domingo, 2 de dezembro de 2018

MCM Telecom será actor clave en el consejo directivo 2019 de la Asociación de Internet .MX


por Yesica Flores
La Asociación de Internet .MX celebró su asamblea anual de socios para la renovación del consejo directivo para el año 2019.
Durante el ejercicio 2019, la Vicepresidencia de Infraestructura será responsabilidad de Juan Antonio González Cruz (quien se desempeña como Director Jurídico y Regulatorio de MCM Telecom), toda vez que los miembros de la asociación respaldaron su candidatura, siendo así el único operador de telecomunicaciones que alcanzó los votos necesarios para acceder a esta importante encomienda.
Como proveedor de servicios de telecomunicaciones con alto grado de especialización en el segmento corporativo y con la red de fibra óptica más estable y de mayor ancho de banda en el mercado, MCM Telecom representa un poderoso aliado para respaldar las iniciativas de la Asociación de Internet .MX
MCM Telecom, empresa líder en el sector corporativo desde su fundación en 1996, hace suya la misión de la asociación: “Hacer de la economía digital el principal factor de desarrollo en México, mediante el uso de Internet”, y se compromete a trabajar codo a codo con los socios de la asociación para abonar hacia un desarrollo libre, responsable y seguro de internet, generando así un impacto positivo en la sociedad.
“En MCM Telecom nos especializamos en dar a las empresas las herramientas necesarias para que puedan ser más eficientes, actuar más rápido, y ser más productivos siempre en un entorno de simplicidad, esa misma forma de trabajar es la que deseamos para toda la industria de internet en México y vamos a colaborar con todos para que así sea”, aseguró Juan Antonio González Cruz, VP de Infraestructura de la Asociación de Internet .MX

Juan A. González es licenciado en derecho y toda su actividad profesional la ha desarrollado como abogado de diversas empresas del sector telecomunicaciones desde que éste sector se abrió a la competencia. Durante su actividad profesional ha participado en diversas cámaras y asociaciones empresariales desde donde ha cabildeado a favor de temas tendientes a beneficiar el adecuado desarrollo del sector telecomunicaciones. Desde hace 18 años trabaja para MCM Telecom.
El plan de trabajo del comité de infraestructura para 2019 consiste en posicionar ante la nueva Administración Federal los temas más importantes para el desarrollo del Ecosistema Digital en México:
• Concluir con la implementación de las medidas a favor de la competencia establecidas en la Reforma Constitucional de telecomunicaciones.
• Impulsar la emisión de un reglamento de construcción a nivel federal con trámites y tarifas homologadas para todo el país, que brinde certeza jurídica, incentive las inversiones y reduzca la brecha digital.
• Impulsar la reducción de la carga regulatoria a los concesionarios, con el fin de incentivar las inversiones y cobertura de las redes de telecomunicaciones.
• Promover ante las autoridades regulatorias el uso del espectro sobre el afán recaudatorio por el uso del mismo.
• Continuar con el esfuerzo desplegado para acelerar la adopción de IPv6.

Passear à noite pelas ruas de Aveiro e fazer contas à vida


Ano após ano, ao chegarmos a por esta época, é sempre a mesma coisa: corre-corre, planos, contas, listas para o natal, shoppings lotados, lojas abarrotadas… propaganda na televisão, no celulares, na internet, nos outdoors. Tudo para preparar a população para a chegada do Natal, e das festas de fim de ano.

No noticiário, os apresentadores questionam: “como serão as vendas do comércio este ano em relação ao ano passado”? E complementam: “a estimativa é de um crescimento de x% nas vendas”. A data celebrada em Dezembro é a segunda do ano que mais gera lucro para o comércio, perdendo apenas para o Dia das Mães.

Ao mesmo tempo em que as mensagens da publicidade são carregadas de emoção, de sentimentalismo em relação à família, à união, à renovação da esperança para um ano que finda e outro que começa, toda a lógica capitalista por trás de tais mensagens convergem a um ponto somente: o consumo. A felicidade é reunir a família, mas também entregar presentes, ter a Árvore de Natal rodeada de surpresas e pacotes coloridos e embalados com esmero. Quanto mais apelativo, melhor!

