sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Incêndios cortam A3 e A14 nos dois sentidos

Resultado de imagem para Incêndios cortam A3 e A14 nos dois sentidos
Fogos afetam autoestradas que ligam Porto a Valença e Coimbra à Figueira da Foz.
Dois incêndios florestais no concelho da Trofa obrigaram ao corte da A3 nesta tarde, nos dois sentidos, entre a Maia e Santo Tirso, confirmou fonte da GNR à TVI24. Não há previsão de reabertura da autoestrada que liga o Porto a Valença.
A A3 está cortada desde as 17:30, devido às chamas que lavram na freguesia de Covelas, desde as 14:54 numa zona de povoamento florestal e desde as 15:49 numa zona de mato, segundo a Proteção Civil.
O tráfego está a ser desviado e estão a ser retirados da via os camiões cisterna com combustível devido ao aumento das temperaturas, disse à Lusa o tenente-coronel Silva Ferreira.
Fonte dos bombeiros de Santo Tirso acrescentou, em declarações à Lusa, que foi enviada uma ambulância para a A3 para ajudar uma “criança no interior de uma viatura que se estava a sentir mal”. O pedido de ambulância foi para o “quilómetro 18,5 da A3”, precisou fonte dos Bombeiros de Santo Tirso.
O incêndio florestal no lugar de Folgosa chegou às casas e obrigou a que um bombeiro fosse "assistido no lugar de Folgosa e transportado para o hospital de Famalicão".
"O fogo chegou às casas do lugar de Folgosa”,acrescentou a mesma fonte dos Bombeiros de Santo Tirso, acrescentando que “por dificuldades de comunicação com os operacionais no terreno”, desconhece-se se as casas tiveram de ser evacuadas.

A14 volta a estar cortada

Um outro incêndio na zona de Portunhos, em Cantanhede, voltou a cortar, nesta sexta-feira, a A14 que liga Coimbra à Figueira da Foz. O fogo, que lavra em povoamento florestal, está a ser combatido por 128 operacionais, apoiados por 28 meios terrestres e três meios aéreos.
A autoestrada está encerrada ao trânsito no lanço entre os nós de Ançã, no concelho de Cantanhede, e de Arazede (Montemor-o-Velho). A interrupção da circulação automóvel naquele lanço da via, em ambos os sentidos, deve-se essencialmente à falta de condições de visibilidade, provocada pelo fumo. Os nós de Ançã e de Arazede também dão acesso às estradas nacionais 234-1 e 335, respetivamente, e a Cantanhede.
Já na quinta-feira, um incêndio em Ançã obrigou ao corte daquela autoestrada no troço entre Trouxemil/Coimbra Norte e o nó de Arazede, no concelho de Montemor-o-Velho, que dá acesso à estrada nacional 335, em ambos os sentidos. A via viria a ser reaberta pelas 23:00, quatro horas depois. Este fogo também obrigou, na quinta-feira, ao corte da A1, entre Coimbra Norte e Mealhada, durante cerca de nove horas.
Esta sexta-feira, outro incêndio em Sepins, também em Cantanhede, concentra 83 operacionais, 23 veículos e um meio aéreo.
Também na Mealhada, o incêndio que deflagrou durante a manhã de quinta-feira continua a ser combatido por 366 operacionais, apoiados por 96 veículos e dois meios aéreos. Na zona de Cavaleiros, o fogo encontra-se próximo das habitações.

Fonte: TVi24

Nenhum comentário:

Postar um comentário