento de 50 mil euros, valor que é o máximo admissível para candidaturas ao Orçamento Participativo.

Castelo de Paiva | GONÇALO ROCHA QUER UM “PLANO ESPECIAL DE APOIO “ AO CONCELHO

CASTELO DE PAIVA ANUNCIA ESPAÇO ALTERNATIVO
PARA EMPRESAS AFECTADAS PELO INCÊNDIO
O presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, Gonçalo Rocha, anunciou ontem que, as empresas do concelho danificadas pelo incêndio da passada Segunda- Feira, no espaço do CACE do Tamega e Sousa, poderão vir a ter espaço alternativo, provavelmente já nos meses de Setembro ou Outubro.

Em declarações à imprensa, no final da visita que a líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, realizou ao complexo do CACE, na Zona Industrial de Felgueiras, em Sobrado, o autarca paivense revelou que, há um espaço alternativo que pode vir a ser utilizado, nas antigas instalações da CERNE, na Zona Industrial de Lavagueiras, em Pedorido, mas a decisão passará sempre pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Recorde-se que, o incêndio nas antigas instalações da CJ Clark’s, provocou danos avultados em oito empresas, afectando cerca de 500 postos de trabalho, deixando 25% da mão de obra activa do concelho em situação “muito complicada”, lembrou o edil de Castelo de Paiva, que sublinhou que, o Instituto de Emprego e Formação Profissional já garantiu que o edifício destrído, propriedade daquele organismo, “será recuperado”, referindo contudo que, “ é preciso encontrar alternativas e tem de haver um plano de apoio especial para garantir a agilização de todo o processo ”.

“ Temos de continuar a trabalhar e todos os dias são importantes para resolver problemas, porque as pessoas não podem esperar muito mais ”, reforçou Gonçalo Rocha, que já se reuniu com os empresários, IEFP e Segurança Social, para avaliar a situação dos trabalhadores que agora perderam o seu local de trabalho.

O autarca já na Terça-Feira, no âmbito da visita concretizada pelos Secretários de Estado do Trabalho/Segurança Social e Economia, havia defendido que, a exemplo do Incêndio de 2017, deveria ser implementado em Castelo de Paiva um “ Plano Especial “ visando apoiar as empresas e o emprego local, mas também dinamizar o desenvolvimento do concelho em outras áreas e sectores, já que esta tem sido uma terra muito martirizada nas ultimas décadas.

" Nos últimos anos, Castelo de Paiva vinha fortalecendo a economia local e empregabilidade. Era, aliás, dos poucos concelhos no país, que tinha uma taxa de empregabilidade positiva, mesmo neste contexto da pandemia do Codiv-19, e ainda não estamos totalmente recuperados do triste acontecimento do brutal incêndio de 2017, que atingiu uma área enorme do concelho, e já nos está a acontecer nova tragédia, de novo a empurrar nos para baixo “, lamentou o presidente da edilidade, referindo que concelho tem sido fustigado com muitas desgraças e não merecia isto.

Carlos Oliveira

Obras particulares: Câmara de Águeda passa a responder a todos os processos de licenciamento de obras em 3 dias para empresas e 10 dias para particulares


Plataforma de Atendimento ficou disponível em fevereiro e desde então já foram submetidos à Câmara cerca de 360 procedimentos urbanísticos.

A Câmara Municipal de Águeda passa a assegurar uma resposta mais rápida aos processos de licenciamento de obras em 3 dias úteis para empresas e 10 dias úteis para particulares, desde que submetidos através da Plataforma de Atendimento, uma ferramenta digital pioneira no País, desenvolvida no Município e que entrou em funcionamento em fevereiro deste ano. Os pedidos serão aprovados, caso todos os procedimentos estejam devidamente instruídos. 

Desde que foi disponibilizada e até esta semana, deram entrada na Câmara, por esta plataforma online, cerca de 360 procedimentos urbanísticos, entre os quais 182 procedimentos de projetos de arquitetura, 83 procedimentos de projetos de especialidade, 41 procedimentos de autorização de utilização, três procedimentos de autorização de alteração de utilização, dois procedimentos de operação de loteamento, um procedimento de comunicação prévia, sete certidões de destaque, 38 alvarás de licença de construção e uma Operação Urbanística de Remodelação de terrenos. 

