terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Um português e uma tailandesa a cozinhar… só podia dar em bom resultado!

João Gomes e a esposa Kumploy fizeram algo em Mira que não se vê longe dos grandes centros, como Braga, Porto ou Lisboa: puseram mão a obra e instalaram-se na Praia de Mira e, depois, no Parque de Estacionamento do Intermarché… a fazer comida Tailandesa! Assim nasceu a DEE THAIFOOD TRUCK...
O resultado está a vista: primeiro na Praia de Mira, durante a época balnear e, depois em Mira, o público apareceu, gostou e tornou-se fiel à excelência do manjar confeccionado por este mirense e esta simpática tailandesa, que se conheceram, um dia, em Macau, onde ele trabalhou como jornalista, radialista e também no Gabinete de Línguas, para o governo chinês.
Então, como nasceu a ideia de cozinhar?
João Gomes afirmou à reportagem do Jornal Mira Online que tudo começou em 2013, quando ambos resolveram fazer a volta ao mundo, num veleiro que ainda hoje possuem. Porém, a viagem que começou na República Dominicana teve de ser interrompida, a dada altura, por motivos de graves problemas de saúde da esposa, esta teve de ser interrompida para que fosse feito o tratamento adequado, em Coimbra, para onde vieram.
Passada a pior fase, ambos se depararam com a “vontade de fazer algo” em Portugal, uma vez que Kumploy tem de fazer exames de tempos em tempos, para controlo da saúde.
A ideia, então surgiu na cabeça deste mirense que enfrenta os problemas com naturalidade e um sorriso no rosto: porque não fazer um restaurante ambulante? Afinal, a esposa sempre foi boa cozinheira – os amigos estavam sempre a elogiar seus pratos – e o que era preciso era conseguir as autorizações, comprar uma carrinha apetrechada para a alimentação e, o mais difícil… conseguir convencê-la a colocar em prática os seus dotes culinários!
Mobilidade, sempre a mobilidade…
Como a ideia da volta ao mundo em veleiro permanece bem acesa dentro deles, compraram a tal carrinha, que veio da Inglaterra… mas, antes foram à Câmara Municipal expor o projeto.
Esta mostrou-se entusiasmada com a ideia e o passo seguinte foi a adjucação de um espaço junto ao Parque de Campismo, na Praia, entre os meses de Junho e Setembro do ano passado.
Feito isto, trouxeram a carrinha necessária da Grã-Bretanha, equipada e pronta para iniciar a aventura…

Superando expectativas!
Do que João e Kumploy não estavam a espera era que aquele pequeno negócio pensado somente para os meses de verão, fosse tão bem aceite num curto espaço de tempo! “Começaram a surgir pessoas de Leiria, da Figueira da Foz, da Lousã e de outros locais bem mais distantes, que vinham à carrinha para experimentar e acabavam por voltar repetidas vezes, porque gostavam muito da comida!” – afirma João Gomes, que acaba por acrescentar outro dado – “as próprias pessoas que moram na Praia de Mira continuavam a vir até nós, o que acabou por prolongar a nossa “estadia” por lá… hoje, algumas acabam por vir até aqui para comprar a tal comida que achavam “esquisita” antes de comer, mas que acabaram por descobrir que, afinal, ela é bastante parecida com a nossa alimentação!”.

Afinal, que comida é esta?
“A comida vendida na rua, lá na Tailândia é diferente da dos restaurantes. Dada a natureza do negócio, obviamente resolvemos fazer um “fast food elaborado”, com a qualidade e os sabores daquela terra.” – conta João, que se entusiasma visivelmente quando fala do projeto e, ao ser questionado sobre um hipotético franchising responde desta maneira: “na verdade, tenho de admitir que, como as coisas tem corrido, tenhamos de colocar outras carrinhas a trabalhar… mas, isto não é prioridade, por agora… até porque tudo tem sido suportado por nossos próprios recursos financeiros e, podem acreditar, estão aqui muitos milhares de euros… tudo tem de ser pensado convenientemente”

Futuro imediato
No momento, estando instalados no Parque de Estacionamento do Intermarché de Mira - “o sr. António foi muito simpático disponibilizando-nos o espaço” – a preocupação do momento é aguardar que o pedido feito à Câmara Municipal de Mira para que esta possa minimizar o custo da luz, seja aceite: “Gostávamos de estar novamente por lá, pela altura do verão, mas no ano passado acabamos por ter custos incompatíveis no que se refere à luz, uma vez que a EDP exige que seja refeito o contrato a cada mês e isto encarece sobremaneira…”.
Como se pode perceber desde o início, o que era uma ideia para preencher um vazio na gastronomia mirense durante um curto período do ano, acabou por se transformar em algo permanente. Para além das duas localidades em que já se instalaram, eles também fazem eventos (devido à qualidade que implementam no serviço, atendem – no máximo – 20 pessoas por hora) e têm ideias que pretendem por em prática a médio/longo prazo.

