sábado, 15 de agosto de 2020

AVEIRO TECH CITY: INSTALADOS BANCOS INTELIGENTES NA CIDADE

Estruturas permitem carregar smartphones e monitorizar o ambiente
No âmbito da iniciativa Aveiro Tech City, foram instalados cinco bancos inteligentes ao longo dos Canais Urbanos da Cidade de Aveiro e sempre em zonas com cobertura Wi-Fi, com investimento de 24.598€ da Câmara Municipal de Aveiro.
Os bancos são energeticamente autónomos e permitem através da alimentação fotovoltaica o carregamento de smartphones dos cidadãos e visitantes, quer através de ligação USB, quer por wireless (ligação sem fios).
Estes bancos têm ainda sensores ambientais e de energia que permitem a recolha de informação sobre a temperatura e humidade no local, bem como sobre a energia produzida pelo banco. Dois dos exemplares possuem ainda um ecrã LCD, destinado à promoção e divulgação de eventos do Município.
Estas novas estruturas estão já ao dispor de todos e é mais um passo da iniciativa Aveiro Tech City na construção de soluções tecnológicas ao serviço da comunidade, aliando a tecnologia ao ambiente, usufruindo de uma vista privilegiada sobre a Ria de Aveiro enquanto carregamos o smartphone e/ou acedemos à internet.



Câmara de Águeda entrega chaves das residências à Universidade de Aveiro


As residências universitárias de Águeda estão praticamente concluídas e vão poder ser utilizadas no próximo ano letivo 

O Presidente da Câmara Municipal de Águeda entregou, hoje, as chaves de todos os espaços das novas residências universitárias da ESTGA – Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda à Universidade de Aveiro. 

“Com as obras concluídas, as residências universitárias estão prontas para serem utilizadas no próximo ano letivo”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda, no momento da entrega simbólica das chaves a Alexandra Queirós, vice-reitora da Universidade de Aveiro. 
Recorde-se que a requalificação das residências universitárias, localizadas na Rua Comandante Pinho e Freitas, implicou um investimento de 592.862,70 euros e envolveu dois tipos de intervenção: obras de construção de raiz (novo edifício autónomo) e obras de restauro (executadas nos edifícios e anexo existentes). 

O complexo é composto por quatro edifícios, sendo que dois são blocos de apartamentos, com dois pisos cada (rés-do-chão e 1.º andar), que disponibilizam um total de 63 camas; um outro é um espaço polivalente, situado nas traseiras destes blocos (com casa-de-banho, lavandaria e zona técnica); e o outro, na zona lateral do complexo, destina-se a escritório e a uma zona de entrega de roupa. 

Quanto aos edifícios centrais são constituídos por oito apartamentos, sendo que cada um tem quatro quartos duplos (à exceção de um quarto num dos apartamentos, que é simples e destina-se a pessoas com mobilidade reduzida), cozinha com copa, três casas-de-banho (uma completa, uma com duche e outra de serviço) e uma zona de entrada onde está disposta uma pequena área de estudo. O complexo tem quatro lugares de estacionamento, sendo um para pessoas com mobilidade reduzida. 

A UA tem a decorrer um concurso para selecionar os candidatos a ocuparem as residências universitárias em outubro próximo, no arranque do ano letivo.

Ciclista Rui Costa promete lutar pela conquista título de campeão de fundo

Rui Costa (UAE Emirates) antecipou hoje uma "prova complicada" na corrida de fundo dos Nacionais de ciclismo de estrada no domingo, assegurando vontade de "lutar pelo título nacional" da categoria.

O experiente corredor, que hoje participou no contrarrelógio de elites, no qual conseguiu o segundo melhor tempo, atrás do companheiro de formação Ivo Oliveira, lembrou que há equipas melhor apetrechadas para discutirem o título.
"É uma prova sempre complicada, vai ser difícil fazer frente a outros corredores que têm equipas com mais elementos. Mas vamos mentalizados para lutar e fazer o melhor corrida possível. Mesmo sabendo que será difícil, o nosso objetivo é sempre conseguir a camisola de campeão", disse Rui Costa, que terá apoio dos irmãos Ivo e Rui Oliveira, ambos da UAE Emirates.
Rui Costa, que este ano já venceu a Prova de Reabertura, em Sangalhos, e recentemente esteve na Volta à Polónia, mostrou a satisfação pela retoma das competições da modalidade, considerando que "podem salvar uma época que muitos achavam estar perdida.
"Todas as provas a partir de agora são importantes e serão encaradas da melhor forma. Na Volta a Polónia ainda não tive as melhores sensações, mas o resultado foi agradável. Os objetivos passam agora por estes campeonatos nacionais, depois vou para uma corrida em França, e seguir veremos quais as provas que vão acontecer", disse Rui Costa, em declarações à agência Lusa.
Lusa

Pena de 25 anos de prisão para homicida de freira em S. João da Madeira

O Tribunal de Santa Maria da Feira condenou hoje a 25 anos de prisão o homem acusado de ter violado e matado uma freira em São João da Madeira, no distrito de Aveiro, em setembro de 2019.

O homem, de 44 anos, foi condenado a penas parcelares de 23 anos de prisão pelo crime de homicídio qualificado, oito anos por violação e a um ano e oito meses por profanação de cadáver.
O arguido, que se encontra em prisão preventiva, foi ainda condenado no mesmo processo a cinco anos de prisão, por rapto e violação na forma tentada, e a três anos, por roubo, relativo a um caso ocorrido no mesmo concelho em agosto de 2018 e que teve como vítima uma jovem.
Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de 25 anos de prisão.
Além da pena de prisão, terá de pagar uma indemnização de 120 mil euros aos herdeiros da freira e 1.300 euros à vítima do rapto e tentativa de violação.
Lusa

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Falta de vigilantes obriga museus nacionais em Lisboa a encerrar à hora de almoço

A falta de vigilantes devido ao período das férias do verão levou a que alguns museus nacionais de Lisboa encerrassem salas à hora do almoço para garantir a segurança dos acervos, indicaram hoje fontes da direção das instituições.

