sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Portalegre | Castelo de Vide com quatro dezenas de dadores de sangue


Mais uma colheita com a assinatura da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de PortalegreADBSP – teve lugar, desta feita na terra que D. Pedro V apelidou de Sintra do Alentejo.
Ao centro de saúde ocorreram nada mais nada menos do que quatro dezenas de magistrais dadores, entre eles 19 do sexo feminino (47,5 %).

Nem todos puderam estender o braço como desejavam. Os inscritos são primeiros avaliados para se constatar se estão mesmo a 100% para tão digno ato solidário. No total, as unidades de sangue angariadas cifraram-se nas 31, números estes muito interessantes.

Como habitual, sentaram-se à mesa de um restaurante local os incondicionais dadores, membros da ADBSP e pessoal do serviço de Imunohematologia do hospital de Portalegre. Apoiou o almoço convívio a Câmara Municipal de Castelo de Vide. Todos puderam também saborear as boleimas propositadamente confecionadas para a dádiva pela sempre prestável D. Maria do Céu.

Alter do Chão e Alpalhão
A próxima brigada da ADBSP vai decorrer em Alter do Chão, a 29 de fevereiro. O local passa a ser agora o centro de saúde de Alter. Depois, podem-nos encontrar no centro cultural de Alpalhão (Nisa) a sete de março. Sábados, da parte da manhã, são quando acontecem estas iniciativas da nossa associação.
Dê sangue, dê sangue, dê sangue e passe por: https://www.facebook.com/AssociacaoDadoresBenevolosSanguePortalegre/

APPACDM de Coimbra assina acordo com Programa Incorpora para 2020

A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Coimbra volta a reforçar a sua presença no Programa Incorpora.
A APPACDM de Coimbra assinou no dia 29 de Janeiro o novo acordo para 2020 com o Programa Incorpora. A instituição é parte integrante, desde 2018, desta iniciativa que tem como objetivo melhorar a integração sociolaboral de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Para 2020, a instituição vai continuar a fazer parte da rede do distrito de Coimbra, colaborando ativamente na procura de oportunidades para pessoas com incapacidade ou em situação de exclusão social.
Nesta iniciativa, a APPACDM de Coimbra tem um papel diferenciador na ligação entre o mercado de trabalho (entidade empregadora) e o possível candidato a emprego. Realiza um acompanhamento direto e personalizado as estas entidades, sempre com o objetivo de melhorar a integração sócio laboral de pessoas em situação de vulnerabilidade social. O Programa Incorpora é uma iniciativa da Fundação 'La Caixa', desenvolvida em várias regiões de Portugal, sendo que no distrito de Coimbra é coordenada pela A.R.C.I.L. e uma rede composta por mais quatro entidades, sendo a APPACDM de Coimbra uma destas.

640 toneladas de pescado congelado na Gafanha da Nazaré

O Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro, apreendeu hoje, 31 de Janeiro, na localidade da Gafanha da Nazaré, cerca de 640 mil quilos de pescado congelado de diversas espécies, entre elas: Palmeta, Linguado, Alabote, Bacalhau, Abrótea, Ganadeiro, Raia, Red-Fish, Solha e Solhão.
No âmbito de uma operação de fiscalização ao armazenamento de pescado, os militares detetaram quinze indivíduos, com idades entre os 25 e os 60 anos, a retirar caixas de pescado congelado, com um valor estimado de 3 197 000 euros, do interior de uma câmara de frio que se encontrava selada pela Autoridade Administrativa competente.
O armazém pertence a uma empresa que captura e transforma produtos da pesca e, no seu interior, foram ainda detetadas diversas ferramentas e equipamento usado para o arrombamento da parede da câmara frigorífica, tendo estas sido apreendidas.
Os indivíduos foram constituídos arguidos por suspeita da prática dos crimes de furto qualificado, descaminho ou destruição de objetos colocados sob o poder público e quebra de marcas e selos. Os factos foram participados ao Tribunal Judicial da Comarca de Ílhavo.
A operação foi realizada em conjunto com a Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos.

Coronavírus: China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses de Wuhan

Resultado de imagem para Coronavírus: China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses de Wuhan
O Governo português anunciou hoje que as autoridades chinesas já deram autorização para o repatriamento dos cidadãos nacionais retidos em Wuhan, devido ao novo coronavírus, e que o voo "será realizado logo que respeitados os devidos procedimentos".
"Podemos informar que esse processo [de autorização] já está concluído de modo que o voo será realizado logo que respeitados os devidos procedimentos técnicos e regulamentares", indica, em comunicado divulgado hoje, o gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.
Os 17 portugueses retidos em Wuhan, cidade chinesa colocada sob quarentena, foram notificados que o voo a partir do qual estava planeado serem retirados hoje à noite foi adiado para sábado, disseram à Lusa.
O voo partiu na quinta-feira de Portugal rumo a Paris e deveria ter saído hoje rumo a Hanói e depois a Wuhan, no centro da China, para resgatar cidadãos europeus, incluindo os 17 portugueses.
A China elevou para 213 mortos e quase 10 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).
Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países - Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.
Vários países já começaram o repatriamento dos seus cidadãos de Wuhan, uma cidade com 56 milhões de habitantes que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante um período indefinido, e diversas companhias suspenderam as ligações aéreas com a China.
A Comissão Europeia ativou na terça-feira o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, a pedido da França.
Os coronavírus são uma larga família de vírus que vivem noutros animais (por exemplo, aves, morcegos, pequenos mamíferos) e que no ser humano normalmente causam doenças respiratórias, desde uma comum constipação até a casos mais graves, como pneumonias.
Os coronavírus podem transmitir-se entre animais e pessoas. A maioria das estirpes de coronavírus circulam entre animais e não chegam sequer a infetar seres humanos. Aliás, até agora, apenas seis estirpes de coronavírus entre os milhares existentes é que passaram a barreira das espécies e atingiram pessoas.
O novo coronavírus da China, com o nome 2019-nCoV, trata-se de um vírus da mesma família do vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (que provocava pneumonias atípicas e atingiu o mundo em 2002-2003) e da Síndrome Respiratória do Médio Oriente, em 2012.
Estes dois tipos de coronavírus são até agora os que tiveram capacidade de atravessar a barreira das espécies e de se transmitir a humanos e que apresentam quadros de alguma gravidade.

