segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Estudiantes de todo México buscan lograr un lugar en ICT Competitionde todo México buscan lograr un lugar en ICT Competition


por Yesica Flores
• Más de 1,500 estudiantes provenientes de diversas universidades del país competirán para representar a México a nivel global en la competencia creada por Huawei
• Las habilidades y conocimientos en redes y la nube serán puestas a prueba en la semifinal a realizarse el 12 de marzo 

Huawei México dio a conocer que poco más de 1,500 estudiantes provenientes de distintas universidades tecnológicas en gran parte del país completaron el proceso de pre-selección para representar a México en la competencia global ICT Competition 2018-2019.
A través de esta iniciativa y a nivel mundial, el gigante global de las telecomunicaciones busca dotar a los estudiantes de oportunidades para potencializar su conocimiento y desarrollar sus habilidades en las nuevas Tecnologías de la Información y Comunicación (TICs), así como impulsar el intercambio cultural con otros países.
Esta competencia, impulsada en México mediante el proyecto Punto México Conectado de la SCT y sistemas de universidades tecnológicas, brinda a los ganadores certificaciones a nivel experto, intermedio y básico de Huawei, las cuales se otorgan individualmente a los participantes y tienen un costo promedio en el mercado de 5 mil dólares. Además, los tres primeros sitios a nivel global reciben computadoras, teléfonos inteligentes y la posibilidad de realizar un semestre de estudios en China.
En la edición del año pasado, el equipo mexicano conformado por William Bautista Ramírez de la UNAM, Giovani Moctezuma Rodríguez León del Instituto Tecnológico de Querétaro y Ricardo Murillo Lozano de Universidad Tecnológica de León, obtuvieron el 3er lugar mundial en el track de redes, y además Bautista Ramirez se convirtió en el primer estudiante fuera de China en obtener la certificación HCIE (Huawei Certified InterNetwork Expert). Esto lo lograron después de un filtro de alrededor de 40,000 estudiantes de más de 800 universidades de 32 países, obteniendo el tercer lugar.
“Para Huawei es importante apoyar la transformación digital que está ocurriendo en el mundo, por lo que participa activamente en la construcción del nuevo ecosistema de talento para las TICs, reafirmando su compromiso por continuar con la inversión que permita a los jóvenes adquirir habilidades que son requeridas en la industria”, dijo Christian Díaz de León, Director de Servicios en el área Empresarial de Huawei México.
A la convocatoria realizada por Huawei, Punto México Conectado y los sistemas de universidades tecnológicas del país, así como universidades privadas, respondieron jóvenes de la mayoría de los estados del país. El miércoles 13 de febrero se llevará a cabo una segunda ronda para quienes no pudieron realizar su examen el viernes 8 de febrero.
Los estudiantes pre-seleccionados deberán presentar un examen este próximo 12 de marzo, y los ganadores serán dados a conocer el 13 de marzo. La selección latinoamericana se realizará en México el 26 de marzo, en la cual competirán países como Ecuador, Colombia, Brasil, Bolivia, República Dominicana, El Salvador, Panamá, Costa Rica, Argentina, Perú, Paraguay y Trinidad y Tobago.

4 tareas que ya están adoptando los chatbots


por Yesica Flores
Durante el 2018 vimos una creciente popularidad y uso de una serie de tendencias que dominaron el mundo digital e impulsaron a las empresas a nivel internacional a adaptarse y mostrar flexibilidad. Hoy en día, no responder a estos cambios en la tecnología y la digitalización puede traducirse en fracaso y pérdida de clientes.
Términos como Blockchain, Inteligencia Artificial (IA) y servicios en la Nube se hablaron y discutieron a gran medida, siguiendo la evolución de la tecnología. Uno de los más sonados y utilizados fueron los chatbots, pues gracias a su versatilidad es posible utilizarlos en distintos sectores.
Gracias a su adopción exitosa por parte del usuario final, estas herramientas se están incorporando cada vez más. De acuerdo con un estudio publicado por The Economist, el 75% de ejecutivos de empresas entrevistados aseguran que implementarán IA en forma de chatbots en sus compañías durante los próximos años.
“La industria bancaria es uno de los casos más representativos de los beneficios de los chatbots, pero también pueden ser usados para capacitar empleados, en servicio al cliente o como guías de museos”, explicó Gustavo Parés, director general Nearshore Delivery Solutions -empresa especializada en cómputo cognitivo e IA-.
Como a la mayoría de las audiencias no les importa hablar con un robot en lugar de una persona, el 63% de las personas consideraría enviar un mensaje a un bot para comunicarse con una empresa), no es sorprendente que el futuro de estas plataformas se ve brillante
Por ello, Nearshore Delivery Solutions presenta cuatro tareas que ya están adoptando los chatbots con el fin de apoyar a que las industrias mexicanas implementen este tipo de tecnologías en sus procesos.
1. Servicio al cliente
Es cada vez más frecuente que cuando un cliente se encuentra insatisfecho con un determinado producto, servicio o marca, plantee sus problemas en las redes sociales, demandando soluciones rápidas.
En busca de responder a sus clientes de maneras más efectivas y ágiles, muchas empresas han integrado chatbots a sus redes sociales. Así, los clientes pueden resolver sus dudas rápidamente conversando con el chatbot, dejando las preguntas más complejas en manos de los ejecutivos humanos y optimizando los recursos.
Esto, además significar menos tiempo para los usuarios en busca de respuestas, también es un ahorro de recursos para las empresas que los implementan, así como un servicio mejorado entre cliente y marca.
2. Capacitaciones de personal
Impulsados por IA, los chatbots tienen la habilidad de enseñar toda clase de temas para los que se les programe gracias a su capacidad de aprendizaje y personalización, siendo especialmente útiles para la capacitación de personal.
Estos agentes conversacionales fungen como un tutor que refuerza el proceso de enseñanza en las capacitaciones, haciendo de la experiencia de aprendizaje un proceso más dinámico para el usuario.
Una de las ventajas más poderosas de recibir capacitación mediante un chatbot es su flexibilidad y capacidad de adaptarse a las necesidades y requisitos específicos de una persona en particular.
3. Guías de turistas
Un chatbot también puede fungir como promotor y difusor de la cultura al interactuar con los visitantes de un museo. Puede explicar y dar detalles sobre una exposición, los artistas, fechas, horarios y curadores responsables. Comprenden el lenguaje natural y el contexto, por lo que pueden también resolver preguntas frecuentes sobre eventos y nuevas exposiciones, ofreciendo una cobertura de atención de tiempo completo.
Existen ya diferentes museos alrededor del mundo como el Museo de Arte Moderno de Buenos Aires y el Museo de Anna Frank en Amsterdam, que ya han implementado estas soluciones.
4. Fomentar las ventas en línea
Los chatbots pueden ser programados para recabar información sobre el cliente, procesarla y con base en ella orientarlo para que se produzca una compra de productos que probablemente le interesen. Algunos chatbots incluso acompañan a los compradores en todo el proceso, desde la recomendación hasta el pago.
Muchos bancos ya están adoptando esta nueva modalidad de venta para ofrecer productos financieros de manera personalizada. Los chatbots son tan versátiles que también usados como agentes por la industria hotelera, aerolíneas e incluso pizzerías.
Los chatbots son excelentes integrantes de cualquier equipo de trabajo y su capacidad de aprendizaje, de la mano de la fuerte inversión que se ha hecho en el rubro de la IA hace de esta herramienta una atractiva opción para empresas e instituciones públicas de todos los tamaños.