Contactada pela agência Lusa, a diretora do Museu Nacional dos Coches, em Belém, Silvana Bessone, disse que decidiu fechar à hora do almoço, entre as 13:00 e as 14:30, e depois às 17:00, em vez das anteriores 18:00 do encerramento habitual, devido à falta de vigilantes.
“O período de férias é complicado, e além disso há funcionários que ainda ficam em casa porque são de risco neste quadro da pandemia”, explicou a responsável, referindo que, a seguir à reabertura dos museus, a 18 de maio, a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), que tutela os museus nacionais, “deu instruções para que os diretores regulassem os seus horários consoante as suas necessidades”.
Com sete vigilantes a menos do que o habitual, o Museu dos Coches vai manter este horário até 31 de agosto, uma situação que a diretora não vê com alarme porque o número de visitantes “diminuiu muito com a pandemia, mas está a melhorar, gradualmente”.
“Aqui neste museu entravam cerca de mil visitantes por dia. Esta manhã recebi 150, portugueses e estrangeiros, sobretudo famílias”, relatou.
Também o diretor do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), Joaquim Caetano, decidiu encerrar salas entre as 12:00 e as 15:00 pelo mesmo motivo, mas mantém o horário entre as 10:00 e as 18:00.
Quando entram, os visitantes são avisados das salas encerradas e podem regressar mais tarde para as verem, se assim o entenderem”, explicou, em declarações à Lusa.
Dos 24 vigilantes que o museu tem disponíveis habitualmente estão 16 a trabalhar, e o museu encerrou as salas da capela, do mobiliário e de artes decorativas no período de almoço.
Entretanto, o diretor pediu ao Centro de Emprego um reforço de seis vigilantes e está a aguardar resposta.
Quanto à afluência de visitantes em tempo de pandemia, também verifica uma gradual recuperação, para os 400 por dia: “Não é o que tínhamos antes do surgimento do vírus, mas já é razoável”, avaliou Joaquim Caetano.
Por seu turno, a diretora do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, Emília Ferreira, face ao mesmo problema, optou por encerrar uma hora no período de almoço ao fim de semana, entre as 14:00 e as 15:00.
“Num cenário ideal precisaríamos de 20 vigilantes e agora temos nove”, resumiu.
Mesmo assim, “não é tão dramático, porque há salas neste momento sem exposições. Mas quando inaugurarem as novas, em setembro, vai agravar-se”, disse à Lusa.
Ao todo, o Museu de Arte Contemporânea dispõe de 15 vigilantes e atualmente estão três de férias e três de baixa.
Sobre a segurança das peças, Emília Ferreira disse que “está sempre assegurada, com um esforço de organização interna”.
Já o Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, está a encerrar por falta de pessoal no segundo fim de semana dos meses de verão, disse hoje o diretor, justificando ser essa “a única opção” que lhe restava.
“Conto com três assistentes técnicos, um deles de baixa médica e que vai ser prolongada”, pelo que estão a trabalhar “duas únicas funcionárias” responsáveis por bilheteira, portaria, informações e vigilância, entre outras tarefas, explicou o diretor do museu, António Alegria.
Com o quadro do museu para esta categoria, o qual “nunca esteve completo”, a prever “aí umas 12 pessoas”, os atuais auxiliares têm de fazer um trabalho polivalente, “mas não é de polivalência” que a instituição precisa, “é mesmo de pessoas”, frisou o responsável.
“Se tenho duas pessoas e uma está de férias, fico com uma. Como é que eu posso fazer? Abro a porta, ponho a pessoa na bilhética e quem é que tenho para fazer vigilância, para dar indicações”, questionou.
Contactada pela Lusa sobre a situação destes museus, fonte do gabinete de imprensa da DGPC confirmou que foi dada “uma autorização para a flexibilidade de horários de abertura e encerramento ao público de todos os museus, monumentos e palácios, até ao próximo dia 31 de agosto de 2020″.
Esta medida “permite aos diretores ajustarem os horários em função dos recursos humanos disponíveis, dos seus públicos e das suas especificidades geográficas ou outras”.
“Foi decretada na sequência da reabertura dos museus e monumentos após o covid-19, tendo em conta as condições excecionais de funcionamento definidas por razões sanitárias”, justificou ainda a DGP
Lusa

Louro prensado era vendido como se fosse droga no Porto

Porto: Louro prensado era vendido como se fosse droga - Atualidade ...

Três vendedores ambulantes que se supunha estarem a traficar droga na Baixa do Porto tentavam, afinal, burlar toxicodependentes vendendo-lhes louro prensado ou chá como se fossem liamba ou haxixe, disse fonte policial.

Os três homens, com idades entre 35 e os 51 anos de idade, foram identificados na quarta-feira, na Baixa do Porto, e a polícia refere que lhes apreendeu 95 gramas “de produto inconclusivo suspeito de ser liamba” e 23 gramas “de produto inconclusivo suspeito de ser haxixe”.

A PSP associa as três pessoas identificadas “pela venda de louro prensado ou chá por estupefacientes denominados liamba ou haxixe”.

Que tenhamos conhecimento, há algumas situações deste tipo, mas não são frequentes”, afirmou a fonte policial.

Lusa

Esposende dá a “mais alta distinção” do município ao piloto Paulo Gonçalves

A Câmara de Esposende vai dar a "mais alta distinção" do município a titulo póstumo a Paulo Gonçalves, destacando a "determinação, espírito de ajuda e altruísmo" do piloto, que morreu durante a 42ª edição do Rali Dakar.

A atribuição da Medalha de Honra ao piloto, natural de Esposende, foi decidida por unanimidade na reunião do executivo e será atribuída dia 19 de agosto, no Dia do Municipio.
Paulo Gonçalves morreu, aos 40 anos, após uma queda em Layla (Arábia Saúdita) na sétima etapa do Rali Dakar, prova em que participava pela 13 vez.
A autarquia sustenta a atribuição daquela medalha, salientando a "determinação, o seu espírito de ajuda e de firmeza de caráter, o seu altruísmo e dedicação".
O executivo reconheceu ainda a Paulo Gonçalves um "relevante contributo para o desenvolvimento desportivo e pelo que essa ação representa para o engrandecimento e prestígio do concelho de Esposende".
Paulo Gonçalves foi galardoado com a Medalha de Mérito Desportivo do Município, em 2003, e foi várias vezes distinguido na Gala de Mérito Desportivo, para além de ter sido alvo de homenagem quando alcançou o título de Campeão do Mundo de Todo o Terreno em Motociclismo, em 2013.
Além do piloto, o executivo decidiu distinguir com a Medalha de Mérito Municipal os cidadãos Eugénio Campos Ferreira e João Carlos Garção e a Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende (ACICE), e, com a Medalha de Mérito Cultural, o Grupo Associativo de Divulgação Tradicional de Forjães e o Rancho Folclórico de Fonte Boa, bem como os cinco funcionários municipais que completaram 25 anos de serviço efetivo.
Na mesma sessão será entregue o Voto de Louvor, aprovado a 24 de fevereiro de 2020, em reunião de Câmara, a Rui Pedro Silva, de Fão, pela distinção como o melhor líder de tecnologias de informação e comunicação da Europa na categoria de negócio (Business to Business), nos prémios European CIO of the Year (ECOTY), da CIONET, organização internacional que agrega mais de sete mil executivos ligados ao segmento das tecnologias.
Lusa

Trinta e três mil pessoas. Festa do Avante! com lotação reduzida para um terço

A Festa do Avante! afinal vai ter lotação reduzida e uso ...