Onde já chegou o coronavírus?

China: 170 mortos e 7.700 casos confirmados em todo o país.
Macau: estão confirmados sete casos.
Hong Kong: dez pessoas são portadoras da doença. Algumas delas passaram por Wuhan.
Tibete: foi reportado um caso.
Japão: as autoridades sanitárias do Japão confirmaram 11 casos, incluindo os dois primeiros no país de transmissão de humano para humano.
Malásia: oito casos confirmados, todos chineses, que estão hospitalizados. O quadro dos pacientes é estável.
Singapura: dez casos confirmados. Todos os pacientes chegaram de Wuhan.
Coreia do Sul: quatro casos confirmados.
Taiwan: confirmados oito casos até agora, incluindo duas mulheres chinesas, de 70 anos, que chegaram ao país como parte de um grupo de turistas em 22 de janeiro.
Tailândia: 14 infecções confirmadas na terça-feira, a taxa mais elevada fora da China.
Vietname: dois casos confirmados. São dois chineses, um homem que chegou a 13 de janeiro de Wuhan e o seu filho, morador da cidade de Ho Chi Minh, no sul do Vietname.
Nepal: um homem de 32 anos de Wuhan apanhou o vírus. O paciente, que se encontrava inicialmente em quarentena, recuperou e recebeu alta.
Camboja: o ministério da Saúde do Camboja informou na segunda-feira do primeiro caso.
Sri Lanka: o primeiro caso na ilha foi confirmado a 27 de janeiro: um turista chinês de 43 anos que chegou da província de Hubei.
Austrália: sete casos confirmados.
Estados Unidos: cinco casos confirmados. Todos os afetados viajaram diretamente de Wuhan, segundo as autoridades.
Canadá: confirmado o primeiro caso do vírus na segunda-feira, um homem que viajou para Wuhan, e relatou um segundo caso - a sua esposa - que fez a viagem com ele.
França: cinco casos confirmados, um em Bordeaux e quatro em Paris.
Alemanha: quatro casos confirmados. Todos na Baviera e funcionários da mesma empresa.
Finlândia: primeiro caso confirmado na quarta-feira, um turista chinês procedente de Wuhan.
Emirados Árabes Unidos: quatro casos confirmados na quarta-feira, todos membros de uma família chinesa de Wuhan.
Rússia: confirmou sexta-feira, 31 de janeiro, os dois primeiros casos do novo coronavírus no seu território e anunciou a retirada dos seus cidadãos de várias regiões chinesas em consequência da epidemia.

CAPITÃO FAUSTO VÃO ATUAR EM TORRES VEDRAS


A banda portuguesa Capitão Fausto vai atuar no dia 14 de fevereiro, sexta-feira, pelas 21h30, no Teatro-Cine de Torres Vedras. Depois do lançamento do álbum A Invenção do Dia Claro, em 2019, este ano a banda regressa aos palcos.

A história de Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Francisco Ferreira, Manuel Palha e Domingos Coimbra tem o seu primeiro capítulo em 2011, com Gazela – o álbum de estreia. Em 2014, lançam o segundo álbum, Pesar o Sol. Defendem-no ao vivo, com espetáculos nos grandes e pequenos festivais, nos clubes, nos teatros, um pouco por todo o país. Em 2016 são as canções de Capitão Fausto Têm os Dias Contados que os levam a superar todas as expectativas.

Capitão Fausto
Tomás Wallenstein
Manuel Palha
Domingos Coimbra
Francisco Ferreira
Salvador Seabra

Técnico FOH: Nuno Roque
Técnico MON: Diogo Rodrigues
Técnico Luz: Rui Rodrigues
Roadies: Gonçalo Perestelo e Pedro Linares
Road Manager: Ricardo Coelho

O preço dos bilhetes para assistir ao concerto é de 12 €.

Jovens Deputados de Leiria debateram Igualdade de Género


Cerca de uma centena de alunos dos 10º, 11º e 12º anos do concelho de Leiria participou esta sexta-feira, dia 31 de janeiro, na edição anual da “Assembleia dos Jovens Deputados”, no Teatro Miguel Franco, que este ano teve como tema de debate a Igualdade de Género. 

A Assembleia dos Jovens deputados foi presidida por António Sequeira, presidente da Assembleia Municipal de Leiria, com a participação de representantes do Executivo Municipal, das Freguesias do Concelho, de Deputados Municipais e Forças de Segurança, além de uma plateia de muitos jovens que assistiram e participaram com grande entusiasmo nesta iniciativa do Município de Leiria. 

Interventivos e conscientes de que a Igualdade de Género é um dos temas mais atuais e fraturantes da sociedade, os jovens deputados que apresentaram as propostas a debate, assim como a plateia que acolheu e debateu os temas apresentados, assumiram o seu estatuto de cidadãos que estão a preparar o seu futuro como adultos que querem uma sociedade mais justa e equitativa para todos. 

Antes do início da sessão, o presidente da Assembleia Municipal explicou a todos os presentes as características de uma Assembleia Municipal dando destaque ao facto de com esta iniciativa se pretender dar voz aos jovens e ter em conta as suas opiniões e pretensões, deixando claro que as propostas aprovadas teriam seguimento e uma consequente resposta. 

