quarta-feira, 22 de julho de 2020

CICLO DE CINEMA AO AR LIVRE VOLTA AO CONCELHO DE SILVES

Primeira sessão leva filme “Campeões” a S. Marcos da Serra

A Câmara Municipal de Silves, numa parceria com o Cineclube de Faro, irá promover um Ciclo de “Cinema ao Ar Livre” nas freguesias do concelho. Esta atividade decorrerá nos meses de julho e agosto, pelas 21h15, nos seguintes dias e locais:

· 24 de julho – São Marcos da Serra – Espaço Multiusos – Filme: “Campeões”;
· 31 de julho – Silves – Largo das piscinas municipais – Filme: “Variações”.
· 08 de agosto – SB Messines – Anfiteatro da Junta de Freguesia – Filme: ““Lúcia Cheia de Graça”;
· 13 de agosto – Algoz - Auditório Externo do Sport Algoz e Benfica – Filme: “Made in Bangladesh”;
· 14 de agosto – Tunes – Largo da Junta de Freguesia – Filme: “Parasitas”;
· 20 de agosto – Alcantarilha – Recinto Desportivo – Filme: “Mulher e Marido”;
· 21 de agosto – Pêra – Recinto Desportivo –Filme: “Bucha e Estica”;

O objetivo desta atividade visa promover e dinamizar uma oferta cultural adequada aos tempos de COVID-19 e levar o cinema até à população das freguesias do interior, neste período de verão, através de sessões de cinema ao ar livre, algo que foi muito comum “nos tempos” dos nossos pais e avós.

Atendendo ao período que se atravessa, o Município de Silves adverte que, fazendo-se cumprir a orientação 28/2020 da DGS em matéria de utilização de equipamentos culturais e eventos, deverão ser cumpridas as seguintes orientações no âmbito de atividades culturais ao ar livre:

1. O recinto de espetáculo estará delimitado, o acesso será condicionado e controlado;
2. Acesso ao recinto apenas para os titulares de voucher de entrada (facultado no local);
3. Circuitos independentes de entrada e de saída;
4. Período de entrada e saída de público alargado;
5. Entrada de público desfasada, cumprindo as regras de distanciamento;
6. Lugares sentados com distanciamento físico entre espectadores de 1,5 metros;
7. Sessão sem intervalos;
8. Obrigatório o uso de máscara no acesso e sempre que deambular pelo recinto;
9. Poderá remover a máscara durante o espetáculo, apenas quando estiver sentado;
10. Não é permitido movimentar a cadeira.

+ info: sector de Cultura do Município de Silves | tel. 282 440 800 (ext. 2745) | email: cultura@cm-silves.pt | www.cm-silves.pt

Cantanhede | Auto de consignação assinado

Câmara adjudica requalificação da 1ª fase da rede viária de Vilamar e Corticeiro de Cima 
A Presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio, assinou, no dia 17 de julho, o auto de consignação da 1ª fase de requalificação da rede viária na União de Freguesias de Vilamar e Corticeiro de Cima. 

No Corticeiro de Cima, vão ter intervenção as ruas Joaquim Vila Ramos e Dr. Luís Rosete, enquanto em Vilamar as obras vão decorrer nas ruas Central Norte e Central Sul. 

O prazo de execução da obra é de 120 dias seguidos e tem um investimento previsto de 250.093,50 euros mais IVA. 
“Estas obras fazem parte do nosso projeto de requalificação viária em todo o concelho, sendo certo que mais empreitadas serão lançadas e teremos, até final do ano de 2021, quase concluída a renovação das nossas vias”, afirmou Helena Teodósio, frisando que “às vezes, não é possível fazermos as intervenções mais cedo, porque existem obras de saneamento e água que temos de deixar concluir para, posteriormente, conseguirmos intervir na remodelação das estradas”.

Cantanhede |Três dias de eventos


Comemoração do Dia do Município com homenagens e espetáculos

As Comemorações do Feriado Municipal de Cantanhede vão realizar-se de 24 a 26 de julho, cumprindo as regras de segurança estabelecidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Para além de espetáculos noturnos (que vão ser transmitidos em direto na página de Facebook do Município de Cantanhede. Um dos momentos marcantes será a sessão solene, no dia 25 de julho, na qual vão ser homenageados funcionários, instituições e empresas do concelho.
Todos sabemos as dificuldades que o país e, em especial, a cultura atravessam, pelo que esta iniciativa comemorativa visa retomar, de forma previdente e segura, a dinâmica cultural característica do concelho, envolvendo artistas locais, associações e o tecido socioeconómico da cidade”, afirmou a presidente da Câmara Municipal, Helena Teodósio.

O programa está alinhado da seguinte forma:
24 de julho
22h00 – Senhor Doutor
Local: Junto ao Edifício dos Paços do Concelho
Celebrar a vida com um programa dedicado à juventude, contando para o efeito com um espetáculo de um nome sonante da música portuguesa, com recente e auspiciosa carreira a solo – Senhor Doutor, com o nosso conterrâneo Jorge Ferreira.

25 de julho
10h00 – Sessão Solene
Local: Junto ao Edifício dos Paços do Concelho
A sessão inicia às 10 horas com o hastear das bandeiras, seguindo-se as intervenções das entidades, um momento cultural, homenagem aos funcionários do Município e da Inova, que completam 25 anos de serviço em funções públicas, homenagem aos Funcionários que se aposentaram, homenagem às Associações que completam 25 anos, homenagem às empresas que completam 25 e 50 anos e entrega do Prémio Lima-de-Faria.

22h00 – Cant’Fado
Local: Junto ao Edifício dos Paços do Concelho
Espetáculo dedicado ao consagrado Património Cultural Imaterial da Humanidade como é o Fado, com a participação de Yola Dinis, Carolina Pessoa, Nuno Sérgio, Bruno Costa (artistas com trabalhos editados) e com a participação especial do Cantemus – Coro Infantojuvenil do Município de Cantanhede.

26 de julho
22h00 – Foto-Concerto
Local: Terraço das Piscinas Municipais de Cantanhede
Espetáculo multidisciplinar que conta particularmente com o entrecruzar da estética artística e da beleza da fotografia/imagem com a música ao vivo por João Toscano, Vasco Faim e Manuel Lopes. Este espetáculo resulta de uma parceria entre o Município de Cantanhede e a Fotografarte – Associação de Expressão Artística e Fotográfica Cantanhede.

A participação nos eventos, apesar de gratuita, requer o levantamento de ingressos (limite de quatro bilhetes por pessoa), que serão disponibilizados de segunda a sexta-feira no Posto de Turismo e na Escola Conde Ferreira. Aos sábados, os bilhetes poderão ser levantados no Museu da Pedra, entre as 14h e as 18h.