Em comunicado, o PCP revela as medidas adotadas para garantir a segurança sanitária dos visitantes da Festa do Avante! em contexto de Covid-19.

O Partido Comunista Português (PCP) revelou, esta sexta-feira, que o número máximo de pessoas permitidas, em simultâneo, dentro do recinto da Festa do Avante! foi reduzido para um terço da capacidade máxima licenciada. Assim, e feitas as contas, serão 33 mil as pessoas que poderão estar, em simultâneo, no espaço, na Amora, Seixal.
O espaço de 30 hectares das Quinta da Atalaia e do Cabo da Marinha vai assim proporcionar cerca de nove m2 para cada militante ou visitante, entre 4 e 6 de setembro.
O número é revelado num comunicado do partido em que pode ler-se que "o número de presenças em simultâneo na Festa será de ⅓ da capacidade licenciada", situada nas cem mil pessoas. No mesmo documento, o PCP assegura que "os 300 mil m2 postos à disposição dos visitantes significam que cada um pode usufruir de uma área superior à que está estabelecida para a frequência de praias e que, em regra, será o dobro daquela que está fixada para espaços similares", que neste caso é ao ar livre.
Também o horário de entrada na Festa do Avante! sofre alterações, passando a fixar-se "nas 24h00 de sexta-feira e sábado e nas 22h00 de domingo", quando anteriormente estes limites eram a 01h00 nos dois primeiros dias e as 22h30 no terceiro.
O PCP garante também que a forma de circulação no recinto vai ser alvo de restrições, com a adoção de "corredores de circulação de sentido único, separação de canais de entrada e saída e maior fluidez de acesso a transportes públicos".
"Na Festa do Avante! estão assim reunidas as condições de protecção e segurança iguais ou superiores às de actividades e contextos que marcam a restante vida social - do acesso à praia à presença nos múltiplos espetáculos e festivais já realizados ou agendados, até à mera circulação em muitas ruas e praças do País", reforça também o documento.
Os responsáveis do PCP sublinham ainda a adoção de medidas excecionais como a "disponibilização de materiais de higienização, do adequado funcionamento de espaços de restauração ou de regras de distanciamento físico nas diversas atividades (incluindo a criação de assistentes de plateia)", além do uso obrigatório de máscaras.

"Não será permitido o que está proibido nem proibido o que está permitido"

Esta quinta-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, já tinha avisado que a lotação da Festa do Avante!, organizada pelo PCP, teria este ano que ser inferior à capacidade máxima de 100 mil pessoas do recinto no Seixal, por causa da Covid-19.
"É evidente que estamos a falar, teremos que falar de outros números", declarou na conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, acrescentando que, embora compreendesse "que se fale de um número de 100 mil, na medida do que será a licença de utilização", o "momento específico, num contexto específico" obrigaria a mudanças
A ministra assegurava também que "não será permitido o que está proibido nem proibido o que está permitido" e que "não haverá exceções" às regras adotadas pelas autoridades de saúde para conter o contágio pelo novo coronavírus.
Lusa / TSF / Gonçalo Teles