O início da Assembleia dos Jovens Deputados contou ainda com a apresentação de um breve vídeo, no qual a presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Teresa Fragoso, congratulou todos os presentes por esta iniciativa, convidando-os a visitarem a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género”. 

Na Assembleia dos Jovens Deputados intervieram, antes da Ordem do Dia, as deputadas Carolina Amado e Ana Caetano, da Escola Básica e Secundária Rainha Santa Isabel, com três propostas: a melhoria da rede de transportes escolares; melhoria das condições de conforto dos balneários e do Pavilhão Municipal Desportivo da Carreira, assim como a remoção de amianto do telhado das escolas do concelho. 

Neste período participou ainda a escola Monsenhor José Galamba de Oliveira, cuja deputada Sandrina Miguel propôs Incentivar a participação dos Jovens nas Artes. 

A deputada Matilde Pedrosa, do Colégio Dr. Luís Pereira da Costa, aproveitou o período de Antes da Ordem do Dia para apresentar dois louvores, um ao seu colégio e outro à Vila de Monte Redondo. 

No período da ordem do Dia, e no âmbito do tema Igualdade de Género, foram apresentadas diversas propostas pelos alunos das escolas participantes, seguidos de discussão e votação (ata em anexo). 

A Assembleia Jovens Deputados terminou com a intervenção da Vereadora do Desenvolvimento Social do Município de Leiria, Ana Valentim, que agradeceu a todos os presentes a participação nesta Assembleia e realçou que, no final da mesma, era bem claro que o tema Igualdade de Género, também para os jovens, “não é pacífico”. 

“Quando falamos em género, falamos também em igualdade de oportunidades e, vocês jovens, que são o futuro têm de passar a palavra e abolir os preconceitos”, disse Ana Valentim. 

“Não falem em Igualdade de Género só hoje. Falem todos os dias, com os amigos, com os namorados e as namoradas, com os professores e com os pais. Não tenham problemas em abordar este tema e não caiam no erro de achar que não é importante. Estejam convictos que falar de igualdade vai determinar a vossa personalidade e os vossos valores”, concluiu. 

A edição da Assembleia dos Jovens Deputados foi transmitida em direto, via streaming, e pode ser vista na página de facebook do Município de Leiria em http://bit.do/frd4c

“Lúcia, a última mensagem” apresentado no Clube de Leitura


Manuel Arouca, autor da telenovela “Jardins Proibidos” e de obras como “Os filhos da costa do sol”, foi o convidado do mês de janeiro do Clube de Leitura Aristóteles Lusitano que decorreu esta quinta-feira, 31 de janeiro, na Biblioteca Municipal, trazendo consigo o seu mais recente trabalho: o livro ficcionado “Lúcia, a última mensagem”. “Sendo um potencial meio de difusão tão discreta quanto objetiva da mensagem de Fátima, neste livro de ficção Manuel Arouca ousa a proeza de por em relevo a última das profecias de Lúcia, datada de 3 de janeiro de 1944, na qual Nossa Senhora indicou, com expressão apocalíptica, as consequências das alterações climáticas (tema hoje tão em voga e problemática assaz candente e presente nas agendas políticas e nas preocupações da larga maioria dos viventes), mas também a ganância e o ódio que marcam os tempos e levam à destruição da humanidade, aos dramas familiares e sociais”, referiu, na apresentação, Alfredo Bernardo Serra, um dos dinamizadores do Clube de Leitura. 

Na sua intervenção, Manuel Arouca começou por referir que nem sempre foi crente mas que se converteu nos últimos anos, tendo referido a forma como a religião influenciou a sua vida, não apenas na escrita deste livro - que aborda diretamente a Mensagem de Fátima -, mas também na realização de novelas, com destaque para Olhos de Água, a segunda com mais audiência na história das telenovelas portuguesas. O seu percurso de vida pode antever-se nas suas obras: em “Deixei o meu coração em África” mostra o seu fascínio por este continente, ele que nasceu em Moçambique, de onde regressou ainda muito novo; e em “Os filhos da costa do sol” retrata algumas das suas experiências da juventude. A religião tornou-se mais marcante nos últimos anos da sua vida, encontrando-se atualmente a trabalhar num projeto sobre Santa Beatriz que o levará à Colômbia. Não é por acaso que o seu carro se chama “Pastorinho”, curiosidades que Manuel Arouca partilhou com a audiência, composta por várias pessoas ligadas ao movimento da “Mensagem de Fátima”. 

A próxima sessão do Clube de Leitura está agendada para 28 de fevereiro e irá ser uma sessão de comemoração dos 100 anos do início da atividade do médico Acúrcio Castanheira, sendo convidada a sua filha Albertina Castanheira. O ponto de encontro está marcado para as 21h00, na Biblioteca Municipal, com entrada livre.

“Aveiro Tech City leva Tech Labs a 31 escolas do Município”, 5 de fevereiro, 11h, Escola EB 1 de Sarrazola, em Cacia

 

No próximo dia 5 de fevereiro a Escola EB 1 de Sarrazola, em Cacia, recebe às 11h, a inauguração de um laboratório tecnológico, destinado a 31 escolas do ensino básico do Município de Aveiro. Denominado Tech Labs, esta é uma atividade organizada pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA), no âmbito da iniciativa Aveiro Tech City

Tech Labs é uma atividade que visa a implementação de laboratórios tecnológicos em 31 escolas do 1º ciclo para estimular a descoberta de capacidades e o interesse do aluno por estas áreas no seu percurso educativo, acompanhado de um programa de formação para todos os professores desse nível de ensino. Entre outros elementos, os laboratórios serão equipados com uma impressora 3D, kits de robótica, kits de circuitos elétricos e equipamentos informáticos.