“Estes números são a evidência de que este projeto pioneiro liderado pela Câmara é um sucesso. Com esta plataforma conseguimos dar uma resposta mais rápida aos pedidos de licenciamentos de obras particulares”, começou por afirmar Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda, salientando que esta é uma ferramenta “ágil, intuitiva e responsabilizante”, que torna o processo de gestão urbanística totalmente transparente e que agora, depois de testada e validada em Águeda, está já a ser replicada em outros municípios. 

“Este é um processo pioneiro no país e estamos na linha da frente nesta forma de tramitação de licenciamentos, totalmente digital e sem papéis. Somos, mais uma vez, um exemplo a seguir”, frisou o Edil. 

Plataforma desenvolvida na Câmara de Águeda 
A Plataforma de Atendimento, desenvolvida na Câmara de Águeda em parceria tecnológica com a empresa Mind, foi criada no âmbito da estratégia de desmaterialização de processos de obras particulares (ePaper) e permite a tramitação de todo o tipo de processos de operações urbanísticas de uma forma digital. Pode ser usada por cada interveniente no processo (seja o requerente de obra e/ou o técnico por ele mandatado, por exemplo o arquiteto ou engenheiro civil responsável). Cada interveniente, após registo na plataforma e utilizando a sua senha de acesso à aplicação, deve submeter todos os documentos em formato digital referentes à obra a licenciar e autenticados através de assinatura digital qualificada. 

A utilização de formatos normalizados – e por isso mesmo iguais para todas as pessoas – garante a segurança da informação e a integridade dos ficheiros e conduz a uma transparência total de todo o procedimento de tramitação de processos na Câmara de Águeda. 

Eliminando uma série de burocracias e circulação de papéis, a tramitação do processo de obras de uma forma digital suprime também a possibilidade de erros processuais ou irregularidades e instiga a um rigor por parte de todos os envolvidos no processo. 

Neste momento, qualquer pessoa que precise de submeter um processo de obras particulares e/ou consultar o andamento desse processo, não precisa de se deslocar à Câmara Municipal; trata tudo de uma forma digital, em qualquer lugar e em qualquer hora, quer seja no gabinete do técnico ou em casa do requerente. 

Toda a tramitação neste processo, cadastro na plataforma e informação a ele ligado, está segura segundo o padrão e referência internacional para a segurança da informação, sendo Águeda um Município detentor da certificação ISO 27001 e o primeiro do País a ter desmaterialização do papel. 

Sempre que uma pessoa inicia um processo de obras particulares na Autarquia de Águeda, tem até 30 dias para usar este instrumento digital para preparar o processo antes de o submeter a análise pelos serviços camarários. E sempre que há um avanço, o sistema notifica o requerente e mandatário (se o tiver), enviando uma mensagem (e-mail e sms). Uma vez submetido o processo, está garantida segurança total da informação e a transparência do processo. 

Esta ferramenta, que pode ser descrita como uma “caixa” de informação onde consta uma lista de documentos necessários para a tramitação de processo de obras particulares, tem ainda uma outra vantagem para os serviços camarários, que podem, pela cadência de processos iniciados, saber que recursos serão necessários para dar resposta às necessidades. 

“Os municípios são constantemente acusados de serem excessivamente burocráticos e morosos nas respostas aos cidadãos. Com esta ferramenta, os interessados só receberão uma resposta negativa e o indeferimento dos pedidos de licenciamentos de obras se o processo estiver mal instruído ou não estejam reunidas as condições legais para o licenciamento. Esta plataforma torna um processo burocrático e moroso num procedimento mais ágil e rápido”, atestou Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda.

Município de Silves adquiriu um autocarro para transporte de passageiros


O Município de Silves adquiriu recentemente um autocarro de 53 lugares para o transporte de passageiros cujo investimento ascendeu a 275 mil euros.

Trata-se do segundo autocarro adquirido que conclui a modernização da frota e permite a melhoria do serviço público prestado no transporte de crianças e adultos, que se enquadra no âmbito mais alargado da política municipal de apoio às escolas, coletividades e outras instituições do concelho de Silves.

