quarta-feira, 2 de maio de 2018

Galardão atribuído pela ERSAR INOVA – EM recebeu Selo de Qualidade da Gestão de Resíduos Urbanos



A INOVA-EM recebeu recentemente o Selo de Qualidade da Gestão de Resíduos Urbanos atribuído pela ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos. O respetivo certificado foi entregue ao presidente do Conselho de Administração, Idalécio Oliveira, no decurso do 12.º Fórum Nacional de Resíduos, que decorreu em Lisboa no dia 19 de Abril.
A INOVA-EM foi uma das duas entidades prestadoras de serviços diretamente ao consumidor que figura entre os 12 premiados em termos nacionais, o que comprova o elevado nível de qualidade dos seus serviços relativamente à generalidade dos operadores nacionais nesta área.
Dos 11 parâmetros de avaliação a que foi sujeita, a INOVA-EM situou-se no melhor nível de classificação em oito, sendo de destacar o reconhecimento da eficiência e eficácia da empresa em aspetos como Acessibilidade Física do Serviço, Acessibilidade do Serviço de Recolha Seletiva, Acessibilidade Económica do Serviço, Reciclagem de Resíduos de Recolha Seletiva, entre outros.
A atribuição do Selo de Qualidade da Gestão de Resíduos Urbanos é uma iniciativa da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), em parceria com o jornal Água&Ambiente, tendo como objetivo “identificar, distinguir e divulgar casos portugueses de referência relativos à prestação dos serviços de abastecimento público de água, saneamento de águas residuais urbanas e gestão de resíduos urbanos e assim contribuir para a melhoria dos sectores”.
Nesse âmbito, foram distinguidas as entidades que demonstraram assegurar o cumprimento, no último ano de avaliação regulatória, de um conjunto de critérios, de acordo com o regulamento da categoria em que se inserem.
Além dos promotores da iniciativa, fazem também parte do júri várias entidades representativas do setor, designadamente a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA), a Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental (APESB), a Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos (APRH), a ESGRA - Associação para a Gestão de Resíduos, a APEMETA - Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais e a DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Esclarecimento sobre qualidade do ar

Face ao relatório da OMS sobre poluição atmosférica hoje noticiado pela imprensa nacional, a Câmara Municipal de Estarreja esclarece o seguinte:

- Os parâmetros estatísticos recolhidos em 2015 na estação da Zona Litoral Noroeste do Baixo Vouga relativos às partículas em suspensão PM2,5, e que são mencionados no relatório da OMS, foram inconclusivos, uma vez que a taxa de eficiência de recolha de dados foi inferior ao legislado.
Não foi atingida a taxa de eficiência exigida pela lei. Ou seja, não se atingindo essa taxa mínima de recolha de dados, será impróprio fazerem-se apreciações e não se podem retirar conclusões, sendo estes dados meramente indicativos.

- Mesmo que esses dados fossem conclusivos, o valor 15 estaria dentro do valor limite legislado e que é de 25 microgramas por metro cúbico de ar (Dec. Lei nr 47/2017, de 10 de maio e Dec. Lei 102/2010, de 23 de setembro), estando nessa medida 40% abaixo do permitido legalmente. Conclusão: os valores referidos estão dentro das normas legais.

- Mais se informa que:

a estação de monitorização da qualidade do ar existente no concelho não se limite a avaliar a qualidade do ar do concelho, porque não há fronteiras físicas. Assim esta inclui ainda a monitorização da qualidade do ar dos concelhos de Albergaria-a-Velha, Ovar, Murtosa e Aveiro (com exceção das freguesias de Aradas, Esgueira, Glória, Santa Joana e S. Bernardo).

. o indicador da exposição média (IEM) para o ano de 2015 corresponde à concentração média de três anos civis consecutivos, de 2013, 2014 e 2015. O IEM é utilizado para verificar se o limite de concentração para a exposição humana foi cumprido.

. a emissão de partículas ocorre a partir de diversas tipologias de fontes antropogénicas, nomeadamente tráfego rodoviário, áreas industriais e fontes de combustão doméstica (essencialmente de lareiras, particularmente relevantes no período de Inverno).



Imagem: Base de Dados Online sobre Qualidade do Ar, da APA - Agência Portuguesa do Ambiente 

Exposição de ilustração “Quatro mãos e muitas patas” na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino


A Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino vai acolher entre os dias 5 de maio e 28 de julho a exposição de ilustração “Quatro mãos e muitas patas”, da autoria de Leni Van den Berg e Renata Bueno.