Esta ação é parte integrante de uma estratégia integrada da CMA de promoção das competências STEAM em todos os níveis do ensino básico e secundário.

 O projeto Aveiro STEAM City é cofinanciado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional – FEDER, através do programa Urban Innovative Actions. O seu investimento global é de 6.115.915€ com o apoio FEDER 4.892.732€.


  • Inauguração de um laboratório tecnológico, Tech Labs
  • Dia 5 de fevereiro,  11h00
  • Escola EB 1 de Sarrazola, R. Manuel Simões de Miranda 8, Cacia


Isabel Carriço

Alunos do 1º ciclo empreendedores na Marinha Grande



As escolas do 1º ciclo do ensino básico João Beare, Francisco Veríssimo e António Vitorino, do concelho da Marinha Grande, receberam a visita da mascote Gaspar, na passada sexta-feira, 24 de janeiro, no âmbito do projeto “Educação para o Empreendedorismo”.

Trata-se de um programa educativo promovido pela Câmara Municipal da Marinha Grande e pela CIMRL - Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria, dirigido ao 1.º ciclo,     que visa desenvolver, em professores e alunos, o espírito de iniciativa e de liderança, a inter-ajuda e o trabalho em equipa, a invenção e a criatividade, o espírito empreendedor e as competências para o século XXI.

A vereadora da Educação, Célia Guerra, acredita que “o espírito empreendedor deve ser estimulado logo desde os primeiros anos escolares, para despertar nas crianças uma maior criatividade, autonomia e espírito de equipa”.

Através desta iniciativa “pretendemos potenciar a criação de uma cultura empreendedora; promover o espírito de iniciativa, de cooperação e criatividade; explorar competências pessoais e sociais para um perfil empreendedor; partilhar experiências e ideias; e facilitar um maior contacto com o mundo real de forma criativa”.

A “Educação para o Empreendedorismo” para o 1º ciclo do ensino básico é concretizada através do projeto “A Aventura do Gaspar”, no qual a mascote Gaspar percorre os 10 município da CIMRL para que os alunos possam desenvolver as suas competências, ao mesmo tempo que vão descobrindo mais sobre a região e o seu território. As atividades centram-se em “storytelling”, numa narrativa de história/viagem pelo território da CIMRL, com recurso a jogos e atividades pedagógicas.


Podem enviar para o Litoral Centro notícias sobre as actividades a realizar nas escolas, ou que já tenham sido realizadas, na certeza que serão publicadas.
E-mail: editorlitoralcentro@gmail.com


Sagota?...importante saber!

Resultado de imagem para 2ª Guerra Mundial, Irena
Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações. Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazis relativamente aos judeus (sendo alemã!).

Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua caminhonete (para crianças de maior tamanho).

Também levava na parte de trás da camioneta um cão, a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto. Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.
Enquanto pôde manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.

Por fim os nazis apanharam-na. Souberam dessas atividades e em 20 de Outubro de 1943 Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a infame prisão de Pawiak, onde foi brutalmente torturada.Num colchão de palha, encontrou uma pequena estampa de Jesus com a inscrição: “Jesus, em Vós confio”, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu aoPapa João Paulo II.

Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Já recuperada foi, no entanto, condenada à morte.

Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um "interrogatório adicional". Ao sair, ele gritou-lhe em polaco: "Corra!".
Esperando ser baleada pelas costas, Irena, contudo, correu por uma porta lateral e fugiu, escondendo-se nos becos cobertos de neve até ter certeza de que não fora seguida. No dia seguinte, já abrigada entre amigos, Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados que os alemães publicavam nos jornais.

Os membros da organização Sagota("Resgate") tinham conseguido deter a execução de Irena, subornando os alemães e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.

Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, guardadas num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim.

Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais, ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adotivos.

Em 2006 foi proposta para receber o Prêmio Nobel da Paz... mas não foi selecionada. Quem o recebeu foi Al Gore por sua campanha sobre o Aquecimento Global.

Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida!!

Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem. Espero que faças o mesmo.

Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. Este e-mail será reenviado como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos (inclusive 1.900 sacerdotes católicos ), 500 mil ciganos, centenas de milhares de socialistas, comunistas e democratas e milhares de deficientes físicos e mentais e que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados, com os povos do mundo muitas vezes olhando para o outro lado...

Agora, mais do que nunca, com o recrudescimento do racismo, da discriminação e os massacres de milhões civis em conflitos e guerras sem fim em todos os continentes, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça. Gente como Irena Sendler, que salvou milhares de vidas praticamente sozinha, é extremamente necessária.

A intenção deste e-mail é chegar a 40 milhões de pessoas em todo o mundo.

Una-se a nós e seja mais um elo desta cadeia comemorativa e ajudar a distribuí-la por todo o mundo... Por favor, envia este e-mail às pessoas que conhece e peça que não interrompam esta cadeia.

"A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância.
Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade." - Irena Sendler

Por favor, não apague simplesmente.
Não levará um minuto para reenviá-lo.
Obrigado.

Enviado por Alves Ribeiro

Assessor parlamentar de Joacine sai do Livre

Rafael Esteves Martins anunciou o afastamento do partido, depois da decisão da Assembleia de retirada da confiança política a Joacine Katar Moreira.

O assessor parlamentar de Joacine Katar Moreira e membro fundador do Livre, Rafael Esteves Martins, anunciou hoje o afastamento do partido, depois da decisão da Assembleia de retirada da confiança política à sua deputada única.

“Não posso ficar mais no Livre, retirando-lhe consequentemente qualquer confiança política”, escreveu hoje na página pessoal no Facebook o assessor da deputada Joacine Katar Moreira no parlamento.