A importância de reconhecer o mérito académico | Câmara de Castelo de Paiva atribuíu Bolsas de Estudo a estudantes do Ensino Superior

Bombeiros Voluntários também foram contemplados


Atenta às dificuldades económicas de algumas famílias do concelho, a Câmara Municipal de Castelo de Paiva voltou a atribuir este ano 18 bolsas de estudo, contemplando jovens que frequentam o ensino superior e que são naturais e residentes em Castelo de Paiva, concretizando a entrega das bolsas aos alunos distinguidos, numa cerimónia realizada na manhã do passado Sábado, nos Paços do Concelho, onde o presidente da edilidade, Gonçalo Rocha, voltou a destacar a vontade de premiar os mais necessitados e os melhores alunos, como forma de estímulo e incentivo para o sucesso académico, tendo em vista a preparação e a futura entrada no mercado do trabalho.


Reportando ao ano lectivo de 2017/ 2018, cada aluno agora contemplado teve um apoio financeiro de 675 euros, sendo que, as bolsas de estudo do ensino superior representam um encargo superior a 8700 euros, e atenta às dificuldades económicas de algumas famílias do concelho, a Câmara Municipal de Castelo de Paiva atribui anualmente bolsas de estudo a jovens que frequentam o ensino superior, sendo que, três destas 18 bolsas financiadas este ano, foram destinadas a bombeiros locais que frequentem este nível de ensino.
Numa cerimónia onde também marcaram presença, o vice-presidente António Rodrigues, o Vereador José Manuel Carvalho, as vereadoras Paula Melo e Vanessa Pereira, e o presidente da Assembleia Municipal, Gouveia Coelho, entre autarcas locais e familiares dos jovens estudantes,o presidente da Câmara Municipal, na sua intervenção, deixou uma saudação a todos os alunos contemplados com este apoio municipal e incentivou-os a que prossigam com empenhamento e entusiasmo a vida académica, valorizando a aprendizagem e a exigência no percuso estudantil, referindo depois, que esta é uma forma de apoiar economicamente o esforço dos que querem encetar um percurso académico regular, integrado no seu projecto de vida e que, de outra forma, estariam impossibilitados ou com mais dificuldades na concretização desse objetivo, daí também a preocupação da edilidade de Castelo de Paiva em apoiar os alunos com reconhecido mérito académico, nomeadamente, com aproveitamento escolar nos dois últimos anos lectivos.
Com esta medida de apoio, o presidente Gonçalo Rocha, evidenciou a importancia de “ estabelecer um compromisso com o desenvolvimento do concelho, potenciando a igualdade no acesso à educação e formação, para que, no futuro, possamos construir uma sociedade à medida dos mais responsáveis e capazes, ajudando a consolidar uma terra e um país onde haja oportunidades e se possa afirmar pela positiva”, sendo que, referiu que, estas Bolsas de Estudosão assumidas como um estímulo e um incentivo que pode potenciar a preparação e a entrada dos jovens no mercado do trabalho.
Mostrando-se feliz por ver que o concelho tem jovens com valor no ensino superior,relebrando casos recentes de sucesso que honram e dignificam o municipioautarca de Castelo de Paiva congratulou-se com o êxito destes jovens e, em jeito de retribuição, apelou a todos que continuem a apostar num trabalho empenhado, para que possam ver os seus objectivos realizados com êxito e ter boas perspectivas para encarar as dificuldades actuais, onde o desemprego ainda se evidencia com alguma dimensão.
Recorde-se que, para além desta prestação pecuniária agora atribuída, a CâmaraMunicipal de Castelo de Paiva proporciona ainda um primeiro contacto com o mundo do trabalho (estágio de 20 dias) adequado ao complemento da formação de cada aluno, agora apoiado pela autarquia, sendo que, também se destaca outras acções em matéria de apoio social nesta e outras áreas, concretamente a oferta dos Manuais Escolares aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, o serviço de refeições fruta escolar, bem como o transporte escolar, entre outras propostastraduzindo-se o apoio social num esforço financeiro superior a 1 milhão de euros,condições essenciais para que, o grande objectivo do sucesso educativo, seja alcançado, num tempo que se deseja de esperança e confiança.

Emigrantes têm gabinete de apoio em Estarreja


“A vida é importante em qualquer país do mundo”, as palavras são de um venezuelano que está em Estarreja à procura de uma nova oportunidade para si e para a sua família. Júlio José Blanco foi um dos primeiros utentes a ser atendido pelo Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE) de Estarreja, que foi inaugurado esta manhã pelo presidente da Câmara Municipal, Diamantino Sabina.

Aqui são tratados um “leque de assuntos que sabemos ser os mais prementes para quem chega”, afirmou Diamantino Sabina após o descerramento da placa que identifica o GAE no edifício da Casa Municipal da Cultura, na entrada lateral da Avenida Visconde de Salreu.

O GAE pretende facilitar a vida de quem chega ao município estarrejense ao oferecer um serviço de maior proximidade e que responde a questões inerentes ao regresso e reinserção em todas as suas vertentes: social, jurídica, económica, investimento, emprego e estudos, entre outras.