Município, Politécnico de Leiria e Águas do Centro Litoral avançam com estudo para requalificação da ETAR das Olhalvas


O Município de Leiria assinou esta quarta-feira um protocolo com o Politécnico de Leiria (IPL) e a Águas do Centro Litoral (AdCL) que prevê a realização do “Estudo para a Requalificação Tecnológica da ETAR das Olhalvas”, durante os próximos quatro meses. 

Para Gonçalo Lopes, Presidente da Câmara Municipal, este é “um momento simbólico, mas importante, que resulta da vontade comum” de três entidades, uma parceria que irá trabalhar na “melhoria do desempenho ambiental [da ETAR]” e “na preparação para os desafios ambientais do futuro”. 

“A ETAR cumpre os requisitos legais, mas queremos ser mais exigentes”, acrescentou o autarca, que destacou ainda a importância da sensibilização da opinião pública e de “olhar para os investimentos que são necessários fazer”. 

Segundo o Presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, “ a água é um dos desafios do futuro”, por isso esta é também uma “oportunidade para o IPL, que permitirá colocar conhecimento multidisciplinar ao serviço da comunidade e de projetos de parceria”. 

Alexandre Tavares, Presidente do Conselho de Administração da AdCL, destacou a dimensão estratégica da parceria, em concreto “olhar para as Olhalvas de forma positiva, antecipando os desafios do futuro”, e manifestou a necessidade de conhecer “quais são os anseios, as expectativas da população na relação com a água”. 

A cargo do IPL, o estudo, segundo o protocolo, “destina-se a investigar, identificar e definir as melhores soluções de requalificação/modernização da ETAR das Olhalvas”, pretendendo mitigar “as possibilidades de reutilização de parte do efluente numa perspetiva de uso racional da água, evitando assim o uso de água tratada para fins que não o exigem”. 

Tem ainda como objetivo avaliar e apresentar soluções ao impacto que a ETAR tem na malha urbana e na bacia hidrográfica em que se insere, explicando ao mesmo tempo à população o seu papel e importância na qualidade de vida dos cidadãos.

Atlas Histórico de África A obra rigorosa que faltava à edição portuguesa


Ancestral, dinâmica e plural. Conheça a história de África, do Paleolítico até 2020, através do Atlas Histórico de África – Da Pré-história aos Nossos Dias, um livro brilhante que resulta do rigoroso trabalho de um colectivo de mais de duas dezenas de pesquisadores e especialistas, dirigidos pelos historiadores François-Xavier Fauvelle e Isabelle Surun, com cartografia de Guillaume Balavoine. Um documento único, que vem preencher uma lacuna gritante da edição portuguesa, este atlas reúne textos exemplares, uma centena de mapas e outros documentos históricos. O Atlas Histórico de África chega às livrarias no próximo dia 28 de Julho, estando, desde já, disponível para pré-venda no site da Guerra e Paz Editores.

África tem uma herança histórica riquíssima, povoada por sociedades que conheceram múltiplas trajectórias ao longo dos milénios, sem deixar de interagir entre si e com os mundos externos. Herança documentada no Atlas Histórico de África – Da Pré-história aos Nossos Dias, dirigido pelos historiadores François-Xavier Fauvelle e Isabelle Surun e com cartografia de Guillaume Balavoine. 

Um documento cujos textos resumem e esclarecem os cinco grandes períodos que marcam a história africana, partindo da África antiga, desde a Pré-história até o século xv, que foi, ao mesmo tempo, berço e caldeirão da diversidade linguística, técnica e política. 

Segue-se a África na era moderna, compreendida entre o século xv e o século xviii, marcada pelos seus grandes reinos e pelo início da presença europeia.

Após a abolição do tráfico atlântico de escravos e as reconversões económicas africanas, surge a África soberana do século xix e, mais tarde, a África sob o domínio colonial, espartilhada entre potências e dividida entre resistências anticoloniais e descolonizações.

E por fim, a África das independências, que enfrenta, até aos dias de hoje, inúmeros desafios políticos, económicos e sociais.

Este atlas reúne mais de 100 mapas e os conhecimentos constantemente renovados da história da África, mostrando o quanto este continente, longe de se fechar sobre si próprio, tem sido dinâmico e unido à história global.

Um trabalho rigoroso, atraente e didáctico, realizado por 28 dos melhores pesquisadores e especialistas em história de África. Conheça a lista completa de autores em anexo.

O Atlas Histórico de África – Da Pré-história aos Nossos Dias chega às livrarias de todo o país no próximo dia 28 de Julho. O livro pode ser encomendado desde já, através de pré-compra, no site oficial da editora. 

Esta é a segunda obra do historiador francês François-Xavier Fauvelle que a Guerra e Paz publica, depois de A Ideologia Afrocentrista à Conquista da História: A Memória em Leilão, que se encontra à venda desde o último mês de Maio.

Atlas Histórico de África – Da Pré-história aos Nossos Dias
Direcção: François-Xavier Fauvelle e Isabelle Surun
Cartografia: Guillaume Balavoine
Não-Ficção / Atlas
168 páginas · 17x24,5 · 19,90 €
Nas livrarias a 28 de Julho
Guerra e Paz, Editores

RENOVADOS PÓRTICOS DE SINALIZAÇÃO DA AVENIDA EUROPA


Estão concluídos os trabalhos de tratamento e recuperação completa dos três pórticos de sinalética direcional presentes na Avenida Europa, no troço compreendido entre o viaduto de Esgueira e a Rua João Francisco Casal, num investimento da Câmara Municipal de Aveiro de 31.875,26€.
Os pórticos foram analisados estruturalmente e tratados em fábrica, com o objetivo de reforçar as ligações e reabilitar a soldadura pré-existente. As estruturas foram sujeitas a um tratamento anticorrosivo de longa duração e a nova pintura, aumentando assim as garantias de segurança e durabilidade.

BENEFICIAÇÃO DE ARRUAMENTOS EM CACIA E NARIZ
A Câmara Municipal de Aveiro (CMA) decidiu adjudicar a elaboração do projeto de execução para a beneficiação de 17 arruamentos em Cacia e Nariz, à empresa R5e Consulting Engineers, Lda., pelo valor de 17.914€.
Com estas intervenções, a CMA pretende qualificar e reabilitar vias e centros urbanos locais, numa extensão aproximada de 8,7 km, totalizando um investimento previsional de 1.100.000€.

Investigadores da UC participam em estudo pioneiro que aprofunda a cartografia do cérebro


Os investigadores portugueses Marcos Gomes e João Peça, do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC-UC), participaram num estudo internacional pioneiro, publicado hoje na prestigiada revista Nature, que aprofunda o nosso conhecimento sobre o tálamo - uma importante região do cérebro.