A publicação surge no seguimento da decisão da 44ª Assembleia do Livre de retirar a confiança política à deputada, tomada com uma maioria de 83% dos votos.

O membro fundador do Livre argumentou que “os tempos que correm” são esclarecedores “acerca das alianças: não de quem está necessariamente connosco, mas de quem não larga *mesmo* a mão de ninguém”, fazendo referência ao lema popularizado no Brasil, após a eleição de Jair Bolsonaro e utilizado em várias ocasiões por membros do partido, “Ninguém solta a mão de ninguém”.

Rafael Esteves Martins disse ainda não reconhecer o partido que ajudou a fundar, anunciando o seu afastamento.

A agência Lusa tentou contactar o assessor mas até ao momento não foi possível.

Também hoje, outro dos membros fundadores do partido, André Barata, anunciou igualmente a “retirada de confiança” no partido, com uma publicação no Facebook, após a decisão anunciada pelos órgãos do partido.

Moçambique | Município pretende “txunar” as praias da Cidade de Maputo e multar os munícipes violadores


O Conselho Autárquico da Cidade de Maputo pretende “txunar” as praias: parar a venda e consumo de álcool desregrado, acabar com os urinóis na areia e muros, regular a venda de frangos e magumba, conter a fuga da areia, definir horários de uso, obrigar aos utentes a recolher o seu lixo, proibir o uso de fogões para a confecção de alimentos fora dos locais autorizados, batizar oito das nove praias que não tem nome... Os munícipes que violarem a futura postura municipal, que Eneas Comiche e o seu elenco pretendem introduzir ainda em 2020, deverão ser sancionados com multas entre 1 a 26 salários mínimos.

“Há um ano atrás iniciamos este processo de preparação da postura de protecção, gestão e utilização da costa e das praias do Município de Maputo, depois de constatarmos que estamos a operar dentro de um quadro legislativo municipal aprovado no período colonial, e pontualmente revisto após a independência, e por conseguinte desajustado as necessidades actuais e aos desafios futuros de desenvolvimento sustentável da zona costeira”, afirmou nesta quinta-feira (30) o edil Eneas Comiche, abrindo a 1ª auscultação pública da proposta sobre protecção gestão e utilização de praias e da costa do Município de Maputo.

A nova postura municipal, fundamentada nas legislação recentemente revista para o mar e na Constituição da República, “visa essencialmente regrar aquela que é a utilização, a gestão e a protecção da nossa costa e das nossas praias” explicou a Vereadora da Cultura e Turismo no Município de Maputo, Isabel Macie, que argumentou “pretendemos que a manutenção da ordem pública seja uma realidade nas nossas praias, as nossas praias estão muito desorganizadas”.


O Plano Municipal para a costa da Cidade de Maputo - que por enquanto não incluem as localizadas na Katembe, Xefina ou Inhaca – começa pela toponímia afinal apenas uma das nove praias tem nome, a praia da Polana. Serão batizadas a praia do Miramar, Bahia, Autódromo, Triunfo, Costa do Sol, 3 Árvores e Pescadores.

A chamada praia da Costa do Sol, que compreende o quilómetro e meio entre o bairro do Triunfo a ponte para o bairro dos Pescadores, terá tratamento especial devido a sua maior desorganização e agressiva violação das mais básicas normas de higiene e civismo. A primeira intervenção será a remoção dos 209 comerciantes, maioritariamente do sexo feminino, que confeccionam e vendem frangos e magumbas assim como bebidas alcoólicas.

Comiche e a sua equipe pretendem definir um modelo de estabelecimento que tenha as condições necessárias para a preparação e confecção de comida e tenha uma esplanada com uma área delimitada para colocação de mesas onde os clientes devem ficar confinados.


“Pensamos que estas limitações que estamos poderão permitir a venda de bebidas alcoólicas mas impedindo que as pessoas saiam para a praia”, esclareceu o Vereador de Ordenamento Territorial Ambiente e Urbanização, José Nicols, que perspectivou “no futuro pretendemos libertar a praia, na zona onde temos o mercado do peixe, criar uma feira de cestaria e acomodar outras vendedores de comida num mercado do frango e magumba”.


Lombas na Circular e via rápida por trás da marginal

O Vereador de Ordenamento Territorial Ambiente e Urbanização disse que vão ser colocados sanitários públicos que “deverão ter uma gestão, iremos arranjar uma forma de trabalhar com o sector privado e com as pessoas que terão lá alguma actividade comercial” e admitiu ser “um problema muito sério a falta de infra-estrututuras de água, energia, esgotos e até mesmo há problemas em termos de capacidade de saneamento quer seja sistema de drenagem assim como sistemas de recolha de resíduos sólidos”.


“Em relação a questão das dunas, o problema do arrastamento dos solos é grave e traz muitos custos ao Conselho Municipal e nós pensamos em soluções prática como o plantio de árvores assim como a criação de paliçadas para protecção. Conclui-se que precisamos de plantar 742 casuarinas por forma a criar uma barreira de protecção na própria praia, a acoplar a esta solução a introdução de plantas rasteiras que possam criar uma amarração a própria duna”, argumentou José Nicols.

Segundo o Vereador de Ordenamento Territorial Ambiente e Urbanização devido ao tráfego rodoviário cada vez mais intenso e aos número crescente de acidentes de viação na Estrada Circular o município tem em mente, desde a zona do Radisson até a ponte da Costa do Sol, “introduzir um modelo de lombas que fizessem reduzir a velocidade e permitissem a passagem de peões”.

“Futuramente queremos criar uma via rápida por trás da marginal, desde a rotunda do Radisson, passando detrás dos hotéis e fizesse a circulação até a Dona Alice”, acrescentou José Nicols.