Finalmente… como convencer alguém a “testar” a comida tailandesa?
“O que diria a alguém para que ela aceitasse comer da sua comida e não uma Feijoada portuguesa, por exemplo?”. O sorriso veio logo ao rosto de João Gomes, quando a pergunta fatal foi feita. Era como se já estivesse a espera que algo assim fosse questionado. João pensa um pouco e responde: “eu diria – e digo a qualquer pessoa – que todos podem experimentar e apreciar. A comida tailandesa é muito saudável: os ingredientes são sempre frescos e tudo é mesmo preparado na hora. As pessoas têm a ideia que a comida é muito picante, mas é um engano pensar assim… para além disso, a comida é cozida em altas temperaturas o que, para além da garantia de estarem a comer algo bastante saudável, também comem uma comida bastante saborosa…”
Mira Online

Eficiência energética em empreendimentos turísticos

Vai ter lugar, no próximo dia 30 de Janeiro, o evento «ALGARVE 2030 – Estratégia Regional de Energia», dinamizado pelos membros do grupo de trabalho da Energia no âmbito do Conselho de Inovação Regional do Algarve. A iniciativa tem lugar a partir das 9H30 da manhã, no Auditório da AHETA, em Albufeira.
Na sessão da manhã será promovido um encontro de stakeholders da Estratégia Regional de Energia, onde terá a oportunidade de conhecer os trabalhos e projectos em curso e também envolver-se no desenvolvimento e implementação da Estratégia.
Na sessão da tarde será divulgado o Projecto «EETUR – Eficiência Energética em Empreendimentos Turísticos do Algarve», promovido pela empresa ISQ.  Será, também, feita a apresentação de um documento sobre as boas práticas energéticas no sector da hotelaria e oportunidades de financiamento para projectos de eficiência energética em empreendimentos turísticos no Algarve.
A participação é gratuita, mas a inscrição é obrigatória.
Fonte: O Algarve Económico

Eu, Psicóloga | 10 Frases de autoconfiança que você deveria repetir todos os dias em frente ao espelho



A autoestima está associada ao autoconhecimento, à autoaceitação e ao amor próprio. Isso significa que, para ter a autoestima elevada, é preciso conhecer a si mesmo em todos os aspectos, além de se aceitar verdadeiramente e se amar incondicionalmente — com todos os seus defeitos e pontos negativos. Uma pessoa que não tem uma autoestima não se sente capaz, não confia no seu potencial, não reconhece suas próprias habilidades e perde inúmeras oportunidades. 
 
A autoestima nasce da imagem positiva que temos de nós mesmos. É algo que precisa ser construído durante todos os dias da nossa vida, e que ao mesmo tempo precisa ser sólido o suficiente para não se influenciar negativamente dos acontecimentos exteriores, ou seja: ela depende exclusivamente do nosso interior.

Para melhorar a autoestima pode ser preciso tempo, paciência e até o auxílio de algum especialista, mas existem algumas regras básicas que podem ser seguidas a fim de conquistá-la e aumentar a confiança de maneira permanente. Essas dicas funcionam a partir do momento em que são identificados os problemas e as pessoas decidem modificá-los.

Pensando nisso, segue uma lista de 10 frases de autocofiança para você que precisa de um norte por onde começar a trabalhar a sua autoestima. São frases simples que podem e devem repetidas diariamente e que te ajudarão a desenvolver um pouco melhor a sua autoestima: 

1. Ninguém é perfeito!

Não vale a pena ficarmos nos martirizando pelos erros que cometemos. A vida continua e nada que você faça apagará o que já aconteceu. Aproveite para aprender com cada uma das experiências que a vida te proporcionar, sejam elas boas ou ruins.

2. Esses são os melhores anos da sua vida. Aproveite!

Não fique olhando a sua vida passar! Cada dia, hora e segundo é único e deve ser aproveitado.

Não importa se tem 20, 30, 50 ou 70 anos, se você estiver aproveitando a sua existência, todos os dias serão os melhores da sua vida!

3. Eu não sou o dono da verdade

Às vezes, a raiva ou outro sentimento intenso pode nos “cegar” e impedir que consigamos enxergar a realidade das situações.
Creia em si, mas não duvide sempre dos outros.
Machado de Assis

Lembre-se: sempre existirão duas versões de uma mesma história. Portanto, antes de tomar atitudes extremas, procure entender os outros pontos de vista que vão além do seu!

4. Você precisa lutar pelos seus sonhos! Não desista!
Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos.
 Friedrich Nietzsche
5. Hoje será um dia maravilhoso!

Não importa se está chovendo, nevando ou caindo meteoros lá fora… As palavras têm o seu poder e, por isso, é importante você sempre se motivar a partir delas!

O que faz o seu dia ser ruim é o seu estado de espírito, por isso tente manter o ânimo e o otimismo sempre que possível! Mas, mesmo se o dia não correr bem… Sempre existira um novo "amanhã maravilhoso"!

6. Não vou procrastinar! Serei mais responsável!

Se você é daquele tipo de pessoa que não consegue manter o foco numa atividade específica por mais de 5 minutos, talvez esteja enfrentando graves problemas de produção no trabalho e, consequentemente, nunca conseguirá progredir em seus objetivos!
A disciplina é a mãe do êxito.
Ésquilo
Se concentre em todas as suas responsabilidades e tarefas antes de publicar aquela música no Facebook, assistir aqueles vídeos nonsense no Youtube ou checar as fotos dos seus amigos no Instagram!