Segundo é referido acerca desta exposição: “Gatos são bichos estranhos. Longe de os podermos dizer amigáveis e fofos, como os cães, eles intrigam-nos. 
Gatos podem ser quase leões ou podem ser cordeiros. Gatos podem ser esqueléticos ou gordos... Gatos, não são só gatos!
Gatos carregam na pele, lisa ou malhada, farta ou descabelada, uma coleção de espantos. Arranham e ronronam. Miam e choram! Viajam na noite. Saem sem ser vistos de onde a gente julga que moram. Mas gatos nunca moram, estão de passagem. Gatos entram nas histórias de botas, mas é nos sapatos que choram. Gatos guardam medos, escuridão e muitos outros segredos." 

A inauguração da exposição “Quatro mãos e muitas patas” na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras, acontecerá no dia 5 de maio, pelas 16h.

Renata Bueno
Nascida em 1977, Renata Bueno é artista brasileira e vive no Alentejo.
Já participou em exposições coletivas e individuais no Brasil, Portugal, Holanda, Alemanha, França e Itália. Como autora e ilustradora publicou mais de 35 títulos pelas principais editoras brasileiras. Algumas das suas obras foram traduzidas em França, Espanha e Coreia. Em Portugal, tem o seu primeiro livro como ilustradora Aqui há Gato publicado pela editora Orfeu Negro.
Tem esculturas de grandes dimensões implantadas em parques de São Paulo, no Brasil, e tem desenvolvido projetos com outros artistas, o que se tem constituído como o expoente da sua produção.
Mais informação sobre esta autora pode ser consultada em: www.renatabueno.art.br.

Leni van den Berge
Nascida em Roterdão em 1949, Leni vive e trabalha em Midelburgo (Holanda).
O seu trabalho mistura desenho, colagem e pintura com muita liberdade poética.
Em 1992 iniciou o seu projeto ‘de roofprint pers’ desenvolvendo séries de livros em pequenas tira­gens, desenhos, instalações, objetos e exposições.
Mais informação sobre esta autora pode ser consultada em: www.deroofprintpers.nl/home.html.

Juntas, Renata e Leni fizeram uma exposição em Middelburg em 2016 e lançaram o livro Only cats?.

Dia Internacional e Noite Europeia dos Museus | Museu Municipal Leonel Trindade



O Museu Municipal Leonel Trindade, em Torres Vedras, assinala o Dia Internacional dos Museus e a Noite Europeia dos Museus com um conjunto de visitas guiadas a exposições e atuações musicais que decorrem a 18 e 19 de maio.

Dia Internacional dos Museus assinala-se no dia 18 de maio, sexta-feira, este ano com o tema "Museus Hiperconectados: Novos Desafios e Perspetivas”. Neste âmbito, o Museu Municipal Manuel Trindade organiza uma visita guiada às exposições permanentes e temporárias patentes no Museu. Poderá também visitar a exposição coletiva de desenhos “Perspetivas do Zambujal”.

Mais  informações sobre o tema da comemoração:

Inscrições: 261 310 484 ou museu.servico.educativo@cm-tvedras.pt 


Já com o intuito de assinalar a Noite Europeia dos Museus, o Museu Municipal prepara um serão de portas abertas até à meia-noite, no dia 19 de maio, sábado, a partir das 20h. A Noite Europeia dos Museus, criada pelo Ministério Francês da Cultura e da Comunicação, assinala-se neste dia com atividades gratuitas dirigidas aos vários públicos.

O Museu Municipal Leonel Trindade associa-se a esta iniciativa e propõe que visite as exposições patentes, entre as 20h00 e as 24 horas, onde poderá acompanhar uma visita guiada e assistir a uma apresentação musical com gaitas de foles e violino.

A apresentação musical está a cargo de gaiteiros da Bielorrússia e Polónia, que visitam o nosso concelho a convite dos Gaiteiros da Freiria, para participar no 4.º Encontro bienal de Gaiteiros na Freiria – Torres Vedras.