México | Mercados Cierran La Semana Con Debilidad


por Yesica Flores
El índice de ventas minoristas de julio sube apenas 1.2% mensual en Estados Unidos.
Cuarentena entre Reino Unido y Francia
Los mercados europeos han seguido a las acciones asiáticas a la baja, reporta la plataforma global de inversiones eToro, debido a que la producción industrial china y los datos de ventas minoristas decepcionaron.
El FTSE100 es uno de los mercado más afectados, con un descenso de 1.6%, ya que el Reino Unido impuso una cuarentena de dos semanas para los viajeros que regresan de Francia a partir de mañana a las 4 am. El índice de referencia francés CAC40 ha bajado en una cantidad similar. Esto ha afectado mucho a las empresas de viajes como Ryanair y easyJet, con una caída del 4.5% y del 7.5%, respectivamente.
Los mercados de Estados Unidos abrieron a la baja, con noticias económicas mixtas. Las ventas minoristas a julio no cumplieron con las expectativas de los analistas, subiendo sólo 1.2% contra junio, en comparación el esperado 2%. Venían de aumentar 7.5% en junio y 18.2% en mayo.
La economía estadounidense depende en gran medida del gasto de los consumidores, en comparación con a la economía del Reino Unido, más impulsada por los servicios. Un mal dato es desalentador para los mercados.
Sin embargo, la Fed también informó sobre el avance de la producción industrial en julio, que se incrementó en 3.4% en el mes, superando el 3% esperado y luego de avanzar 7.4% en junio.
Otro dato decisivo será el Índice de Confianza del Consumidor de agosto, que también se publica hoy y se espera alcance por lo menos el nivel de julio. De todas formas, el mercado accionario está perdiendo el ímpetu que mostró a mediados de la semana, regresando al modelo que ha prevalecido en la pandemia: la preferencia por las acciones tecnológicas.
El asediado gigante bancario estadounidense Wells Fargo perdió a su director de cumplimiento normativo Mike Roemer, quien llegó hace dos años en un esfuerzo por enderezar el barco luego de un gran escándalo por cuentas falsas. Según el FT, su partida se debe a un desacuerdo con el director ejecutivo Charlie Scharf, que se incorporó a fines del año pasado, sobre cómo estructurar las operaciones de riesgo de la empresa.
Scharf favorece un enfoque descentralizado con directores divisionales de riesgos. Hacer que su revisión de riesgos sea correcta es crucial para Wells, que enfrenta un escrutinio regulatorio constante y restricciones, incluido un límite de activos que restringe su crecimiento.
Cisco sufre por su negocio tradicional
Después de haber pasado gran parte del día en verde, el S&P 500 cayó a una pequeña pérdida a fines del jueves, arrastrado por empresas de tecnología como Cisco, Hewlett Packard Enterprise y Micron.
Cisco enfrentó el peor día, hundiéndose más de 11%, después de entregar un pronóstico de utilidades decepcionante. La compañía se ha quedado atrás de muchas de sus contrapartes tecnológicas, ya que su fortaleza histórica en hardware de oficina no ha coincidido con el entorno pandémico que ha llevado a los clientes a grandes servicios en la nube.
El CEO Chuck Robbins dijo que los clientes continúan demorando las decisiones de compra, incluso las ventas en su negocio de aplicaciones, que incluye el software de videollamadas Webex, se hundieron. La compañía anunció que la directora financiera Kelly Kramer se jubilará.
El Nasdaq Composite fue el único de los tres principales índices bursátiles estadounidenses que registró un día positivo ayer, agregando un 0.3%. Tesla abrió el camino, con una ganancia de 4.3%, después de que los analistas de Morgan Stanley aumentaron su precio objetivo, debido a las perspectivas de que suministre baterías para vehículos eléctricos a otras empresas.
S&P 500: -0.2% jueves, +4.4% en el año
DJ Industrial Av: -0.3% jueves, -2.3% en el año
Nasdaq Comp.: +0.3% jueves, +23.1% en año
National Express se hunde 16% después de la advertencia de Covid
A pesar de las cifras positivas de solicitudes de desempleo en EU, las acciones que cotizan en Londres se hundieron ayer y el FTSE 100 cayó un 1.5%. ITV e International Consolidated Airlines Group enfrentaron el peor día, cerrando con bajas de 5% y 4.2% respectivamente. Sin embargo, fue el sector financiero el que arrastró al FTSE a la baja, ya que la aseguradora Phoenix Group, NatWest, HSBC, Legal & General, Aviva y otros cayeron más de 3%. Las dos mayores petroleras de Gran Bretaña, Royal Dutch Shell y BP también cayeron 3.7% y 3.2%, respectivamente.
En el FTSE 250, la empresa de viajes National Express enfrentó el peor día, cayendo 16.2% después de advertir que su recuperación de la pandemia será lenta y dolorosa, ya que generó una pérdida de 60 millones de libras para el primer semestre de 2020. La dirección no ofreció orientación sobre las utilidades para el resto del año y el precio de las acciones de la compañía ha bajado cerca de 70% en lo que va del año.
FTSE 100: -1.5% jueves, -18% en el año
FTSE 250: -0.9% jueves, -18.1% en el año
Qué vigilar
BHP Group: La empresa minera multinacional BHP, que cotiza en Londres, Nueva York, Australia y Sudáfrica, informa sus últimas ganancias trimestrales el próximo lunes por la noche hora de Nueva York. Las acciones de la compañía han aumentado más de 40% en los últimos tres meses debido al alza en el precio de las materias primas, como el cobre y la plata, además de la importante demanda de mineral de hierro de China. Cuán sostenible es la demanda de mineral de hierro y la perspectiva para los precios de las materias primas, serán clave en el reporte. BHP ofrece un pago de dividendo decente de alrededor de 4%.
Esquina Cripto por Adam Vettese
La Reserva Federal de Estados Unidos experimenta activamente con Blockchain
El gobernador de la Junta de la Reserva Federal, Lael Brainard, ha dicho que la Fed está probando activamente la tecnología de contabilidad distribuida (DLT) para comprender mejor cómo funcionaría una moneda digital en el sistema financiero, según Coindesk.
En un discurso ante la Reserva Federal de San Francisco, Brainard dijo que la Fed ha estado estudiando las monedas digitales durante varios años para comprender qué impacto podrían tener en la banca, la estabilidad financiera, la política monetaria y el ecosistema de pagos.
Brainard dijo que la crisis del coronavirus reforzó la necesidad de “acceso inmediato y confiable a los fondos”. A pesar de esto, aún no ha habido un esfuerzo público concertado para crear una moneda digital de banco central (CBDC) por parte de EU, a diferencia de otros países como China y el Reino Unido, que están trabajando más activamente en propuestas. Sin embargo, los comentarios de Brainard sugieren que la Fed está más avanzada de lo que se pensaba en su exploración de la tecnología.

Proença-a-Nova | Município desafia população a fotografar plantas aromáticas e medicinais no concelho

Para assinalar o Dia Mundial da Fotografia, a 19 de agosto, e no âmbito do Ano Municipal das Plantas Aromáticas e Medicinais, o Município de Proença-a-Nova lançou o desafio a todos os amantes de fotografia e de natureza para fotografarem uma planta aromática e medicinal a partir de uma lista pré-definida onde constam as espécies que crescem espontaneamente no nosso concelho (disponível no guia de participação que pode consultar aqui). 

Os participantes deverão enviar a fotografia para o e-mail agendacultural@cm-proencanova.pt com identificação do autor, da planta e do local onde foi fotografada até ao dia 18 de agosto, às 12h. No mesmo dia, as fotografias serão publicadas na página oficial do Facebook do Município e aquela que tiver mais gostos até ao dia 24, às 12h, recebe um cabaz da marca Proença-a-Nova Origem. Todos os participantes ganham um bloco do Ano Municipal das Plantas Aromáticas e Medicinais, limitado à quantidade disponível. 

O Município de Proença-a-Nova definiu para 2020 o Ano Municipal das Plantas Aromáticas e Medicinais com o objetivo de potenciar o valor paisagístico, turístico e económico deste importante recurso do território. Para além de possibilitar a visita a vários pontos do concelho, este desafio pretende despertar o interesse por estas espécies, que nascem espontaneamente no meio da nossa floresta e de há alguns anos a esta parte, tem despertado um renovado interesse pelo que é natural e, com isso, intensificou-se o uso das plantas aromáticas e medicinais como alternativa aos produtos industriais e aos medicamentos em excesso. A atualidade desta temática e a importância que estas plantas representam no território leva a que o Município esteja empenhado em potenciá-las, acrescentando-lhe valor que, associado à medicina, à saúde e ao bem-estar, possibilita práticas inovadoras e captadoras de novos públicos. 

Exemplo desse investimento é a reconversão do atual PR5 - Rota dos Recantos e Encantos em Trilho das Aromáticas, recuperando um caminho antigo, já trilhado. Ao longo do percurso, além da importância por tudo o que representa em termos de paisagem, podemos encontrar diferentes espécies de aves, galerias ripícolas de particular beleza, fazendo a ligação entre pontos turísticos muito procurados, e, principalmente, por representar uma mais valia para o território ligando a Serra das Talhadas aos sítios históricos-arqueológicos, restauração, alojamentos, espaços museológicos, aldeias típicas e ao Centro Ciência Viva da Floresta, numa ótica de rede, devidamente estruturada e sustentada.