As cedências gratuitas são efetuadas com base em regulamento, tendo sido retomadas em 2014. As cedências dos autocarros podem ser consultadas em:

AVEIRO| FESTA DA BOTADELA NO ECOMUSEU MARINHA DA TRONCALHADA


Este sábado, dia 18 de julho, realiza-se a Festa da Botadela no Ecomuseu Marinha da Troncalhada, este ano com contornos ajustados às condicionantes que o momento presente de Combate à Pandemia do Coronavírus / Covid-19 nos exige.
A transmissão em direto do momento simbólico de início da Botadela através das redes sociais acontecerá pelas 11h00.
“A botadela” tratava-se de uma festa anual, de pura raiz aveirense. Depois de vários meses a preparar a marinha, limpando os lodos e as lamas acumuladas durante o inverno, reparando os muros e fazendo a cura dos solos, a Marinha está pronta para o início da produção de sal. As condições climatéricas são um dos fatores que definem o momento de “botar a salina a sal” e que explicam porque, este ano, a Botadela decorre apenas a meio de julho e não mais cedo.
A tradição e a história local mostram que a Botadela é uma ocasião para reunir a comunidade marnoteira e festejar com a família e os amigos este momento especial que define o começo da recolha de sal, que se irá prolongar pelo verão. Detentores de um “saber-fazer” conquistado pela longa experiência, os marnotos são a expressão viva de um verdadeiro e singular património imaterial que não se quer perder.

 INÍCIO DA CONSTRUÇÃO DO NOVO SKATE PARK DE AVEIRO
Teve início esta semana a construção de um novo Skate Park no Parque dos Amores / Parque da Cidade, no valor de 158.841€, a ser executado pela empresa especialista APSKATERAMPS, Unipessoal Lda..
A obra vai criar uma estrutura apta a fazer parte do Circuito Nacional de Skate para as categorias de iniciados, amadores e profissionais, de modo a captar novos públicos e corresponder às expectativas dos praticantes da modalidade.
A empreitada prevê a criação de obstáculos técnicos como muros e corrimões, bancos, planos inclinados, “eurogaps” e “corners”, entre outros. De forma a englobar também as expectativas dos praticantes adeptos de curvas e saltos, será criado um “bowl” de nível avançado, bem como “quarter-pipes” de maior dimensão.
O antigo e pequeno Skate Park é mantido como espaço de iniciação, sendo criado um corredor de ligação entre os dois espaços, para que possam funcionar como um só.
Ao mesmo tempo a obra vai permitir potenciar o Parque dos Amores / Parque da Cidade, tendo em conta a sua localização estratégica, junto a Escolas Básicas e Secundárias e à Universidade de Aveiro.
O projeto é resultado de um trabalho de auscultação da CMA aos praticantes aveirenses de skate e BMX, sendo este um exemplo importante de participação cívica ativa e construtiva na concretização das Grandes Opções do Plano do Município.


Águeda | Financiamento para Ecopista do Vouga aprovado

A Ecopista do Vouga vai ser construída a partir do Complexo Ferroviário de Sernada até ao lugar de Foz, interligando aí com a já existente em Sever do Vouga. 

A Câmara Municipal de Águeda vai avançar com a construção do troço da Ecopista do Vouga, um projeto de execução de um traçado ciclável e pedestre que faz a interligação com vários municípios, criando uma rede de ecopistas de âmbito regional (ligando a do Vouga, Dão e Mondego) e nacional/internacional (EuroVelo 1). 

O referido financiamento traduz-se num investimento elegível de 151.368,33 euros, sendo que 70 por cento deste valor é comparticipado pelo Turismo de Portugal, no âmbito da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior – Programa Valorizar. 

Designado como “Projeto de infraestruturação, monitorização e gestão integrada dos traçados estruturantes da Grande Rota da Ria de Aveiro – Ecopista do Vouga”, este troço ligará Sernada do Vouga (Águeda) ao lugar de Foz (Albergaria-a-Velha/Sever do Vouga), num percurso de cerca de 4,6 quilómetros, sendo que, destes, 800 metros se situam em Albergaria-a-Velha. Nesse sentido, os dois municípios vão estabelecer um acordo de comparticipação financeira proporcional, cabendo a execução da obra ao Município de Águeda. 

“Fica, assim, assegurada a ligação do Complexo Ferroviário de Sernada da Ecopista do Vouga até à Ecopista do Dão”, referiu Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda, salientando que este é um projeto que “valoriza a região em termos históricos, ambientais e turísticos”. 