Violação das proibições na praia sancionadas com 1 a 26 salários

Entretanto a Vereadora da Cultura e Turismo no Município de Maputo deu a conhecer que quando a nova postura for aprovada “os utentes da costa e das praias do Município de Maputo ficam obrigados a recolher os resíduos remanescentes do consumo próprio de alimentos ou qualquer resíduo sólido por si produzido e deposita-los nos contentores, nos ecopontos, nos baldes, quando existam, ou a transportar consigo de volta até encontrar um recipiente mais próximo, mas deixar na praia e no chão não. Os operadores económicos são responsáveis pela gestão de resíduos produzidos e descartados no decurso das respectivas actividades”.

De acordo com Isabel Macie “a realização de eventos nas praias sob a jurisdição do município dependerá da prévia autorização do Conselho Municipal, a sua realização sem autorização serão aplicadas multas pela Polícia Municipal além da interdição imediata do evento” e além disso passará a ser “proibido o estacionamento de veículos fora dos limites dos parques de estacionamento e das zonas expressamente demarcadas para este fim”.

A proposta a que o @Verdade teve acesso proíbe: a) Destruir, danificar, deslocar ou remover qualquer sinalética ou barreiras de protecção existentes nas praias e demais zonas da costa; b) Desrespeitar as sinaléticas colocadas ao longo da costa, incluindo ir à água ou nadar em caso de bandeira vermelha, não acatar as condições de uso de zonas de risco, e entrar em zonas interditas. c) Vender e/ou consumir bebidas alcoólicas nas zonas balneares, fora dos locais expressamente definidos para o efeito, nos termos da sinalética prevista na presente Postura; d) Usar embalagens de vidro nas zonas balneares, com excepção dos estabelecimentos de restauração devidamente licenciados; e) Usar fogão ou fogareiro para a confecção de alimentos, fora dos locais autorizados para o efeito; f) Lançar, abandonar, despejar, enterrar ou queimar qualquer tipo de resíduos, sólidos ou líquidos; g) Gerar lixeiras nos ecossistemas sensíveis de praia, dunas ou mangais; h) Urinar e defecar fora das instalações sanitárias. i) Usar equipamentos sonoros e de actividades geradoras de ruídos acima de 85 decibéis na curva “C” do medidor de intensidade de som, à distância de sete metros da origem do estampido ao ar livre. j) A extracção e remoção de areias, seja nos areais seja nas estradas, bermas e passeios, a não ser em caso de devolução à praia; k) A prática de campismo fora dos locais que o Município vier a criar para o efeito; l) A destruição de ecossistemas sensíveis; m) A circulação ou estacionamento de viaturas e motorizadas sobre dunas e areais, salvo nos casos expressamente previstos na legislação geral; n) A exploração, abate, destruição ou remoção de vegetação; o) O exercício de caça de qualquer espécie de fauna.


Quando a postura municipal for aprovada quem urinar ou defecar fora das instalações sanitárias na praia será multado em 1 salário mínimo. Consumir bebidas alcoólicas nas zonas balneares, fora dos locais expressamente definidos para o efeito será sancionado com 2 salários mínimos tal como quem usar fogão ou fogareiro para a confecção de alimentos, fora dos locais autorizados para o efeito. Usar equipamentos sonoros e de actividades geradoras de ruídos acima de 85 decibéis na curva “C” do medidor de intensidade de som, à distância de sete metros da origem do estampido ao ar livre dará lugar a multa de 6 salários mínimos e a apreensão dos equipamentos.

Paradoxalmente Eneas Comiche realizou a auscultação pública sem a presença dos munícipes que serão o alvo da nova postura municipal, o evento reuniu no hotal mais luxuoso de Maputo os cidadãos da classe média alta que se sentem incomodados pela presença dos banhistas e utentes dos frangos, magumba e bebidas alcoólicas.

Fonte: Jornal A Verdade, Moçambique

Moçambique | Nyusi coloca Siliya à frente dos Combatentes e acomoda mais dois “apparatchiks” no seu Governo

O Presidente Filipe Nyusi terminou, enfim, a estruturação das principais figuras do seu novo Governo colocando o experiente Carlos Siliya para dirigir o Ministério dos Combatentes e reestruturando a Juventude e Desportos, onde acomodou os “apparatchiks” Oswaldo Petersburgo e Gilberto Mendes. Faltam nomear 20 vice-ministros.

O combatente da Luta de Libertação, académico e antigo deputado da Assembleia da República Carlos Jorge Siliya foi nomeado nesta quinta-feira (30) para dirigir o Ministério dos Combatentes com duas missões: “enaltecer o heroísmo dos que sacrificaram a sua juventude e vida para que os Moçambicanos sejam hoje donos do seu destino” e atender “às preocupações dos Combatentes assegurando o pagamento das suas pensões, garantindo-lhes o acesso à saúde e educação dos seus filhos conforme previsto na lei”.

Apenas 15 dias depois de ter sido investido para o seu 2º e último mandato o Presidente Nyusi decidiu que não há necessidade de existir o Ministério da Juventude e o Desporto mas transformou-o em duas Secretarias de Estado. Com missões utópicas o Chefe de Estado aproveitou para acomodar mais dois membros da juventude da Frelimo.

O desafiante candidato a candidato a edil de Maputo, actor e ex-nadador Carlos Gilberto Mendes vai dirigir a Secretaria de Estado de Desportos.

Para Oswaldo Armindo Faquir Petersburgo ficou a Secretaria de Estado da Juventude e Emprego, o Emprego foi retirado do Ministério do Trabalho e Segurança Social onde o incumbente foi vice no mandato passado, com a impossível missão de criar 3 milhões de postos de trabalho sendo a maioria para os jovens.