Programa
21h00 | Visita guiada às exposições temporárias e permanentes patentes no Museu Municipal Leonel Trindade

22h00 | Atuação musical de dois grupos internacionais de Gaiteiros: Vital Voranau, da Bielorrússia, e Dudziarzy, da Polónia

23h00 | Visita guiada às exposições temporárias e permanentes patentes no Museu Municipal Leonel Trindade


Info: 261 310 484 ou museu.servico.educativo@cm-tvedras.pt


Museu Municipal Leonel Trindade

3ª a 6ª das 10h00 às 18h00
Sábado e Domingo das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Praça 25 de abril, Convento de Nossa Senhora da Graça
2560 Torres Vedras

261 310 485

Câmara Municipal de Torres Vedras

Tlf: +351 261 320 751

Conselho Local de Ação Social promove ações sobre prevenção

Porque prevenir comportamentos aditivos e dependências é a palavra de ordem, o Conselho Local de Ação Social de Carregal do Sal, em colaboração com o Centro de Respostas Integradas de Viseu realiza, durante o mês de maio e início de junho, um conjunto de ações pelas cinco freguesias do Concelho. 
“Vamos falar de prevenção…. Comportamentos aditivos e dependências” já têm data e local agendados: decorrem sempre às sextas feiras (4, 11, 18, 25 de maio e 1 de junho) ao início da noite, nas sedes das respetivas Juntas de Freguesia.
Pais e Encarregados de Educação, não percam esta oportunidade!... “Porque mais vale prevenir do que remediar” e temos de estar cada vez mais atentos e esclarecidos!

II Academia de Política Cigana decorreu em Torres Vedras


O Torres Vedras LabCenter acolheu, durante o último fim de semana, a II Academia de Política Cigana de Portugal. A iniciativa, organizada pelo Conselho da Europa em parceria com a Associação Cigana – Letras Nómadas, reuniu 30 ciganos de diferentes regiões do país para discutir o envolvimento e participação daquela comunidade na vida política nacional.

A sessão de abertura contou com a participação de Rosa Monteiro, secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, que não deixou dúvidas: “todos vocês são grandes políticos.” Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, reforçou esta ideia afirmando que “tudo o que fazemos é política” e lembrando que “a luta é constante naquilo que são os desafios da nossa vida.”

O edil lembrou que Torres Vedras tem feito “um caminho de referência” no sentido da capacitação política das sociedades ciganas e do reforço do seu associativismo. Uma noção reforçada por Marcos Andrade, coordenador de programas do Conselho da Europa, que sublinhou que Torres Vedras se destaca no trabalho para a integração das comunidades ciganas. À abertura seguiu-se a primeira sessão desta Academia, dinamizada por Alexandra Castro, com a investigadora a falar sobre políticas de habitação.

O dia que se seguiu contou com um dos momentos mais esperados do fim de semana: se Catarina Marcelino, membro do Parlamento Português, falou sobre a importância de uma estratégia para a intervenção política, seguiu-se Carlos Miguel, secretário de Estado das Autarquias Locais, que falou do percurso que o levou a presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras e a membro do atual Governo.

“É um cigano que lá está” recordou Carlos Miguel sobre o que ouvia após ter sido eleito. Uma frase que, após ter desenvolvido um contacto próximo com as populações, se havia de transformar em afirmações como “afinal o cigano é como nós”. Recorrendo a Sérgio Godinho, o secretário de Estado lembrou que “a vida é feita de pequenos nadas” e incitou os membros da Academia a envolverem-se ativamente na vida do meio em que vivem.

Seguiu-se uma apresentação feita pelas alunas de dança cigana da Associação Musical MúsicÀlareira, que mostraram o que melhor sabem fazer ao som de “Volare” dos Gipsy Kings. A II Academia de Política Cigana de Portugal ficou ainda marcada pela presença de Juan de Dios Heredia, presidente da União Romani e antigo deputado e eurodeputado cigano espanhol, que Carlos Bernardes lembrou ter escrito “pelo seu punho” a Constituição Espanhola.

O grupo de oradores que passou pelos três dias da Academia contou ainda com Cayetano Fernández, investigador cigano do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que falou sobre autonomia política e emancipação romani.