Entre Sernada do Vouga e o nó da A25, no Carvoeiro, estão previstas intervenções pontuais de melhoria da estrada (pavimento fendilhado ou depressão acentuada), bem como a instalação de sinalética vertical e marcações no asfalto; do nó da A25 até à Foz será construída uma ciclovia, utilizando o espaço canal da Linha Ferroviária do Vouga. 

Esta Ecopista, que utiliza o traçado do ramal de Viseu da Linha do Vouga, permite ligar, a partir de Sernada, vários concelhos, designadamente Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Oliveira de Frades, Vouzela, S. Pedro do Sul, Viseu, Tondela e Santa Comba Dão, numa extensão total de cerca de 128 quilómetros. 

Com a articulação com os traçados regionais – Ecopista do Vouga, Ecopista do Dão e Ecovia do Mondego – e o nacional/internacional – EuroVelo 1, este projeto permitirá contribuir para a infraestruturação, qualificação e dinamização turística dos principais eixos de mobilidade suave e que, desta forma, coloca Águeda num patamar de destaque no segmento turístico do Cycling & Walking de dimensão internacional, promovendo ainda a visitação a elementos do património natural e cultural. 

Integrando a Grande Rota da Ria de Aveiro e assegurando a ligação com os referidos traçados regionais e nacionais, o prolongamento da Ecopista do Vouga desempenha um papel muito relevante na expansão e consolidação da rede de oferta nacional de produtos de Cycling & Walking.

Número de órgãos transplantados atingiu os 878 em 2019, mais 5,9% face a 2018

O número de órgãos transplantados atingiu os 878 em 2019, mais 49 (5,9%) face ao ano anterior, tendo o transplante pulmonar registado o maior aumento de sempre, segundo dados do Instituto Português do Sangue Transplantação (IPST) divulgados hoje.
Número de órgãos transplantados atingiu os 878 em 2019, mais 5,9% face a 2018

“Os resultados da atividade nacional de doação e transplantação de órgãos em 2019 foram globalmente positivos, seguindo a tendência crescente dos últimos cinco anos”, refere o IPST em comunicado.

Em 2018, Portugal ocupou o 3º lugar no ‘ranking’ mundial da doação de órgãos de dador falecido, a seguir a Espanha e à Croácia, com 33,4 dadores por milhão de habitantes (pmh), tendo em 2019 ficado nos 33,8 dadores pmh.

“A doação de órgãos (total de 430 dadores) manteve a sua tendência ascendente, com uma subida de 3,4%”, adiantam os dados da Coordenação Nacional da Transplantação, adiantando que as causas de morte, no dador falecido, foram em 80% dos casos por doença médica e destas, 82% por acidente vascular cerebral.

“A idade cronológica dos dadores falecidos tem sido progressivamente mais alta, tal como verificado a nível mundial, o que aumenta muito o número de órgãos com critérios marginais para doação ou já mesmo sem critérios para doação”, refere o comunicado.

A doação em vida foi “mais expressiva” do que no ano anterior, maioritariamente de rim, “regressando aos valores de excelência que se verificaram em 2017 (78 dadores)”.

No dador falecido, o IPST salienta o aumento do número total de dadores em 1% (0,4% dadores pmh), decréscimo do número de órgãos colhidos, aumento de órgãos transplantados por aumento da taxa de utilização de órgãos (de 78% para 84%).

Destaca ainda o início da doação em paragem cardiocirculatória no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que só se veio a consumar este ano, o início da colheita de fígado em dador em paragem cardiocirculatória no Centro de Referência de Transplantação Hepática de Adulto do Hospital Curry Cabral, em Lisboa, bem como o aproveitamento de dadores de idade mais avançada.
_____________
O IPST observa que, em 2019, se atingiu um novo limite com o dador mais idoso, com 90 anos, que foi dador de fígado e o órgão foi transplantado com sucesso.

Em relação às oscilações do transplante em 2019 comparativamente ao ano de 2018, o instituto refere que “o transplante cardíaco manteve-se em curva descendente (12,1%) devendo-se em parte ao envelhecimento populacional”.

Já o transplante pulmonar encontra-se em “rampa ascendente desde 2016, atingindo em 2019 o maior número de pulmões transplantados até hoje: 70 órgãos em 39 doentes (incremento de 40%), mais do que ano anterior.

“Esta unidade de transplantação pulmonar é única e é o garante da sustentabilidade desta atividade em Portugal”, sublinha.