O município está atento à crise venezuelana e porque “poderá vir a existir um êxodo muito maior do que aquele que temos vindo a sentir. Queríamos estar preparados para os receber e para os orientar da melhor forma possível”, explicou o autarca. Contudo, sublinhou que “há outros fenómenos que não só o venezuelano que vão ocorrendo. Temos gente do Brasil, de países africanos, entre outros países que procuram Portugal como alternativa”.

Diamantino Sabina garante que “em Estarreja, estamos preparados com este novo gabinete e esperamos estar à altura daquelas que são as necessidades destas pessoas que procuram guarida em Portugal e em Estarreja”.

A lusodescendente Maria de Fátima Moreira, o marido Julio José Blanco, venezuelano, e a filha Yusmary Moreira, que tem dupla nacionalidade, aplaudiram a criação deste gabinete em Estarreja e deslocaram-se logo pela manhã para encontrarem ajuda na procura de emprego. “Aqui vão encaminhar e ajudar. Tudo tem solução”,disse esperançosa Maria de Fátima depois da família ter vivido dias mais conturbados. “Imaginem ter vida feita e deixar tudo, tudo… Não imaginam como está aquele país.” Há angústia no olhar destas pessoas, mas o presente traz novas expectativas. Julio está desempregado com vontade de recomeçar, não obstante os seus 62 anos. “Estamos aqui para trabalhar e fazer nova vida aqui, porque a vida que tínhamos deixámo-la lá”.

Os GAE têm por missão apoiar os munícipes que tenham estado emigrados, que se encontrem em vias de regresso, que ainda residem nos países de acolhimento ou que pretendam iniciar um processo migratório. Terão à sua disposição um canal de comunicação gratuito, personalizado e mais adequado para a agilização e resolução de problemas, não obrigando uma deslocação a Aveiro.

O gabinete surge no âmbito de um acordo de cooperação que foi assinado, no passado dia 11 de janeiro, entre a Câmara Municipal de Estarreja e a Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Inicialmente, o novo serviço da Câmara Municipal garante o horário de atendimento às segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 09h30 e as 12h30, na Casa Municipal da Cultura.

Para mais informações através do e-mail gae@cm-estarreja.pt ou do telefone 234840600.

AQUI disponibilizamos ficheiros áudio (não editados) e imagens da sessão.

FÁBRICA DAS HISTÓRIAS - CASA JAIME UMBELINO VAI TER "UM LUGAR GUARDADO"

A Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras, vai acolher de 16 de fevereiro a 13 de abril Um Lugar Guardado
Trata-se de uma exposição de Artes Visuais da autoria de Teresa Palma Rodrigues, cujo cenário é um campo fugido às avenidas, aos túneis e aos viadutos, no entanto no coração da cidade, “florido na primavera, seco e áspero no verão, sacudido pelo vento no outono e escondido pelo nevoeiro e a chuva no inverno”, situado numa zona “em que os automóveis correm em busca de uma casa onde chegar. Esse campo, que a artista regista em pinturas e fotografias, é, tão só, um não-lugar. Feito de terra frágil e sem graça, com uma história antiga e lenta onde não se trocam palavras nem solidões, mas se dão a ver algumas possibilidades dos percursos e das vidas que ali aconteceram, ou que para ali vieram dormir, desperta assim a emoção e cria a ilusão de uma geografia íntima, ou seja, de um lugar”.

Currículo de Teresa Palma Rodrigues

Nasceu em Lisboa em 1978. Em 2001 licenciou-se em Artes Plásticas – Pintura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL) e, em 2008, terminou o Mestrado em Pintura, na mesma instituição. Como bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia, terminou o Doutoramento em Belas-Artes, na especialidade de Pintura (na FBAUL), em 2017. Expõe regularmente desde 2000.
Realizou várias exposições individuais, sobretudo enquanto representada pela Galeria Pedro Serrenho. Em 2015 expôs na Sala do Veado (MUHNAC), Seguindo a Espera de um Vazio e, mais recentemente, Estátua ou Cavalinho no Museu de Cerâmica de Sacavém. Participou em diversas coletivas em Portugal, Espanha, França, Itália, Irlanda, Brasil e Moçambique. Destaca-se a sua participação em POVOpeople, no Museu da Electricidade (2010) e no Ciclo da Fotografia Portuguesa (2013), no MuMA (Curitiba, Brasil). 

A exposição Um Lugar Guardado é inaugurada na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino no dia 16 de fevereiro, pelas 16h.