7. Não vou permitir que “cortem as minhas asas”

Não deixe que os invejosos e negativistas impeçam que você levante voo rumo ao seu sucesso! O primeiro passo em direção ao êxito é acreditar na sua própria capacidade de prosperar. Lute e conquiste os seus sonhos!
Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.
Theodore Roosevelt
8. Eu sou lindo(a)!

Não deixe que os estúpidos “padrões de beleza” digam que você é ou não bonito(a). Olhe todos os dias para o espelho e repita em voz alta: EU SOU LINDO(A)! E você sabe que é verdade!

9. Minha felicidade não depende de ninguém!

Quem controla e constrói a sua felicidade é você mesmo! Por mais difícil que seja pôr essa ideia em prática (sabemos que a vida às vezes apronta das suas…), quando a sua ficha finalmente cair, tenha a certeza de que serão poucas as coisas que tirarão o teu sorriso do rosto!

10. Eu me respeito!

Se você não se respeitar, mais ninguém irá fazê-lo! Ninguém tem o direito de suprimir a dignidade de ninguém, este é um dos direitos básicos de todos os seres humanos e deve ser respeitada!

___________________________


NOTA: Artigo 7.º - Ausência das actividades profissionais

1 — O dador está autorizado a ausentar-se da sua actividade profissional pelo tempo necessário à dádiva de sangue, a Lei confere essa permissão, devendo o dador posteriormente fazer prova à entidade empregadora mediante a declaração que deve ser pedida no local onde se efectua a dádiva.

Diário da República, 1.ª série — N.º 165 — 27 de agosto de 2012, Lei n.º 37/2012 de 27 de Agosto, Estatuto do Dador de Sangue.

Mapa para 2018 pode ser consultado no Site: www.adasca.pt

“Entre Trapos e Foliões” Exposição de fatos e máscaras do Carnaval de Torres Vedras

No próximo sábado, 27 de janeiro, às 18h, é inaugurada, na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras, a exposição “Entre Trapos e Foliões”.

Nas últimas décadas, os corsos do Carnaval têm sido enriquecidos por dezenas de grupos de mascarados, com máscaras adequadas a cada tema, dando vida e cor ao “Carnaval mais português de Portugal”. Todos os anos, são várias as associações e os grupos de torrienses que, durante meses, se dedicam à criação de fatos e máscaras que ficam para a posteridade. Sem essas associações e grupos, a festa seria mais pobre, certamente. Como forma de reconhecer o seu trabalho e, de certa forma, homenagear a sua dedicação, a Real Confraria do Carnaval de Torres organiza esta mostra carnavalesca.

Nesta exposição, patente até dia 18 de fevereiro, os visitantes podem ver e apreciar mais de 30 fatos/máscaras que se destacaram nos desfiles de Carnaval em Torres Vedras. Cada um é acompanhado de uma fotografia que identifica o grupo e ainda de uma breve história sobre o grupo e sobre a máscara. Mais uma iniciativa que demonstra a grandiosidade e a riqueza histórica do Carnaval de Torres.

Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras
De 27 de janeiro a 18 de fevereiro
2.ª a Sáb.: 9h30 às 19h
Domingo: 10h às 13h e das 14h às 18h

Praça do Município
2560 Torres Vedras

O futuro económico do Algarve em discussão

O «Rotary Club de Faro» e o «Sol, Sul e Sal» levam a cabo, esta Sexta-feira, 26 de Janeiro, o arranque do 2º ciclo de conferências «O Algarve, Portugal e o Futuro».

«O Algarve Económico» é o tema desta sessão, que tem lugar a partir das 21 horas na Escola Secundária João de Deus e que conta com a participação de André Jordan, António Rebelo de Sousa, Guilherme D’ Oliveira Martins, João Cravinho e Vítor Neto. A moderação ficará a cargo da jornalista Maria Augusta Casaca.

A ocasião será, ainda, aproveitada para ser feita a apresentação do livro «O Algarve: Análise Sócio-Económica», da autoria de Celina Luís e António Rebelo de Sousa.

No dia 30 de Janeiro, o «Rotary Club de Faro» promove o habitual jantar de homenagem ao Profissional do Ano. Neste ano, a distinção é atribuída a Manuel Caetano. A homenagem é justificada pelos “relevantes serviços prestados à comunidade de Faro no campo da solidariedade e pelo seu testemunho no ideal de servir, que é a missão do Rotary”.

O jantar realiza-se no restaurante «Faz Gostos», a participação tem um custo de 25 euros e as inscrições devem ser feitas para o seguinte endereço electrónico: rotaryclubdefaro@gmail.com.

Fonte: O Algarve Económico

_________________________________


NOTA: Artigo 7.º - Ausência das actividades profissionais
1 — O dador está autorizado a ausentar-se da sua actividade profissional pelo tempo necessário à dádiva de sangue, a Lei confere essa permissão, devendo o dador posteriormente fazer prova à entidade empregadora mediante a declaração que deve ser pedida no local onde se efectua a dádiva.

Diário da República, 1.ª série — N.º 165 — 27 de agosto de 2012, Lei n.º 37/2012 de 27 de Agosto, Estatuto do Dador de Sangue.

Mapa para 2018 pode ser consultado no Site: www.adasca.pt

Concurso Euroscola Edição 2017/18 - Tema «Igualdade de Género» Inscrições até 31 de janeiro


Estão abertas inscrições para o concurso Euroscola até ao dia 31
 de janeiro de 2018.
Elabora um trabalho sobre o tema «Igualdade de Género» e motiva a tua escola a inscrever-se no concurso EUROSCOLA 2017/2018.