Relativamente ao transplante renal, que tem o maior volume em Portugal, o instituto refere que “tem vindo a aumentar, embora de uma forma muito estável”.

Em 2019 representou 58,5% de todos os órgãos transplantados, tendo aumentado em 12 transplantes (2,4%) muito à custa do transplante de dador vivo.

O IPST salienta ainda o impacto dos primeiros meses de pandemia por SARS-CoV-2 na atividade de doação e transplantação de órgãos em Portugal, considerando o período compreendido entre março e junho de 2020 comparativamente ao período homólogo de 2019.

Segundo o instituto, “foram implementadas ações preventivas para mitigar os possíveis riscos para a segurança e sustentabilidade da atividade de transplantação, como a suspensão da atividade de transplantação eletiva durante a fase de mitigação, considerando sempre a proporcionalidade da evolução e epidemiologia da doença, entre outros fatores”.

Évora | Câmara e IHRU assinam Acordo de Colaboração com o intuito de combater as carências habitacionais do concelho


A Câmara Municipal de Évora e o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) assinaram esta sextafeira de manhã (dia 17 de julho), no Salão Nobre dos Paços do Concelho, um Acordo de Colaboração que permitirá à Autarquia combater os problemas habitacionais no concelho, através de um investimento total previsional de 63 706 912€.

Destinada ao período compreendido entre 2020 e 2026, esta verba possibilitará: conceder apoio à reabilitação da habitação permanente das famílias que residem em más condições de habitabilidade no valor de investimento previsional de cerca de 18 milhões e 400 mil euros, sendo este investimento com uma componente a fundo perdido e outra de empréstimo bonificado a 30 anos; apoiar proprietários de edifícios situados em pátios no valor aproximado de 13 milhões de euros, sendo este investimento com uma componente a fundo perdido e outra de empréstimo bonificado a 30 anos.

O documento agora assinado, e que surge no âmbito do Plano Local de Habitação (PLH), apresentado durante a cerimónia pelo vereador Eduardo Luciano, permitirá também a construção de novas habitações, o apoio ao arrendamento para subarrendamento e por último o apoio à aquisição de unidades residenciais vocacionadas para pessoas vulneráveis, como em situação de sem abrigo e vítimas de violência doméstica.

Durante a sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, destacou o facto do Plano Local de Habitação se enquadrar na política municipal que coloca as necessidades das famílias no centro da sua política municipal de habitação. “Trata-se de uma visão participada e integrada das necessidades habitacionais das famílias no concelho de Évora”.

Sabendo que residem 1336 famílias em situação de grave carência habitacional no concelho de Évora, ou seja famílias em situação de precariedade, de sobrelotação, de insalubridade e de inadequação habitacional e em situação de carência financeira, o Município cria, assim, através do PLH condições para apoiar estas famílias no acesso a uma habitação digna.

O Acordo de Colaboração, homologado pela Secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, prevê ainda apoios à Habévora EM para a reabilitação de habitações devolutas para atribuir em arrendamento apoiado num investimento previsional acima de 7 milhões e 400 mil euros, assim como a reabilitação de 86 habitações em arrendamento apoiado num investimento previsional de quase 5 milhões de euros e, por último, o apoio ao arrendamento para subarrendamento num investimento previsional pouco acima dos 2 milhões e 600 mil euros. Este investimento total e previsional de cerca de 15 milhões de euros conta com uma componente a fundo perdido e outra de empréstimo a 30 anos.

Por outro lado, está prevista também a construção de 200 habitações pelo Município num investimento previsional superior a 17 milhões e 200 mil euros, sendo a sua comparticipação a fundo perdido de aproximadamente 7 milhões e 700 mil euros e quase 9 milhões e 500 mil euros de empréstimo bonificado a 30 anos

​Revolução e Contra-Revolução

Um dos pressupostos desta obra é que - ao contrário do que pretendem muitos filósofos e sociólogos - o curso da História não é traçado, sobretudo, pelas injunções da matéria sobre o homem. Estas influenciam certamente o agir humano, mas a direcção da História pertence ao homem, dotado que é de uma alma racional e livre. 
Actuando sobre as circunstâncias em que se encontra, e recebendo também as influências destas, é na verdade o homem quem comunica aos acontecimentos o seu curso. Ora, ele actua normalmente em função das suas concepções sobre o universo, sobre si mesmo e sobre a vida. 
Por conseguinte, as doutrinas religiosas e filosóficas dominam a História; o núcleo mais dinâmico dos factores de que resultam as grandes transformações históricas está nas sucessivas atitudes do espírito humano perante a Religião e a Filosofia.