O que era para ser uma celebração genuinamente cristã é preenchida por festejos que visam as trocas comerciais.

As crianças desde cedo são estimuladas a ter sonhos e escrever cartinhas ao Pai Natal… porém, sonhos carregados de pedidos materiais. O que era para ser uma celebração cristã, representando o nascimento de Jesus Cristo, é substituída por festejos que visam somente as trocas comerciais, o “quanto mais melhor”, a “abundância” exacerbada e falsa, pois é isso que significa a felicidade.

O foco nesta época do ano é tão comercial e tão voltado para o consumo desenfreado que até o 13º mês do salário, que todos aguardam ansiosamente após um ano de trabalho árduo, é estimulado a ser totalmente destinado às trocas mercadológicas do Natal. É tudo tão volátil que mal dá tempo de respirar e prever que, ao começar mais um ano, contas e mais contas, taxas e mais taxas, devem ser pagas ao governo. E aquele sentimento de “esperança renovada” fica da mesma forma que o embrulho do presente que estava embaixo da Árvore de Natal brilhante: rasgado e jogado ao lixo.

É impossível não se perguntar, parar e reflectir: até que ponto vale a pena tudo isto? Até que ponto vale a pena apostar sonhos, sorrisos e felicidade em um objecto material? Vale a pena gastar cada euro do bolso em presentes enormes e chamativos, pois isso é o que representa o espírito de Natal, de amor e união? Vale a pena o sentimento de angústia e preocupação de não ter dinheiro para pagar as contas, apenas para ter aqueles poucos momentos de “felicidade” ao entregar o maior número de presentes possível?

O Natal passou a significar um momento de tristeza e, até, depressão,e solidão para milhares de pessoas. Umas em situação de luto, outras de divórcio ou por motivos de doença.

Enquanto para muitas pessoas Dezembro chega com esperança e animação por conta do planeamento das festas em família e da troca de presentes, para a esmagadora maioria da população o Natal passou a significar um momento de tristeza e, até, depressão. Como a imprensa passa a imagem e a mensagem de que o Natal significa banquete em família e Árvore de Natal rodeada de presentes, para aqueles que não têm as condições necessárias para criar esse cenário acabam por deixar que o desânimo e a desesperança vençam. “Ora, se eu não tenho dinheiro para comprar presentes dignos para a minha família, por que é que vou celebrar o Natal”? Mais uma vez, o intuito da celebração dessa época do ano, puramente comercial e mercadológica, acaba por encobrir o que realmente importa: ter uma família.

A realidade pode ser totalmente diferente, tanto para as famílias quanto para o Planeta Terra, se se estimulasse o consumo consciente nessa época do Ano. Até porque, actualmente, consome-se 25% a mais do que a Terra consegue renovar. Então, quer mensagem e gesto mais amigo do que presentear um ente querido, se é assim que deve ser, e ainda promover a economia e sustentabilidade para o meio em que vivemos e para o nosso bolso?

Planeie as suas compras, seja diferente, adopte a solidariedade, cultive bons sentimentos.

Prezamos por um Natal consciente e mais “ecológico”. Por isso, preparamos algumas dicas para transformar o Natal e as festas de fim de ano em um momento mais alegre e mais consciente para todos, inclusive para o Planeta:

– Planeie as suas compras: com planeamento, colocando tudo na “ponta do lápis”, é possível adquirir presentes para todos, sem comprometer o seu orçamento. Além disso, procure produtos que sejam sustentáveis e ecológicos, assim a sua economia também proporciona economia ao nosso Meio Ambiente. Com isso, garante um presente personalizado e consciente, o que representa a próxima dica:

– Seja diferente: no lugar de comprar presentes caros e elaborados, aposte em produtos que sejam mais sentimentais e carreguem um significado. Exemplos: presentes artesanais, produtos reciclados, produtos que representam o sustento de cooperativas e grupos de caridade. Actualmente, com a criatividade e as matérias-primas disponíveis, opções inovadoras e diferentes não irão faltar! Com isso, vamos à próxima dica:

– Escolha empresas que se preocupam com o meio ambiente e com projectos sociais: hoje em dia, há muitos grupos e empresas pequenas ou médias que apostam em produtos sustentáveis, artesanais e diferentes que consistem em seu sustento. Procure na sua cidade empresas ou grupos assim. Com esse gesto, o leitor não somente presenteia alguém com algo amigo e com significado, mas também ajuda pessoas, grupos e empresas que trabalham com consciência e auxílio ao próximo! Com essa dica valiosa, passamos para o próxima:

– Cuide também com as embalagens: a maior parte do lixo em Portugal origina-se de embalagens descartadas, o que gera gastos públicos e impactos ambientais. Dê preferência às embalagens duradouras ou que possam ser reutilizadas. Essa atitude pode ser adoptada também de acordo com a próxima dica:

– Reaproveite os enfeites de Natal: ao enfeitar a sua casa para aguardar esta época do ano, opte por enfeites que você possa guardar e reutilizar várias vezes. Caso planeie comprar algo a mais, enfeites novos para incrementar a decoração, prefira, novamente, adereços artesanais ou feitos a partir de materiais recicláveis. Após as festas, guarde-os de forma segura para que durem até o próximo ano. Para reaproveitar materiais e produtos de forma sustentável, também a próxima dica traz:

– Adopte a solidariedade: aquilo que a sua família não deseja mais pode ser de grande valor ao próximo. Por isso, faça uma “faxina” de final de ano e separe tudo aquilo que possa ser repassado a outras pessoas. Dê e incentive essa atitude às pessoas que o cercam! Assim, você cultiva o que traz a próxima dica:

– Cultive bons sentimentos: jamais esqueça que há muitas outras coisas boas e que valem a pena viver nesse período do que apenas trocas e apostas mercadológicas. Se for para praticar o consumo, prefira o consumo de: amor, paz, alegria, prosperidade, união, família, perdão, carinho, compaixão, respeito e solidariedade com o próximo. Esse consumo sim é o verdadeiro espírito do Natal!

Seja consciente! O Planeta agradece… e o Pai Natal certamente também!

Artigo Adaptado: Viva mais verde.

Postado por J. Carlos

Graciano Saga no querida julia com o tema amor sagrado

GRACIANO SAGA (NÃO VOU DIZER ADEUS)

MEU PAI,MINHA MÃE-MÚSICA DE GRACIANO SAGA

Graciano Saga - Vem devagar Imigrante

Graciano Saga - Vem devagar Imigrante

Léo Canhoto e Robertinho - Fofinha.avi

A Gaivota - LÉO CANHOTO E ROBERTINHO.

Portugal com Ucrânia, Sérvia, Lituânia e Luxemburgo na qualificação para o Euro2020

A seleção portuguesa de futebol, atual campeã europeia, vai defrontar Ucrânia, Sérvia, Lituânia e Luxemburgo no Grupo B da fase de qualificação para o Euro2020, ditou o sorteio, hoje realizado em Dublin.
Resultado de imagem para Portugal com Ucrânia, Sérvia, Lituânia e Luxemburgo na qualificação para o Euro2020
Por ter vencido o seu grupo na Liga das Nações, Portugal ficou integrado num dos quatro grupos com cinco equipas, num apuramento em que os dois primeiros de cada 'poule' garantem a presença na fase final.
A qualificação do Euro2020 realiza-se entre 21 de Março e 19 de novembro de 2019, com as últimas quatro vagas a serem decididas num 'play-off', entre 26 e 31 de Março de 2020, entre os vencedores dos agrupamentos da Liga das Nações, nos quais se inclui Portugal, se não conseguirem o apuramento direto. No caso de conseguirem, as vagas nos 'play-offs' serão ocupadas por ordem da classificação na Liga das Nações.
Lusa