---------------------------

Podem participar neste concurso, as Escolas inscritas no Parlamento dos Jovens - Secundário.
Os/as alunos/as participantes têm de:

- Ter até 18 anos; 
- Estarem inscritos/as até ao 11.º ano de escolaridade.

O EUROSCOLA é um concurso que visa selecionar, a nível nacional, as escolas que irão representar Portugal nas Sessões Euroscola do Parlamento Europeu em Estrasburgo onde, durante um dia, jovens de toda a União Europeia debatem temas europeus.
Para participarem, as escolas têm de apresentar um trabalho subordinado ao tema «Igualdade de Género»  


Particularmente na Zona Centro todos os interessados poderão solicitar mais informações nas Lojas Ponto JA do IPDJ de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu, ou consultar o Portal da Juventude em: www.juventude.gov.pt.

Rui Unas, Beatriz Gosta e Rosinha são os nomes que se seguem no Festival Risorius

Após um Warm Up animado com Fernando Alvim, Nelson Nunes, João Carlos Cunha e os autores de Bruno Aleixo Pedro Santo e João Moreira, o Risorius – 6.º Festival de Humor e Arte de Albergaria-a-Velha continua na próxima quinta-feira, 25 de janeiro, no Cineteatro Alba.

  Nicles Batatóides é o tema da conversa que vai juntar o ator Rui Unas, a vídeo blogger Beatriz Gosta, a cantora popular Rosinha e o Albergariense Carlos Vidal na Sala Principal. Num ambiente descontraído de café, os convidados vão dissecar as grandes questões do momento… ou nem por isso! Já no dia seguinte, sexta-feira, César Mourão promete um espetáculo original, onde o improviso, a interação e a surpresa são os ingredientes principais.

No sábado, Carlos Vidal regressa com três grandes nomes do humor nacional - Ana Bola, Luís Filipe Borges e Vasco Correia - para “um espetáculo onde se mistura bom stand-up comedy com fraco teatro”. A encerrar o Risorius – Festival de Humor e Arte de Albergaria-a-Velha uma sessão de cinema no domingo, pelas 18h00. Este ano, o filme escolhido é São Jorge, de Marco Martins e Ricardo Adolfo, com interpretação de Nuno Lopes, que venceu o Prémio Orizzonti de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema de Veneza.

 Os três espetáculos têm início às 21h30, com preços a partir de dois euros para o Nicles Batatóides e a partir dos cinco euros para os espetáculos de sexta e sábado. O bilhete da sessão de cinema custa três euros, sendo de dois euros para os portadores Cartão Amigo, Cartão Sénior Municipal, Cartão Municipal de Voluntário de Jovens SUB 23. O cineteatro Alba disponibiliza um serviço de babysitting gratuito no período da noite.

Paralelamente aos espetáculos de humor, o festival inaugura duas exposições de cartoon. Na sexta-feira, pelas 18h00, os desenhos satíricos sobre problemáticas políticas e sociais de Vasco Gargalo podem ser apreciados na Sala de Exposições do Cineteatro Alba em Ensaios Sobre A Atualidade. No sábado, Hugo Van Der Ding, autor de A Criada Malcriada, apresenta O Desenhador Que Não Sabia O Que Desenhar, com inauguração às 16h00 na Biblioteca Municipal. A seguir, pelas 16h30, Miguel Somsen junta-se a Hugo Van Der Ding para uma conversa/oficina sobre o livro Resumo de 2017 para Todos – Fátima, Futebol e Outros Festivais.

Estratégia de Recuperação do Pinhal do Rei










O Primeiro-Ministro, António Costa, esteve na Marinha Grande, esta segunda-feira, 22 de janeiro, na apresentação da Estratégia de Recuperação do Pinhal do Rei que foi atingido em 86% da sua área, no incêndio de 15 de outubro.

A cerimónia decorreu no Auditório da Resinagem e contou também com a presença do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos; do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas; da Secretária de Estado Adjunta do Primeiro-Ministro, Mariana Vieira da Silva; da presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Cidália Ferreira; do presidente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Rogério Rodrigues; e de outras entidades regionais e locais.

O momento foi precedido pela plantação de 300 sobreiros pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Vieira de Leiria e pelos membros do Governo e presidente da Câmara, em talhões ardidos que estão a ser beneficiados com donativos oferecidos por diversas entidades ao ICNF, uma das quais a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento que entregou um cheque no valor de 100 mil euros para a reflorestação do Pinhal do Rei.

Esta ação de plantação pretendeu simbolizar a intenção do Governo e do Município de envolverem a sociedade civil e as entidades da região na reflorestação do Pinhal do Rei que foi atingido pelo incêndio em cerca de 9.500 hectares dos seus 11.000 hectares de área total.

Foi ainda assinado o Acordo de Cooperação para a Criação da Comissão Científica do Programa de Recuperação das Matas Litorais e o Protocolo de Criação do Observatório Local do Pinhal do Rei.

As entidades assistiram ainda ao abate de árvores queimadas no âmbito dos trabalhos de segurança nas faixas laterais de 25 metros das estradas.