Para aquisição do livro os interessados podem fazê-lo através do

Perigo de Incêndio: ANEPC envia SMS preventivo à população

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) acionou hoje, 17 de julho, o sistema de aviso preventivo por SMS com o objetivo de informar os cidadãos para a situação de risco extremo de incêndios rurais.

Esta medida decorre da ativação do estado de alerta especial de nível vermelho - do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro - para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais em 10 distritos - Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Porto e Aveiro - e da Declaração da Situação de Alerta declarada pelos Ministros da Administração Interna e do Ambiente e Ação Climática.

O SMS foi enviado pelas operadoras móveis com inicio às 09:00 horas. A mensagem da ANEPC, enviada em português e inglês, foi a seguinte:

-Risco extremo de incendio rural. Fique atento. Proibido o uso do fogo. Em caso de duvida: 800 246 246 ou www.prociv.pt / ANEPC

-High wildfire risk in Portugal. Use of fire is forbidden. Info +351 214 247 247 / www.prociv.pt / ANEPC.

A Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 horas do dia 17 de julho e as 23h59 horas do dia 19 de julho.

“Regresse em segurança ao concelho de Proença-a-Nova”


“Regresse em segurança ao concelho de Proença-a-Nova”, este o apelo do Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo. Numa altura em que muitos emigrantes com relações familiares regressam ao concelho para passar férias, João Lobo pede a todos comportamentos responsáveis e o cumprimento das regras sanitárias recomendadas pela Direção Geral de Saúde. “Nestes meses de julho e agosto aguardamos a chegada dos nossos emigrantes, com sentido de responsabilidade reforçado, atendendo que a maioria da nossa população integra o grupo de risco. Tanto a autarquia como os agentes económicos do concelho – alojamentos locais, empreendimentos turísticos e restaurantes – têm de forma continuada realizado ações para se adaptarem a esta nova realidade que nos obriga a mantermos vigilância apertada sem deixarmos de usufruir dos nossos recursos naturais e património construído”, explica. 

O Ministério dos Negócios Estrangeiros emitiu um conjunto de conselhos para que esse regresso seja feito em segurança para todos. Antes de iniciar viagem, a sugestão é para consultar o Posto Consular da sua área de residência, registar-se na aplicação “registo viajante”, disponível em IOS ou Android, ou via formulário em https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/registodo-viajante e consultar as recomendações da Direção Geral de Saúde em https://covid19.min-saude.pt/, tais como a adoção de medidas de higiene e etiqueta respiratória que têm como objetivo reduzir a exposição e transmissão da doença. A recomendação das autoridades é para que seja privilegiado o recurso à via aérea para as viagens a Portugal, apesar de a grande maioria no caso do concelho de Proença-a-Nova chega por via terrestre. O transporte internacional de passageiros encontra-se autorizado nas seguintes situações: entrada de cidadãos portugueses e de titulares de autorização de residência em Portugal; circulação para efeitos de reunião familiar; acesso a unidades de saúde nos termos de acordos bilaterais relativos à prestação de cuidados de saúde; entrada e de saída de trabalhadores sazonais com relação laboral comprovada documentalmente; e entrada e de saída dos trabalhadores transfronteiriços que exerçam atividade em Portugal (inscritos no sistema de segurança social português) e residam noutro Estado-membro ou que exerçam atividade noutro Estado-membro (em cujo sistema de segurança social se encontram inscritos) e residam em Portugal. É admitida a circulação rodoviária transfronteiriça para Portugal do transporte internacional de mercadorias. 