Detido em Coimbra suspeito de cultivo e comercialização de canábis

Um homem de 29 anos de idade foi detido, em Coimbra, pela Polícia Judiciária (PJ), por, alegadamente, ser proprietário de “uma relevante unidade de cultivo e preparação artesanal” de canábis, numa residência daquela cidade.
Resultado de imagem para Detido em Coimbra suspeito de cultivo e comercialização de canábis
A detenção do suspeito ocorreu na quarta-feira no âmbito de ações operacionais contra “tráfico de estupefacientes na cidade de Coimbra”, incidindo no combate ao “cultivo e comercialização ilícita de canábis”, desencadeadas pela Diretoria do Centro da PJ “nos últimos dias”, anunciou hoje esta força policial.
O suspeito, eletricista de profissão, foi “abordado e detido em flagrante delito” por elementos da Judiciária, “numa residência, onde possuía uma relevante unidade de cultivo e preparação artesanal” daquele tipo de droga, refere a PJ numa nota enviada hoje à agência Lusa.
“Desta ação resultou a apreensão de 1.930 euros em numerário, cerca de 1.300 doses de canábis, bem como toda a parafernália de equipamentos e produtos químicos utilizados no seu cultivo, processamento e pesagem”, acrescenta a Polícia Judiciária.
A “especificidade deste caso”, sublinha a PJ, fez com que “os trabalhos de desmantelamento desta unidade de produção de estupefacientes” fossem desenvolvidos em estreita colaboração com o Laboratório de Polícia Cientifica, que “fez deslocar elementos ao local”.
O detido, sem antecedentes criminais, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido “aplicadas as medidas de coação de apresentações diárias às autoridades e proibição de frequentar locais conotados com o tráfico e consumo de estupefacientes”.
Lusa

Feminismo, o defensor das mulheres. – Será mesmo?

feminismo
♦  Ítalo Nóbrega
O feminismo, enquanto corrente ideológica, tem suas raízes no Iluminismo, com a proclamação dos ideais revolucionários de liberdade, igualdade e fraternidade. Entretanto, somente após a Revolução Francesa é que o vemos sair do campo meramente teórico para abarcar também o campo político.
Baseado em uma errônea interpretação dos significados de igualdade e liberdade, ele se empenha na luta contra os valores chamados de patriarcais, fundamentados nas diferenças entre os sexos.
A luta contra tais valores implica, de um lado, a destruição de costumes, tradições e instituições seculares fundamentais para a sociedade, muitas delas remanescentes da Cristandade medieval. De outro lado, essa luta consiste na proclamação de pérfidos ideais cujo estandarte tem como lema “empoderamento feminino”.
Entre as reivindicações do referido movimento, sempre a pretexto de advogar pelas mulheres, estão o tratamento equânime para ambos os sexos em todas as esferas da sociedade, a emancipação das mulheres em todos os campos em que predominam os chamados preconceitos patriarcais, uma maior participação da mulher em cargos de mando ou poder, direitos reprodutivos (leia-se: “direito” de assassinar um ente inocente que ainda não nasceu), entre outros.
Entretanto, ao confrontarmos as ideias feministas com algumas de suas atitudes, encontramos uma gritante contradição: enquanto se auto proclamam defensoras das mulheres e valorizadoras do sexo feminino, vemos concomitantemente suas atitudes caminharem em sentido radicalmente contrário.
Provemos.
feminismo
Nas últimas décadas, as manifestações feministas de grande porte ora reivindicavam direitos sociais equânimes, ora pediam o fim da violência contra as mulheres ou a descriminalização do aborto. Entretanto, denominadores comuns entre todas elas — as manifestações — inclusive as mais recentes, põem em xeque a legitimidade das mesmas: a omissão de um combate direto e explícito contra a sharia, por exemplo.