Presidente da Câmara reivindica meios para a reflorestação

Agradecendo a presença do Primeiro-Ministro e dos restantes membros do Governo, a presidente da Câmara, lembrou que “a história deste povo, de todos os nossos antepassados, está indelevelmente ligada a este recanto do nosso país, que deu os mastros às nossas naus a haver, para que Portugal descobrisse o mundo”.

Cidália Ferreira acrescentou que “é este o nosso ADN, é esta força, esta raça, que foi construída ao longo dos séculos, os 700 anos em que nos edificámos com o nosso Pinhal”.

Perante as consequências do incêndio de 15 de outubro, “a tarefa é grandiosa, para termos de novo neste espaço as cerca de 250 milhões de árvores que terão de crescer neste lugar”.

Por isso, reivindicou os “meios adequados para os nossos serviços florestais, vendo alocados aos mesmos, os recursos humanos e materiais imprescindíveis” e que a reflorestação do Pinhal seja uma prioridade para o ICNF entidade com a qual a Câmara Municipal tem mantido uma constante parceria.

Na sequência da criação do Observatório Local do Pinhal do Rei, a presidente da Câmara da Marinha Grande salientou que este será um órgão “onde os agentes locais terão uma palavra na avaliação do Plano de Reflorestação, na elaboração de propostas de intervenção e uma co-responsabilização com o ICNF, naquilo que for necessário para que esta grande façanha deixe um futuro devidamente qualificado para os nossos vindouros, deixando ainda um território melhor do que aquele que nos legaram”. 

Cidália Ferreira reivindicou ainda a edificação do Museu da Floresta no Parque do Engenho, salientando que “não pode ser mais adiada”.

Primeiro-Ministro quer floresta ordenada

O Primeiro-Ministro António Costa corroborou as palavras da presidente da Câmara e afirmou que “o Pinhal do Rei tem uma carga simbólica da maior importância para a atividade local e para todo o país porque todos associamos esta obra del Rei D. Dinis à construção das naus que nos permitiram partir pelo mundo fora”. Além disso, “esta mata era a casa dos marinhenses, que marcou profundamente a história da economia do concelho e também a história da economia do país”.

Na reconstrução do Pinhal, “temos a oportunidade de fazer diferente e de fazer melhor, convocando a comunidade local e mobilizando a comunidade científica, de forma a que possamos ter um pinhal melhor do que aquele que nós tínhamos” e que seja um Pinhal “para as próximas gerações e para o nosso futuro”.

O Primeiro-Ministro deu como exemplo dessa mudança a plantação de sobreiros realizada no âmbito da sua visita, como “demonstração do que é a diversidade das nossas árvores e da sua resistência ao fogo e a ilustração de como devemos ter a descontinuidade das faixas e a boa combinação das espécies plantadas”.
bd
António Costa admitiu que “um dos grandes desafios que todos temos pela frente é, ao mesmo tempo que plantamos, plantar melhor, e ao mesmo tempo que plantamos termos a coragem de cortar o que tem de ser cortado para podermos ter um território mais seguro”.

A floresta deve ser entendida como “fonte de riqueza para esta geração e para as gerações vindouras”, daí que seja necessária a implementação da reforma da floresta. É “necessário que tenhamos a nossa floresta e as nossas populações mais preparadas e uma melhor capacidade dos agentes de proteção civil de responderem na primeira intervenção”, acrescentou.

Por fim, demonstrou a disponibilidade do Governo de trabalhar com o Município da Marinha Grande na reconstrução do Pinhal do Rei.

Comissão Científica para Recuperação do Pinhal

O Acordo de Cooperação para a Criação da Comissão Científica do Programa de Recuperação das Matas Litorais, foi outorgado pelo ICNF, pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, pelos Institutos Politécnicos de Bragança, Coimbra e Leiria, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa e pelas Universidades de Aveiro, Coimbra e de Trás-os-Montes e Alto Douro.

O Acordo de cooperação tem como objetivos:

- Recolha, compilação e sistematização da informação técnica e científica relativa à gestão das matas litorais;
- Avaliação do procedimento atual de elaboração e implementação de Planos de Gestão Florestal (PGF) e de estabilização de emergência, reabilitação e recuperação de longo prazo, apresentando propostas para o seu melhoramento/optimização;
- Participação na execução de ações de divulgação de boas práticas no âmbito da recuperação de áreas ardidas na zona litoral;
- Treino e formação de técnicos e equipas especialistas no planeamento e na implementação das ações previstas nos pontos anteriores.

Consideram-se como tarefas prioritárias a executar:

a) Avaliação dos efeitos:
- Recuperação de parcelas de estudo e investigação existentes nas matas litorais e sua integração em programas de monitorização futuros;
- Estabelecimento de programa e rede de parcelas de estudo e monitorização do efeito do fogo e da evolução dos ecossistemas;
Avaliação da severidade do fogo em ecossistemas dunares. 

b) Estabilização de emergência:
- Monitorização da erosão eólica e hídrica e definição das ações de intervenção mais eficientes;
- Normas para a condução de povoamentos de alto-fuste de pinheiro ardidos, na vertente de proteção civil (interface com as atividades de recreio e utilização humana das matas) e na vertente de gestão da paisagem.