Liderado por investigadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology), este estudo incidiu sobre o denominado “núcleo reticular do tálamo”, uma zona que se pensa estar envolvida na cognição, no processamento sensorial, na atenção e na regulação do sono. Alterações neste núcleo «estão associadas a perturbações neuropsiquiátricas e do neurodesenvolvimento, tais como esquizofrenia, autismo e perturbação de hiperatividade e défice de atenção (PHDA). Contudo, apesar da sua importância, pouco se sabe ainda sobre as propriedades desta região e as características dos neurónios que a compõem», explicam os dois coautores do artigo publicado na Nature.

Este trabalho produziu, pela primeira vez, um atlas do núcleo reticular do tálamo, onde se reúne as propriedades eletrofisiológicas e de expressão genética de milhares de células individuais, permitindo aos investigadores identificar «um gradiente populacional e dois tipos de neurónios previamente desconhecidos. Esses “novos” neurónios foram denominados Spp1+ e Ecel1+ e demonstraram ter um papel fundamental, mas distinto, na regulação do sono», sublinham Marcos Gomes e João Peça.

A contribuição da equipa da UC na investigação permitiu identificar a organização tridimensional dos “novos” neurónios Spp1+ e Ecel1+, o que levou a uma compreensão detalhada sobre este núcleo do tálamo.

«Os resultados desta investigação significam mais um passo importante no processo de cartografar o cérebro dos mamíferos, e contribuem para melhor perceber a arquitetura do tálamo», afirma João Peça, também docente do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

«Entre outros aspetos, o nosso estudo demonstra uma organização em camadas nas populações deste núcleo talâmico e identifica as propriedades eletrofisiológicas e funcionais particulares de cada grupo neuronal», acrescenta Marcos Gomes, aluno do Programa Doutoral em Biologia Experimental e Biomedicina da UC.

As abordagens desenvolvidas no âmbito deste trabalho permitiram a «caracterização funcional do circuito e dão pistas importantes na compreensão, não só de doenças do sono, mas também de várias doenças do neurodesenvolvimento. Isto porque, com o conhecimento das particularidades únicas dos neurónios que compõem esta região do cérebro, estão também abertas as portas ao desenho de estratégias e terapias para restabelecer a sua normal função em processos de doença», concluem os dois investigadores.

Cristina Pinto

Das origens do vegetarianismo em Portugal Amílcar de Sousa (1876‑1940), o «apóstolo verde»

A inexistência de estudos históricos sobre o vegetarianismo em Portugal não se deve à ausência de fontes, pois elas existem, aguardando apenas a atenção dos historiadores. Nelas se destacam os livros de cozinha, os periódicos publicados pela Sociedade Vegetariana de Portugal, os artigos e os comentários dos jornais e das revistas generalistas, que em alguns casos satirizaram o movimento vegetariano e os seus membros; a publicidade, e muito especialmente as publicações de divulgação do médico Amílcar de Sousa, pioneiro do vegetarianismo em Portugal, fundador e diretor da revista O Vegetariano, presidente da Sociedade Vegetariana de Portugal, e autor de inúmeros artigos e livros sobre o tema.


Esta obra procura dar a conhecer os primórdios do movimento vegetariano em Portugal, num momento em que os adeptos deste regime alimentar estão em crescimento. Procura ainda perceber como e quando chegaram as ideias vegetarianas a Portugal, identificar os protagonistas do movimento e as suas ações, e finalmente compreender a amplitude, o êxito ou o fracasso do vegetarianismo nos seus primórdios, cuja primeira fase terminará na década de 40 do século passado.

Das origens do vegetarianismo em Portugal Amílcar de Sousa (1876‑1940), o «apóstolo verde»
autor: Isabel Drumond Braga
editor: BNP                  
ano de publicação: 2019           
ISBN: 9789725656624            
nº de páginas: 354

Enviado por José R. M. Rabaça 



Proença-a-Nova | Exposição de fotografia na Galeria Municipal assinala 30 anos da APAV


A Galeria Municipal Comendador João Martins, em Proença-a-Nova, inaugurou a 18 de julho a exposição de fotografia de Valter Vinagre, que assinala os 30 anos da APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. “Olha” foi o modo como o fotógrafo captou o silêncio das vítimas, retratando o universo do crime de violência em Portugal. Este trabalho pretende alertar e sensibilizar para o papel da APAV e da postura social para um tema tão sensível como o da violência na sociedade. 

João Lobo, presidente da Câmara Municipal, sublinhou durante a inauguração da exposição que “neste tempo de pandemia, o tema da violência silenciosa no foro privado e a cautela em monitorizarmos aqueles que são mais frágeis, tem de ter uma atenção reforçada por parte das instituições, mas também dos Municípios, pois é nosso dever evoluir naquilo que são as condições de apoio”. 

Para Rita Bessa da APAV, esta exposição “é uma forma de divulgar o nosso trabalho diário, mas também sensibilizar a sociedade sobre a questão da violência. Uma coisa e contar as histórias outra coisa é ouvi-las na primeira pessoa, e, neste caso, o Valter teve essa “oportunidade”. Apesar de apoiarmos todo o tipo de vítimas de crime de violência, aquele que tem mais peso é, sem dúvida a violência doméstica”. 

O conjunto das 17 fotografias revela o “grito que muitas vezes está abafado, mas que muitas vezes continua a ser necessário dá-lo e alertar para as situações que estão por trás destas imagens – toda a violência em sociedade que é exercida”, explica Valter Vinagre. Para o fotógrafo, “tentei que este trabalho fosse o mais silencioso possível, para que grito fosse muito maior que estas imagens”. 

A exposição estará patente na Galeria Municipal até 31 de agosto. As fotografias da inauguração podem ser vistas na página oficial do Facebook do Município.

Proença-a-Nova | aniversário comemorado com inauguração do espaço GPFloresta


O Centro Ciência Viva da Floresta assinalou a 21 de julho o 13º aniversário com a inauguração de um novo módulo: o espaço GPFloresta – Gerindo e Protegendo a nossa Floresta que inclui a recuperada carrinha Bedford que esteve 36 anos ao serviço da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova e que continuará a servir a floresta sensibilizando os visitantes do Centro para a importância de se prevenirem os incêndios florestais. “Agora será um veículo de conhecimento para todas as nossas crianças, e também para os mais graúdos, relativamente àquilo que deve ser o bem maior que tem o concelho, a floresta, a sua fonte maior de riqueza. Deve ser transmitido desde logo aos pequeninos a forma de a usar e também de ser cuidada por nós”, considerou João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, que, em conjunto com Rosalia Vargas, presidente da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva, descerrou a placa do novo espaço. 

Na sua intervenção, Rosalia Vargas destacou o trabalho desenvolvido pelo CCV da Floresta ao longo destes 13 anos, recordando o trabalho em rede, “que se faz porque há investigadores”, referindo a parceria com o Instituto Politécnico de Castelo Branco. “Esta é a joia última deste Centro: recuperar e dar outra função a um carro dos bombeiros tão emblemático é uma grande obra. E tenho a certeza que muitas crianças vão ser felizes lá dentro, a ouvir histórias e a aprender cidadania a todos os momentos”, referiu. 