Com estas nomeações o Governo de Filipe Nyusi fica quase completo, com 22 pelouros tal como no quinquénio passado, estão por indicar 20 vice-ministros.

Fonte: Jornal A Verdade, Moçambique

Atletismo: Mira apresenta candidatura para o Campeonato Europeu de Veteranos

Resultado de imagem para Atletismo: Mira apresenta candidatura para o Campeonato Europeu de Veteranos
A Câmara de Mira apresentou hoje, na Federação Portuguesa de Atletismo, uma candidatura para a organização do Campeonato Europeu de Veteranos de 2022.
"Temos condições para receber uma prova desta dimensão, que vai trazer à volta de dois mil atletas, e temos a vantagem de ter organizado com sucesso a Taça dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato 2018 e o Campeonato Nacional da modalidade no ano anterior", refere, em Comunicado de Imprensa enviado ao Jornal Mira Online, o autarca Raul Almeida.
A autarquia mirense tenciona ainda formalizar nas próximas semanas, candidaturas para acolher, em 2021, o Campeonato Nacional de Corta-mato Curto, o de Desporto Escolar e também o Universitário.
O Campeonato Europeu de Veteranos de 2022 (European Masters Athletics Championships Non-Stadia 2022 - EMACNS 2022) decorre durante três dias, em abril ou maio, e integra quatro provas: marcha, 10 km Estrada, Corta-mato e Meia Maratona. A candidatura foi formalizada hoje, em Lisboa, contando com o envolvimento Associação de Atletismo de Coimbra, da Associação de Veteranos de Atletismo e da Federação Portuguesa de Atletismo.
A Câmara de Mira destaca que a prova deve contar com quase dois mil atletas de toda a Europa e respetivas comitivas.
"A experiência ensina-nos que os participantes e acompanhantes ficam na região em média uma semana, para além de efetuarem estágios com regularidade, o que é muito importante para a economia local, sobretudo hotelaria, restauração e arrendamento" refere o Presidente da Câmara Municipal de Mira
Raul Almeida diz ainda que o Europeu de Veteranos dará muita visibilidade ao concelho através da imprensa. O autarca garante que Mira vai "continuar a apostar fortemente no turismo de desporto e aventura como forma de escapar à sazonalidade".
"A realização de estágios e provas ao longo de todo o ano é importante para a nossa economia" diz o autarca de Mira, Concelho que dispõe de diversas unidades hoteleiras, num total de 400 camas.
Mira possui uma pista de 1.750 metros na Praia de Mira, inaugurada durante o Campeonato Nacional de Corta-Mato,que representou para o município um investimento de 60 mil euros. O seu traçado levou em conta as sugestões dos atletas internacionais que têm escolhido a Praia de Mira para os estágios habituais antes das grandes competições, como é o caso de Jéssica Augusto, Dulce Félix, Salomé Rocha, Rui Pinto e Nelson Cruz.
Na altura, o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo assegurou que a pista da Praia de Mira reúne todas as condições para se tornar "a Meca do atletismo português".

Fonte: Mira Online

Av. Liberdade e Baixa-Chiado vão ter novas regras de trânsito


O trânsito nas zonas da Avenida da Liberdade e da Baixa-Chiado, em Lisboa, passará a ser exclusivo para residentes, portadores de dístico e veículos autorizados, entre as 06:30 e as 00:00, a partir do verão.

O trânsito nas zonas da Avenida da Liberdade e da Baixa-Chiado, em Lisboa, passará a ser exclusivo para residentes, portadores de dístico e veículos autorizados, entre as 06:30 e as 00:00, a partir do verão. Esta medida foi avançada pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), numa sessão de apresentação da nova Zona de Emissões Reduzidas (ZER) Avenida/Baixa-Chiado. A partir de julho/agosto, será necessário um dístico para aceder a esta zona e, no caso dos residentes, estacionar à superfície.

O acesso ficará assim condicionado aos segmentos autorizados, com controlo de acessos, que funcionará todos os dias entre as 06:30 e as 00:00. Neste horário não poderão circular veículos com mais de 7,5 toneladas, exceto pesados de passageiros autorizados, viaturas de higiene urbana e veículos de emergência.

Com exceção de veículos de residentes e de cidadãos com mobilidade reduzida, é também proibida a circulação de viaturas anteriores ao ano de 2000. Os veículos das forças e serviços de segurança, de proteção civil e serviços em missão de urgência, veículos funerários em serviço, motociclos, ciclomotores e velocípedes não precisam de dístico.

Zonas com acesso condicionado
Quando o projeto entrar em vigor, o acesso e estacionamento na via pública passará a ser permitido apenas a residentes, cuidadores e a veículos afetos ao Serviço Nacional de Saúde e a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).


A ZER abrange parte das freguesias de Santa Maria Maior, Misericórdia e Santo António, sendo delimitada a norte pela Calçada da Glória, Praça dos Restauradores e Praça do Martim Moniz, e a sul pelo eixo formado pelo Cais do Sodré, Rua Ribeira das Naus, Praça do Comércio e Rua da Alfândega.

Esta zona de emissões reduzidas é delimitada a nascente pela Rua do Arco do Marquês de Alegrete, Rua da Madalena e Campo das Cebolas, e a poente pela Rua do Alecrim, Rua da Misericórdia, Rua Nova da Trindade e Rua de São Pedro de Alcântara.