Câmara Municipal de Torres Vedras

Tlf: +351 261 320 751

Por unanimidade, no plenário de 26 de abril Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou voto de pesar pelo falecimento do médico Fernando Santos



A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou, por unanimidade, um voto de pesar pelo falecimento, em 18 de abril, do médico Fernando Santos, aos 88 anos, invocando para o efeito “o valor da sua atividade profissional e da sua intervenção cívica, cultural, social e política, bem como “a perda que o seu falecimento representa para o universo literário e intelectual do concelho de Cantanhede”.
O despacho da presidente da Câmara Municipal submetido a votação no plenário de 26 de abril refere que “quem teve o privilégio de conhecer o Dr. Fernando Santos reconhece-lhe a irrepreensível conduta, sempre com grande profissionalismo, elevação, dignidade e respeito pelos valores democráticos, tendo-se destacado ainda por uma intervenção cívica, politica e cultural particularmente ativa”.
Fernando Rodrigues dos Santos nasceu a 2 de dezembro de 1929, na pequena cidade brasileira de Pinheiro, no Estado do Maranhão, onde o pai, oriundo de Covões, era responsável por uma das herdades de um tio. Veio para Cantanhede muito cedo e aqui fixou residência. Estudou Medicina em Coimbra, tendo terminado o curso em 1953, ano em que começou a exercer a profissão na freguesia de Febres.
Durante mais de 60 anos, exerceu medicina quase exclusivamente no Concelho de Cantanhede – esteve fora apenas dois anos e meio como clínico militar. Foi médico de várias gerações de gandareses, numa vida dedicada, sem renúncias, à sua região da Gândara, e assumiu vários cargos relacionados com a sua profissão, entre os quais diretor do Hospital Distrital de Cantanhede durante várias décadas, Presidente da Assembleia Geral da Ordem dos Médicos do Distrito de Coimbra, Diretor Interino de um Hospital Militar nas guerras coloniais, dirigente da Extensão de Saúde de Febres, chefe dos cuidados personalizados do Centro de Saúde de Cantanhede e médico desportivo.
Depois da Revolução do 25 de Abril teve assinalável intervenção cívica e política e desempenhou o cargo de Vereador da Câmara Municipal.
Habitou durante muitos anos a casa onde Carlos de Oliveira escreveu parte da sua obra, privou de perto com o escritor de “Uma Abelha na Chuva”, de quem falava com particular emoção “pelo exemplo no rigor e arte da escrita, mas também pela forma exemplar com que cantou esta nossa (sub)região da Gândara”.
O médico Cândido Ferreira assinala essa ligação reconhecendo ao Dr. Fernando Santos, sob o pseudónimo de Ferro Santos “um hábil manejo da palavra falada”, “uma cultura profunda, uma imaginação prodigiosa e uma sensibilidade à altura do seu desempenho profissional, oferecendo-nos algumas das mais saborosas e brilhantes páginas que os médicos portugueses nos legaram.” Cândido Ferreira, 2006 (Histórias da Arca do Velho).
O Dr. Cidalino Madaleno, por seu lado, refere-se à veia literária do Dr. Fernando Santos caracterizando-o como “psicólogo arguto, contando com a experiência de mais de meio século no exercício do sacerdócio médico – atividade que lhe permitiu ser espectador privilegiado das grandezas exteriores e das misérias interiores – Ferro Santos escreve a Gândara profunda com a mesma naturalidade com que respira.” Cidalino Madaleno (prefácio de Pedras Bárbaras)
A obra de Ferro Santos é constituída por vários livros, entre os quais “Contos do meu rosário” - Febres - Gira Sol, 2003; “Diversos versos e anversos” - Cantanhede - Lions Clube de Cantanhede, 2004; “Histórias da arca do velho” - Febres - Gira Sol, 2006; “Vinte e dois contos de reis” - Febres; Gira Sol, 2008; “Pedras Bárbaras” - Febres - Gira Sol, 2011; “Parece”- Febres – 2012; “Contos a Descoberto” - Febres, 2015.

Na reunião de 26 de abril Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou relatório de gestão de 2017