A pandemia originada pela Covid-19, determinou a adoção, por inúmeros Governos, de medidas de prevenção, combate e contenção da doença, que incluíram fortes restrições na circulação de cidadãos em todo o Mundo, que podem manter a interdição de entrada de cidadãos não nacionais ou não residentes, exigir certificado médico, declarações para deslocação ou quarentena obrigatória para cidadãos provenientes do estrangeiro. As medidas de contenção e controle da doença continuarão a ocorrer, e cada País irá retomando sua atividade económica e social à medida que os seus sistemas de saúde e as sociedades em geral se adaptam a uma nova realidade, reduzindo os efeitos nocivos do COVID-19. Toda a informação está disponível em https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/ e o Gabinete de Apoio ao Emigrante está disponível para esclarecimento de dúvidas através do e-mail gae@cm-proencanova.pt

Piaget e Huawei formalizam parceria para formar alunos

O Instituto Piaget e a Huawei formalizaram um protocolo para a formação de alunos nas áreas tecnológicas, visando o desenvolvimento de talentos, bem como aproximar a realidade académica ao mundo empresarial.

O protocolo foi formalizado através da Huawei ICT Academy, criada em 2013 para promover parcerias com instituições universitárias no âmbito do desenvolvimento e formação de talentos nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) que dessem resposta aos requisitos do mercado de trabalho. Atualmente, a ICT Academy atingiu uma escala global, cobrindo 72 países de todos os continentes, com mais de 900 academias, cerca de 1.200 professores certificados e abrangendo mais de 45.000 estudantes por ano.

O objetivo desta parceria passa por consolidar o projeto educativo na área tecnológica do Instituto Piaget – recentemente enriquecido com a inclusão de uma licenciatura em Engenharia Informática, entre outras formações na área das TIC – incorporando e enriquecendo conteúdos com as melhores práticas globais.

Visando áreas diferenciadas no domínio das tecnologias de informação, o Instituto Piaget pretende potenciar e desenvolver conteúdos em áreas fulcrais no presente e no futuro, como o 5G, Big Data, Internet of Things ou Cloud Computing.

Com uma abrangência nacional, pretende-se que esta parceria promova uma capacitação dos alunos e profissionais da área nos diferentes domínios identificados, garantindo conteúdos e certificações necessárias ao desenvolvimento pessoal e profissional dos estudantes. O Instituto Piaget tem ainda a expetativa de que a parceria contribua para o desenvolvimento das competências digitais no nosso país, mantendo os lugares de liderança global nesta área.

A Huawei ICT Academy deu os primeiro passos fora da China em 2014, com a implementação de uma ICT Academy em Espanha, na Universidade de Alicante. Seguiu-se, em 2015, a criação, em colaboração com a Huawei e a Universidade de Reading, no Reino Unido, de um centro de formação e investigação para executivos em áreas relacionadas com as TIC, como Big Data, computação em nuvem e Inteligência Artificial. Fruto desta parceria, a ICT Academy da Universidade de Reading atraiu com sucesso mais de 150 estudantes para participar em cursos com a certificação Huawei Certified ICT Associate e, em 2019, foi oficialmente reconhecida como uma das ICT Academy da Huawei mais bem-sucedidas do mundo.

No ano passado, a Huawei e os seus parceiros realizaram em conjunto 51 feiras de talentos em todo o mundo, atraindo mais de 21.000 estudantes e fornecendo mais de 3.600 novos colaboradores de TIC de alta qualidade para o setor.

Estarreja | Festival de cinema de Avanca: filmes de todo o mundo, drive-in e segurança

A pandemia marca o 24.º Festival Internacional de Avanca, mas não lhe colhe a criatividade. O Município de Estarreja e o Cine-Clube de Avanca (CCA) apresentaram em conferência de imprensa na quarta-feira, uma edição reinventada, com novas abordagens e tendo como principal preocupação a segurança dos participantes. O drive-in é uma das novidades e os espaços virtuais irão proliferar. O mundo não deixa de estar em Avanca, e dos 5 continentes chegaram mais de 3 mil filmes de 128 países. Os melhores serão exibidos entre 22 a 26 de julho.

Com “distanciamento social e todos os cuidados necessários, continuamos a ter a essência do festival. Vamos pôr o cinema a rodar e Avanca a efervescer e a viver estes bons dias de muito e bom cinema”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina. Mantendo a “parceria profícua”, durante a sessão, foram assinados os protocolos de colaboração para a organização do evento e de financiamento do Avanca Film Fund, de apoio ao desenvolvimento e produção cinematográfica.


Cinema, música, formação e produção local
A parceria com o Município “permite dar continuidade a esta 24.ª edição do festival”, começou por referir António Costa Valente. Este ano participam mais filmes, com mais de uma centena de projeções, entre longas metragens, curtas e documentários, selecionados de um universo de 3653 obras de 128 países.