sharia poderia ser considerada a lei anti-feminina por excelência. Além de tratar as mulheres como impuras, incapacitadas mentais, escravas sexuais de seus maridos, entre outras abominações, ainda torna meninas pré-púberes objeto de espancamentos e de pedofilia.
Por que as feministas se omitem ante tão crítica situação da mulher nos países islâmicos?
As contradições são se limitam apenas aos casos negativos; elas estão por toda parte, até mesmo onde se faz mister elogiar.
feminismo
Os elogios do movimento feminista se restringem àquelas figuras femininas que servem de cavalo-de-batalha para suas militantes. Algumas de suas principais expoentes servem-nos de ilustração: Mary Wollstonecraft, escritora e “educadora” inglesa, considerada “avó” do feminismo, e Simone Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir [foto ao lado], uma francesa filha de aristocratas,mais conhecida como Simone de Beauvoir, que além da bandeira feminista defendia a pedofilia.

Porém, quantas mulheres honradas que fizeram história e deixaram sua marca são ignoradas pelas feministas?
Branca de Castela [sua estátua na foto abaixo], mãe de São Luís IX de França, foi uma rainha medieval que assumiu a regência do reino enquanto seu filho ainda não podia fazê-lo. Além de ter sido uma excelente governante, é cultuada como santa.
feminismo
Isabel de Castela, esposa de Fernando de Castela — os dois passaram para a História como os Reis Católicos — tinha autoridade política maior que a do seu marido e a usou para o bem de Castela e do catolicismo ali reinante.

Querem exemplos ignorados mais recentes?
Santa Gianna Beretta Molla [foto abaixo] preferiu morrer a ter que abortar seu filho. Realizou um gesto heróico.
feminismo
Kátia Sastre, policial paulista, neutralizou definitivamente um bandido que ameaçava mães e crianças na porta de uma escola.

Bem, por que limitar tanto nossa lista? Façamos menção às mães de família que com tanto esforço e em meio às ameaças do mundo moderno — como a ideologia de gênero, por exemplo — lutam para criar e bem educar seus filhos, manter seus lares e servir de apoio a seus maridos.
Por que tamanha omissão em relação a essas grandes mulheres do passado e do presente? Existe um motivo?
Sim, ele existe. Ei-lo: uma personagem só serve ao feminismo na medida em que é possível usar ou distorcer sua personalidade ou seus atos para desfigurar a imagem da mulher. E este, aliás, é o verdadeiro objetivo do feminismo.
Vemos que o denominador comum, implícito ou explícito, nos atos ou reivindicações do feminismo, é essa deformação da figura feminina. Desfiguração feita seja pelo aviltamento das qualidades da mulher, seja por uma falsa atribuição de características masculinas a ela.
Se o feminismo se preocupasse de fato com as mulheres, ele defenderia a verdadeira imagem destas. Imagem que não só completa e adorna a imagem do homem, como tem um papel fundamental na vida da família e da sociedade.
feminismo
É a imagem da mãe, da companheira, da conselheira, da protetora, da educadora; é a imagem daquela que sabe combinar esplendidamente a força e a delicadeza, a bondade e a firmeza; é a imagem daquela que, em uma palavra, sabe ser mulher.

Vemos essa verdadeira imagem nos exemplos históricos que citei. Vemo-la diariamente nas mães de família, nas senhoras da sociedade, em moças respeitáveis, em meninas que transbordam de inocência e graça. Vemo-la resplandecer ao longo da História nas santas canonizadas pela Igreja.
Vemo-la, por fim, de modo perfeitíssimo em Nossa Senhora, que soube ser Filha e Mãe, Virgem e Esposa, e que possui em altíssimo grau todas as qualidades femininas.
Para Ela devemos olhar e contemplar o ideal da mulher. Ela, sim, é um exemplo a ser seguido.

Fonte: ABIM

BALANÇO DA OPERAÇÃO DE PROTEÇÃO CIVIL REALIZADA EM BORBA

Resultado de imagem para AUTORIDADE NACIONAL DE PROTEÇÃO CIVILAs operações de busca e resgate das 5 vítimas mortais atingidas pelo aluimento de terras ocorrido a 19 de Novembro na pedreira em causa durou 13 dias.