c) Reabilitação:
- Monitorização e controlo das invasões biológicas em sistemas dunares;
- Monitorização e controlo fitossanitário;
- Monitorização do impacte dos incêndios e estratégia e técnicas de reabilitação de habitats e de espécies com especial valor de conservação (ecossistemas terrestres);
- Monitorização do impacte dos incêndios e estratégia e técnicas de reabilitação de habitats e de espécies com especial valor de conservação (ecossistemas aquáticos).

d) Recuperação de longo prazo:
- Avaliação dos modelos de silvicultura praticados em função das procuras sociais e das linhas de política florestal e de outras políticas setoriais relevantes atualmente em vigor, maximizando o contributo das matas litorais para a economia nacional e identificação de melhorias a introduzir ou de novos modelos a adotar nos PGF;
- Modelos de silvicultura e de gestão para habitats e paisagens especialmente sensíveis (secções de proteção e margens de lagoas e linhas de água);
Modelos de silvicultura para áreas de equipamentos de turismo e recreio; 
- Aumento da resistência das matas aos fatores bióticos e abióticos (incluindo incêndios e tempestades), identificando técnicas de silvicultura preventiva, de organização dos povoamentos e de implantação das redes de defesa da floresta;
- Sistema de apoio à gestão das matas litorais.

e) Participação pública e sensibilização:
- Avaliação e melhoria dos modelos de participação pública e das diferentes partes interessadas na gestão das matas litorais;
- Modelo de sensibilização e informação pública sobre a gestão das matas litorais e as intervenções de recuperação e de valorização turística e cultural, com base no património natural e construído;
- Sinergia do processo de recuperação das matas litorais com o da efetivação do Museu Nacional da Floresta e conservação do restante acervo histórico.


Observatório Local do Pinhal do Rei

O Observatório Local do Pinhal do Rei visa os seguintes objetivos:

- Avaliar o Plano de Recuperação do Pinhal do Rei; 
- Emitir parecer sobre os relatórios de progresso do "Plano de Recuperação do Pinhal do Rei”;
- Efetuar sessões públicas sobre o âmbito, ações e faseamento do "Plano de Recuperação do Pinhal do Rei;
- Apresentar propostas de ordenamento para usos, atividades e/ou de serviços que possam ser praticados no Pinhal do Rei, conferindo-lhes coerência com o "Plano de Recuperação do Pinhal do Rei";
- Mobilizar instituições, organismos, empresas e particulares para apoiarem as atividades de recuperação do Pinhal do Rei, em especial as dedicadas a ações de rearborização de áreas ardidas, reabilitação do Vale do Ribeiro de Moel e controlo de invasoras lenhosas, em total coordenação com o ICNF, I. P.;
- Elaborar propostas de intervenção na área ardida do Pinhal do Rei e angariar financiamentos, se necessários, para as concretizar em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., (ICNF, I. P.);
- Proceder à atualização, avaliação e divulgação regulares dos resultados dos trabalhos efetuados e propor as ações que entender adequadas para a prossecução das suas atribuições.

Municípios rejeitam diploma do Governo que os obriga a limpar a floresta

Resultado de imagem para Municípios rejeitam diploma do Governo que os obriga a limpar a floresta
A Associação Nacional de Municípios Portugueses anunciou que rejeita a legislação que responsabiliza as autarquias pela limpeza das florestas, caso os proprietários não a façam. Os municípios vão pedir uma reunião de urgência ao Governo.

O Conselho Diretivo da Associação Nacional de Municípios Portugueses aprovou esta terça-feira "por unanimidade" uma posição contra o projeto de diploma do Governo sobre a gestão de combustível nas matas.

A posição contra o projeto de Regime Excecional das Redes Secundárias de Faixas de Gestão de Combustível, preconizado no artigo 153.º do Orçamento do Estado para 2018 foi aprovada por "todos os membros do CD", que são autarcas eleitos pelo PS, pelo PSD e pela CDU, e vai ser transmitida a todos os municípios e ao Governo. Os municípios querem uma reunião de urgência com o executivo.

A Associação "não pode aceitar que o Estado central legisle numa perspetiva de colocar o ónus de resolver tudo aquilo que não foi feito em décadas, nos municípios, tendo estes, segundo o legislador, que realizar esta tarefa em menos de três meses", afirmou Manuel Machado aos jornalistas.

O poder central "tem de assumir, tal como os municípios têm feito através dos seus orçamentos e sem apoios externos, de uma vez por todas, as suas responsabilidades no âmbito da proteção civil", sustentou o presidente da ANMP, salientando que "a segurança de pessoas e bens é uma função de soberania constitucionalmente consagrada", que "compete ao Estado central".

O Estado "não realizou, até ao presente", apesar das "sucessivas solicitações" da Associação, "o cadastro da propriedade rústica e não conseguiu impor", ao longo de décadas, a limpeza das florestas aos privados", sublinha Manuel Machado, que também é presidente da Câmara de Coimbra.

A administração central "nem tão pouco cuidou das matas sob sua jurisdição", mas quer, agora, que "os municípios, em menos de três meses, façam aquilo que não foi realizado em décadas", destaca o autarca, afirmando que aquilo que é determinado na Lei do Orçamento do Estado para 2018, "não é exequível".

O legislador desconhece, "notoriamente, a realidade do território nacional" e "as condições em que [esse território] está identificado e cadastrado", acrescenta.