No próximo fim de semana | Teatro em Zambujal, em Ançã e Sanguinheira




O 21.º Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede tem este fim de semana mais uma jornada, desta vez com espetáculos em Zambujal, Ançã, Sanguinheira e Febres. O programa de dinamização da atividade teatral promovido pelo Município de Cantanhede conta com a participação de 17 grupos cénicos, num total de mais de 350 pessoas envolvidas, e a sua programação estende-se ao longo de três meses com a representação de peças de teatro de géneros variados um pouco por todo o concelho.
É assim que, no próximo sábado, às 21h30, o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal” da Associação Juvenil do Zambujal e Fornos estreia, no salão da Associação Cultural e Recreativa do Zambujal, As Marias de Portugal, um drama de Pedro Bandeira e Luís Zamarra que propõe uma reflexão sobre o assédio. Maria do Sol via-se assediada por vários homens e as alcoviteiras da terra procuravam denegri-la com infâmias e difamações, mas nunca quebrou o seu voto de fidelidade ao marido. Trata-se de uma peça que enaltece a virtude das mulheres com base numa personagem que luta contra a adversidade para ver reconhecida a sua inocência.
Também no sábado, às 21h30, o GATT – Grupo Amador de Teatro da Tocha desloca-se à Sanguinheira para apresentar a peça Viúva, porém Honesta, adaptação de um texto original do escritor e dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues. Na peça, um diretor de jornal com grande influência no país tudo faz para demover a filha a deixar de velar o marido falecido e voltar a ter uma vida normal, uma vez que tem apenas quinze anos. Como a jovem pretende voltar a casar, o pai resolve contratar um grupo de especialistas, todos eles charlatões, para a dissuadir da ideia. O casamento havia acontecido para justificar uma gravidez precoce e indesejada, que afinal tinha sido inventada pelo médico da família, um velho um pouco amalucado e confuso.
Ainda no sábado, igualmente às 21h30, é no palco do salão do Centro Paroquial de Ançã que o “Cordinha d’Água Teatro” - Secção do Rancho Folclórico “Os Lavradores” de Cordinhã estreia as duas peças com que participa no certame. A Revolta dos Penicos é uma comédia da autoria de Manuel Tomé que transporta o espetador para um cenário francês, em plena II Guerra Mundial. Uma professora, pertencente à Resistência Francesa, ensina os seus alunos a resistirem ao inimigo e a protegerem-se. Quando a professora desaparece pelas mãos dos militares nazis, os meninos elegem um líder e fazem frente ao invasor. Amores na Aldeia, também uma comédia, esta da autoria de Rosa Dinis, conduz o espetador numa revisitação a uma aldeia portuguesa, nos anos 60. Sucedem-se várias peripécias, amores e desamores, encontros e desencontros, casamentos arranjados, questões políticas, tudo com uma excelente dose de bom humor e o retrato histórico de um ambiente rural.
Já no domingo, 17 de fevereiro, é a vez de as Pequenas Vozes de Febres se estrearem no ciclo de teatro amador. Às 15h30, o grupo de teatro desta formação coral sobe ao palco do Pavilhão Multiusos de Febres para interpretar Asas no Coração, um musical baseado no livro de memórias The Story of the Trapp Family Singers, da autoria de Maria von Trapp. Maria é uma jovem que está num convento para se tornar freira, mas não consegue seguir as rígidas normas religiosas a que está sujeita aceita trabalhar como governanta de sete crianças. O pai é um oficial da marinha, viúvo, que desde a morte de sua esposa educa as crianças com rigor militar. Depois de trazer música e amor para a vida das crianças, Maria casa-se com o capitão e, juntamente com as crianças, descobre uma maneira de enfrentar a dor da perda através da coragem e da fé.

Apoiamos a cultura divulgando-a

Sobre o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal”
O Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal” foi constituído em 1996 e é composto atualmente por cerca de 20 elementos, maioritariamente das localidades de Zambujal e Fornos. A sua designação é uma referência às quatro fontes de origem romana que existiram no Zambujal, designadamente Fonte de Rodelos, Fonte Má, Fonte Perto e Fonte Seca.
As raízes desta formação teatral podem ser encontradas em 1954, mais precisamente em 27 de maio, data em que foi fundado um agrupamento com o nome “Viva O. R. Zal” (Viva o Rancho do Zambujal). A iniciativa partiu de alguns indivíduos da comunidade que pretendiam desenvolver atividades de lazer para preencher os seus tempos livres, assim como manter vivas a tradição e a autenticidade dos trajes danças e cantares do Zambujal.
Depois de uma interrupção de alguns anos, o Grupo retomou o seu funcionamento em 1992, sob a nova designação de Grupo Folclórico “Os Malmequeres do Zambujal”. Em julho de 1995, passou a integrar a Associação Juvenil do Zambujal e Fornos, mais precisamente a sua secção de folclore, e em 1996 filiou-se no INATEL.
É nessa mesma altura que surge o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal” que inicia um trabalho de produção teatral regular apresentando uma a duas peças anualmente, por altura da quadra natalícia e participando no Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede, desde a sua primeira edição.
Em 1998, faz a sua primeira apresentação fora da terra, mais precisamente nas Franciscas, no âmbito do I Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede, com as peças “Falar Verdade a Mentir” e “O Senhor”. No ano seguinte faz um périplo por várias localidades do Concelho de Cantanhede com as produções “O Céu da Minha Rua” e “Terra Firme”.

Sobre o GATT - Grupo Amador de Teatro da Tocha
As origens do GATT – Grupo Amador de Teatro da Tocha ninguém as sabe ao certo e também não existe nenhum documento escrito onde estejam registadas. São os elementos antigos com mais anos de casa que contam, entre as memórias que ainda surgem, os momentos mais marcantes de que há lembrança.
Os ensaios decorriam na antiga sede, localizada na Rua Dr. José Gomes da Cruz. A primeira peça foi levada à cena na década de 60, no antigo Grémio de Instrução e Recreio da Tocha, onde se realizavam os bailes (no atual café Esplanada), mas a continuidade perdeu-se.
É na década de 70, pelas mãos de Júlio Garcia Simão, encenador e antigo funcionário do Rovisco Pais, que o Grupo de Teatro ganha novo alento. Mais tarde é substituído por Américo Guímaro, que levou à cena a peça "A Forja", também encenada no Festival de Teatro de Montemor-o-Velho. É com ele que se estreia a peça "Frei Thomaz".
Segue-se novamente um período de interregno, onde apenas se fazem alguns "sketches", para em 1984 Júlio Campante, de Coimbra mas casado com a professora da escola primária da Tocha, dar uma nova dinâmica ao Grupo Amador de Teatro, que com ele começou a atuar em palcos um pouco por todo o país.
O bichinho do teatro ficou de vez, e já na sede da Associação Recreativa e Cultural 1.º de Maio da Tocha, "o salão encheu-se um punhado de vezes". A população aderia aos espetáculos e é com o Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede e a participação no certame que o grupo se revitaliza e se consolida, ficando apenas marcada por um interregno de um ano, em 2003, devido a um vazio de direção instalado, e em 2012, por doença do ator principal, Américo Romão.
O Grupo de Teatro Amador da Tocha já levou a palco diversas peças de diferentes estilos, tais como "A Casa dos Pais", "Entre Giestas", "A Mala de Bernardete", "Serão Homens Amanhã", "Há Horas Diabólicas", "As Duas Cartas", "Uma Sardinha para Três", "Terra Firme", "Frei Thomaz", levada a palco na década de 1970 e que em 2009 voltou a estar em cena, seguida de “Falar Verdade a Mentir”, “A Forja”, “O Doente Imaginário”, uma adaptação do original da autoria de Molière, “Verdades e mentiras da vida real”, um original da autoria de José Maria Giraldo, e “Desejo Voraz”, peça com que encerrou a 18.ª edição do Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede. Em 2017 retomou a encenação de “As duas cartas” da autoria de Júlio Dinis e na última edição participou com “Os Turistas”, uma adaptação do texto original de Luís Gonçalves.