Na festa da inauguração estiveram presentes, entre outros convidados, as crianças do atelier de tempos livres do Município - equipadas a rigor -, vários bombeiros da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova, o atual e o anterior presidente da direção e o seu bombeiro mais antigo, por todos conhecido como António “Rolheiro”, que cortou a fita do novo espaço, numa sentida homenagem. “Evidentemente que o dia não podia ser melhor com a presença do sr. António, que foi segundo comandante dos Bombeiros e, além disso, o primeiro que, ao tempo, conduziu o carro quando chegou a Proença-a-Nova, entre muitos outros que se lhe seguiram”, recordou João Lobo. A festa terminou com os parabéns a você ao CCV da Floresta e com a diretora executiva, Edite Fernandes, a agradecer o apoio de todas as instituições e dos colaboradores que têm contribuído para o sucesso deste equipamento, recordando que o novo módulo resulta de uma candidatura ao Fundo Ambiental, integrado na Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020. 

Em dia de aniversário, para além da entrada gratuita no Centro, foi ainda realizado um Atelier de Cultura e Gastronomia, do projeto Beira Baixa Cultural, com o tema "A utilização de Licores de Ervas Aromáticas e de Medronho em Cocktails". Mark Walker, experiente produtor de licores premiados, orientou a sessão de modo a que os participantes compreendessem a base para a execução de qualquer cocktail e ofereceu uns quantos segredos para a confeção de licores e xaropes, utilizando o medronho e as plantas aromáticas mais comuns na nossa região. Este atelier, cofinanciado no âmbito do Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia, marca também o Ano Municipal das Plantas Aromáticas e Medicinais.

Dois detidos por tráfico em Mira

O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Cantanhede, no dia 21 de Julho, deteve em flagrante delito um homem e uma mulher, de 67 e 20 anos, por tráfico de estupefacientes, em Mira.
No  âmbito de uma investigação relacionada com tráfico de estupefacientes, os militares da Guarda deram cumprimento a um mandado de busca domiciliária e um mandado de busca em veículo que, para além das detenções, permitiram apreender o seguinte material:
·81 doses de haxixe;
·17 plantas de cannabis;
·Duas balança de precisão;
·Dois computadores;
·2560 euros em numerário.
Os detidos foram presentes ao Tribunal Judicial de Cantanhede onde lhes foi aplicada a medida de coação de termo de identidade e residência.

ZÊZEREARTS 2020 visita Évora de 26 de julho a 1 de agosto


Évora recebe um dos mais importantes festivais nacionais de música no património, o “Zezerearts”. Numa edição especial, nesta cidade, o festival promove cursos de verão para estudantes de música e quatro espetáculos abertos ao público em geral, os quais decorrem entre 26 de julho e 1 de agosto, no Jardim da Palmeira e na Igreja do Convento dos Remédios.

Apoiado pela DGArtes, o “Zezerearts” nasce em 2011, por iniciativa de Brian MacKay, seu diretor artístico, e é um projeto de uma das mais prestigiadas produtoras de música erudita em Portugal, a Musicamera. Como 2020 é um ano de diferentes contornos, a Câmara Municipal de Évora estabelece uma parceria com o festival para que o mesmo se realize na cidade, a qual tem o apoio da M’Ar de Ar Hotels.

Com o acolhimento de Évora, o “Zezerearts”, que comemora este ano a sua 10.ª edição, consegue manter a realização dos cursos de cordas, migrando-os para esta cidade, e alcançar uma elevada programação de música erudita.

Os Cursos de Verão do festival decorrem, assim, em Évora, de 25 de Julho a 1 de agosto, englobando várias masterclasses, e contam com 40 participantes, estudantes avançados em violino, violeta, violoncelo, contrabaixo e música de câmara, sob a orientação de Eliot Lawson e Luís Pacheco Cunha (violino), Jorge Alves (violeta e música de câmara), Catherine Strynkx (violoncelo), Adriano Aguiar (contrabaixo) e Brian MacKay (orquestra).

O programa musical do “Zezerearts 2020 Visita Évora”, o nome que a iniciativa adota este ano, é inaugurado a 26 de Julho, pelas 21h30, no Jardim da Palmeira, com a estreia do filme “Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora”, da autoria de Diogo Pessoa Andrade e da Creative Visual. Antes da exibição, decorre uma breve cerimónia de oferta do programa e do DVD do filme a todos os participantes da ópera.

O filme resulta da gravação da ópera homónima de tributo à cidade, projetada e produzida no âmbito do “Festival de Artes Públicas – Artes à Rua 2019” e cuja encenação, em setembro do passado ano, foi o seu espetáculo de encerramento.

Inspirada em Geraldo Sem Pavor e em Samira, protagonistas de um mito que envolve a História de Évora, a ópera é uma produção da Musicamera, com autoria do compositor Amílcar Vasques-Dias. Este e a libretista Helena da Nóbrega conceberam um espetáculo operático com dezenas de cantores, atores, músicos e figurantes, sob a direção musical do maestro Brian MacKay, agora transformado num filme.

No dia 28 de julho, também no Jardim da Palmeira, às 21h30, realiza-se um Concerto Coral Sinfónico, com as participações de Daniela Matos, Laura Martins, Nélia Gonçalves, Aiofe Hiney, Almeno Gonçalves, Paulo Vetori, Luís Rendas Pereira, Pedro Correia e da Orquestra ZêzereArts, esta composta pelos formandos e professores dos cursos dirigida por Brian MacKay. Nesta noite serão interpretadas obras de Vivaldi, Koussevitsky, Eurico Carrapatoso, Mozart, David Miguel, César Viana e também de Beethoven, aludindo às celebrações do 250.º aniversário do seu nascimento, assinalado em 2020.

Segue-se um Concerto de Música de Câmara, no dia 30 de Julho, pelas 18h30, na Igreja do Convento dos Remédios, em que os protagonistas são artistas e agrupamentos dos Cursos ZêzereArts que irão tocar obras de música de câmara com a pianista Taíssa Poliakova. Um concerto preparado ao longo de todo o festival.

O concerto de encerramento da programação decorre no dia 1 de Agosto, no Jardim da Palmeira, às 21h30. Como é habitual no festival, este espetáculo chega pela mão da Orquestra do Festival ZêzereArts, contando com os formandos e com os professores Eliot Lawson, Luís Pacheco Cunha, Jorge Alves, Catherine Strynckx e Adriano Aguiar, e dirigida por Brian MacKay, com um alinhamento que inclui obras de Haendel, Beethoven e Schostakovich.