"Parece que a preocupação do Estado central mais não foi do que passar responsabilidades" para as autarquias, sem verificar se "as condições para o êxito das medidas estavam asseguradas na prática e não apenas na letra da lei", critica o presidente da ANMP, que "repudia" igualmente a sanção prevista para os municípios que "eventualmente não consigam cumprir com o regime".

Para conseguirem executar "a tarefa imposta de limpeza das faixas de gestão de combustível", os municípios terão de recorrer a empresas, cuja contratação, apesar de, na circunstância, poder ser feita por ajuste direto, não dispensa o cumprimento de prazos mínimos, refere ainda Manuel Machado.

A prioridade do regime excecional deveria ser, para a ANMP, "enfatizar, de forma inequívoca, a responsabilização dos proprietários, em sentido amplo", em relação à execução das faixas de gestão de combustível e não "fazer transparecer para a opinião pública a ideia de que a obrigação imediata está na esfera dos municípios, quase desobrigando os proprietários" das suas responsabilidades.

A Associação de Municípios reconhece, no entanto, que os incêndios do último ano exigem de todos um conjunto de reformas do sistema de proteção civil e do ordenamento da floresta.


Fonte: Lusa
Foto: Rafael Marchante - Reuters

_________________________________


NOTA: Artigo 7.º - Ausência das actividades profissionais
1 — O dador está autorizado a ausentar-se da sua actividade profissional pelo tempo necessário à dádiva de sangue, a Lei confere essa permissão, devendo o dador posteriormente fazer prova à entidade empregadora mediante a declaração que deve ser pedida no local onde se efectua a dádiva.

Diário da República, 1.ª série — N.º 165 — 27 de agosto de 2012, Lei n.º 37/2012 de 27 de Agosto, Estatuto do Dador de Sangue.

Mapa para 2018 pode ser consultado no Site: www.adasca.pt

Em desespero, defesa de Lula admite o crime de corrupção e propõe tese de última hora

Parece inacreditável, mas os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva propuseram uma nova tese em manifestação ao Tribunal Regional Federal (TRF-4) apresentada nesta segunda-feira (22).
Veja o Vídeo


Cristiano Zanin e Roberto Teixeira, admitiram a possibilidade de ter havido o crime de corrupção, mas requereram a prescrição da pena.
“Com efeito, se o benefício material – vantagem indevida – ocorreu em 2009, o crime de corrupção, em qualquer modalidade aventada, já teria se consumado naquele momento. Desse modo, caso se mantenha o quantum imposto na sentença, deve ser reconhecida a prescrição da pretensão punitiva retroativa, pois a referida pena prescreve em seis anos, lapso temporal já transcorrido entre a suposta consumação do delito (em oito de outubro de 2009) e o recebimento da denúncia.”

Igualmente, os advogados também estão requerendo a prescrição em relação ao crime de lavagem de dinheiro:
“Da mesma forma, a lavagem de dinheiro teria sido consumada em 8 de outubro de 2009 (data da assunção do empreendimento imobiliário pela OAS, quando teria ocorrido a ocultação da propriedade do apartamento tríplex), tendo transcorrido o lapso temporal prescricional entre a suposta consumação do delito de lavagem e o recebimento da denúncia.”
É um verdadeiro acinte a utilização de filigranas jurídicas para tentar na marra assegurar a impunidade do meliante petista.

A alegação de prescrição é a tese que derruba toda a argumentação da defesa de que Lula teria sido perseguido e que o seu processo teria andado com uma inusitada rapidez.

Via: JORNAL DA CIDADE ONLINE

Roubo de camião com 34 mil litros de químicos deixa Europa em alerta

Alerta chegou a Portugal através da Polícia Judiciária.

Roubo de camião com 34 mil litros de químicos deixa Europa em alerta
Foto Reuters

A Polícia Judiciária recebeu esta terça-feira um alerta internacional referente ao roubo de um camião que transportava 34 mil litros de produtos químicos, apurou o CM.

O assalto aconteceu na Bélgica no último sábado e as autoridades belgas avisaram as suas congéneres europeias, devido ao risco que a carga possa ser usada para fins malévolos.

Em Portugal, as operações estão concentradas no gabinete coordenador de segurança, que junta todas as autoridades policiais portuguesas. 

A substância em causa será o óleo radiacid 0254, usado em produções agro-alimentares. A polícia belga garante ao Daily Mail que a substância não pode ser usada para fabricar explosivos, mas está em curso uma caça ao veículo por toda a Europa.

Segundo a mesma publicação, a polícia italiana diz que a matrícula do camião é 1-QEB-708. 

Empresa dona do camião nega perigo

As informações que correm na imprensa internacional sobre o caso são contraditórias. Na Bélgica o dono da empresa a que o veículo roubado pertence diz que o produto químico em causa é "um simples óleo, usado para a produção de sabão, pasta de dentes e creme de barbear", revela ao site HLN Nick Verleye, gerente da empresa de transporte Devooght-Verleye.