Sobre o Rancho Folclórico "Os Lavradores" de Cordinhã
O grupo foi fundado em 19 de outubro de 1978 por iniciativa do pároco da freguesia, chamado Fernando, e de um grupo de pessoas convidadas para o efeito, entre elas o músico Arsénio Cavaco. Cinco anos depois, mais propriamente no dia 17 de fevereiro de 1983, foi legalizado por escritura pública no Cartório Notarial de Cantanhede e publicado no Diário da República III Série, n.º 81 de 8-4-1983 como Associação Cultural e Recreativa, denominada Rancho Folclórico de Cordinhã.
Este rancho esteve em atividade 15 anos consecutivos seguindo-se um breve interregno de cerca de três meses. Posteriormente reiniciou a sua atividade com a designação de Rancho Folclórico "Os Lavradores” de Cordinhã, que ainda hoje mantém.
Neste momento, ao grupo de adultos junta-se o grupo infantojuvenil composto por 20 crianças, servindo simultaneamente de escola de folclore.
Integrado nesta associação está o grupo Cordinha d'Água Teatro, composto por pessoas de todos os escalões etários, que participa nos Ciclos de Teatro da Câmara Municipal de Cantanhede e nos Ciclos de Teatro organizados pelo INATEL, onde se encontra inscrito.

Sobre as Pequenas Vozes de Febres
Surgiu inicialmente como “Coro infantil de Febres” a 16 de março de 2010, na altura, com 24 crianças. Atualmente, tem 51 elementos, cujas idades variam entre os 5 e os 18 anos e denomina-se de “Pequenas Vozes de Febres”.
Mesmo, não estando envolvidos grandes encargos financeiros, uma vez que o grupo está integrado numa iniciativa da Junta de Freguesia de Febres, de quem recebe importantes apoios, a destacar: o local de ensaios e aspetos burocráticos, realça-se também o apoio do Município de Cantanhede e dos pais e familiares nas apresentações do grupo.
O Coro dos Pequenas Vozes de Febres é dirigido, desde a sua fundação, pela maestrina Anabela Rocha que é, também, a principal obreira deste projeto. O grupo tem como objetivo proporcionar, a todas as crianças, um desenvolvimento equilibrado e um apreço salutar de cada um pela música, ajudando-as a adquirirem maior confiança, maior autoestima para aprenderem a trabalhar e a evoluirem em grupo, criando nelas o gosto pela prática musical de conjunto.
Em 2012, o grupo lançou o seu primeiro CD, intitulado “Sonho de criança” e, em 2014, lançou o seu segundo álbum com DVD incluído, “Asas do Sonho”. Representou os seus musicais e atuou em vários distritos do país, de norte a sul, tendo uma média de vinte e cinco atuações por ano, descansando no mês de agosto.
O grupo tem apostado, essencialmente, na música portuguesa. Atuações de destaque: participa desde fevereiro de 2015 no Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede, onde apresentou os musicais “Frozen – No reino do Gelo”, “A Princesinha” e “Asas no Coração”. Em maio de 2015, por altura do seu 5.º aniversário apresentou um espetáculo sobre o festival da canção. Em dezembro de 2015 participou no programa “A Praça”, RTP1. Em maio de 2017 apresentou o musical “Os três pastorinhos”, por altura do centenário das aparições de Fátima, esta apresentação foi noticiada no canal “Angelus TV”. Participou também no “Somos Portugal”, na TVI, em julho de 2017, no âmbito da Expofacic-Cantanhede. Em 2018, participou com várias bandas filarmónicas da região centro. Em outubro de 2018, o grupo foi convidado para uma participação especial com a Orquestra Clássica do Centro, noticiada na RTP1 no programa “Portugal em Direto”.
Os já oito anos de existência são motivo de orgulho para todos pelos momentos de alegria e de paixão posta nas representações. A história que se tem vindo a construir pelas “Pequenas Vozes de Febres” não tem deixado ninguém indiferente, tantas têm sido as manifestações de apreço recebidas.
O grupo é dirigido, desde a sua fundação, pela maestrina Anabela Rocha Anabela Rocha, a diretora artística e a alma das Pequenas Vozes de Febres. É licenciada em Matemáticas Aplicadas – Ramo Educacional. Pianista, desde sempre ligada a atividades musicais, aperfeiçoou a sua formação, no Conservatório de Música de Aveiro e foi professora de música, no Jardim de Infância Gira Sol, em Febres. Desde tenra idade, participou em vários espetáculos e concursos de rádio e de televisão, na região centro, com vários artistas de renome.


“Saídos da Casca” sobe ao palco a 16 de fevereiro, Cineteatro de Vouzela recebe comédia com Luís Aleluia e Vítor Emanuel




No próximo dia 16 de fevereiro, pelas 21h30, o cineteatro João Ribeiro, em Vouzela, vai acolher o espetáculo de teatro “Saídos da Casca”.

Luís Aleluia, o conhecido ator que deu vida à personagem "menino Tonecas", e Vítor Emanuel são os protagonistas de uma comédia divertida e original sobre televisão. Serão duas horas de espetáculo onde o público ficará surpreso e se questionará sobre a intrigante temática que é a televisão.

A peça é para maiores de 12, os bilhetes custam 10 euros e estão à venda no Posto de Turismo de Vouzela
.

Folia figueiroense abrilhantada por Kelly Baron



A manequim e bloguer, Kelly Baron, será a Rainha do Carnaval 2019 em Figueiró dos Vinhos, que promete contagiar todos os que visitarem o concelho com a usual alegria e carolice característica dos figueiroenses. A larga tradição, carnavalesca e bairrista da vila, contará com diversas iniciativas entre os dias 1 e 6 de março, culminando com o tradicional e divertido “Enterro do Entrudo”, na noite de Quarta-Feira de Cinzas.

Os desfiles dos foliões têm início marcado logo para o primeiro dia de festejos, em que as ruas da vila se encherão, pelas 10:30h, com o sempre animado e concorrido cortejo de Carnaval das Escolas do Concelho, enquanto que o ansiado Corso Carnavalesco, que contará com a presença da belíssima e simpática Kelly Baron como Rainha do Carnaval de Figueiró dos Vinhos, será no domingo, dia 3 de março, a partir das 15h. Um Corso que envolverá, como habitualmente, a participação de centenas de pomposos foliões figueiroenses e que se repetirá na tarde do dia 5.