A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou o relatório de gestão da autarquia relativo a 2017, com 22 votos a favor e 8 abstenções. A votação ocorreu na sessão de 26 de abril, conduzida pelo presidente do plenário, João Moura, e com a presença da líder do executivo camarário, Helena Teodósio, do vice-presidente da autarquia, Pedro Cardoso, e do vereador Adérito Machado.
No decurso de uma apresentação em que foram mostrados aspetos relevantes da atividade desenvolvida nos diversos setores camarários, a presidente da Câmara Municipal explicou o modo como a edilidade geriu os seus recursos durante o ano transato, voltando a sublinhar a “evolução positiva das contas da autarquia e a sustentabilidade das opções tomadas”.
A redução da dívida de médio e longo prazo situou-se nos 3.480.295 euros, um decréscimo de mais 24,5% que em 2016, enquanto a de curto prazo baixou 531.338 euros, ou seja, mais 11,32% relativamente ao exercício anterior. “Estes resultados e a diminuição do passivo em 4.818.348 euros mostram bem a assertividade da gestão camarária e o alcance do esforço de consolidação financeira que a autarquia empreendeu no último ano”, sublinha Helena Teodósio na introdução aos documentos de prestação de contas.
Outro dado que a autarca releva é a poupança, que “corresponde a 6.825.250 euros libertados da receita corrente e canalizados para financiamento de despesas de capital, ou seja, para investimento, valor que representa, relativamente a 2016, uma variação positiva de 5,59%, confirmando assim a melhoria da eficiência na gestão das operações no âmbito de um efetivo controlo orçamental da despesa”.
Por outro lado, a Câmara Municipal encerrou as contas de 2017 sem dívidas a fornecedores e com todas as faturas entradas até 31 de dezembro liquidadas, o que, “além de ilustrar bem uma disponibilidade de tesouraria muito favorável, ajuda a explicar os 24 dias de prazo médio de pagamento aos fornecedores, menos quatro do que em 2016”, refere a líder do executivo camarário.
Adiantando ainda que os resultados líquidos do exercício ascenderam a 2.735.089.27 euros e que o saldo de gerência transitado para 2018 se cifrou em 303.319 euros, Helena Teodósio perspetiva o futuro “com confiança na execução de um programa que serve o interesse coletivo e que oferece garantias de que serão dados mais alguns passos no processo de desenvolvimento económico e social do concelho. Temos uma agenda ambiciosa para os próximos anos, de acordo com um planeamento que visa a maximização dos benefícios económicos, sociais e culturais numa lógica de sustentabilidade”.
Segundo a autarca, “o objetivo é avançar com a modernização das infraestruturas e dos equipamentos coletivos, melhorando continuamente os fatores que concorrem para a valorização da base económica e do tecido social, no âmbito de uma estratégia em que não será nunca descurada a consolidação financeira da autarquia”.
A presidente da Câmara Municipal considera que o Relatório de Gestão de 2017 “permite perceber o grau de concretização dos objetivos previamente enunciados, aquilatando até que ponto os recursos usados para esse efeito foram os previstos, mas também para perspetivar de que modo o desempenho anual está alinhado com as orientações estratégicas de carácter estrutural. Além de dar resposta cabal às exigências dos normativos legais que regulam a sua elaboração, obedecendo a critérios de rigor, transparência, clareza e objetividade da informação, houve o cuidado de apresentar os dados com o devido enquadramento dos conceitos aplicáveis, de modo a facilitar a sua interpretação”, sublinha.


Delegação Ministerial do Estado Alemão de Mecklenburg-Vorpommern e equipa do Biocon Valley visitaram Biocant Park




A aliança estratégica da Região Centro para a área da Saúde - CentroPT Health Aliance ​ da qual faz parte o Biocant Park recebeu a visita de uma delegação proveniente da região alemã de Mecklenburg-Vorpommern.

Na sequência do acordo de cooperação para o setor da economia da saúde celebrado em 2015 com o Biocon Valley, ecossistema de saúde alemão que envolve 160 parceiros, o Biocant Park recebeu recentemente a visita de uma delegação do Estado Alemão de Mecklenburg-Vorpommern, presidida pelo Ministro da Economia, Emprego e Saúde, Harry Glawe.
A comitiva integrava membros do gabinete ministerial, representantes do Biocon Valley, membros de algumas empresas desta região e também agentes económicos do setor do turismo.
O acordo de cooperação celebrado entre aquele Estado alemão e a Região Centro visa promover iniciativas conjuntas na área da economia da saúde e biotecnologia, concretamente no que se refere a indústria, investigação e serviços de cuidados de saúde. Acompanhada pelo presidente do Conselho de Administração do Biocant, João Moura, a visita coincidiu com a Cimeira Regional do World Health Summit em Coimbra e teve como objetivo aprofundar as iniciativas de cooperação e de negócios entre as duas regiões.
No Biocant Park, além das intervenções dos representantes institucionais das entidades envolvidas no parque, houve também apresentações de empresas alemãs e empresas do Biocant Park, de modo a potenciar iniciativas conjuntas na área das Ciências da Vida e Saúde.
No seguimento dos diversos encontros de trabalho entre responsáveis das duas regiões, foram ainda realizadas reuniões bilaterais com o objetivo de fortalecer a colaboração e a cooperação em áreas como a diabetes, oncologia, reabilitação, envelhecimento ativo, segurança dos profissionais clínicos e healthy forest.