Proença-a-Nova | Concertos e prémio literário em destaque este fim de semana


Em dia de feriado da Assunção de Nossa Senhora, padroeira de Proença-a-Nova, o Parque Urbano Comendador João Martins irá receber duas iniciativas distintas: a primeira, com hora de início prevista para as 10h30, é a missa campal que será transmitida em direto pela RTP1; as capelanias trarão também andores com os santos padroeiros das suas localidades. A segunda, num registo completamente diferente, apresenta o concerto do projeto Beira Baixa Cultural com os Minnimann Blues Band, às 21h30; os bilhetes para assistir ao espetáculo nos 70 lugares designados pelo Município – com os espaçamentos de segurança definidos pela Direção-Geral de Saúde – já foram distribuídos, sendo, no entanto, possível assistir à atuação de outros pontos do Parque Urbano. Pode ainda ser acompanhado em direto através da Rádio Condestável. 

As iniciativas que vão animar este fim de semana começam esta sexta-feira, 14 de agosto, em Montes da Senhora, com a IV Grande Noite de Fados no Largo da Igreja com o mestre Custódio Castelo, em guitarra portuguesa, Guilherme Frazão, em viola de fado e voz, e Ana Paula, voz, havendo igualmente pré-reserva dos lugares sentados. Os festejos continuam em dia de feriado, com missa campal no Largo da Igreja às 9h45 e procissão em honra de Nossa Senhora do Pópulo às 16h00. A partir das 18h00, os artistas da terra irão percorrer vários pontos das aldeias, levando a festa consigo que, em condições normais, teria lugar este fim de semana. 

Noutro ponto do concelho, na Maljoga, o fado também será a sonoridade dominante no concerto agendado para as 21h00 deste sábado, 15 de agosto, com o grupo Capas, Copos e Guitarradas. Antes, às 19h00, será apresentado o mural que foi pintado na zona da pérgula localizada no meio da Rua Principal, realizado no âmbito do Maljog’Arte, um programa de atividades culturais e artísticas plurianuais. De acordo com a Associação local, “o painel pretende homenagear e enaltecer alguns ofícios e figuras que marcaram de modo indelével a história e tradições da nossa aldeia, figuras essas que estiveram ligadas de algum modo à casa que ali existiu e que foi doada à comunidade pelo António da Mata”. 

Em todos estes eventos, solicita-se a adoção de medidas de segurança recomendadas pelas entidades oficiais devido à pandemia da COVID-19. 

Num registo diferente, totalmente online, o Município revelará, às 15h00 do dia 15 de agosto, os vencedores da terceira edição do Prémio Literário Pedro da Fonseca, em que o tema foi a gastronomia tradicional do concelho de Proença-a-Nova.

Condenado a seis anos por abuso sexual de crianças extraditado para Portugal

Um homem de 45 anos, condenado a seis anos de prisão por abuso sexual de crianças e atos sexuais com adolescentes, foi extraditado de França para Portugal para cumprir a pena, indica a  PJ em comunicado.

A Polícia Judiciária cumpriu um Mandado de Detenção Europeu emitido pelo Tribunal Judicial de Guimarães e realizou a extradição de França para Portugal para cumprir pena do arguido condenado a seis anos de cadeia por abuso sexual e atos sexuais com o filho adolescente da sua companheira, crimes cometidos em 2010.
A nota da PJ dá conta também que no início do mês foi extraditado para Portugal um homem de 36 anos suspeito de ter cometido um homicídio, em 2013, em Viana do Castelo.
No cumprimento de um Mandado de Detenção Europeu emitido pelo Tribunal Judicial de Sintra a PJ extraditou da Suíça para Portugal outro homem, de 28 anos, condenado a 11 anos de cadeia por vários crimes de violação ocorridos em 2009, no concelho de Sintra.
Em finais de julho tinha sido extraditado, a partir de França, um arguido de 46 anos condenado por crimes sexuais contra crianças, cometidos em 2011, na área da Grande Lisboa.
Lusa

Marroquinos que desembarcaram no Algarve destruíram equipamentos no centro de acolhimento

Onze cidadãos marroquinos do grupo que desembarcou ao largo do Algarve em junho destruíram alguns equipamentos no centro de instalação temporária do aeroporto do Porto, numa reação à decisão judicial de os manter mais um mês em Portugal.

De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), por decisão judicial, foi determinada a manutenção nos Centros de Instalação Temporária, por mais 30 dias, dos cidadãos de nacionalidade marroquina que desembarcaram ao largo da Praia de Vale do Lobo, no Algarve, no dia 15 de junho.
Esta decisão do Tribunal de Loulé foi tomada "enquanto se aguarda autorização das autoridades marroquinas para execução do seu afastamento, atentos os constrangimentos vigentes face ao contexto de combate à pandemia de covid-19", explica o SEF.
O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras disse à Lusa que os 11 cidadãos do grupo que se encontram no Centro de Instalação Temporária no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, reagiram "de forma violenta" à decisão judicial.
"Recorda-se que três cidadãos deste grupo já se haviam evadido daquele espaço no passado dia 03 de julho, tendo sido localizados no próprio dia e ali reinstalados", acrescentou o SEF, sublinhando que se está "a acompanhar a situação, em conjunto com a Polícia de Segurança Pública".
A embarcação, com um total de 22 migrantes, oriundos do Norte de África, foi intercetada pela Polícia Marítima no passado dia 15 de junho, quando os tripulantes se preparavam para desembarcar na Praia de Vale do Lobo, no Algarve.
Na altura, os 22 ocupantes da embarcação disseram às autoridades portuguesas ser marroquinos e explicaram que tinham partido da cidade de El-Jadida, em Marrocos.
Lusa