Os Bailes e Concursos de Máscaras não irão faltar. O primeiro, ainda na sexta-feira, dia 1, que ocorrerá no Salão do Centro Comunitário da Santa Casa da Misericórdia, será o Baile de Carnaval Sénior. Sob o nome “Take your Mask”, promovido pela Associação Terratividade, o segundo Baile das festividades, terá lugar no sábado dia 2, e elegerá os dois Melhores Grupos de Mascarados, premiando o 1º Lugar com um Leitão Assado e o 2º Lugar com um extraordinário Cabaz de Produtos Regionais. Contudo, para quem almeja receber a medalha individual de Melhor Mascarado, poderá participar no Baile e Concurso de Máscaras organizado pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos, na noite no dia 4. O Baile, que será animado pela presença da Banda Sense, oferecerá ao Melhor Mascarado um belíssimo Jantar para 2 Pessoas, num restaurante do concelho à sua escolha, enquanto que o 2º Lugar receberá um delicioso Cabaz de Doces Regionais.



Bailes, concursos, corsos, alegria, boa disposição e festa para todas as idades, é o que Figueiró dos Vinhos oferecerá a todos os visitantes e turistas que queiram desfrutar de um Carnaval memorável.

Sensibilização para prevenção de incêndios em Vieira de Leiria


O Auditório da Junta de Freguesia de Vieira de Leiria recebe uma ação de sensibilização no âmbito da defesa da floresta contra incêndios, no dia 15 de fevereiro (sexta-feira), pelas 21h00, dirigida a toda a população da freguesia.

A ação é organizada pela Câmara Municipal da Marinha Grande, através do Serviço Municipal da Proteção Civil, pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Junta de Freguesia de Vieira de Leiria.

Esta iniciativa faz parte de um ciclo de ações de sensibilização, coordenadas pelo Município, com a GNR, a Polícia de Segurança Pública e as Juntas de Freguesias. 

O primeiro encontro com a população ocorreu no passado sábado, 9 de fevereiro, no Mercado Municipal de Vieira de Leiria, tendo sido bastante participada.

Além da ação da próxima sexta-feira, 15 de fevereiro, estão previstas as seguintes:

- 1 de março, às 21h00, no Grupo Desportivo e Recreativo das Figueiras;
- 2 de março, às 15h00, no Grupo Desportivo Moitense;
- 8 de março, às 21h00, na Sociedade Desportiva e Recreativa Garciense.

Estas iniciativas destinam-se a todos os munícipes, em particular proprietários de terrenos confinantes com áreas edificadas e produtores florestais.

Serão prestados esclarecimentos acerca da gestão de combustível e o uso do fogo, nomeadamente como, quando e onde fazer queimadas e queimas de sobrantes da limpeza de terrenos (fogueiras).

Seminário Incêndios Florestais: Da Ciência à Operacionalidade


BPS - Bombeirosparasempre - Informação e opinião desde 2007

O Seminário de Incêndios Florestais, organizado pelo Núcleo da Juvebombeiro de Vila Nova de Paiva, terá lugar em Vila Nova de Paiva, no dia 13 de Abril de 2019, integrando deste modo o Plano Estratégico de Ação do Núcleo da Juvebombeiro de Vila Nova de Paiva.
Este Seminário será leccionado por professores universitários com um vasto currículo de investigação na área dos incêndios florestais, por formadores técnicos da Escola Nacional de Bombeiros e por comandantes de renome na área da Proteção Civil. Destina-se a todas as pessoas que estejam diretamente ligadas a atividades relacionadas com incêndios florestais. Reveste-se de particular interesse para bombeiros, técnicos florestais, agentes da proteção civil, técnicos de autarquias, formadores e investigadores.
Face aos acontecimentos de 2017, particularmente em Portugal, Grécia e Estados Unidos, o foco deste seminário está na interligação da vertente científica com a vertente operacional.
RESERVE JÁ PARA GARANTIR A SUA VAGA!!!

Fado em França



Carolina Pessoa, fadista natural de Cantanhede, rumará dia 13 de fevereiro, para Lyon e Saint Étienne, em França, numa nova Tourné. 

Desta vez, segue com o grupo Fado ao Centro, apresentando o seu espetáculo Fado Cruzado, que cruza os sons do Fado de Coimbra e Fado de Lisboa.

Será uma oportunidade para franceses e emigrantes em França, escutaram o fado de Lisboa na voz de Carolina Pessoa e o fado de Coimbra na voz de João Farinha, acompanhados pela guitarra de Luís Barroso e pela viola de Luís Carlos Santos.

«Curiosamente, a primeira vez que pisei um palco fora de Portugal, foi em Lyon e, agora, regresso, a convite da mesma entidade, mas desta vez, para um ciclo de espetáculos», disse Carolina Pessoa.

Os concertos prometem e, informando a nossa comunidade residente naquela região, quem assim o desejar, poderá ver este espetáculo no Auditório da Universidade de Saint Étienne, no dia 14, e na Salle Jaques Brell no dia 16. No dia 17, será a vez do concerto no âmbito da “6 Éme Édition de la Nuit de Fado”, organizado pelo Instituto da Cultura e Língua Portuguesa, em Lyon.

Yair Gallardo y Uriel Santa Ana serán los primeros mexicanos en sobrevolar con paracaídas la más antigua de las siete maravillas del mundo: Las Pirámides de Giza


por Yesica Flores
• Jump like a Pharaoh, experiencia única, llena de adrenalina y a 15K pies sobre las pirámides
• GoPro acompañará a Yair y Uriel en esta gran aventura

El próximo 16 de febrero Yair Gallardo y Uriel Santa Ana harán historia en nombre de México. Dos atletas nacionales irán a conquistar los cielos de la Ciudad de El Cairo y serán los primeros mexicanos en saltar de un avión con paracaídas sobre las míticas pirámides de Giza, donde menos de cien personas han saltado en un evento de clase mundial.
¡Esto quiere decir que la cima del Everest ha sido visitada por más personas!
El evento tendrá lugar en la capital de Egipto del 15 al 19 de febrero de 2019 y saltarán de un avión militar Hércules C130 a 15,000 pies de altitud para después aterrizar a unos cuantos metros de la única maravilla aún erguida del mundo antiguo. No más de 40 paracaidistas de distintas nacionalidades participarán en este exclusivo evento para colorear el cielo egipcio con sus copas de colores y disfraces excéntricos.
GoPro será testigo de esta gran aventura y documentará la gran hazaña de estos dos mexicanos, con la finalidad de compartirla al mundo. ¡Te invitamos estar atentos a nuestras redes sociales para no perderte este gran acontecimiento! (@Gopromx y @GoProMex)
Sobre los aventureros:
Yair Gallardo
Orgulloso mexicano de 41 años, un profesional de la alegría por vivir. Es publicista y experto en plataformas digitales, creación de contenidos y muy social, en sus redes sociales.