Impala

Domingos Lopes, militante dissidente do PCP, publica livro memórias com grandes revelações

Lutador antifascista, Domingos Lopes comeu papéis para proteger camaradas, cumpriu pena de prisão política em Caxias e foi secretário de Álvaro Cunhal nos Governos Provisórios após o 25 de Abril de 1974. Uma vida de militância no Partido Comunista Português que terminou quarenta anos depois, por discordâncias com o rumo assumido pela direcção. Estas e outras memórias são reveladas em Memórias Escolhidas, livro editado pela Guerra e Paz, Editores, que chega às livrarias no próximo dia 4 de Fevereiro. O lançamento acontece no dia 5 de Fevereiro, pelas 18h30, na Associação 25 de Abril, em Lisboa.

Domingos Lopes assume-se, aos 70 anos, como um «militante sem partido». O antigo membro do Comité Central do Partido Comunista Português (PCP), actual presidente do Fórum pela Paz e pelos Direitos Humanos, continua a defender o ideal que transportou «como um mochileiro» ao longo de quatro décadas. Uma premissa que aguça o interesse para a leitura de Memórias Escolhidas, um livro autobiográfico que traz à luz grandes revelações sobre o processo revolucionário, a vida interna do PCP e as razões pelas quais um ainda convicto defensor dos ideais socialistas decidiu abandonar o partido.

No livro, conheça o percurso de Domingos Lopes, antes e depois do 25 de Abril de 1974. Desde a infância humilde, passada numa aldeia do Douro Litoral, à expulsão da Universidade de Coimbra, por participação nas lutas académicas, e às disputas com o pai, que não compreendia a importância de combater o regime do Estado Novo. «Ele sempre negara que existisse o Forte de Caxias e a tortura da PIDE. Acreditava que Salazar tinha salvado o país da fome e que Marcelo queria melhorar o regime.»

Só com a prisão política em Caxias, depois dos muitos papéis ingeridos para proteger camaradas de agentes da PIDE, é que o pai de Domingos Lopes percebeu que os torcionários existiam de facto. «Quando chegou ao forte e foi confrontado com as medidas brutais a que os presos estavam sujeitos, foi o fim da crença no regime.»

Após a revolução de Abril, o autor descreve a proximidade com Álvaro Cunhal, de quem foi secretário nos Governos Provisórios, e as responsabilidades que assumiu dentro do partido, como dirigente da Secção Internacional, que o levaram a visitar a Coreia do Norte e a conhecer Nelson Mandela, após a sua libertação, em 1990.

Por fim, conheça as sérias divergências que levaram Domingos Lopes à ruptura com o PCP, explanadas na carta de abandono que endereçou à Direcção do partido em 2009. «Camaradas: Ao cabo de quarenta anos de militância no partido, chegou a hora de dizer, neste momento, adeus.»

Memórias Escolhidas chega às livrarias no próximo dia 4 de Fevereiro. O lançamento da obra acontece no dia 5 de Fevereiro, pelas 18h30, na Associação 25 de Abril, em Lisboa. A apresentação ficará a cargo do jornalista Adelino Gomes.

Este é décimo livro de Domingos Lopes. Antes, o autor publicou várias obras de ficção, entre as quais o romance A Paixão Destrambelhada do Velho MilitanteContos e Crónicas do Alandroal e do Resto do Mundo e o livro de poesia Do Tamanho Possível.

Memórias Escolhidas
Domingos Lopes
Não-Ficção / História
200 páginas · 15x23 · 15,50 €
Nas livrarias a 4 de Fevereiro
Guerra e Paz, Editores

"DIÁLOGOS PARA CLARINETE, VIOLA E PIANO" NO TEATRO-CINE DE TORRES VEDRAS

Diálogos para clarinete, viola e piano vão ser apresentados pelo Re:flexus Trio no próximo dia 8 de fevereiro, pelas 21h30, no Teatro-Cine de Torres Vedras.
De referir, a propósito do grupo que irá apresentar este concerto, que “Re:Flexus Trio surgiu do encontro espontâneo entre três instrumentistas que frequentaram a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto. Desde então, têm trabalhado predominantemente o repertório clássico, romântico e contemporâneo que junta o clarinete, a viola d’arco e o piano numa formação camerística delicada e intimista.
A sua estreia ocorreu, em março de 2018, no Teatro Helena Sá e Costa, no âmbito do Festival ESMAE – evento dedicado, sobretudo, à apresentação e divulgação de grupos de música de câmara. Em 2019, apresentaram-se no Auditório Municipal do Seixal, realizando a estreia nacional da peça Trio for clarinet, viola, piano, do compositor norte-americano Eric Sawyer.
Tipicamente característica dos períodos clássico e romântico, esta formação diverge, contudo, do trio tradicional composto por piano, violino e violoncelo. Tal deve-se ao facto do clarinete e da viola de arco serem instrumentos muito próximos ao nível do registo e do timbre, mais do que, por exemplo, o violino e o violoncelo; este aspeto traduz-se num número reduzido de obras para esta formação de música de câmara”.
Re:flexus Trio é constituído por Ana Sofia Matos (clarinete), Mariana Morais (viola d'arco) e Maria Isabel Mendonça (piano).
O programa do concerto deste agrupamento musical no Teatro-Cine de Torres Vedras é o seguinte:
M. Bruch: Acht Stücke, op. 83 (1910)
I. Andante
II. Allegro con moto
III. Andante con moto
V. Rumänische Melodie

E. Sawyer: Trio for clarinet, viola and piano (1994)
R. Schumann: Märchenerzählungen, Op.132 (1853)
1. Lebhaft, nicht zu schnell
2. Lebhaft und sehr markirt
3. Ruhiges Tempo, mit zartem Ausdruck
4. Lebhaft, sehr markirt

A. Piazzolla: “Verano”, “Invierno” (1965-1969) (arrg. Mariana Morais)

O preço dos bilhetes para se assistir a Diálogos para clarinete, viola e piano no Teatro-Cine de Torres Vedras é de 5 euros.