Todos de entrada livre, os espetáculos têm bilhetes gratuitos que podem ser levantados, por ordem de chegada, nos respetivos locais uma hora antes do seu início. A lotação máxima é de 140 espetadores e estão asseguradas todas as recomendações em vigor da Direção Geral de Saúde.

Mais informações sobre esta programação está disponível em: 
www.cm-evora.pt  | zezerearts.pt  | www.facebook.com/ZezereArts 

Câmara oferece fichas de trabalho aos 1º e 2º ciclos

A Câmara Municipal da Marinha Grande vai garantir a distribuição gratuita das fichas de trabalho adotadas pelos vários Agrupamentos de Escolas aos alunos dos 1º e 2º ciclos do concelho, no ano letivo 2020/2021.

No ano letivo de 2017/2018, a administração central passou a distribuir de forma gratuita os manuais escolares a todos os estudantes do 1.º ciclo do ensino básico, tendo o Município da Marinha Grande assumido, por seu lado e desde então, a oferta das fichas de trabalho ao 1º ciclo.

No próximo ano letivo a oferta das fichas de trabalho vai abranger também o 2º ciclo, como medida de “combater os efeitos nefastos causados pela pandemia da COVID 19, na economia, na saúde pública, no ensino e no sucesso de todas as crianças e jovens em idade escolar”, salienta a vereadora da educação, Célia Guerra.

A vereadora acrescenta que “de forma a aliviar financeiramente as famílias dos encargos tidos com a educação dos seus filhos, o Município da Marinha Grande, no âmbito das suas competências legais, decidiu alargar o apoio já dado ao nível do 1.º ciclo do ensino básico também aos alunos do 2.º ciclo do ensino básico assumindo a expensas suas, a aquisição das fichas de trabalho necessárias para estes ciclos de ensino”.

ELEIÇÕES


  • Péricles Capanema
No Brasil teremos eleições municipais em 15 de novembro; nos casos de 2º turno, ainda em 29 de novembro, votações para prefeitos. Sem dúvida importantes, fornecerão estimativa, instantâneo, de como se posiciona a opinião pública e tornarão mais plausíveis os prognósticos para 2022.
Aqui as eleições brasileiras serão tocadas de raspão, não é sobre elas que pretendo discorrer. Eleições presidenciais norte-americanas serão o tema. Muita gente já comentou em blague, repito o gracejo, as eleições presidenciais nos Estados Unidos influenciam tanto, que todo mundo deveria votar delas.
A conhecida revista inglesa “The Economist”, em sua última avaliação sobre o pleito de 3 de novembro, coloca Joe Biden com 54% dos votos populares, Trump com 46%. Ainda segundo “The Economist”, de momento Biden tem 90% de chances de ser o próximo presidente dos Estados Unidos (98% de probabilidade de vencer no voto popular).
Se os atuais prognósticos foram confirmados, e não é difícil que o sejam — ainda que pesem sobre eles as justificadas reservas sobre a objetividade das pesquisas —, Biden chegará ao poder à frente de gigantesca coligação que incluirá, apenas como exemplos, simpatizantes do movimento vandálico de derrubada de estátuas, setores extremados do “Black Lives Matter”, defensores da pauta LGBT, ideologia do gênero, aborto. E ainda forças políticas que simpatizam com partidos de esquerda na América Latina. Em outro âmbito, presumivelmente ficarão mais fáceis as manobras de Xi Jinping e Vladimir Putin para expandir a própria influência e minar a importância dos Estados Unidos no mundo. Queira-se ou não, terão sido enormes golpes nos interesses do Ocidente, eco pálido (a demolição interna é enorme) e, paradoxalmente poderoso (engloba países de grande poder) do que foi a Cristandade. Enormes golpes, disse e reafirmo. Presumivelmente desferidos de forma gradual, passamos por era girondina. E possivelmente menos contundentes para a opinião pública pela restauração parcial, quando menos publicitária, do papel internacional dos Estados Unidos, com a recusa do “America first”.
Descendo a detalhes e analisando de perto o período pré-eleição, Joe Biden tem contra si a falta de carisma, o ar distante e a aparência um tanto avoada. Não galvaniza seguidores, eleitores potencialmente seus poderão não se sentir animados a votar no 3 de novembro. Contudo, tais circunstâncias devem ser vistas com olhar matizado. Biden sabe ganhar eleições. Senador aos 30 anos, venceu a seguir seis disputas sucessivas para o Senado; e por duas vezes, junto com Barack Obama, foi vitorioso em eleições presidenciais. É nome nacional desde 1973.
Católico, não age na política de forma coerente com a fé, tendo tido choques com o bispo diocesano, por causa de seu favorecimento do aborto. Semanas atrás, declarou que agirá contra os estados da União que promulgam leis restritivas ao aborto: “Os direitos à saúde das mulheres estão sob ataque quando estados no país inteiro aprovam leis extremadas restringindo o direito de escolha das mulheres sob quaisquer circunstâncias”. Continuou: “Como presidente vou colocar na legislação o determinado pela decisão Roe vs. Wade da Suprema Corte e o Departamento de Justiça fará tudo que estiver a seu alcance para impedir a avalanche de leis estaduais que tão claramente violam o direito de escolha das mulheres”. Suas posições pró-aborto e favoráveis ao “same sex marriage” podem lhe tirar votos; é forte o eleitorado conservador nos Estados Unidos.
Joe Biden tem histórico familiar amplo e controverso. Alguns fatos o favorecem eleitoralmente; outros podem prejudicá-lo, em proporção ainda não conhecida. Casou-se em 1966 com Neilia Hunter. Tiveram três filhos, dois meninos e uma menina. A mulher e a filha, em 1972, morreram em desastre de automóvel. Biden casou-se uma segunda vez, em 1977, com Jilly Tracy, com quem teve uma filha. O filho mais velho de Biden, Beau, faleceu de câncer aos 46 anos. O outro filho, Hunter, — observa o sociólogo Manuel Castells, favorável a Biden, em “La Vanguardia” de Barcelona — “uma bala perdida, expulso da Marinha por vícios em drogas e envolvimento em negócios com empresas chinesas e depois ucranianas, que lhe pagavam salários astronômicos por ter um Biden em seus conselhos. Isso explica o escândalo da negociação de Trump com o presidente da Ucrânia para que lhe facilitasse informação sobre Biden júnior em troca de ajuda, um assunto que levou à tentativa de impeachment contra Trump”. De momento, as estrepolias do filho parecem não prejudicar significativamente a candidatura do pai. Os Estados Unidos têm outras preocupações, em especial a crise econômica e a pandemia.
Uma palavra sobre Donald Trump. Mesmo sem mudanças ideológicas e de aspirações no eleitorado, a crise econômica e a decepção com o comportamento presidencial podem lhe tirar votos decisivos. E, então, reitero, pode começar uma época particularmente difícil: liberdades ameaçadas, crescente desagregação social, ameaças de totalitarismo caminhando a nosso encontro.
Percebo, não despertei esperanças róseas, e fico sujeito à censura de atrair, quiçá prematuramente, o olhar do leitor para perspectivas sombrias. Errei? Não me parece. Em primeiro lugar, não é tão prematuro assim. E a seguir, tudo o indica, teremos avalanche de fatos que, já agora, precisam ser entendidos, combatidos e detidos quanto possível. A mais, pode-se alegar em favor de tal atitude exemplo histórico de um grande vitorioso. Sem ele, a história da liberdade e das democracias ocidentais teria sido outra. Quando ascendeu ao cargo de primeiro-ministro, no discurso inaugural de 13 de maio de 1940, julgou Winston Churchill necessário para enrijecer a fibra britânica e preparar o país para uma luta vitoriosa expor de forma escancarada a realidade sombria: “Só tenho a oferecer sangue, sacrifícios, lágrimas e suor. Temos diante de nós provação muito dolorosa. Diante de nós estão muitos e muitos meses de luta e sofrimento. Qual é nosso objetivo? Fazer a guerra por terra, mar e ar. Guerra com todo o nosso poder, com toda a força que Deus nos deu. Guerra contra uma tirania monstruosa nunca suplantada no escuro e lamentável catálogo dos crimes dos homens. Esta é nossa política. Qual é nosso objetivo? Respondo com uma palavra: a vitória. Vitória. Não importam os custos, apesar de todos os sofrimentos. Vitória, ainda que o caminho seja longo e duro. Sem vitória, não há sobrevivência”.
“Proportione servata”, se as considerações acima valem para a situação geral, valem também para os dias difíceis que podem estar diante de nós no Brasil, em consequência das eleições de 2020 e 2022.
ABIM