Paracaidista, motociclista, buzo, emprendedor, ex futbolista profesional, coach de vida, viajero y amante de la naturaleza. Ha saltado, buceado, caminado, corrido, escalado y ha hecho actividades al aire libre en más de 22 países.
Hoy, tiene interacción mensual con más de 150 mil usuarios de distintos países, de todas ideologías, razas y edades. Su objetivo de vida es poder saltar, bucear, escalar o hacer todo lo que le gusta en los 5 continentes de aquí al día de su muerte y quiere contárselo e inspirar a todo el mundo a hacerlo.
¡Cree firmemente en la energía positiva y en la alegría diaria!

Trabalhador ferido no acidente nas minas de Aljustrel em estado grave em Beja

O trabalhador que ficou hoje ferido no acidente nas minas de Aljustrel está "em estado considerado grave" no hospital de Beja, disse à agência Lusa fonte hospitalar.  
Resultado de imagem para Trabalhador ferido no acidente nas minas de Aljustrel em estado grave em Beja
A fonte do gabinete de comunicação do hospital alentejano indicou que o homem, de 25 anos, residente em Ervidel, no concelho de Aljustrel, entrou nas urgências da unidade hospitalar às 13:30 e está "em observação".
No acidente, morreu um outro trabalhador, de 46 anos, segundo a GNR, e o corpo foi transportado para o serviço de Medicina Legal do hospital de Beja.
A mesma fonte indicou que o óbito do homem foi confirmado às 13:02.
As duas vítimas do acidente de hoje nas minas de Aljustrel, um morto e um ferido, trabalhavam na manutenção mecânica a cargo de um empreiteiro e circulavam numa viatura ligeira, indicou a concessionária do complexo mineiro.
Em comunicado enviado à Lusa, a Almina - Minas do Alentejo explicou que se trata de dois trabalhadores da empresa EPDM - Empresa de Perfuração e Desenvolvimento Mineiro, da área da manutenção mecânica, que circulavam numa viatura ligeira na Mina de Feitais em Aljustrel, no distrito de Beja.
Segundo esclareceu fonte da Almina à Lusa, a viatura envolvida no acidente é uma carrinha 'pick up', em que seguiam ambos os trabalhadores, e não uma máquina industrial, como foi inicialmente divulgado pela GNR e bombeiros.
De acordo com a guarda, a viatura caiu para um fosso com uma profundidade "entre os 30 e os 40 metros".
O INEM recebeu o alerta às 11:05 e os meios de socorro incluíram um helicóptero, que não chegou a ser utilizado, bombeiros e GNR.
Em comunicados distintos, a Almina e a EPDM - Empresa de Perfuração e Desenvolvimento Mineiro adiantaram ter abertos inquéritos de investigação para determinar as causas do acidente.
Também a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) abriu um inquérito para averiguar as circunstâncias em que ocorreu o sinistro, segundo disse à Lusa o diretor da Unidade Local do Litoral e Baixo Alentejo, Carlos Graça.
Lusa

Portugal com quarta maior taxa de mulheres engenheiras e cientistas em 2017

Em 2017, na União Europeia, havia mais de 17 milhões de cientistas e engenheiros, dos quais sete milhões são mulheres. 
Resultado de imagem para Portugal com quarta maior taxa de mulheres engenheiras e cientistas em 2017
Mais de metade de engenheiros e cientistas em Portugal são mulheres (51%), a quarta maior taxa entre os Estados-membros e dez pontos acima da média da União Europeia (UE 41%), segundo dados de 2017 hoje divulgados pelo Eurostat.
Em cinco Estados-membros, mais de metade dos cientistas e engenheiros são mulheres, com maior incidência na Lituânia (57%), Bulgária e Letónia (53% cada), Portugal (51%) e Dinamarca (50%).
Em números absolutos, na UE havia em 2017 mais de 17 milhões de cientistas e engenheiros, dos quais sete milhões são mulheres.
Em Portugal, eram 358 mil os engenheiros e cientistas, 184 mil dos quais do sexo feminino.
Lusa

KRIEGER: conocimiento y experiencia en construcción de productos digitales


por Yesica Flores
• El 85% de los empresarios consideran que tienen un plazo de dos años para realizar avances importantes en transformación digital antes de sufrir problemas financieros. 
• El 50% de los ejecutivos está totalmente de acuerdo en que su organización tiene una estrategia digital clara y coherente.
• Se espera que el mercado de transformación digital a nivel mundial alcance a una tasa de crecimiento anual compuesto del 19.6%.

Debido a que sólo 50% de los ejecutivos está totalmente de acuerdo en que su organización tiene una estrategia digital clara y coherente, Krieger, una consultoría de negocios 100% mexicana, ayuda a las organizaciones a llegar al siguiente nivel de crecimiento aprovechando los beneficios de la transformación digital.
Crear nuevos productos digitales requiere una amplia experiencia en múltiples disciplinas, y en ello radica el valor de Krieger: gracias a un profundo conocimiento y experiencia en construcción de productos digitales guía a las organizaciones partiendo de una idea o necesidad hasta el lanzamiento del producto al mercado.
El 85% de los empresarios consideran que tienen un plazo de dos años para realizar avances importantes en transformación digital antes de sufrir problemas financieros o quedarse atrás de sus competidores. Es por esto que el éxito de Krieger se basa en su capacidad de crear productos digitales a la medida que resuelvan una necesidad del usuario y le proporcionan una gran experiencia, al mismo tiempo que le brindan sustentabilidad al negocio creando productos digitales tomando en cuenta la oferta de valor actual y descubriendo oportunidades comerciales que brinden a sus clientes nuevas soluciones, experiencias y servicios que el mercado necesita.
El laboratorio de investigación de Krieger trabaja continuamente con tecnología de vanguardia para ayudar a empresas y gobiernos a innovar en materia de problemáticas complejas que no han tenido una solución viable, pero que el avance tecnológico, el diseño y la creatividad pueden resolver. Krieger ha sido pionero en la aplicación de estos avances tecnológicos, como son el aprendizaje automático, la automatización de procesos, Blockchain y Distributed Ledgers (DLT) y el Internet de las Cosas (IoT) entre otros.
Se espera que el mercado de transformación digital a nivel mundial alcance los $ 369.2 mil millones en 2020, a una tasa de crecimiento anual compuesto del 19.6%. Por lo que Krieger continuará trabajo en conjunto con sus clientes, conocedores como nadie de su negocio, y un equipo de trabajo entusiasta, talentoso y enfocado a resultados de negocio.