Voluntariado São João Braga 2018 - Inscrições Abertas!





As inscrições para o programa de voluntariado do São João de Braga decorrem de 1 a 31 de maio.
A Associação de Festas de São João de Braga (AFSJB) desafia os bracarenses, pelo quinto ano consecutivo, a se envolverem e contribuírem ativamente para o sucesso das maiores sanjoaninas do país, que este ano acontecem de 14 a 24 de Junho, através do programa de voluntariado do São João de Braga.
Com o objetivo de dar a conhecer na íntegra o funcionamento do programa de voluntariado São João de Braga 2018 a Associação de Festas promove a dia 4 de junho uma formação direcionada aos voluntários inscritos.
O programa de voluntariado sanjoanino nasceu no ano de 2014 com o propósito de promover o envolvimento e participação da comunidade bracarense nas festas municipais, visando proporcionar uma enriquecedora experiência de voluntariado, onde estão garantidas vivências sociais e culturais únicas, dando a possibilidade de cada participante se sentir parte do São João de Braga. Para Rui Ferreira, presidente da AFSJB "o programa de voluntariado permite aos jovens e menos jovens descobrirem, através da sua própria experiência, como se constroem os 11 dias das festas da cidade.".
Em 2017 o programa de voluntariado sanjoanino contou com a participação de 70 voluntários que prestaram apoio à organização das festas em dezenas de eventos que decorreram ao longo de doze dias de festas, tais como, o Cortejo Histórico, o Encontro de Joões e a Batalha das Flores. Em 2018 a AFSJB espera superar o número de voluntários da edição anterior.
As inscrições para o programa de voluntariado 2018 estão disponíveis através do site oficial do São João de Braga. Para mais informações: voluntarios@saojoaobraga.pt
Para mais informações:
Gabinete de Comunicação e Imagem
ou contactar o presidente da AFSJB: Rui Ferreira, 965 015 385


http://saojoaobraga.pt/wp-content/themes/wt_juno/images/logo_assinatura.jpg
Luciano DuarteGabinete de Comunicação e Imagem
Associação de Festas do São João de Braga
"A Maior Festa Popular de Portugal"
Tlm. 917 450 371

‘Espaço Empresa’ inaugurado em Tavira

Foi inaugurado na Segunda-feira, 30 de Abril, o ‘Espaço Empresa’, no Centro de Negócios e Incubadora Level Up, em Tavira. A cerimónia contou com a presença da Secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, iniciou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho, seguida de visita ao espaço.
A criação do Espaço Empresa advém do protocolo celebrado, no passado dia 09 de Abril, nas Caldas da Rainha, entre o Município de Tavira, o IAPMEI (Agência para a Competitividade e Inovação), a AMA (Agência para a Modernização Administrativa) e a AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal).
Para Jorge Botelho, Presidente da Câmara Municipal, este balcão de atendimento constitui uma “ferramenta de relevante importância para os empresários e empreendedores de Tavira na satisfação das suas distintas e diversas necessidades, concentradas num único ponto, numa lógica de proximidade e de atendimento personalizado.”.
Este novo Espaço compreende a criação de uma rede de pontos únicos de atendimento presencial, online e telefónico de serviços disponibilizados pela Administração Central e Local.
Fonte: oalgarve

Preço da habitação algarvia é o mais caro do país

No 4º trimestre de 2017, o preço mediano dos alojamentos vendidos no Algarve situou-se em 1.383 €/m2, tendo sido de 1.538 €/m2 nos alojamentos novos e 1.346 €/m2 nos alojamentos existentes, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).
Trata-se de um valor bem acima da média nacional, que foi de 932 euros por metro quadrado, um aumento de 2% relativamente ao trimestre anterior e 7,6% em comparação com o trimestre homólogo.
A região algarvia é, de resto, aquela em que é mais caro comprar habitação, seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa (1.262 €/m2) e a Região Autónoma da Madeira (1.126 €/m2).
Nos municípios de Loulé (1.756 €/m2), Lagos (1.624 €/m2), Albufeira (1.510 €/m2), Tavira (1.398 €/m2), Lagoa
(1.379 €/m2) e Vila do Bispo (1.348 €/m2) verificaram-se preços de venda de alojamentos existentes acima do valor
mediano do Algarve. Nos municípios algarvios sem área costeira – Monchique e Alcoutim – as vendas de alojamentos existentes foram inferiores a 700 €/m2.