A projeção em sistema drive-in, permitindo que os espectadores assistam no conforto dos seus carros, é uma das “novidades, que nos obriga por exemplo a pensar numa programação diferente e, portanto, vamos ter a introdução da música”, que irá anteceder as sessões. No dia 22, Luís Portugal irá atuar na Vila de Avanca.

Durante o dia, haverá projeções em sala, com lotação reduzida, como é o caso do Auditório do Centro Paroquial de Avanca cuja capacidade de 1000 lugares, será limitada a 200 espectadores. “A segurança é a palavra crucial da edição de 2020”.

Na competição AVANCA, com produções de cinema da região, “temos 3 longas metragens, uma a exibir já no próximo domingo no Cine-Teatro de Estarreja”, em que será ainda inaugurada, às 21h00, a exposição “Sonhos”, de storyboard e guarda-roupa.

De Avanca para o mundo

O Avanca Pitch Sessions é a nova iniciativa que visa apresentar à indústria dos audiovisuais as melhores ideias para curtas e longas metragens. Entre 60 argumentistas candidatos, de 11 países, os vencedores ganham acesso a um workshop sobre pitch para cinema e sessões de mentoring exclusivas com o jornalista e crítico de cinema Rui Pedro Tendinha (SIC/ Antena 3/ CineTendinha) e às sessões de competição.

“Filmar sempre a 2 metros de distância e com máscara” será o desafio na vertente de formação. “Vamos ter um espaço de trabalho de edição fílmica muito especial que vai funcionar com particulares limitações, mas sem limitação naquilo que é crucial que é o espaço de criação”, salienta Costa Valente.

A Conferência AVANCA | Cinema também terá apresentação on-line e presencial de 120 palestras, com participantes dos 5 continentes. Avanca estará virtualmente ligada a “todo o mundo”.

Participar em segurança
Para a Vereadora da Cultura, Isabel Simões Pinto, “o programa deste ano está muito bem desenhado e estão reunidas todas as condições para que esta edição seja mais um sucesso, com todos estes desafios novos que a pandemia nos trouxe.” Destacou o Avanca Film Fund, que permite aos “realizadores rodar filmes no nosso território, num investimento do Município.”

“Não poderíamos deixar de fazer o AVANCA reinventando-o”, disse, reforçando que “a preocupação foi sempre que todas as atividades do festival acontecessem em segurança. As pessoas podem estar confiantes. Quer no AVANCA, quer em qualquer outra atividade cultural municipal, estão em segurança.”

Carla Miranda

Cantanhede | Protocolos para o ano de 2020


Câmara distribui mais de 210 mil euros às juntas
com a transferência de competências

A Câmara Municipal de Cantanhede, na pessoa da presidente Helena Teodósio, assinou, na segunda-feira (dia 13), os protocolos de transferência de competências com as juntas de freguesia do concelho, representadas pelos seus autarcas. A autarquia distribuiu, na totalidade, mais de 210 mil euros.
É convicção do executivo de que as freguesias do concelho de Cantanhede garantem uma prestação serviços de qualidade às suas populações, através de uma utilização racional dos recursos que para tanto lhes são disponibilizados, considerando que a avaliação relativamente à execução dos protocolos de delegação de competências e transferências de recursos celebrados com as mesmas em anos anteriores se revelou bastante positiva”, referiu a presidente da edilidade.
Fazem parte dos protocolos assinados os seguintes trabalhos: limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros; manutenção, reparação e substituição do mobiliário urbano instalado no espaço público, com exceção daquele que seja objeto de concessão; gestão e manutenção corrente de feiras e mercados (com exceção da União das Freguesias de Cantanhede e Pocariça, no que diz respeito à Feira e Mercado da Cidade de Cantanhede, bem como relativamente à freguesia da Tocha, no que diz respeito ao Mercado da Praia da Tocha); realização de pequenas reparações nos estabelecimentos de educação pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico; manutenção dos espaços envolventes dos estabelecimentos de educação pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico.
A autarca adiantou ainda aos presidentes das juntas de freguesia do concelho de que está a aguardar “as novas orientações do Governo e da DGAL para a transferência de competências”, frisando que “há ainda muitos assuntos por limar em relação a esta matéria, sendo certo de que, quando tivermos mais certezas, vamos chamar os senhores presidentes para também darem a sua opinião”.