Risco máximo e muito elevado de incêndio no interior Norte e Centro

Treze concelhos dos distritos de Bragança, Guarda, Viseu, Santarém e Castelo Branco estão hoje em risco máximo de incêndio, num dia em que está prevista possibilidade de trovoada no interior norte e vento forte nas terras altas.
Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em risco muito elevado de incêndio estão hoje mais de 130 concelhos dos distritos de Bragança, Vila Real, Viana do Castelo, Porto, Braga, Aveiro, Viseu, Coimbra, Guarda, Castelo Branco, Leiria, Santarém, Portalegre, Beja e Faro.
Em risco elevado o IPMA coloca mais de 30 municípios dos distritos de Braga, Porto, Vila Real, Aveiro, Leiria, Coimbra, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Lisboa, Évora, Portalegre, Beja e Faro.
O risco de incêndio, que se manterá elevado nos próximos dias, é determinado pelo IPMA e tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.
Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.
A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) anunciou na terça-feira que o estado de alerta especial para o dispositivo de combate a incêndios vai passar a azul, o mais baixo, a partir das 00:00 de hoje devido ao desagravamento das condições meteorológicas, avançou hoje a Proteção Civil.
O estado de alerta especial azul significa que o grau de risco é moderado, existindo as condições para a ocorrência de fenómenos com dimensão e magnitude normais.
Na terça-feira, os distritos de Castelo Branco, Évora, Portalegre e Santarém estavam em estado de alerta vermelho, o mais grave, e os restantes em laranja (segundo mais grave), à exceção de Lisboa, Setúbal e Faro, que estavam em amarelo.
Lusa

Sismo de magnitude 5,4 registado na Colômbia

Um sismo de 5,4 na escala de Richter abalou na terça-feira o norte da Colômbia, horas depois de outro na região central do país, sem vítimas ou danos materiais, segundo o instituto geológico do país.
O novo sismo, registado às 22:16 de terça-feira (04:16 de hoje em Lisboa), teve o epicentro perto dos municípios de Albânia, Hato Nuevo e Maicao, no departamento colombiano de La Guajira, que faz fronteira com o estado venezuelano de Zulia, informou o Serviço Geológico Colombiano (SGC).
Horas antes, o SGC registou outro sismo, de intensidade 5, às 16:40 de terça-feira (22:40 em Lisboa), com epicentro a dois quilómetros do município de Piedecuesta, no departamento oriental de Santander.
Na noite de 08 de Julho, um sismo de magnitude 5,5 abalou o centro e norte da Colômbia, tendo como epicentro o município de Zapatoca, também em Santander.
Lusa

Irlanda dispensa de quarentena 13 países. Portugal excluído da lista

O Governo de Dublin publicou hoje uma ‘lista verde’ de 13 países cujos viajantes estão isentos de cumprir a quarentena ao chegar à Irlanda e que exclui países como Portugal, Espanha, França e o vizinho Reino Unido.
Fora da lista da Irlanda ficou igualmente os Estados Unidos, cujos visitantes devem continuar a restringir os movimentos ao chegar a qualquer porto ou aeroporto da ilha com um período de autoisolamento de 14 dias.
A lista é composta por 13 países europeus e dois territórios (Gibraltar e Gronelândia), que possuem um número de casos de coronavírus por 100.000 habitantes igual ou menor do que a Irlanda:  Malta, Finlândia, Noruega, Itália, Hungria, Estónia, Letónia, Lituânia, Chipre, Eslováquia, Grécia, Mónaco e São Marinho.
Lusa

Câmara abre concurso para requalificar Mercado Municipal de Águeda

Concurso público conta com comparticipação de fundos comunitários e as obras previstas prometem reconfigurar este “importante equipamento municipal” .

A Câmara Municipal de Águeda aprovou, hoje, em reunião do Executivo, a abertura do concurso público para a reabilitação do Mercado Municipal de Águeda, um equipamento com cerca de 30 anos e que precisa de uma intervenção de fundo. 

Trata-se de uma obra que já foi inscrita no Programa Operacional da Região Centro – Centro 2020. 

“Esta é uma obra muito importante para nós, um projeto que assumimos como uma das principais intervenções a realizar logo no início do mandato e que hierarquizámos à frente de obras como o Museu da Indústria e o IVV”, disse Jorge Almeida. O Presidente da Câmara de Águeda reforça que é objetivo do Executivo, ao dotar o Mercado Municipal de condições renovadas, que “este assuma o papel de destaque e referência que tem na região”. “Este é um espaço captador de pessoas e um equipamento muito utilizado não só pelos produtores locais como pelos aguedenses em geral. É um espaço comercial muito importante na região que queremos exponenciar", sublinhou Jorge Almeida. 

A renovação do Mercado Municipal permitirá dotar este equipamento de novas valências e os serviços que hoje presta serão melhorados de uma forma substancial. O equipamento passará a ter dois pisos, com uma área total de construção de 6.778,08 metros quadrados, proporcionando aos comerciantes o conforto e condições necessárias à sua atividade e aos clientes a comodidade e os serviços melhorados. 