Barcelos | IPCA alarga até dia 21 de agosto o prazo de candidaturas aos CTeSP´s

O IPCA tem abertas até 21 de agosto as candidaturas aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP´s) nas áreas da Gestão, do Design, da Tecnologia, da Hotelaria e do Turismo. 
São mais de 900 vagas para ingresso nos 24 cursos que têm uma alta taxa de empregabilidade. 
Os estudantes dos CTsSP´s podem, ainda, candidatar-se a uma Bolsa de Estudos, atribuída pela DGES, com o valor mínimo de 871,25€ e máximo de 5.523,91€ anual. Os estudantes deslocados poderão usufruir de um suplemento no alojamento. 
Em causa estão mais de 900 vagas para ingresso nos 24 CTeSP´s, sendo que para o ano letivo 2020/2021 o IPCA oferece três novos cursos: Metrologia, Instrumentação e Qualidade Industrial; Gestão de Seguros e Mobilidade Híbrida que vêm reforçar a aposta do Politécnico em cursos práticos alinhados com as necessidades do mercado de trabalho na região, aferidas junto das empresas que acolhem os estudantes estagiários. 
Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais são lecionados no Campus do IPCA, em Barcelos, e nos Polos em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, em regime laboral e pós-laboral. Este ano, o IPCA aumentou a sua oferta educativa em regime pós-laboral, sendo que 38% dos CTeSP´s são oferecidos neste regime, e em alguns cursos, quer pela área quer pela significativa procura são oferecidos nos dois regimes – laboral e pós-laboral. Esta aposta deve-se ao facto das empresas exigirem quadros mais qualificados, com mais competências. O ensino em regime noturno facilita a eventual requalificação, e permite que um profissional adulto tenha condições para estudar, atualizando ou mantendo o seu posto de trabalho e mesmo progredindo com promoção da carreira. 
Os CTeSP´s dão a possibilidade aos estudantes que completam o 12º ano de ingressarem no Ensino Superior, sem terem necessidade de fazer provas especificas ou exames nacionais de Acesso ao Ensino Superior. São cursos superiores direcionados a dar continuidade aos estudantes das vias profissionais (que tenham concluído o 12º ano) e que podem aceder diretamente aos Cursos de Licenciatura tendo, assim, direito à creditação de uma parte da sua formação nos cursos de licenciatura. 
Os CTeSP´s são formações de nível superior, com dois anos de duração, que inclui 6 meses de estágio numa empresa. Os estudantes desenvolvem competências técnicas específicas para iniciar uma atividade profissional, e em alguns casos, adquirem competência para uma requalificação profissional. 
As candidaturas realizam-se exclusivamente online, através da Plataforma de Candidaturas do IPCA: https://www.siga.ipca.pt/cssnet/ 
Para ajudar no processo de candidatura poderá ainda consultar a página com as instruções e o vídeo acerca da utilização da plataforma: Concurso de Acesso aos CTeSP para o ano 2020/2021 


Ana Teixeira

Conheça as Livrarias, Alfarrabistas e Editoras presentes na 29º Feira do Livro de Braga

29ª EDIÇÃO FEIRA DO LIVRO DE BRAGA COM PROGRAMAÇÃO 100% VIRTUAL – NTR
São 20 as livrarias, alfarrabistas e editoras presentes na 29ª edição da Feira do Livro de Braga, que este ano acontece, exclusivamente, em ambiente digital e se prolonga até 3 de setembro. Os expositores desta edição encontraram uma forma alternativa para exporem os seus produtos, através de um Virtual Tour que recria os stands nas ruas habituais do evento.

Uns estreantes, outros repetentes no evento, todos se dedicam às mais variadas áreas da literatura, com catálogos diversificados na oferta de livros novos, relíquias, clássicos, entre outros produtos. Para promover estes produtos, a organização da Feira do Livro de Braga encontrou, com recurso à técnica StreetView, uma forma para recriar as ruas que habitualmente servem como pano de fundo para o evento, dando a possibilidade dos expositores terem stands virtuais, que funcionam como pontos de acesso às lojas de venda online criadas para cada participante.

Esta virtual tour, que pode ser visitado em https://bit.ly/VirtualTour-FLB e que especificamente desenhado para o evento, inicia-se no Largo São João do Souto, com a representação virtual dos stands das entidades organizadoras do evento – Município de Braga e InvestBraga, bem como o stand do mecenas do certame, o dstgroup e do parceiro Biblioteca Lúcio Craveiro. Mais à frente, seguindo a rua Francisco Sanches, encontram-se os stands da Livraria 100ª Página, da Bracara Alfarrabium, da Livraria Ponte dos Falcões, da Livraria Bracara, da Livraria Minho, da Livraria Fernando Santos, da Livraria Senda, da Livraria Ler com Gosto e ainda do alfarrabista Livro Lido e da papelaria Gandias. Na rua Justino Cruz, outra das ruas simuladas virtualmente, estão alinhados os stands da livraria de banda desenhada, Untold Stories, o stand de Outros Tempos, da Angels Formula – Alfarrabistas, da Publicações Jesuítas, da Editora Uminho, da Poética Edições, da Paleta de Letras, da Nova Educação, assim como espaço em stand para a Comunidade Cristo Betânia e para a Editora RH.Recorde-se que, a par da possibilidade de aquisição de livros naquele que é o maior Marketplace generalista de Portugal em https://dott.pt/pt/campaign/feira-do-livro-de-braga, os visitantes da Feira do Livro de Braga, que já ascendem aos 16 mil, ultrapassando as 62 mil visitas, têm a possibilidade de assistir a uma programação cultural diversificada através das plataformas digitais da Feira do Livro de Braga [www.facebook.com/FeiraDoLivroDeBraga/]

Ansião | Tradição e modernidade assinalaram as Festas do Concelho


As Festas do Concelho – Expo Ansião Coração de Sicó, canceladas por decisão da autarquia, foram assinaladas virtualmente. 

Não podendo ser vivido com a grandiosidade que o caracteriza, este evento, que teria decorrido de 6 a 9 de agosto, foi relembrado através de documentários alusivos a dois momentos emblemáticos da programação habitual. 

“Cortejo Alegórico do Povo” e “Filarmónicas de Ansião” foram produzidos como forma de reconhecimento da importância das coletividades concelhias para a dinamização e promoção cultural do concelho, para a manutenção das tradições e para a reafirmação da identidade do povo ansianense. 

Ambos os documentários foram divulgados nos canais digitais do município e podem ser visualizados no seu canal Youtube. 

Integrando o programa destas festas, a Feira dos Poceiros, tradicionalmente a 10 de agosto, teve lugar no Mercado Municipal e, apesar das restrições que as atuais medidas de segurança exigem, muitos foram os que ali se deslocaram para encontrar uma grande variedade de produtos endógenos e da terra e de bens que este espaço sempre oferece. 

Dia Internacional da Juventude assinalado virtualmente 
O Município de Ansião assinalou o Dia Internacional da Juventude, no dia 12 de agosto, com recurso às novas tecnologias. 

Canceladas as atividades inicialmente programadas para a comemoração desta data, o município, através do Gabinete da Juventude e em parceria com o Conselho Municipal da Juventude, desafiou os jovens do concelho a partilhar o seu testemunho sobre as suas experiências nesta fase em que todos tivemos de aprender uma nova maneira de viver e de estar em sociedade, distantes fisicamente uns dos outros e obrigados a cumprir apertadas medidas de segurança. 

“A primeira coisa que vou fazer quando a pandemia estiver ultrapassada”, “Como desconfinar responsavelmente” e “Que aprendizagens para o futuro nos trouxe o coronavírus”, foram os temas propostos, a partir dos quais estes jovens nos deixaram o seu depoimento sobre os ensinamentos desta nova experiência. 

As mensagens de esperança partilhadas foram divulgadas através dos canais digitais do município e podem ser visualizadas no seu canal Youtube.