Lagos apresentou o preço mediano de venda de alojamentos novos mais elevado (1.952 €/m2) entre os municípios do Algarve.
O INE acrescenta, ainda, que “Albufeira foi o município do Algarve onde se verificou maior disparidade entre o preço de alojamentos novos e o de alojamentos existentes: 350 €/m2”, enquanto que “Castro Marim, Silves e Aljezur apresentaram disparidades abaixo de 100 €/m2 entre os preços medianos de alojamentos novos e existentes”.
Fonte: oalgarve

Condutor de trator detido na Trofa com taxa de alcoolemia de 2,89 g/l

Resultado de imagem para Condutor de trator detido na Trofa com taxa de alcoolemia de 2,89 g/l

Um homem de 31 anos foi ontem detido na Trofa com uma taxa de alcoolemia de 2,89 g/l, quase seis vezes o valor máximo definido por lei, na sequência de um acidente com um veículo ligeiro.
Segundo fonte da GNR da Trofa, a detenção foi feita após o trator agrícola conduzido pelo homem ter colidido, em Santiago de Bougado, com uma viatura em que seguia uma mulher de 19 anos, que foi conduzida à unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave com dores no tórax.
O detido, depois de identificado e levantado o auto de notícia, vai comparecer na quarta-feira de manhã perante o juiz do Tribunal de Santo Tirso.
Lusa

“PS sente-se envergonhado” com casos como de Manuel Pinho e ainda mais com o de Sócrates

"A confirmar-se é uma situação incompreensível e lamentável", diz Carlos César. Em relação a Sócrates a vergonha "até é maior"
O líder parlamentar do PS, Carlos César, afirma que o partido "sente-se envergonhado" em relação ao ex-ministro Manuel Pinho, caso sejam confirmadas as suspeitas de que é alvo.
"O Partido Socialista sente-se, como os partidos, a confirmar-se o que é dito, envergonhado", diz Carlos César no programa "Almoços Grátis", da TSF. "A confirmar-se é uma situação incompreensível e lamentável", considera
Aos microfones da rádio, Carlos César refere que o caso "tem de ser esclarecido e punido" até porque não há razão para não avaliar o caso Manuel Pinho como já se avaliaram "os casos de vários ministros e responsáveis que na banca ou na política que tiveram comportamentos desviantes, irregulares ou até de alçada criminal."
Segundo Carlos César "é através de uma Comissão de Inquérito" que "melhor se poderá resolver este assunto".
O socialista refere, no entanto, que o caso de Manuel Pinho não irá ter espaço de discussão no congresso do partido, que se realiza entre os dias 25 e 27 deste mês.
O caso que envolve o ex-ministro da Economia foi noticiado, a 19 de abril, pelo jornal online Observador, segundo o qual há suspeitas de Manuel Pinho ter recebido, entre 2006 e 2012, cerca de um milhão de euros.
Caso José Sócrates
Questionado se, a confirmarem-se as suspeitas que recaem sobre José Sócrates, a vergonha é a mesma, o líder parlamentar do PS admite que a vergonha "até é maior", uma vez que se trata de um antigo primeiro-ministro.
À TSF revela que estes casos são discutidos nas reuniões internas do partido. "Ficamos até enraivecidos com isto", em especial com "pessoas que se aproveitam dos partidos políticos" e têm "comportamentos desta dimensão e desta natureza". "Evidentemente que ficamos revoltados com tudo isso, como outros certamente terão ficado", afirma Carlos César.
DN
FOTO: ÁLVARO ISIDORO / GLOBAL IMAGENS

Processo de Pedrógão Grande já tem sete arguidos

Estão em causa factos "suscetíveis de integrarem os crimes de homicídio por negligência e ofensas corporais por negligência"
Resultado de imagem para Processo de Pedrógão Grande já tem sete arguidos
Já são sete os arguidos no processo de Pedrógão Grande, anunciou esta quarta-feira o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Leiria, em comunicado.
Aos dois arguidos "constituídos em Dezembro último" juntam-se agora mais "cinco, quatro deles ligados à área da gestão de combustíveis e um às operações de comando de combate ao incêndio".
É ainda explicado que foram interrogados e constituídos como arguidos nos últimos dias de abril.
Resultado de imagem para Processo de Pedrógão Grande já tem sete arguidos
Em dezembro de 2017, foram constituídos arguidos o comandante dos bombeiros de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut, e o segundo comandante distrital de Leiria, Mário Cerol.