Jantar Convívio para a Festa de Portomar

Inteligencia artificial, la herramienta que los retailers buscan para mejorar la experiencia de sus clientes


por Yesica Flores
Una encuesta de JDA, realizada por Incisiv en colaboración con Microsoft, revela que los ejecutivos de las empresas minoristas planean invertir en eficiencia, inteligencia y automatización para transformar sus cadenas de suministro y evolucionar de manera gradual hacia una "empresa inteligente" 
La necesidad de fusionar a la perfección las experiencias online y offline, así como cumplir con todos los pedidos a cualquier hora y en cualquier lugar, ha hecho que los ejecutivos minoristas visualicen la experiencia del cliente y las capacidades de su cadena de suministro como un factor clave.
De acuerdo con una nueva encuesta de JDA Software, Inc. llamada Retail C-Suite Viewpoint 2019, la cual fue realizada por la firma de investigación Incisiv en colaboración con Microsoft, revela que mientras los minoristas planean expandir sus alternativas de cumplimiento y ofrecer miles de opciones, sus ejecutivos aún tienen dificultades con la transformación digital.
Asimismo, los ejecutivos consideran que la inteligencia artificial y las tecnologías de punta impactan mayormente en su negocio al permitirles tener visibilidad del inventario en tiempo real y aprovechar el valor de los datos de los compradores, lo cual genera mayor eficiencia operativa, agilidad comercial superior y una mejor experiencia para el cliente.
"A medida que las expectativas de los consumidores atraviesan más formatos, los anaqueles de la tienda han pasado de ser un objeto físico a toda una cadena de suministro", dijo Jo Ann Martin, vicepresidenta de Estrategia de Ventas Minoristas de JDA. Asimismo, la ejecutiva añadió que los minoristas reconocen que ampliar las opciones de cumplimiento para mejorar la experiencia del cliente y respaldar el 'anaquel en cualquier lugar' es fundamental para su supervivencia y crecimiento, pero la encuesta muestra que sus capacidades de cadena de suministro digital pueden estar poco preparadas para este cambio.
Cabe destacar que el 78 por ciento de los encuestados no tiene una visión de su inventario en tiempo real en todos sus canales, y la mitad de ellos creen que no cuentan con las plataformas y herramientas adecuadas para respaldar las opciones de cumplimiento. Además, los minoristas aún no tienen una fuente única y certera para la obtención de datos, ni tampoco el capital humano para obtener dicha información. De acuerdo con los datos obtenidos en la encuesta, casi la mitad de los minoristas (46 por ciento) no confía en sus datos.
Los ejecutivos necesitan estrategias específicas de alto impacto para solucionar sus principales desafíos de transformación: el 48 por ciento trabaja bajo presión por objetivos a corto plazo y el 41 por ciento lucha contra la resistencia al cambio. Para llevar a cabo este tipo de estrategias y satisfacer las expectativas de sus clientes y evolucionar hacia una "empresa inteligente", los ejecutivos deberían estar planeando invertir en soluciones y estrategias de agilidad, inteligencia y automatización.
“Incluso cuando los minoristas intentan entender las necesidades de los consumidores, los ejecutivos se ven impedidos por varios desafíos medulares. Para lograr una empresa inteligente, alcanzar la madurez de la transformación digital y mantenerse al día con la próxima evolución del retail, los ejecutivos requerirán eliminar con éxito los viejos hábitos y transformar el pensamiento centrado en el canal por una visión más integral del comercio minorista", señaló Gaurav Pant, director de Insights en Incisiv. "Las últimas tecnologías, como la nube, la inteligencia artificial y el internet de las cosas, son los facilitadores clave para esta transformación”.
Con la agilidad empresarial ganando importancia en un mundo transformado digitalmente, las soluciones basadas en la nube ahora son parte integral de la arquitectura de TI. A pesar de la creencia por parte de los ejecutivos de que la nube tiene más de dos veces el impacto en la agilidad del negocio en comparación con cualquier otra tecnología —junto con la inteligencia artificial—, la encuesta encontró que la cadena de suministro y los sistemas de tiendas están retrasados en la adopción de la nube. La inteligencia artificial tiene las tasas más altas, tanto de experimentación actual (programas pilotos), como de adopción futura por parte de los ejecutivos, y los encuestados afirman que planean un aumento del quíntuple en tecnología durante los próximos dos años.
Greg Jones, director de estrategia comercial para minoristas de Microsoft, comentó: “Estos resultados de la encuesta validan aún más la estrategia detrás de la implementación de inteligencia artificial y la nube como tecnologías transformadoras para que los minoristas obtengan una ventaja competitiva al aprovechar realmente el valor de los datos de sus clientes. Los minoristas deben conocer a sus compradores mejor que ellos mismos, y las poderosas tecnologías que están a la vanguardia de la transformación digital son el camino para hacerlo”.
JDA presentó los resultados de esta encuesta en el evento anual de la Federación Nacional de Minoristas en Estados Unidos (NRF Big Show). Los asistentes pudieron aprender más sobre los desafíos que enfrentan las empresas en el cambiante entorno de las tiendas minoristas de hoy, así como experimentar con las innovaciones tecnológicas que están usando de varias maneras.
Metodología de la encuesta
Incisiv realizó una encuesta cuantitativa a 221 ejecutivos de nivel C de empresas de varios continentes, segmentos de la industria y tamaños para comprender sus prioridades, desafíos y planes de transformación digital.