No teatro de operações estiveram empenhados 651 operacionais e 402 veículos, da ANPC, dos agentes de proteção civil (APC) e de várias entidades públicas e privadas, comandados pelo Comandante Operacional Distrital de Évora, José Ribeiro.

As operações de busca e resgate das vítimas caraterizaram-se pela grande complexidade e exigência técnica dos trabalhos executados (drenados cerca de 70.000 m3 de águas barrentas entre os poços das duas minas e o exterior) e pela elevada perigosidade do ambiente em que se desenrolaram, em virtude quer do risco iminente de novas derrocadas quer devido às condições meteorológicas adversas que se fizeram sentir na região ao longo de toda a ação.

A ANPC quer sublinhar o facto não se ter registado qualquer acidente de trabalho durante a operação de proteção civil, fruto quer da prioridade, atribuída pelo comando, quer do respeito escrupuloso, observado pelos operacionais, das medidas de segurança, em especial por parte dos que participaram nas arriscadas manobras de resgate executadas no fundo da pedreira, as quais contaram com o acompanhamento permanente das equipas médicas do INEM.

Enaltecemos o elevado grau de resiliência e especialização dos meios operacionais de resgate dos vários APC, em especial dos Corpos de Bombeiros, da Força Especial de Bombeiros da ANPC e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da GNR, bem como o excecional entrosamento e cooperação entre todos verificado ao longo desta delicada e demorada operação.

Realçamos igualmente a utilidade operacional que o sofisticado equipamento tecnológico empregue no reconhecimento e busca em ambiente aquático, em especial os equipamentos disponibilizados pela Marinha, pelo Instituto Hidrográfico e pelo INESC-TEC, veio conferir a toda a operação.

A incorporação do conhecimento científico em todos os passos da operação, em especial na monitorização das condições de segurança e estabilidade dos terrenos incluídos em todo o perímetro da ação, realizada em conjunto pelos técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil e da Engenharia Militar, com o apoio dos equipamentos de monitorização em tempo real da escarpa (delsar e drones), foi também um fator imprescindível para os resultados alcançados.

Referir, ainda, o envolvimento ativo e empenhado do subsistema de proteção civil municipal, cujo Serviço Municipal de Proteção Civil de Borba desempenhou um papel estruturante na mobilização e articulação de todas as capacidades e valências dos APC e entidades locais, bem como saudar o espírito voluntário e solidário das múltiplas entidades, empresas e particulares, que apoiaram, sob as mais diversas formas, a logística de toda a operação enquanto a mesma durou.

Na operação de proteção civil em Borba participaram as seguintes entidades:

·Corpos de Bombeiros Voluntários do Distrito Évora (Évora, Vendas Novas, Montemor-o-Novo, Estremoz, Arraiolos, Reguengos de Monsaraz, Vila Viçosa, Mora, Borba, Redondo, Mourão, Portel, Alandroal e Viana do Alentejo), do Distrito Lisboa (Alcabideche, Cascais, Estoril, Lourinhã, Sacavém) e do Distrito Portalegre (Alter do Chão, Avis, Campo Maior, Castelo de Vide, Elvas, Gavião)
·Força Especial de Bombeiros da ANPC
·Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da GNR
·Comando Territorial de Évora da GNR
·Forças Armadas (Marinha, Instituto Hidrográfico, Exército Português – Engenharia Militar)
·Instituto Nacional de Emergência Médica
·Policia Judiciária
·Laboratório Nacional de Engenharia Civil
·Águas de Vale do Tejo – Grupo EPAL
 ·EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva
·EDP – Distribuição
·Câmara Municipal e Serviço Municipal de Proteção Civil de Borba
·Serviços Municipais de Proteção Civil de Évora, Alandroal e Viana do Alentejo
·Empresas e respetivos colaboradores em diferentes áreas do sector (montagem de bombas, instalação de geradores, etc.)