Estão em causa factos "suscetíveis de integrarem os crimes de homicídio por negligência e ofensas corporais por negligência".

As investigações prosseguem, com a coadjuvação da Polícia Judiciária, estando o inquérito em segredo de justiça.
Em junho de 2017, os incêndios que deflagraram na zona de Pedrógão Grande provocaram 66 mortos: a contabilização oficial assinalou 64 vítimas mortais, mas houve ainda registo de uma mulher que morreu atropelada ao fugir das chamas e uma outra que estava internada desde então, em Coimbra, e que acabou também por morrer. Houve ainda mais de 250 feridos.
Lusa

Português morre num acidente de viação em Angola

Três pessoas morreram, entre os quais um cidadão português, e uma outra ficou gravemente ferida, na sequência de um acidente de viação, ocorrido na província do Bié, centro de Angola.
Resultado de imagem para Português morre num acidente de viação em Angola
Segundo disse à Lusa, o diretor provincial de Comunicação Institucional da Delegação do Ministério do Interior, José Daniel, entre as vítimas estão igualmente um cidadão de nacionalidade egípcia e uma mulher angolana.
José Daniel disse que a sobrevivente encontra-se gravemente ferida e recebe assistência no hospital provincial do Bié.
O responsável avançou que o excesso de velocidade poderá ter sido a causa do acidente, que ocorreu na manhã de terça-feira.
A viatura proveniente do município do Cunhinga, que dista 30 quilómetros da sede capital do Bié, Cuito, ficou totalmente destruída, adiantou ainda José Daniel.
Lusa

Falha informática pode ter ditado a morte de 270 mulheres com cancro da mama

Erro em plataforma do Serviço Nacional de Saúde britânico remonta a 2009 mas só agora foi detetado.
Resultado de imagem para Falha informática pode ter ditado a morte de 270 mulheres com cancro da mama
Entre 135 e 270 mulheres podem ter morrido prematuramente devido a uma falha informática do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido.
Uma "falha séria", nas palavras da secretária de Estado Saúde britânica, que levou a que 450 mil pacientes não tivessem sido convocadas para fazer mamografias de rotina.
"Há pessoas neste grupo que podiam estar vivas se isto não tivesse acontecido", lamentou Jeremy Hunt, num pedido de desculpas no Parlamento britânico.
A falha remonta a 2009 mas só em janeiro deste ano foi identificada.
Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido inclui um programa de prevenção contra o cancro da mama. A cada três anos mulheres entre os 50 e os 70 anos são chamadas a fazer mamografias de rotina. Cerca de dois milhões de mulheres fazem o teste todos os anos.
TSF / Reuters

Aliciava menores no Facebook e foi condenado a seis anos de prisão

Um homem que criou perfis falsos na rede social Facebook e manteve conversas de teor sexual com raparigas menores por todo o país foi esta quarta-feira condenado a seis anos de prisão pelo Tribunal São João Novo, no Porto.
Resultado de imagem para Aliciava menores no Facebook e foi condenado a seis anos de prisão
No julgamento, que decorreu à porta fechada dado tratar-se de crimes sexuais, o arguido de 51 anos, agora sentenciado pelos crimes de pornografia infantil, abuso sexual de menores e coação tentada, ficou ainda obrigada a pagar uma indemnização de 10 mil euros a uma das vítimas e três mil euros a outra.
Segundo a acusação, o arguido criou perfis falsos no Facebook onde se apresentava como um rapaz jovem, louro e de olhos azuis, através dos quais mantinha contactos com meninas entre os dez e os 17 anos.
Entre 2011 e 2017, o homem seduziu 28 raparigas com quem terá mantido conversas de teor sexual e pedido fotos delas nuas e, se elas recusassem, ele ameaçava revelar as conversas e as imagens, indica a acusação.
O arguido terá também contactado menores de idade por videochamadas através das aplicações de conversação Skype e do WhatsApp, embora nunca tenha mostrado a cara.
A acusação refere ainda que o arguido convenceu uma das vítimas, de 13 anos, de que mantinham uma relação amorosa, enviando-lhe um telemóvel e um perfume para dar credibilidade à situação.
O arguido foi detido em dezembro de 2016 e ficou sujeito a apresentações bissemanais e proibido de contactar com menores e de aceder à internet.
Contudo, em maio de 2017, violou a medida de coação e voltou a aliciar menores nas redes sociais, tendo sido preso preventivamente.
JN