Fonte: CM


AUTOMÓVEL | Segurança Social paga creches ao sábado dos filhos de trabalhadores da Autoeuropa

A Segurança Social já identificou as vagas em IPSS onde os trabalhadores da Autoeuropa poderão deixar os filhos nos sábados de trabalho, garantindo o pagamento das creches nesses dias, disse à Lusa fonte do Governo.
Segurança Social paga creches ao sábado dos filhos de trabalhadores da Autoeuropa
Autoeuropa

Os detalhes sobre o apoio aos casais com filhos que trabalham na fábrica da Volkswagen de Palmela serão discutidos numa reunião que se realiza esta quarta-feira entre os serviços da Segurança Social e os recursos humanos da Autoeuropa.
Segundo disse à agência Lusa fonte governamental, a reunião servirá para fazer a correspondência entre as disponibilidades de vagas em Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e as necessidades dos trabalhadores.
No encontro deverão ainda ser definidas as idades das crianças a apoiar bem como a localização geográfica, uma vez que nem todas as famílias residem em Palmela.
A Segurança Social irá compensar os encargos das IPSS através do "complemento de horário em creche", apoio que "durará enquanto houver necessidades por parte dos trabalhadores", explicou a mesma fonte.
O valor do suplemento será apurado "caso a caso" e na reunião de quarta-feira "será avaliado" se o apoio às famílias pelo trabalho ao sábado poderá abranger o trabalho por turnos, à noite e aos domingos.
Em Dezembro, após uma reunião conjunta entre o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, a Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa e a administração da empresa, o Governo garantiu que iria assumir "responsabilidades em algumas dimensões" como a criação e reforço de "equipamentos sociais de apoio à família" para responder aos novos horários da fábrica.
O novo horário da fábrica de Palmela entra em vigor no final do mês e deverá vigorar até agosto de 2018, altura em que a administração da Autoeuropa irá discutir com a Comissão de Trabalhadores o novo período para o resto do ano.
A questão colocou-se com o fabrico do novo modelo T-Roc e, após a rejeição de dois pré-acordos pelos trabalhadores sobre alterações aos horários de trabalho, na sequência do aumento da produção, a administração impôs unilateralmente o novo modelo laboral.

Fonte: Jornal de Negócios

_____________________________


Apresentação do Mapa de Sessões de Colheitas de Sangue a realizar no ano de 2018 no Posto Fixo da ADASCA em Aveiro


Todas as formas de divulgação

 possíveis são bem-vindas!

INEM: Concurso Para Aluguer de Helicópteros em Vias de Ser Cancelado


O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) lançou em Novembro um concurso para aluguer de helicópteros que está, agora, em risco de ser cancelado. Tudo porque, soube o PÚBLICO, só concorreram duas empresas e ambas apresentaram propostas de valor superior ao que era admitido pelo INEM no caderno de encargos.

Ao que o PÚBLICO apurou junto de fontes do processo, as empresas concorrentes foram a Babcock, que actualmente presta o serviço, e a Heliportugal. Mas as duas propostas acabaram por avançar um preço superior ao que estava nos requisitos do INEM. O júri do concurso emitiu esta segunda-feira o relatório preliminar, que foi entregue às empresas. Estas têm agora cinco dias para se pronunciar.

A decisão de cancelar o concurso só será tomada depois da pronúncia dos concorrentes e quando o júri elaborar o relatório final. Contudo, a apresentação de um valor superior ao que está no caderno de encargos é motivo para exclusão das propostas e, por conseguinte, argumento para o cancelamento do concurso. De acordo com a resolução do conselho de ministros, o INEM tinha até 45 milhões para gastar nesta iniciativa.

O INEM não confirma para já esta informação, mas reconhece a existência do relatório preliminar. “Foi ontem disponibilizado, às empresas concorrentes, o relatório preliminar do júri do concurso. A partir dessa data, contam-se cinco dias úteis para audiência prévia dos concorrentes. Terminado esse prazo, haverá lugar ao relatório final do júri do concurso que será depois colocado à consideração do Conselho Diretivo do INEM”, respondeu o instituto ao PÚBLICO.

O contrato plurianual de aluguer de helicópteros para prestação de socorro médico de emergência terminou no final do ano passado e este concurso internacional visava a sua substituição por outro, com novas regras e mais uma aeronave para os próximos quatro anos, de 2018 a 2022.

O concurso que ainda decorre prevê a locação, manutenção e operação de quatro helicópteros e ainda inclui uma novidade que é o fornecimento de equipamentos, consumíveis e equipa médica (médico e enfermeiro) para cada helicóptero. Este último ponto causou críticas tanto a médicos como enfermeiros, como o PÚBLICO noticiou no final do ano passado.

Para garantir que mantém helicópteros a voar e a prestar auxílio médico mais rápido, o INEM continuará a recorrer a ajustes directos, tendo como base o contrato anterior com a Babcock. Tal como o PÚBLICO noticiou, estes ajustes directos têm um custo directo de cerca de meio milhão de euros por mês. O INEM garante que é um valor que não aumenta os encargos para o instituto. Pelas contas do INEM, o pagamento será de 487 mil euros nos meses em que serão alugados três helicópteros (o quarto é assegurado por um Kamov cedido pela Autoridade Nacional de Protecção Civil) e nos meses em que precisam de quatro (porque o Kamov está no combate aos fogos) esse valor ronda os 650 mil euros.

Por Liliana Valente in Jornal Público

__________________________________


Apresentação do Mapa de Sessões de Colheitas de Sangue a realizar no ano de 2018 no Posto Fixo da ADASCA em Aveiro


Todas as formas de divulgação

 possíveis são bem-vindas!