ECONOMIA | Nem um, nem dois, nem três... Portugal recebeu 16 Óscares do Turismo




Conheça os 16 prémios recebidos por Portugal nos prémios mundiais de turismo.
Depois dos sete prémios de 2017, Portugal recebeu este ano um total de 16 prémios dos World Travel Awards, também conhecidos como os "Óscares do Turismo".
A lista começa mesmo pelo país, Portugal, eleito como o melhor destino do mundo pelo segundo ano seguido (algo nunca visto nestes galardões), alarga-se a Lisboa (que ganhou em duas categorias), à Madeira e até aos Passadiços do Paiva ou à empresa Parques de Sintra - Monte da Lua.
Nota ainda para os prémios ganhos por quatro hotéis e um resort em diferentes categorias, mas também para a TAP (três prémios) e até para a autoridade responsável, em nome do Ministério da Economia, por promover as visitas ao país, o Turismo de Portugal.

A lista completa dos 16 prémios para Portugal em 2018 

Melhor país para destino turístico: Portugal

Melhor cidade: Lisboa

Melhor cidade para city break: Lisboa

Melhor ilha: Madeira 

Melhor atração de turismo de aventura: Passadiços do Paiva (Arouca UNESCO Global Geopark)

Melhor hotel de cidade: Corinthia Hotel Lisbon

Melhor hotel clássico: Olissippo Lapa Palace Hotel

Melhor empresa de conservação: Parques de Sintra - Monte da Lua

Melhor Design Hotel: The Vine Hotel

Melhor hotel de um restaurante: Vila Joya Hotel Restaurant @ Vila Joya

Melhor revista de companhia aérea: Up Magazine (TAP Air Portugal)

Melhor Luxury Leisure Resort: Conrad Algarve

Melhor entidade nacional de turismo: Turismo de Portugal

Melhor companhia aérea a voar para África: TAP Air Portugal

Melhor companhia aérea a voar para a América do Sul: TAP Air Portugal

Melhor site de uma autoridade nacional de turismo: VisitPortugal

Fonte: TSF


APCC inaugura exposição “Insetos” neste 3 de Dezembro

“Insetos” é o nome da nova exposição da Sala O2 da Quinta da Conraria e vai ser inaugurada no dia 3 de Dezembro, pelas 10H00. Trata-se de um conjunto de cerca de duas dezenas de linoleogravuras, produzidas pelos utentes daquela resposta do Centro de Atividades Ocupacionais da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), em que a observação direta se cruza com a imaginação, criando representações pessoais e únicas desse que é o mais diversificado grupo de animais existente.
A linoleogravura é um processo que consiste em recortar manualmente com goivas uma placa de linóleo, que é depois usada como matriz para proceder à técnica da gravura com tintagem e impressão, com prensa, em papel. Para esta coleção, foram impressas séries curtas – de cinco e dez unidades – com valor de coleção, que poderão ser adquiridas durante o tempo da exposição.
“Insetos” ficará patente até 28 de Dezembro, sempre no horário entre as 10H00 e as 12H00, coincidente com o funcionamento regular da Sala O2, o que permitirá aos visitantes, por um lado, conhecer os autores das peças expostas, e por outro, observar a dinâmica de trabalho na área das artes daquele espaço.
Esta mostra está integrada no projeto SOCRIN – SOCIALMENTE, CRIATIVO e INCLUSIVO, desenvolvido desde 2017 pelo professor António Valente, em que se trabalha a transformação das mentes dos utentes da Sala O2, se procura contribuir para a sociabilização deste grupo de pessoas e se lança um convite à sociedade para abraçar esta iniciativa e os seus objetivos.
A opção, neste caso, pela linoleogravura vem acrescentar ainda mais variedade aos trabalhos realizados no âmbito do projeto, depois de já terem sido organizadas exposições em que foram dados a conhecer objetos tão diversos como pinturas, monotipias, esculturas, brinquedos de mola ou fantoches.
Para a APCC, a apresentação pública de trabalhos artísticos ou produtos manufaturados é uma forma de apoiar e fomentar o processo inclusivo, em linha com a sua missão de promover a inclusão social de pessoas em situação de desvantagem, com especial incidência nos que têm deficiência ou incapacidade.