Estava foragido em França. Retornou e, foi detido

Homem tenta fugir da prisão de Coimbra mas escorrega e volta a ...
O Comando Territorial de Aveiro, através do Posto Territorial de Canedo, no dia 13 de agosto, em Canedo, deteve um homem de 41 anos, para cumprimento de pena de prisão.
Sobre o indivíduo existia um mandado de detenção para cumprimento de nove meses de pena de prisão pelo crime de furto, emanado há cerca de dois anos, pelo Tribunal de Execução de Penas do Porto. O homem encontrava-se foragido em França há dois anos, tendo regressado recentemente a Portugal, altura em que os militares da Guarda o localizaram e detiveram.
O detido, com antecedentes criminais relacionados com crimes de furto e falta de habilitação legal para conduzir, foi transportado para o Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo.

Por que se têm empregado o termo “entrega” em vez de “consagração”

Padre David Francisquini
Pergunta — Durante a pandemia do coronavírus, fiéis de vários países pediram a seus episcopados que renovassem a consagração de suas nações a Nossa Senhora, a fim de obter a sua benevolência e o fim da pandemia. Chamou-me a atenção que os bispos da Itália e de Portugal, nos respectivos atos litúrgicos que realizaram para atender a esse pedido, reservaram a palavra “consagração” exclusivamente a Jesus. No que se refere a Maria, empregaram em Fátima o termo “entrega”; e “no santuário italiano de Caravaggio, “affidamento”, que quer dizer a mesma coisa. Achei isso estranho, já que Nossa Senhora em Fátima pediu a “consagração” da Rússia (não apenas a “entrega”) ao Imaculado Coração de Maria. Se a Rússia pode ser consagrada à nossa Mãe do Céu, por que não Portugal ou Itália, quanto mais em uma emergência tão grave como esta?
Resposta — Essa reticência dos prelados e dos teólogos em empregar o termo “consagração” em relação a Nossa Senhora vem desde o tempo anterior ao Concílio Vaticano II, sob pretexto de que “uma consagração propriamente dita não se faz senão a uma Pessoa divina, pois a consagração é um ato de latria, cujo termo final apenas pode ser Deus”, como escreveu o jesuíta Pe. Juan Alfaro.[1]
De fato, em sentido estrito, a consagração é o ato pelo qual uma coisa é transferida de um uso comum e profano para um uso sagrado; ou o ato pelo qual uma pessoa ou coisa é dedicada ao serviço e ao culto de Deus por meio de orações, ritos e cerimônias. Assim, fala-se da consagração de uma igreja, de um altar ou de um bispo. O conceito tem um aspecto positivo, o de pertencer total e exclusivamente a Deus. E um aspecto negativo, que é o de subtrair o uso profano.
Ao longo dos séculos a Igreja não hesitou em empregar a palavra “consagração” para exprimir o dom e a oferenda que uma pessoa, um grupo humano ou uma região fazem de si a uma criatura de Deus, como Nossa Senhora, a Igreja ou uma Ordem religiosa, como um meio para melhor servir ao próprio Deus. Até na linguagem comum se utiliza esse termo para exprimir uma dedicação total. Por exemplo, quando dizemos que uma pessoa se consagrou a uma causa ou a um trabalho.
Como é isso possível, se somente Deus, Criador e Senhor de tudo quanto existe, tem direito à pertença (domínio) total e exclusiva de suas criaturas? A resposta é que se trata aí da aplicação deste princípio conhecido: quando se diz algo de Deus, a referência é em sentido próprio; quando se diz o mesmo de uma criatura, o sentido é apenas analógico.
O protestantismo é contrário à vassalagem a Nossa Senhora
Na Basílica de São Pedro, imagem de São Luís Maria Grignion de Montfort
Já no século IV a noção de pertencer a Nossa Senhora aparece nos escritos de Santo Efrem, o Siríaco; e no século seguinte, uma “santa servidão” a Ela, pela qual os que a praticavam eram chamados “servos de Maria”. No século VII, provavelmente em 626, depois do cerco dos ávaros e dos persas, a cidade de Constantinopla exprimiu no hino Akathistos sua pertença Àquela que os tinha salvo: “A Vós, capitã e defesa, canções de vitória e de gratidão. Mãe de Deus, eu consagro vossa cidade, libertada de ameaças horríveis”. Santo Ildefonso de Toledo (+667) difundiu a ideia da consagração a Nossa Senhora, ou mais precisamente “da dedicação plena ao seu serviço”.
No século VIII, São João Damasceno elaborou ainda mais o tema da consagração a Maria. Numa passagem de seu sermão sobre a dormição, escreveu: “A Vós consagramos nossas mentes, nossas almas e nossos corpos – em uma palavra, todo nosso ser”. Empregou sem hesitar o verbo grego anathemeni, que significa reservar para uso sagrado, configurar como presente votivo, dedicar, separar.
Na sociedade feudal da Idade Média, não causava nenhuma estranheza a ideia da dedicação total a um senhor feudal inferior. A sociedade era então baseada sobre um sistema de vassalagens sucessivas, pelo qual o senhor de um vassalo era, por sua vez, vassalo de um senhor mais alto, até chegar ao rei. E todos compreendiam que, se cada vassalo em seu respectivo nível servisse bem ao seu senhor, o maior beneficiário final dessas dedicações era o soberano.
Assim, a ideia da consagração a Deus por meio de Maria entrou muito fundo na espiritualidade de muitos santos, de várias Ordens, congregações e do próprio povo. O conceito de vassalagem a Nossa Senhora só foi questionado pela revolução protestante, com a orgulhosa pretensão de que cada batizado estabeleça uma relação direta com Deus, sem nenhuma intermediação da Igreja, de seus sacramentos e de seu magistério. O pretexto para isso é que tal vassalagem afastaria de Cristo, único Mediador.
O Cardeal Pierre de Bérulle (+1629), fundador da chamada “escola francesa” de espiritualidade, impôs à Congregação do Oratório e aos carmelitas o voto de servidão a Maria. Levantou-se então grande ofensiva de libelos anônimos motivados pelo jansenismo, que era uma versão moderada dos erros protestantes. O voto de escravidão proposto pelo Cardeal de Bérulle foi condenado pelas universidades de Louvain e Douai.
Consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria
No Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, São Luís Maria Grignion de Montfort fundamenta de modo irrefutável que a escravidão a Maria é o meio mais rápido, fácil e seguro de se conformar a Jesus Cristo. Para evitar uma condenação semelhante à do Cardeal de Bérulle, o grande santo mariano tomou o cuidado de intitular sua fórmula de escravidão mariana “Ato de consagração a Jesus Cristo, a Sabedoria Encarnada, pelas mãos de Maria”. A descoberta desse livro em meados do século XIX fez com que a Mariologia se desenvolvesse resolutamente nos meios teológicos, e que dezenas de milhares de fiéis fizessem sua consagração a Nossa Senhora nos termos propostos por São Luís de Montfort.
Esse movimento de entusiasmo por parte dos escravos de amor da Santíssima Virgem foi indiretamente convalidado pelas aparições de Nossa Senhora em Fátima, nas quais Ela disse que viria solicitar a consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração, a ser realizada pelo Papa em união com todos os bispos do mundo.
No dia 31 de outubro de 1942, num momento crítico da Segunda Guerra Mundial, o Papa Pio XII, numa Radiomensagem aos fiéis portugueses, fez um ato de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, nos seguintes termos: “A Vós, ao vosso Coração Imaculado, nesta hora trágica da história humana, confiamos, entregamos, consagramos não só a Santa Igreja, corpo místico de vosso Jesus, que pena e sangra em tantas partes e por tantos modos atribulada, mas também todo o mundo, dilacerado por mortíferas discórdias, abrasado em incêndios de ódio, vítima de suas próprias iniquidades”. Um pouco adiante o Papa fez uma analogia entre seu ato e aquele de seu predecessor Leão XIII: “Como ao Coração do vosso Jesus foram consagrados a Igreja e todo o gênero humano, […] assim desde hoje Vos sejam perpetuamente consagrados também a Vós e ao vosso Coração Imaculado, ó Mãe nossa e Rainha do mundo”.
Honrando a Santíssima Virgem, honra-se Jesus Cristo
Papa Pio XII
Dez anos mais tarde, em julho de 1952, o mesmo Pio XII, atendendo às instantes súplicas recebidas do mundo inteiro, declarou solenemente na Carta Apostólica Sacro Vergente Anno“Tal como há alguns anos Nós consagramos todo o gênero humano ao Coração Imaculado de Maria, Mãe de Deus, hoje consagramos e confiamos todos os povos da Rússia a este Imaculado Coração”.
Durante sua visita a Fátima, no cinquentenário das aparições, Paulo VI publicou a exortação Signum Magnum,na qual encorajou todos os filhos da Igreja “a renovar sua consagração ao Imaculado Coração de Maria”. No sermão que fez em Fátima no dia 13 de maio de 1982, João Paulo II declarou: “Consagrar o mundo ao Coração Imaculado de Maria significa aproximar-nos, mediante a intercessão da Mãe, da própria Fonte da Vida, nascida no Gólgota. […] Consagrar o mundo ao Imaculado Coração da Mãe significa voltar de novo junto da Cruz do Filho. Mais quer dizer, ainda: consagrar este mundo ao Coração transpassado do Salvador, reconduzindo-o à própria fonte da Redenção”. Em 25 de março de 1984, diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima, levada a Roma para a ocasião, João Paulo II proclamou: “Abraçai, com o amor da Mãe e Serva do Senhor, este nosso mundo humano, que Vos confiamos e consagramos, cheios de inquietude pela sorte terrena e eterna dos homens e dos povos. De modo especial Vos entregamos e consagramos aqueles homens e aquelas nações que desta entrega e desta consagração têm particularmente necessidade”.
Não obstante essa utilização pelos Papas da expressão “consagração”, em ocasiões solenes, para referir-se à entrega do mundo a Maria ou ao seu Imaculado Coração, nos ambientes progressistas o emprego dessa expressão é asperamente contestado, em nome dos princípios do Concílio Vaticano II. Para os prelados e os teólogos dessa corrente, a inserção da Igreja no mundo leva a uma minoração do sagrado e da ideia de consagração, enquanto implicando uma separação do mundo, em lugar de uma presença e comunhão fraternas junto a ele. Além do mais, a redescoberta da consagração fundamental a Deus, no batismo, tornaria supérfluas quaisquer outras consagrações ou devoções. E alegam finalmente que um maior rigor na linguagem teológica desaconselharia aplicar o mesmo vocábulo para se referir à entrega a Deus e a Maria.
No peito da imagem, o medalhão com as belas palavras: “Consagração da Paróquia d’Ars a Maria concebida sem pecado, feita em maio de 1836 pelo Pe. João Maria Vianney, o cura d’Ars”. [Foto: Frederico Viotti]
Essas críticas fazem lembrar aquilo que São Luís Grignion de Montfort diz a respeito dos devotos escrupulosos: “São pessoas que têm receio de desonrar o Filho ao honrar a Mãe, de rebaixar o primeiro ao elevar a segunda. Eles conseguem suportar que se deem à Santa Virgem louvores muito justos, como lhe deram os santos Padres; eles não suportam senão com dificuldade que haja mais gente de joelhos diante de um altar da Santa Virgem do que diante do Santíssimo Sacramento, como se um fosse contrário ao outro; como se aqueles que rezam à Santa Virgem não rezassem a Jesus Cristo! […] Trata-se de uma perigosa e sutil armadilha do maligno, com a desculpa de promover um bem maior; pois jamais se honra mais a Jesus Cristo do que quando se honra a Santíssima Virgem, porquanto não se honra a Mãe a não ser com a finalidade de honrar mais perfeitamente o Filho, pois só se vai a Ela como sendo o caminho para encontrar o termo aonde se vai, que é Jesus Cristo”.
A conclusão do santo é de que a melhor forma de devoção a Nossa Senhora é consagrar-se a Ela como escravo, pois “esta Consagração é feita conjuntamente à Santíssima Virgem e a Jesus Cristo: à Santíssima Virgem como ao meio perfeito que Jesus Cristo escolheu para se unir a nós e nos unir a Ele; a Nosso Senhor como ao nosso fim último, a quem devemos tudo o que somos, como a nosso Redentor e nosso Deus. Com esta devoção damos a Jesus Cristo tudo o que lhe podemos dar, e da maneira mais perfeita, porque o fazemos pelas próprias mãos de Maria”.
Pelo exposto, compreende-se que é totalmente infundado, e contrário ao ensino constante do Magistério e dos santos, o receio dos bispos italianos e portugueses de empregar o termo “consagração” no ato de confiar seus países e seus povos a Nossa Senhora, pedindo sua proteção na atual epidemia.
Não duvidamos em afirmar que essa frieza de altos prelados em relação à sua Mãe é o espinho mais doloroso que fere o Sagrado Coração de seu Filho. Ofereçamos a Ele, em reparação, nossa mais terna devoção a Nossa Senhora e nossa consagração a Ela, de preferência segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort.
ABIM