Tornar o mercado num ponto de referência na região e ao mesmo tempo ser alvo de visita pelos turistas é um dos propósitos da intervenção a realizar, que implica, por exemplo, a alteração dos espaços de venda em função das necessidades e cumprindo a legislação em vigor, a criação de restaurantes e esplanadas, sem esquecer a cobertura em vidro colorido lembrando a instalação urbana dos guarda-chuvas. 

Concretamente, no que se refere aos espaços de venda, haverá lojas individuais para a venda de peixe e carne, dotadas do equipamento necessário ao seu funcionamento nomeadamente câmaras frigoríficas individuais. Segundo o plano definido, a venda de bacalhau também passará a acontecer em espaços individuais em vez das actuais bancas. 
As restantes vendas decorrerão nos módulos de bancas, em duas tipologias diferentes (duplas e triplas), desenhados a pensar na versatilidade, permitindo alterações na organização do espaço, e dotados dos equipamentos (como vitrinas) adequados à tipologia de venda. 

Distribuídos pelo piso térreo existirão, também, alguns compartimentos de arrumos e câmaras frigoríficas comuns. 

Tendo em consideração os requisitos de higiene e o conforto dos comerciantes, serão criados espaços de balneários com instalações sanitárias, duches e cacifos, cujo acesso será feito diretamente pelo cais de descargas. Para o público no geral, serão também criadas instalações sanitárias em ambos os pisos. 

A entrada de público no mercado passará a ser feita através da Rua do Rio Grande e pelo alçado Sul, promovendo um maior controle nos acessos, bem como igualdade no que respeita à visibilidade das bancas. 

A cobertura do mercado será totalmente removida e substituída, em parte, por painéis sandwich, sendo que uma das principais alterações será a colocação de vidro colorido em forma de chapéu-de-chuva no plano superior da cobertura. 

No que respeita ao piso superior, que será totalmente alterado, será criado um restaurante, cuja sala de refeições ficará em mezanino para o interior do mercado. Para além deste restaurante, existirão ainda dois quiosques de venda e outros dois restaurantes de dimensão menor e cuja sala de refeições é comum entre os quatro. 

Será ainda criado, neste piso, um espaço para crianças, organizado através de mobiliário em miniatura, idêntico ao mobiliário do mercado, para que as crianças possam brincar simulando o que acontece no mercado. 

Está prevista também a definição de zonas de circulação, o alargamento de passeios, a criação de estacionamento destinado a cargas e descargas, bem como a pessoas com mobilidade condicionada. 

O Mercado Municipal, com a remodelação prevista, será dotado de condições não só para a utilização já conhecida, como para novas funcionalidades, como restauração e bar, podendo ser utilizado em horários diferenciados e atraindo, desta forma, diferentes públicos. 

A abertura do concurso público, com um preço base de 4.582.910,81 euros, foi aprovada hoje pelo Executivo, sendo que esta intervenção, que está ainda sujeita a visto prévio do Tribunal de Contas, contará com comparticipação de fundos comunitários até 85% do montante elegível.

México | 3 Retos Digitales Para El Sector Retail Durante La Pandemia


por Yesica Flores
Para muchos minoristas, la pandemia se ha convertido en una prueba de supervivencia, ya que no solo deben enfrentarse a los retos internos, sino también a los cambios de hábitos de los consumidores, quienes se han visto obligados a modificar sus patrones de compra, lo que está cambiando su relación con las marcas y empresas.
Si bien el 80% de los consumidores actuales ya eran compradores recurrentes en línea, la pandemia ha generado un aumento del 30% en su consumo, de acuerdo con el estudio de la empresa IDC. Lo que indica que es poco probable que los patrones de compra regresen a la “normalidad” antes del coronavirus, lo que crea nuevos desafíos para los minoristas.
“El cambio en los hábitos de consumo hace que el sector retail se plantee los nuevos retos a los que deberá dar respuesta, pues poco a poco los establecimientos están abriendo sus puertas y las empresas deben comenzar a prepararse para un escenario en el que el virus estará presente. En este sentido, las organizaciones deben buscar ayuda en la tecnología, ya que herramientas digitales como los chatbots, serán cruciales para poder afrontar estos nuevos retos”, de acuerdo con Gustavo Parés, director general de la empresa mexicana especializada en Inteligencia Artificial, NDS Cognitive Labs.
El sector retail se enfrenta a tres desafíos digitales, de acuerdo con NDS Cognitive Labs:
Más ventas en línea
Si bien el e-commerce es un sector con mucha fuerza, tras la aparición del COVID-19 ha tomado mayor relevancia, ya que las ventas en línea han incrementado significativamente. Tan sólo en México se espera que el comercio electrónico crezca un 60% al cierre de 2020, impulsado por la pandemia, según datos de la empresa IDC.
Estos datos dan una idea de que las herramientas y plataformas digitales se están convirtiendo, si no es que ya lo son, en la vía principal para que las empresas logren mantener el vínculo y la atención de sus audiencias y, así, seguir creciendo sus operaciones. Por ello, uno de los principales retos del sector retail es adaptarse a este nuevo entorno, pues de lo contrario muchas empresas desaparecerán.
Atención al cliente
La atención al cliente es una de las partes más importantes de cualquier negocio, ya que esta área  busca la satisfacción de los clientes y tener una mejor relación consumidor-empresa. De acuerdo con un estudio realizado por Bain & Company, las compañías que brindan una excelente experiencia al cliente ven crecer sus ingresos un entre 4 y 8% por encima del mercado.
Sin embargo, el aumento en las compras en línea, la pandemia y el miedo a contagiarse han hecho que diversas industrias, entre ellas la de retail,  se vean afectadas por la cantidad de consultas y quejas que reciben, ya que los consumidores reclaman ahora más atención y buscan que las empresas respondan de forma inmediata. En este sentido, las minoristas deben reevaluar el funcionamiento de sus centros de atención al cliente y utilizar herramientas digitales, como los chatbots, que les permitirá brindar un mejor servicio.
Los asistentes virtuales son ideales, ya que además de reducir costos, están disponibles para los clientes 24/7, sus respuestas son automáticas y ayudan a los agentes humanos a enfocarse en tareas más complejas.
Métodos de pago
Pese a que la Organización Mundial de la Salud (OMS) ha puntualizado que no debemos temer al dinero en efectivo como fuente de contagio, mucha gente prefiere pagar con tarjeta, evitando el contacto para proteger su salud. De hecho, un sondeo realizado por Visa, revela que el comportamiento de los consumidores en América Latina y el Caribe ha cambiado notablemente, ya que más de 13 millones de tarjetahabientes hicieron una transacción en comercio electrónico por primera vez en su vida entre enero y marzo del 2020, lo que significa que dos de cada 10 tarjetahabientes activos en comercio electrónico son nuevos este tipo de comercios.
Esto hará que el sector retail busque y ofrezca nuevos métodos de pago a sus clientes, como las wallets, tarjetas digitales o los códigos QR. Igualmente, el uso de chatbots será indispensable para las minoristas, puesto que los asistentes virtuales instalados en Facebook Messenger o WhatsApp, cada vez son más recurrentes como un medio de pago.

Presidente da República visita família e corporação de bombeiro morto em Leiria

Presidente da República visita família e corporação de bombeiro ...
O Presidente da República visitou hoje a família de André Pedrosa e a corporação de bombeiros de Monte Redondo, farda que vestia quando morreu, no sábado, num incêndio em Leiria.
Vindo de Madrid, onde almoçou com o rei de Espanha, Felipe VI, Marcelo Rebelo de Sousa aterrou esta tarde na Base Aérea n.º 5 de Monte Real, em Leiria, para visitar a família do bombeiro falecido.
O chefe de Estado esteve com a mulher e com a mãe de André Pedrosa, assim como a filha, nascida há cerca de uma semana, uma vez que não poderá estar presente no funeral, que se realiza esta quarta-feira, justificou.
Depois de estar com a família e amigos do bombeiro de 33 anos, que morreu durante a fase de vigilância ao incêndio no Arrabal, em Leiria, no sábado, o Presidente da República dirigiu-se à corporação de Monte Redondo, uma secção dos Bombeiros Voluntários de Leiria, onde André Pedrosa prestava serviço.
"Aquilo que vos queria dizer é um pouco o que disse à mãe e à esposa do André. Agora, é preciso olhar para o futuro. Às vezes, há destas coisas estranhas que não sabemos explicar, que é a vida aparecer ligada à morte. A vida, que é o nascimento de uma criança tão desejada ligada no tempo, com a distância de quatro dias, da partida inesperada do André", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos bombeiros que o receberam na corporação de Monte Redondo.
O chefe de Estado considerou necessário "homenagear o André" e a "melhor homenagem que se pode fazer a quem partiu cedo demais é olhar para o futuro".
"Assim como a família que vai olhar para o futuro daquela criança e vai fazer aquilo que seria o que o André quereria que fosse feito, no que diz respeito a vocês é olhar para o futuro e fazer aquilo que, tenho a certeza, que o André quereria que fosse feito: manter o espírito de unidade, manter o amor a esta corporação, manter o compromisso de serviço e reforçá-lo cada dia mais do que o anterior ao serviço dos outros", sublinhou.
Num primeiro momento, "como é natural, há aquele choque, aquele desgosto, aquela prostração, aquele sentimento de ausência, de perda, alguém que ainda há pouco estava connosco e de repente deixou de estar e deixou um lugar vazio enorme na nossa vida e no nosso coração", acrescentou.
Lendo em voz alta a mensagem escrita num cartaz preso a um carro de bombeiros que dizia: 'o André nasceu connosco e continuará connosco. Até sempre 'gordito'", Marcelo Rebelo de Sousa insistiu que a "forma de estarem com o André é estarem ao serviço dos outros com mais coragem, mais persistência, mais teimosia, mais dedicação e entusiasmo".
"É isso que espero amanhã, no silêncio da cerimónia e do velório. Que cada um diga para consigo mesmo: 'podes contar comigo que vou fazer por mim e por ti'. Não vou fazer sozinho, vamos fazer todos em conjunto", reforçou.
Considerando que o "André enquanto pessoa é insubstituível", porque "todos somos diferentes", Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que o "papel que ele desempenhava tem de ser preenchido por todos" os bombeiros de Monte Redondo.
O Presidente da República prometeu voltar a visitar a família e a corporação dentro de seis meses. "Quero ver como cresceu a criança que tem seis, sete ou oito dias, e como cresceu a vossa resistência. Como aguentaram, como superaram e como é que reforçaram a vossa unidade".
Já Gonçalo Lopes, presidente do Município de Leiria, anunciou que a filha de André Pedrosa "será a mascote" do quartel e irá preparar uma forma de angariar fundos para ajudar na educação da criança.
"A filha do André Pedrosa será uma de nós. Vamos fazer tudo o que for possível para ajudar no que for preciso. A filha, a mulher e a mãe do André vão contar com o nosso apoio incondicional. O André vai continuar sempre connosco", disse à Lusa um dos bombeiros da corporação, Bruno Pereira.
Fonte: Lusa
Foto: TVI24

México | La Educación Debe Adaptarse Y Replantearse Para Reconocer El Nuevo Mundo Que La COVID-19 Ha Creado


por Yesica Flores
Las oportunidades que esta situación ofrece para la educación no deben pasar inadvertidas, a pesar de la enorme aflicción que ha provocado. El mundo no debería regresar a lo que era, ya que supondría desperdiciar esta crisis y esta experiencia colectiva.
La educación no se había puesto a prueba de esta manera en mucho tiempo ni de esta forma colectiva y mundial. El hecho de que los alumnos vayan a acceder a un mundo que será muy distinto del que conocían significa que la educación no puede impartirse como antes, sino que debe basarse más en las habilidades y no solo en los conocimientos. Hoy los alumnos tienen una gran cantidad de información ante sus ojos, van a adentrarse en un mundo en el que hay un sinfín de información a su alcance y, por lo tanto, el tipo de habilidades necesarias en el futuro serán muy distintas de las que tenemos ahora.
Deberemos centrarnos en la habilidad de formular muy buenas preguntas, de sintetizar la información para presentarla de distintas maneras, de entender este panorama mundial competitivo y en las oportunidades globales en lugar de pensar solamente en obtener una calificación o cosas por el estilo. Asimismo, habilidades como la resiliencia, la agilidad y la capacidad de automotivarse y actuar serán cruciales para los jóvenes en un mundo donde posiblemente las viejas certezas no vuelvan a aparecer.
Con respecto a las evaluaciones, este nuevo enfoque podría tener un peso importante —en la educación en general— para dejar de centrar demasiada atención en los exámenes al final del período de aprendizaje de los alumnos y poner más énfasis en las evaluaciones continuas.
En conclusión, al menos durante el futuro cercano, el mundo va a vivir entre confinamientos, por lo que nos corresponde reflexionar acerca de qué es un buen aprendizaje y qué queremos nosotros, como educadores, apoyar y respaldar. Siempre tenemos muy presente para qué estamos preparando a los alumnos y será, con toda seguridad, uno de los elementos en los que nos centraremos en el futuro.
(*) Resumen de la participación de Siva Kumari en el podcast de Tes International. Texto original de Dan Worth: https://www.tes.com/news/international-baccalareate-siva-kumari-exams-future-education-coronavirus
Por Siva Kumari, directora general del Bachillerato Internacional (*)